Resident Evil: Revelations trouxe de volta à série o terror que tantos fãs pediam e que havia ficado relegado a um segundo plano desde que a Capcom decidiu levar a sua principal franquia pelos caminhos da ação.

O jogo foi um sucesso de crítica e trouxe novamente a esperança de ver o terror voltar ao foco, justamente em uma das franquias responsáveis por popularizar o gênero. Agora, a Capcom anuncia Resident Evil: Revelations 2, título que promete continuar esse caminho de volta ao terror, colocando as personagens em situações extremas, com poucos recursos e buscando conexão com o terror psicológico, fator pouco explorado na franquia até então. Um dos responsáveis pelo jogo é Michiteru Okabe, que ao lado de Masachika Kawata, foi o responsável pela concepção do jogo desde seu conceito até os detalhes finais que prometem dar ao jogador uma experiência de terror imersiva e completa.

Na entrevista abaixo, Okabe comenta sobre o terror do jogo, deixa no ar a possibilidade de outros personagens clássicos retornarem, fala sobre a volta dos jogos de terror e de survival horror às grandes produções, a relação entre Claire e Moira, e até mesmo sobre a troca da dubladora de Claire Redfield. Confira:

REVIL: Recentemente, você declarou que a Capcom iniciaria uma divisão na franquia Resident Evil. Os jogos numerados seriam direcionados para um público mais geral, enquanto os “Revelations” seriam dedicados aos fãs de longa data de Resident Evil. Você acredita que os fãs mais antigos não se adaptaram a todas as mudanças que a série sofreu ao longo dos anos? É difícil encontrar uma fórmula que una terror e ação em um único jogo?
Michiteru Okabe: Esclarecendo, minha declaração anterior se referia especificamente a Resident Evil 6 e não ao futuro da série “numerada”. Eu falei da percepção dos consumidores e das reações deles sobre Revelations, que foi mais focado em terror, e sobre Resident Evil 6, fortemente direcionado para a ação. Eu acho que a maior diferença entre a série principal e títulos derivados, como Revelations, é o fato de que os jogos numerados tendem a ser mais ousados e tentam mostrar coisas novas – o papel deles é inovar e evoluir em grandes passos. Uma série derivada serve a um propósito diferente, no sentido de se apoiar mais em servir a uma base de fãs já existente; mas isso não quer dizer que a série numerada trata o terror como algo menos essencial para a experiência em Resident Evil. Quanto à última pergunta, eu acho que o primeiro Resident Evil serve como um bom exemplo de um jogo que mantém um bom equilíbrio entre assustar o jogador e encorajá-lo a encontrar maneiras de derrotar a personificação do medo – as criaturas que vagam na mansão. Esse equilíbrio é muito importante na criação de um jogo como Resident Evil.

R: Há alguns anos atrás, o survival horror parece ter entrado em decadência. Resident Evil se tornou mais direcionado para a ação e outras franquias importantes do gênero deixaram de ter tanta representatividade. Recentemente, a situação parece estar mudando, com o anúncio de muitos títulos novos com foco no terror. Você acredita que o survival horror pode deixar de ser um gênero que agrada apenas um pequeno nicho e se tornar uma tendência que agrada a um público bem maior?
Okabe: Acho que estamos vendo mais jogos de survival horror hoje por uma série de razões. A primeira delas é que o gênero amadureceu ao ponto de que mais pessoas saberem que ele existe. Ainda, eu acho que a tecnologia atual está muito apropriada para esse tipo de jogo. Enquanto vemos aumento na resolução e em outros parâmetros gráficos, somos levados para mundos mais imersivos. Acho que algumas pessoas podem não gostar de um terror muito realista, então os desenvolvedores precisam encontrar o equilíbrio correto entre realismo e entretenimento. Essa é uma das coisas que podem ajudar a aumentar a audiência cada vez mais.

[…] os jogos numerados tendem a ser mais ousados e tentam mostrar coisas novas – o papel deles é inovar e evoluir em grandes passos. […] mas isso não quer dizer que a série numerada trata o terror como algo menos essencial para a experiência em Resident Evil.

R: RE: Revelations teve uma trama bem complexa, com elementos conspiratórios e muitos personagens. O segundo “Revelations” será focado somente em Claire, Moira e na vilã misteriosa que as observa, ou mais personagens ainda serão revelados?
Okabe: Nós anunciamos somente uma parte do que preparamos para esse título. Vamos divulgar um pouco mais do conteúdo do jogo em um futuro próximo, mas o que eu posso dizer por enquanto é que Claire e Moira não são os únicos personagens que vocês vão ver em Revelations 2.

R: Por falar em personagens, a volta de Claire em REvelations 2 e a volta de Sherry em RE6, são indícios de que a Capcom tem escutado os fãs e poderemos ter a volta de outros personagens, como Rebecca por exemplo?
Okabe: Tudo o que eu posso dizer é que estamos ouvindo vocês e que queremos fazer o possível para deixar os fãs satisfeitos.

R: Ainda falando de personagens, Albert Wesker morreu em RE5 e muitos fãs se sentem órfãos de um grande vilão na série. Alex Wesker, já citado no passado, pode ocupar essa lacuna e eventualmente aparecer em um futuro próximo?
Okabe: Essa é uma ótima pergunta. Existem muitos mistérios nesse título e eu quero manter os fãs se perguntando e especulando que fatores podem estar envolvidos. Por enquanto, eu vou manter a minha boca fechada e deixar vocês pensando sobre isso por mais um tempo.

[…] o que eu posso dizer por enquanto é que Claire e Moira não são os únicos personagens que vocês vão ver em Revelations 2.

R: Um dos fatos mais comentados sobre “Revelations 2” é a mudança na dubladora de Claire. Por que vocês escolheram uma nova voz para a personagem?
Okabe: A atriz original da Claire dublou uma versão adolescente da personagem. A reaparição dela traz um personagem mais velho e com mais experiência do que havíamos visto antes, então queríamos uma voz e uma aparência que combinasse com essa versão nova e mais madura dela. Nós também queríamos assegurar que ela e Moira, que está com 20 e poucos anos, tivessem vozes que fossem bem diferentes uma da outra.

R: O Brasil possui uma enorme base de fãs de Resident Evil. Os jogos mais recentes da franquia já receberam legendas e menus em português. Vocês cogitam incluir também a dublagem no nosso idioma?
Okabe: Outra excelente pergunta. Em Revelations 2, nós vamos continuar com textos de apoio e vamos continuar a investir no português brasileiro. Nós sabemos que temos muitos fãs de Resident Evil no Brasil e apreciamos muito o apoio de vocês!

10644995_840548869299335_9001248648386826695_n

Afflicted: o inimigo mais comum em Revelations 2

R: Claire sempre teve uma figura maternal na franquia. Em “Resident Evil 2” ela ampara uma Sherry ainda criança e em “RE: Degeneration”, protege a pequena Rani. Moira Burton, no entanto, não é mais uma criança, mas sim uma jovem adulta. Como será a relação entre as duas?
Okabe: Eu diria que a Claire não é uma figura maternal para a Moira, mas sim um exemplo a ser seguido ou uma irmã mais velha. Esses personagens já se conhecem há algum tempo e tem alguma proximidade. A Moira respeita e idolatra a Claire. O comprometimento da Moira com seu ídolo ficará evidente no jogo enquanto ela tenta encontrar maneiras para ajudar Claire e mostrar seu valor.

R: Os vírus e parasitas são sempre muito importantes na trama de Resident Evil, como foram o t-Vírus nos primeiros jogos ou Las Plagas em RE4 e RE5. REV2 ainda não teve seu agente revelado e os Afflicted são divulgados apenas como pessoas que “se tornaram insanas”. Pela primeira vez na série, não estaremos lidando com um vírus ou parasita? O que dá origem aos Afflicted?
Okabe: Existem outros aspectos dos Afflicted que ainda não foram mostrados. O envolvimento potencial de vírus e outras coisas semelhantes é algo que ainda vai ser revelado no futuro.

R:  Com RE6 e REORC alcançando sucesso abaixo do esperado, e recebendo duras críticas tanto dos fãs quanto da mídia especializada, como a Capcom imagina o futuro da série? Veremos mais jogos no estilo de RE6, que tentam “agradar a todos” ou títulos como Revelations que é mais voltado para um público específico?
Okabe: Vejo que estamos finalizando com outra ótima pergunta. Eu queria saber a resposta para isso! Brincadeiras à parte, o que eu posso dizer é que estamos comprometidos em alcançar e ultrapassar as expectativas dos fãs. Estou ansioso para que todos vocês tenham Revelations 2 em mãos, porque eu acho que preparamos uma grande experiência para vocês!

Para conferir a entrevista em inglês, clique aqui.

Agradecimentos especiais a Fabio Santana, da Capcom Brasil.

%d blogueiros gostam disto: