Resident Evil 7 pode ser considerado um dos pioneiros na adoção da tecnologia de realidade virtual para jogos mainstream, sendo um dos poucos que oferecem uma experiência completa nesse sentido. Durante a GDC 2017, o engenheiro chefe do time responsável pela inclusão do VR, Kazuhiro Takahara, revelou detalhes de como a tecnologia afetou o processo de desenvolvimento e o desafios enfrentados.

Ao contrário do que muitos pensam, Takahara revela que a inclusão do VR só aconteceu num ponto avançado do ciclo de desenvolvimento, mais especificamente, em outubro de 2015, o que faz sentido, uma vez que a tech demo KITCHEN foi demonstrada somente na E3 2015, como prova de conceito para a Capcom decidir se iria ou não explorar a tecnologia. Para constar, o desenvolvimento oficial de Resident Evil 7 foi iniciado em 2014.

Enfrentamos uma variedade de desafios: não poder se basear em experiências passadas de desenvolvimento, não pode se valer de câmera fixa para as cutscenes, nem se apoiar em convenções tradicionais. Um sentimento comum na equipe era como se estivéssemos trabalhando em dois jogos diferentes.

Com a recepção positiva de KITCHEN na E3 2015, o time ganhou confiança e motivação para dar o próximo passo, mas a decisão de incluir VR em Resident Evil 7 só foi tomada após a ótima recepção na Tokyo Game Show 2016. Para Takahara, o grande apelo foi oferecer uma experiência imersiva da campanha através dos olhos do protagonista Ethan Winters.

Queríamos que as pessoas realmente sentissem que estavam na propriedade dos Bakers. Mesmo com os sutis sons de chuva ou o chão rangendo sob os pés adicionaram um nível extra de sensação de como se realmente estivesse ali em VR. Queríamos que as pessoas esquecessem que estavam usando um headset e se perdessem na ilusão de estarem em outro mundo.

Apesar desse potencial, fazer um jogo em VR é uma experiência diferente, com sua complexidade aumentada pela necessidade de manter um núcleo de experiência unificado entre duas versões do mesmo jogo, tanto que uma equipe foi criada somente para trabalhar com a tecnologia. Muitos eram membros do pessoal de pesquisa e desenvolvimento que chegaram a estudar VR.

Muita experimentação foi feita com os controles, mas a equipe inevitavelmente acabou usando o que vimos no build final do jogo, que utiliza controles direcionais analógicos, algo que é considerado um taboo em VR. Essa decisão de fazer com que os jogadores tenham o mesmo ponto de vista do personagem controlável inviabilizaram soluções convenientes para o problema de tonturas e náuseas, um pouco comuns em jogos em VR.

Takahara não desejava que os jogadores se teleportassem de sala a sala. Isso quebraria o nível de imersão que desejavam alcançar: viver uma situação horripilante, investigar todos os cantos, lutar pela sobrevivência em situações impossíveis. Mantendo o esquema de controles similar entre ambas as versões facilitaria para os jogadores alternarem entre os dois modos quando desejarem.

O controle analógico deu muita dor de cabeça em outros títulos VR, mas a recepção inicial em Resident Evil 7 foi positiva, de acordo com Takahara. Foi adicionado ao analógico direito um snap turn que permite que jogadores movimentem a câmera em 30 graus e um quick turn de 180 graus de forma prática e rápida. Ainda assim, o jogador pode optar por uma opção de movimento mais fluído se desejar.

Takahara afirma que definitivamente gostaria de usar VR em futuros títulos:

Aprendemos muito ao trabalhar com VR. O que foi mais inspirador foi o time de desenvolvimento ter iniciativa ao enfrentar um enorme desafio. Não havia garantias de sucesso, mas fomos motivados pela recepção positiva de Kitchen e por reconhecer que era uma experiência nunca antes vista.

(…) Fazer Resident Evil 7 Biohazard funcionar em VR nos ajudou a apreciar em como atravessar um mundo de incertezas sem ter as respostas certas, e eu tenho um grande senso de orgulho com respeito ao que o time foi capaz de realizar.

Fonte: Gamasutra

  • Casal Japonês Emocionado

    eu costumava vender meu VR na padaria, eles não pagavam o preço completo obviamente, mas dava pra tirar uns bons 190 reais de alimentação levando marmita, já garantia um joguinho por mês.

    • Rodrigo Zika!

      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • Monokuma (Denilson Luan )

    VR e mais caro que o Ps4 mds ‘-‘

    • Osmildo Guimarães

      Nem tanto, aqui no Ceará tem loja vendendo por até 2100. Ainda é caro, mas é basicamnete o mesmo preço de ps4 fat nas americanas de alguns shopings

    • Thiago Gonçalves

      A tendência é ele ter o mesmo preço ou ser um pouquinho mais barato, praticamente um artigo de luxo.

    • Rodrigo Zika!

      Se comparar com o valor do próprio Ps4, la fora custa também o valor do Ps4, a diferença são as cifras.

  • Rodrigo Zika!

    Muito interessante, queria morar num país com dólar e euro baixos no câmbio kkkkkkkkkk

  • Marcos Vinicius

    ”Ao contrário do que muitos pensam, Takahara revela que a inclusão do VR só aconteceu num ponto avançado do ciclo de desenvolvimento, mais especificamente, em outubro de 2015.”

    Então, isso descartaria o motivo do game ser em primeira pessoa por causa do VR, certo ?

    • Bruna Mattos

      Sim e teoricamente deveria parar com o chororô chato de muita gente. A primeira pessoa foi uma das primeiras decisões do desenvolvimento do jogo.

      • Rodrigo Ramalho Morato

        Verdade Bruna, o chororô foi grande, but não sem motivo, Resident Evil andou por caminhos tortos desde Resident Evil 4, inimigos piñata, ação, muito tiro, porrada e bomba. Aliás muitas pessoas que conheço e que compraram o 7º capítulo foi graças a 2 títulos bem específicos, Alien Isolation e Outlast, estes deram uma quebrada no Tabu dos jogos em Primeira pessoa, mesmo pq o caminho que Resident Evil estava seguindo, o destino seria realmente um REsident Duty 7 ou BattleEvil 7. E na boa, o mercado já anda saturado desses FPS, por mais que vendam, já deu.

    • Thiago Gonçalves

      Capcom calando bocas.

    • Fanboy Maldito

      apenas se você acredita em qualquer coisa.
      estranho seria se eles dissessem ”não, a sony bancou tudo, por isso o RE7 é do jeito que é.”

      • Rodrigo Zika!

        Cada um acredita no que quer cara, uns acham que deus existe, outros não faz parte

  • Thiago Gonçalves

    Duas equipes de desenvolvimento, uma pro jogo normal e a outra pro jogo rodar em VR, 4 DLCs e a terceirização de uma delas, três demos sendo que uma foi repartida em três, uma nova engine gráfica, dubladores e modelos para os personagens, fora a campanha de marketing, eu até hoje ainda não acredito que me disseram que a Capcom não tinha dinheiro pra fazer esse jogo.

    • Rodrigo Ramalho Morato

      Pois é, e ainda mais estranho é que disseram que foi um jogo com um orçamento que não chegou nem perto do que o sexto título gastou. Porém nota-se uma incrível redução a nível de tamanho dos cenários.

    • Luis Felipe Soares

      Acho que dependendo de como foi feito, não sai tão caro. Há coisas que gastam mais do que mão de obra.

    • Rodrigo Zika!

      Gastou menos que RE 6, jogo em 1 pessoa querendo ou não, gastas um pouco menos.

      • Thiago Gonçalves

        Sim, mas o fato de me dizerem que ela não tinha dinheiro não justifica a causa.

        • Rodrigo Zika!

          Isso não e verdade, a Capcom vende muitos jogos menores no Japão também

  • SusanStorm

    ok se eles queriam a câmera em primeira pessoa legal, mas pq não dar uma opção de escolha pra quem não gosta desse tipo de câmera ? até se viesse em dlc paga eu pagaria na maior alegria! re7 foi um bom jogo, mas sem a opção de 3 pessoa eu simplesmente não consigo comprar/gostar/jogar

    • Rodrigo Zika!

      Isso e algo pessoal, o jogo não sera eternamente em 3 pessoa, tudo pode mudar, mas creio que devido ao suporte do VR, isso seria impossível, além da proposta de ser em 1 pessoa desde o começo, antes de introduzir o VR.

      • SusanStorm

        não não a alternativa em 3a pessoa não precisaria necessitar do vr

        • Rodrigo Zika!

          Mas creio que seja um empecilho

          • SusanStorm

            é talvez pq se até eu que não trabalhei na produção do jogo imaginei essa possibilidade é bem provável que eles tbm tenham pensado nisso, mas tenham tido algum obstáculo pra realizar :/

      • SusanStorm

        e tbm não estou falando que o jogo deve ser apenas em 3a pessoa estou falando que a camera em 3a pessoa poderia ser uma opção

    • Elden Contente

      o jogo foi feito para ser jogado em primeira pessoa é tipo jogar COD em terceira pessoa

      • SusanStorm

        o que não torna o que eu falei inválido

        • Leonidas Pereira

          Jogo em 3a pessoa não dá nenhuma sensação de horror. Você, acidentalmente, consegue ver através de paredes, portas, corredores, etc.

          • SusanStorm

            isso depende muito e além do mais não invalida minha sugestão, bastaria escolher a opção de câmera que mais agradasse

%d blogueiros gostam disto: