Parece que finalmente vamos ter mais informações sobre Resident Evil Vendetta, o próximo filme de animação da série.

O site da revista japonesa Famitsu divulgou duas novas imagens do longa.

57d624434a8ba 57d62443475f5

Apesar do tamanho pequeno, é possível notar alguns detalhes. Ainda que a divulgação inicial do filme tenha sido focada em Leon, agora Chris Redfield estrela um poster de Resident Evil Vendetta. As duas imagens revelam que o filme se passará em uma mansão com ares bastante familiares.

Vale destacar um personagem misterioso que aparece no poster, próximo ao título. Parece ser um homem loiro com uma cicatriz em um dos olhos. A internet já cogita se aquele não é Nicholai Ginovaef (o personagem possui uma cicatriz na bochecha e não no olho em REORC).

Mais novidades e imagens melhores de Resident Evil Vendetta devem surgir ao longo desta semana. A Capcom promete um painel dedicado à franquia durante a Tokyo Game Show. Uma edição da revista Famitsu com informações sobre o filme será publicada no dia 15 de setembro.

Resident Evil Vendetta ainda não tem uma data oficial de estreia, mas está previsto para 2017. O filme conta com Leon S. Kennedy, Chris Redfield e Rebecca Chambers como personagens principais.

  • Vipo Free

    RE7, Remake do 2 e vendetta, ano que vem teremos bastante conteudo novo, tomara que eles sejam bons também.

    • Hunk

      O remake do RE2 não tem data de lançamento, e quase nenhuma informação foi revelada ainda, praticamente só disseram que ele está em produção. Isso indica que o jogo não deve lançar tão cedo se for bem trabalhado, provavelmente ainda está no começo da produção, então não espere nada antes de 2018.

  • Guilherme Rodrigues

    Primeiro personagem que me veio em mente, vendo a imagem do personagem misterioso, foi a do Nicholai mesmo. A semelhança é inegável. Ele poderia ser um bom vilão para o filme. RE Vendetta parece ser algo totalmente diferente em relação aos outros filmes em CG, em relação a atmosfera. Esperando ansioso por mais detalhes.

  • Kelsor

    Era comemoração de 20 anos que vocês queriam? pois tomem. Ah! NOIS QUER A JILL CAPCOM

  • Breno Lima

    2017 promete.

    • Jota PDF

      Igual 2012 não, credo

      • Breno Lima

        Calma! Me refiro ao fato de que vai ser lançado vários titulos de RE em um mesmo ano, como ocorreu naquela época, e não a um título específico. Mas entendo perfeitamente a reação de vocês. kkkkkk 😀

    • Daniel

      Que seja melhor do que o infeliz 2012.
      Sem cagadas dessa vez.

    • Bruna Mattos

      Não D:

    • Rafael Henrique

      kkkk nao porque re6 foi uma bosta

      • Breno Lima

        Eu sei. Mas não me referi a isso. Já expliquei lá embaixo. kkkk

  • Rodolfo Morais

    A segunda imagem onde esta o Leon lembra uma parte do Resident Evil 3.5

    • Breno Lima

      Verdade. Lembro perfeitamente desse beta. Onde teríamos o terrível homem gancho.

  • Pedro da boleia

    agora eu vi vantagem. que sejam os mesmos dubladores do chris e do leon e que seja um filme legal pelo menos como os dois primeiros foram.

  • Jackson Leite

    … informações sobre Resident Evil Vendetta, o próximo final de animação da série….

    Oi REVIL, acredito que há um pequeno erro no texto ^^

    Parabéns pela melhor cobertura do mundo! <3

    • Bruna Mattos

      Opa, valeu xD Tá corrigido!

  • Jota PDF

    Finalmente alguma coisa sobre esse filme! O retorno de Nicholai seria espetacular, bem que ele poderia se tornar um vilão recorrente. Eu não reclamaria. E, bem, esse filme pelo menos vai aquietar o pessoal que não consegue viver sem os personagens clássicos.

    • Breno Lima

      Se a Capcom vai retirar a Rebecca do “porão”, então é bem provável que ele retorne mesmo.

  • Vinicius Fachin

    o cra do poster me lembra o Sergei, porém a cicatriz dele fica no olho direito e até onde sei ele está morto

  • Edu Alves

    Um filme em CG de Resident Evil causa mais expectativa do que toda uma a franquia do Paul Anderson.

  • Max

    Tá mais do que óbvio quem é o personagem misterioso com a cicatriz perto do título, é o Geralt de Rívia:
    http://1.bp.blogspot.com/-hnpw2XaXlG8/VUEmBVKrlGI/AAAAAAAAAXg/iG94-uLdNnM/s1600/geralt_of_rivia-hd-wallpaper-the_witcher_3-game-1920×1080.jpg

    • Kelsor

      Não tinha percebido. achava que era o venom snake.

    • Jota PDF

      Não seja tolo.

      • Andre Iack

        kkkk Mas Isso é óbvio, como ninguém percebeu isso antes.

      • Hunk

        As semelhanças são inegáveis, não sei como que a gente foi confundir.

    • Hunk

      Puts, pior que lembra mesmo, até os olhos.

    • Bruno Castilho Simonetti

      HAHAHAH muito bom! belo senso de criatividade. Pior que ficou igualzim

    • Max

      Mas falando sério, esse personagem misterioso me lembrou o Sergei Vladimir:
      http://statici.behindthevoiceactors.com/behindthevoiceactors/_img/chars/sergei-vladimir-resident-evil-the-umbrella-chronicles-6.04.jpg
      mas com certeza não é ele, pois a cicatriz dele fica no olho direito, além de que ele está morto, também lembrei do Nicholai mas também não deve ser, pois é possível ver que o personagem do poster é loiro, será que é o Krauser?, ele voltou dos mortos?
      http://residentevil.com.br/wp-content/uploads/2012/01/krauser.jpg

      • Hunk

        Eu tava cogitando que pelo título Vendetta e a participação do Leon a família do Simmons poderia estar envolvida, já que ele pode ter entrado na mira deles depois do RE6, mas o Krauser seria muito coerente com o título também. A questão é saber como ele poderia ter sobrevivido, e se o braço dele ficará daquele jeito bizarro de quando ele ativou a mutação da Las Plagas.

        • Max

          Eu particularmente nunca achei aquela morte do Krauser após o confronto com a Ada muito convincente, tipo, ele enfrentou o Leon e conseguiu sobreviver a explosão das bombas que ele mesmo plantou no cenário pra depois morrer em um confronto com a Ada? eu sempre achei isso esquisito.

          • Hunk

            Até que não seria impossível não, se o Wesker foi revivido anos depois do RE1 então essa possibilidade existe, até porque os produtores tem demonstrado interesse em trazer personagens antigos de volta. Teve o Barry no REV2, junto de sua filha, a Moira, que ninguém poderia ter imaginado que algum dia seria controlável num jogo, agora a Rebecca tá voltando no filme, e até mesmo a Alex foi algo que tiraram do RE5, que embora não seja tão antigo já não era óbvio que retornaria, até por ter sido mencionada apenas num DLC. E diferente de outros vilões, como o Wesker, que geral reza pra ter sobrevivido milagrosamente ao vulcão e aos mísseis que arrancaram a cabeça dele, o Krauser de fato pode ter sobrevivido. Ele não foi morto pelas explosões da torre onde enfrentou o Leon, pelo que nós vimos de seus momentos finais ele apenas foi derrubado num confronto normal após levar um certo dano, o que não garante nada. E a explosão da ilha, embora a princípio tivesse garantido a destruição do corpo dele, não prova nada, já que ele teve tempo de acordar e escapar, assim como o Wesker no RE1, que inclusive teve muito menos tempo e conseguiu.

          • Max

            Lembrando que o Wesker também pegou o corpo do Steve no RE Code Veronica, acho que o coitado deve tá incubado em um laboratório secreto abandonado até hoje kk.

          • Hunk

            Pior que é mesmo, eu sempre acreditei que o Steve sobreviveria e conseguiria se adaptar ao vírus. Já que ele tinha conseguido regredir a sua forma comum isso não seria tão difícil depois de ser usado como cobaia pelo Wesker. Supostamente ele tinha morrido, mas se eu não me engano o próprio Wesker disse que talvez ele até pudesse voltar a viver, então pra mim já tava quase garantido, quem que deixa uma coisa dessas no ar se não é pra voltar no futuro né? Só que até então não voltou e o Wesker já morreu, mas ainda consigo imaginar duas possibilidades pro Steve retornar. Uma é que se ele aparecer numa história pré-RE5, com o Wesker ainda vivo, e outra é se ele tiver ficado nas mãos da Organização, aquela pra qual o Wesker e a Ada trabalhavam, o que é bem provável. Inclusive essa organização sumiu também, então tá aí uma oportunidade de amarrar duas pontas soltas ao mesmo tempo. Só acho estranho que a própria Ada retornou no RE6, mas mesmo assim conseguiram não dizer porra nenhuma sobre a Organização, parece até que estavam tentando evitar o tópico propositalmente. Mas quem sabe talvez essa organização misteriosa, que nem o nome a gente sabe, não tenha aparecido no próprio RE6 sem nosso conhecimento? Poderia ser a Família do Simmons, afinal a Ada trabalhou pra ele também.

          • Breno Lima

            Também já imaginei que a Organização misteriosa poderia ser a própria “Família” do RE6. Não deixa de ser uma ótima teoria.

          • Hunk

            Até o RE6 sabíamos que a Ada trabalhava pra Organização, aí de repente nesse jogo ela retorna sem nenhuma menção óbvia a essa entidade, enquanto que ao mesmo tempo a história dela se foca mais no envolvimento dela com o Simmons e sua Família. Não tá nada provado, mas é difícil de não achar suspeito.

          • ratStar

            Hunk. Vc tem muito conhecimento de RE. Isso é muito legal! Pensei várias vezes tbm sobre a Organização e a Família se tratarem da mesma coisa. Talvez a mudança de nome seja até uma estratégia dos integrantes para despistar as autoridades mundiais. Lembro que em RE6 a Ada comenta com o Leon (logo após dar uma flechada na cabeça da Deborah) que estavam lidando com as pessoas que verdadeiramente “controlavam” o mundo (algo mais ou menos assim). Tenho uma teoria acerca disso. Acredito que exista uma espécie de “sociedade secreta” no universo da franquia. Talvez, figuras milionárias e/ou influentes sejam os fundadores de tal sociedade, como por exemplo o Spencer, os Ashfords, Simmons e seus antepassados, e agora em RE7 talvez a senhora de cadeira de rodas (Camile). Isso poderia ser um primeiro passo para linkar RE7 a RE6 e ao resto da franquia. Pode ser que eu esteja viajando, mas as vezes tenho impressão que esse background possa ser muito explorado se for algo parecido com isso.

          • Hunk

            Valeu, mas eu não sou o único, já vi muita teoria boa vindo de vc e de alguns outros membros do site, às vezes até conectando coisas que eu nem lembrava. No fim das contas acho que esse conhecimento que tenho da franquia não seria tão amplo sem o REVIL, só jogando os jogos eu teria deixado muita informação se perder com o tempo, aqui é bom que é difícil de esquecer já que estamos sempre falando do assunto e indo além do que os jogos expõem como informações óbvias. Eu vejo a organização do Simmons exatamente dessa forma, como uma organização secreta que pode muito bem ter uma influência muito além do que conseguimos imaginar, e até que faria sentido que um dia possa ter tido a participação de outros indivíduos conhecidos da franquia que estavam por trás das sombras. Quanto aos “nomes” em si, isso também é um outro pequeno indício, pelo menos ao meu ver, de que a Organização e a Família podem ser a mesma coisa. Repare que esses dois nomes muito provavelmente não eram nomes oficiais, e sim formas indiretas de se referir a algo cujo nome não deveria ser revelado, o que poderia muito bem justificar a suposta mudança de nomes. E se a sua teoria estiver correta isso até abre espaço pra algumas conclusões interessantes. No RE5 nós conseguimos entender que o Spencer tinha um certo controle sobre as ações do Wesker, sem o conhecimento do capitão muitas de suas ações foram previstas pelo Spencer, incluindo a traição à Umbrella. Se o Spencer possuía uma certa influência dentro da Organização, a mesma pra qual o Wesker trabalhou depois da Umbrella, então é possível que mesmo nesse período ele estivesse supervisionando as ações dele, o que justificaria a facilidade que o velho teve pra encontrar o Wesker quando resolveu ter uma última conversa com ele (Lost in Nightmares). Isso também significaria que a própria queda da Umbrella, com os dados da empresa sendo roubados pelo Wesker, pode ter sido parte das intenções do Spencer, com esses dados conseguindo voltar pras mãos dele através da Organização. Tem umas possibilidades legais aí, seja qual for o caminho que a Capcom queira tomar com a jogabilidade dos jogos eu realmente espero que eles não ignorem as pontas soltas do passado e consigam amarrá-las de formas surpreendentes, gerando conexões relevantes com o passado.

          • ratStar

            Concordo Hunk! Tem muita gente aqui que, assim como vc, manja muito de RE. Mas o mérito, em grande parte é do REVIL que, como vc falou, ampliou em muito para nós o conhecimento da saga. Parabéns a toda equipe do REVIL!!!
            Sobre os detalhes que vc falou sobre o Wesker e o Spencer eu tbm concordo! Pra mim tinha ficado essa ponta solta (onde se encaixaria o maior vilão da série em tudo isso?), mas vc fez um link e abordagem interessante aí! Pelo jeito os Wesker’s tinha um grande rancor com o Spencer e quiseram agir sozinhos. Mas pra mim está claro que eles não passavam de fantoches nas mãos do Spencer e da Organização/Família, e achavam que estavam por cima. Bom, o Albert falhou, e ainda tem a Alex pra ver no que dá (mas acho que ela terá seu arco fechado nos Revelations mesmo). No fim, com Albert, Alex, Alexia, Alfred, Simmons, Carla….a coisa saiu de controle e pra tal Organização/Família isso foi até bom pois eles serviram de bode-expiatório. Espero também que a Capcom amarre as pontas soltas algum dia em vez de só ficarem criando mais. E esse caminho que abordamos aqui parece ser bem coerente para eles utilizarem.

          • Hunk

            A equipe desse site merece boa parte do mérito mesmo, tanto os membros atuais quanto os antigos, eles sempre se dedicaram muito pra fazer esse site virar o que é hoje. Sinceramente nem que a própria Capcom administrasse o site eu esperaria um trabalho tão completo. Fora as notícias que eles estão sempre cobrindo com muitos detalhes o próprio conteúdo na sessão dos jogos é bem extenso. E ainda tem a REVIL wiki sempre crescendo cada vez mais (e pensar que eu ainda lembro de quando eles estavam apenas começando com a ideia), assim como os vídeos extras que os membros fazem. Não é à toa que fãs tão dedicados são atraídos aos montes pra esse site, o que inclusive também contribui com sua relevância. Voltando à relação dos Wesker com o Spencer, é bem assim que eu vejo mesmo. O Spencer por boa parte do tempo esteve manipulando ambos e foi o verdadeiro grande mal por trás das sombras, o maior responsável pelo bioterrorismo, até que o tiro saiu pela culatra quando ele ficou desesperado com sua própria mortalidade e colocou mais fé do que devia na Alex, e posteriormente foi morto pelo Albert ao revelar seus planos pra ele. Essa segunda parte inclusive ainda me causa um certo questionamento até hoje, porque pelo que eu entendi o Spencer aceitou sua morte (embora de má vontade) e chamou o Albert pra finalizá-lo. O que eu acho interessante aí é que de uma certa forma esse evento me passa uma ideia de que talvez o velho tenha acabado criando um certo vínculo distorcido de paternidade com o Albert. Se ele aceitou que não tinha como fugir da morte ele poderia ter simplesmente se suicidado, mas ele fez questão de se encontrar pela última vez com o Wesker e revelou o grande segredo sobre seu passado, o que não o ajudaria em nada, mas talvez tenha sido a forma dele de passar seus planos adiante pra próxima geração e colocar o Wesker no caminho de tentar reconstruir o mundo e se tornar um deus em seu lugar, como sua última manipulação, mas dessa vez em prol de seu “filho” (que não é filho, mas não sei qual seria uma palavra melhor nesse caso). Pode parecer meio estranho, mas por mais maluco e perverso que o Spencer fosse ele realmente parecia se importar com algumas pouquíssimas pessoas. Ele fez questão de liberar seu mordomo fiel antes do Wesker aparecer pelo próprio bem dele (não parecia haver nenhuma segunda intenção nessa ação pelo menos), e além de revelar seus segredos pro Albert ele também realmente parecia dar valor à Alex. Tudo bem que ele precisava dela, mas acredito que tenha sido mais do que isso, porque acho difícil de acreditar que esse cara que passou décadas manipulando o mundo todo com perfeição seria enganado tão facilmente se não houvesse nenhum laço emocional no caminho da mente fria e calculista dele. Acho o Spencer um vilão bem interessante por causa desse tipo de coisa, porque de uma forma geral ele realmente parece ser um psicopata sem escrúpulos, mas se formos olhar pros detalhes veremos que tinha um humano no meio de todo esse mal Mesmo sendo ações pequenas em comparação a todo o mal que ele causou, ainda assim pelo que vimos no Lost in Nightmares ele teve seus momentos em que tomou ações desnecessárias que não o beneficiariam, mas beneficiariam alguma outra pessoa. Sinceramente, mesmo que ele tivesse obtido sucesso em seu plano e se tornado um deus num mundo de seres evoluídos artificialmente através de um vírus, eu duvido que ele teria conseguido olhar pros Weskers como ferramentas que já serviram seu propósito e simplesmente descartá-los por não serem mais úteis sem nenhuma hesitação, mesmo que esse fosse o plano original dele.

      • Guilherme Rodrigues

        Imagem em maior resolução da foto que mostra o personagem misterioso: https://scontent-lga3-1.xx.fbcdn.net/v/t1.0-9/14264871_10153967867168590_1011672391073039680_n.jpg?oh=94569ca8c18d5799d3f7919d9fb99572&oe=5878AC86
        A cicatriz do misterioso personagem é diferente da cicatriz do Krauser, até mesmo da do Nicholai, o personagem que cheguei a cogitar. Mas sendo RE, pode ser qualquer coisa.

        • Hunk

          É verdade, mas acho que não garante que não seja um deles, pode ser apenas uma mudança de design dos produtores, esse tipo de incoerência acontece por causa disso às vezes. Se até o rosto da Jill pode mudar então porque não?

          • Guilherme Rodrigues

            Sim, estava pensando nisso agora mesmo. Lembrei aqui também, Leon possuía uma cicatriz no RE4 e já no RE6 não possuía mais, por exemplo. Realmente o design e detalhes de alguns personagens costumam mudar. Pode ser que seja algum deles mesmo, olhando por esse lado.

          • Hunk

            Vc se refere a quando o Krauser cortou o Leon com a faca, certo? Realmente parece que sumiram com isso, acho que se bobear nem devem ter lembrado, ou acharam que não ia ficar legal com o visual dele e tiraram. Mas é assim mesmo, esses errinhos são comuns por diversos motivos. Se for só o posicionamento exato da cicatriz, mas ela continuar na mesma área geral, então eu nem falo nada, é mudança de design mesmo. No caso do Leon é que é mais bizarro, o gene X é forte nele.

        • Max

          Realmente a cicatriz do Krauser é bem maior, mas se a teoria que escrevi abaixo de que ele foi resgatado pelo o Wesker e incubado para se regenenar dos ferimentos estiver certa, então faz sentido a cicatriz ter diminuído um pouco do tamanho, ou talvez o Krauser tenha usado cicatricure kk.

    • Bruna Mattos

      Pode ser o Venom Snake sem tapa olho

  • Bruno Castilho Simonetti

    Ansioso pelo dia 15 pra sair mais novidades na revista Famitsu! Essas animações são muito tops

  • Shuichi Minamino

    Eu me pergunto, e não sei se deixei passar, onde o Vendetta se encaixa na história.
    Juntar o Chris, Leon e Rebecca foi uma ótima ideia. Gostei muito dessa notícia!

    • Hunk

      Se eu não me engano disseram que é depois do RE6 e antes do 7. Não lembro em que notícia li isso ou se eu sequer li isso mesmo e não estou confundindo com outra coisa, mas se for como o Degeneration e o Damnation deve ser assim mesmo.

      • Shuichi Minamino

        Eu achei agora aqui no Revil uma postagem que diz que o filme serviria como reboot. Faz sentido porque a mansão da foto lembra a mansão Spencer. Mas com o lançamento de RE7 e a afirmação de que segue a cronologia, após os eventos do 6, me pergunto como organizar essa timeline!
        Por mim, dava um reboot em tudo, mantinha a história até o Code Veronica (organizando o enredo), tirava a parte dos exageros de Leon virar super herói e por aí vai.

        • Max

          Seria interessante essa divisão de timeline após o RE Code Veronica, isso seria semelhante ao que aconteceu com os filmes dos X-Men que foi dividido em duas timelines, mas é improvável que isso aconteça.

          • Shuichi Minamino

            Max, eu penso da mesma forma. Uma já existente, mantinha. Uma outra, menos exagerada e com menos ação. Explicando algumas coisas, como o destino do Steve, etc e seguindo a dinâmica dos jogos antigos.
            Assim, quem curte a fase pós RECV estaria satisfeito também, agradando a todo mundo.

          • Andre Iack

            Quem dera. Mas seria legal um RE4, 5 e 6 pós Code Veronica seguindo o ritmo dos clássicos dando sensação de continuidade de um modo mais coerente, como se fossem duas realidades distintas, duas dimensões.

          • Shuichi Minamino

            Super apoio essa ideia. Como tinha que ser, segundo a minha opinião. Agora pra voltar, acho que só um reboot, como em Tomb Raider. Será que daria certo?

          • Andre Iack

            Acho que daria, mas eles deveriam ter aproveitado a oportunidade de ter feito esse RE7 ser o Reboot da saga, então a essa altura nem faz mais tanto sentido ter um reboot, a Capcom parece gostar de dividir a franquia de 3 em 3 sagas, fora os spin-offs:

            – RE 1, 2 e 3 (Survival Horror)
            – RE 4,5 e 6 (Action)
            – RE 7, 8, 9 (Survival Horror 1st person)

            Então acompanhando a linha de raciocínio da Capcom se um reboot realmente acontecer algum dia acho que isso só vai acontecer depois de um RE 9.

          • Shuichi Minamino

            Boa linha de raciocínio. Mas com o sucesso do RE7 e o RE2 Remake vindo por aí, quem sabe, talvez, exista a possibilidade de um reboot.
            Ou então, organizar a história com Remakes do 3 e CV, assim como foi no RE1 Remake.

          • Andre Iack

            Se o RE7 fizer sucesso aí é que não vem reboot mesmo, porém mais que eu quisesse um reboot ainda sim eu desejo que o RE7 faça muito sucesso. Quanto aos Remakes certamente virá pelo menos um do RE3 caso o remake do RE2 faça sucesso.

          • Shuichi Minamino

            Em alguns momentos, eu vejo RE7 e não vejo semelhança com alguns anteriores (inclusive o famigerado RE6). Ele me remete a uma nova dinâmica. Minha impressão é como se a série tivesse sofrido um reboot. Sabemos que vai ter algum vírus envolvido nisso e como vai ser inserido na história é o que mais me desperta curiosidade.
            Enfim, eu só vejo um jogo de terror com o que foi apresentado até agora.
            Estou torcendo para os Remakes do 3 e CV e, lógico, o sucesso do 7.

        • Hunk

          Acho que com reboot eles não estavam se referindo à história. Acredito que tenha sido apenas um erro de comunicação (inclusive acho que isso foi dito por um japonês, então é bem provável), é possível que eles simplesmente tenham tentado dizer que será um novo começo nos filmes no sentido de que esse seguiria uma temática bem diferente, por ser menos focado em ação.

          • Shuichi Minamino

            Uma vez eu vi uma cena no RE6 onde um inimigo sofria mutação de um dinossauro(!?) e voltava ao normal. Não sei se vi errado. Desde então, não me interessei pelo jogo.
            Mais um exagero que achei nonsense aparecer nos mais recentes. Mas enfim, não sei se virou tendência, faltando apenas inserir viagem no tempo.
            Fico feliz se o Vendetta seguir uma linha mais próxima aos jogos antigos.

          • Hunk

            Vc não viu errado, isso foi no capítulo 5 do Leon durante uma das batalhas contra o Simmons. Mas eu pessoalmente não acho isso tão ruim, desde o RE2 essa tendência começou com o Birkin ganhando uma quantidade enorme de massa em pouco tempo em sua última forma, com exceção da parte de retornar ao normal, mas isso foi visto com o Steve no CV. E acredite se quiser, mas tem uma conexão aí. O C-vírus foi criado a partir do G-vírus e do T-Veronica, e o Simmons ser capaz de ganhar muita massa de um segundo pro outro e retornar a uma forma mais parecida com a humana são características compatíveis com esses 2 vírus. O que mudou mesmo foi a velocidade em que as transformações ocorrem e o tamanho máximo, o que pode ser explicado como parte do avanço na criação dos vírus, mas pelo menos a ideia básica já é bem antiga.

          • Shuichi Minamino

            Como eu não joguei o 6, não tenho propriedade para falar, mas faz todo sentido o que você explicou. O Birkin se transformar sem limites, ok. O Steve voltar ao normal, aceitável. Agora um dinossauro?! Achei tudo muito exagerado pelo pouco que eu vi no 6. Particularmente, eu prefiro quando há os limites humanos do personagem. Mesmo que na época dos antigos, não tivéssemos tecnologia para os exageros dos mais recentes, eu gostei da “pegada” mais de sobrevivência, a limitação de movimento e tal.
            Eu gosto muito da série e tenho esperança que venha uma boa história (e coerente) a cada jogo lançado.

          • Hunk

            O DNA de dinossauro realmente foi um pouco bizarro, eu acabei aceitando como uma referência a Dino Crisis, mas entendo a crítica. Mesmo sendo um fã do RE6 eu não tenho como discordar do que vc disse, esse de fato é um jogo exagerado, e mais do que RE deveria ser. Aliás essa é a minha maior crítica a esse jogo, eu gostei do Simmons como vilão e como um chefe persistente, se o exagero fosse mais limitado a ele e outros chefes finais eu até nem falava nada, mas em todas as campanhas e em praticamente todos os capítulos existem cenas exageradas, eles perderam a linha com isso. Inclusive nem era necessário mudar a trama do jogo ou a jogabilidade pra mudar isso, bastava ter mais bom senso pra suavizar essas cenas específicas que como um jogo seria praticamente o mesmo, mas como um novo capítulo de RE se encaixaria bem melhor com o equilíbrio entre realismo e absurdo ideal pra essa franquia. Seja como for eu ainda acho que é um jogo bem viciante e não conseguiria odiá-lo nem se eu tentasse, mesmo com essa falha, simplesmente me diverte e nem que toda a lógica do mundo fosse contra ele isso mudaria. Mas por outro lado, deixando os exageros de lado por um momento, acho que as pessoas pegaram pesado em alguns outros aspectos desse RE, especialmente na história. É uma trama meio absurda, isso não dá pra negar, mas até aí acho que tá de acordo com a realidade de RE, só que o que eu acho que o jogo errou na hora de contar sua história foi com os files. Em todos os outros REs até então os files eram essenciais pra entender a trama direito, e o RE6 não é diferente, mas em todos os outros os files estavam inseridos na trama de uma forma orgânica. Vc os encontrava naturalmente enquanto prosseguia e explorava o cenário, o que adicionava um certo elemento de investigação à forma como a trama se desenvolvia, algo que eu sempre gostei nessa franquia. Já no RE6 cometeram o erro de amarrar os files aos emblemas da serpente, coletáveis que estavam escondidos no cenário e vc tinha que destruir, normalmente com um tiro, e quando vc fazia isso desbloqueava um file que podia ser visualizado num menu fora do gameplay. Os emblemas da serpente não são coletáveis que vc simplesmente esbarra no caminho, são coletáveis que vc tem que procurar especificamente (embora alguns sejam mais óbvios), normalmente com a ajuda de um guia, e não se encaixam na história. Ou seja, os files ficaram como um complemento, não como parte da investigação natural, como era nos outros jogos. Em outras palavras, a história estava lá, era detalhada e ao meu ver tinha qualidade, mas não foi contada da melhor forma. Isso pesa muito quando dizem que a história do jogo é um lixo, porque mesmo que eu não concorde com isso eu ainda não posso negar que os detalhes não foram bem inseridos no desenrolar do jogo, então não dá pra culpar ninguém por não gostar. Um exemplo desse problema é que isso que eu te contei sobre o C-vírus ter sido desenvolvido a partir do G-vírus e do T-Veronica é uma informação vinda de um file, o que em nenhum outro RE seria um problema, mas no RE6 é uma informação bem útil pro entendimento do funcionamento do vírus e das mutações do Simmons que quase ninguém sabe quando zera o jogo. Isso leva o jogador a ver certas coisas como exageros sem nexo, quando na verdade há explicações interessantes que remetem ao passado da franquia, o que muita gente teria adorado descobrir enquanto prosseguia com o jogo.

          • Shuichi Minamino

            Sobre a história e sobre o jogo eu não consigo nem discutir com você, pois o que eu sei é de ler aqui e ali e ver outros jogarem. Você falou muitas coisas que eu nem sabia.
            Eu tentei dar uma chance ao jogo, pois é RE então não me importavam as críticas. Mas o problema é que a jogabilidade é algo que foi extremamente difícil de dominar. Ajustar a câmera e andar com o personagem. Tanto que no REV2 tem essa opção é coloco pra opção de jogabilidade de RE4. Isso já me limitou, embora eu achasse o gráfico muito bonito.
            Eu queria ter finalizado o jogo, mas quando cheguei ao cemitério, mal sobrevivi.
            Ao ver o que tinha no jogo em relação a história e aos exageros (concordo com você que o RE6 parece ter uma história promissora), me deu um desânimo que não acreditei que sentiria, ainda mais sendo um RE. A sensação foi: ok, próximo.
            Mas, sendo parte da série e da cronologia, isso me desanimou.
            Gostei muito dos Revelations e da premissa do RE7.
            Porém, creio que o enredo, a partir do RECV, merecia um cuidado maior. A proposta dos jogos é boa, mas acredito que, como disse, pecaram na forma como a história foi contada.
            Felizmente a Capcom parece trazer um título com elementos menos exagerados com RE7.
            Pensando pelo lado positivo, só foi possível os Revelations e a mudança (?) no RE7 graças às críticas da tríade 4, 5 e 6.
            Hunk, gostei dessa parte do C-Virus ser desenvolvido através do T-Veronica e G-Virus. Essas referências foram bem legais na minha opinião. Depois da sua explicação, pude aprender mais sobre RE6.

          • Hunk

            Sua má adaptação ao jogo é perfeitamente compreensível. Vc disse que teve problemas com a câmera, vc por acaso tentou jogar esse jogo no mesmo ano em que lançou, ou foi mais recente? Pergunto porque lançaram uma atualização pra atender a algumas reclamações dos jogadores em relação ao posicionamento da câmere. Tem 3 opções diferentes que foram adicionadas, a primeira permite regular o campo de visão ao andar, a segunda permite regular o campo de visão enquanto mira, e a terceira permite regular o posicionamento do corpo do personagem enquanto mira, podendo colocá-lo mais no canto da tela ou mais no centro. Se vc acha que os seus problemas podem ter sido relacionados ao posicionamento da câmera então recomendo testar essas opções se ainda tiver o jogo. E mesmo que isso não ajude muito, ainda pode ser que com a prática vc se acostume com a jogabilidade do jogo. Hoje eu a considero fantástica, acho que oferece uma ótima mobilidade, mas no começo eu a achei complicada e até um pouco confusa. Nesse aspecto eu diria que mesmo sendo muito diferente dos REs clássicos esse jogo ainda consegue ser similar a eles, porque pra muitos jogadores parece haver um certo período de adaptação que muitos jogos não exigem. Como que é esse modo de jogabilidade similar ao do RE4 no REV2? Lembro que no RE6 tinha uma opção dessas também, mas não sei se são a mesma coisa nos dois jogos. Eu não usei essa opção em nenhum dos 2 porque não me pareceu muito confortável agora que podemos andar enquanto atiramos, utilizando o analog da direita pra mirar, mas o que vc considerou melhor nessa opção do REV2? Seja lá o que for eu posso conferir aqui pra ver se tem nas opções do RE6. Ainda assim eu acho que esses modos de jogabilidade não oferecem muito conforto no REV2

          • Shuichi Minamino

            Pois é, Hunk. Confesso que me aborreceu não dominar a jogabilidade. Eu consegui a do RE1 que considero a mais difícil, por que não conseguiria com o RE6? Eu pensei. Somando-se a isso, tem o fato da história ser exagerada e apresentar uma mudança no enredo que não me agradou. A tríade 4, 5 e 6, de fato, tem algo na história que me causa um certo incômodo. Porém, jogo o 4 e 5 e adoro. São bem divertidos. Quanto ao 6…
            Creio que, se não olhar o jogo como um RE e parte integrante da história, eu irei curti-lo. Mas sim, a jogabilidade foi um fator determinante para a minha desistência.
            Não vi essa atualização que disse. Pois joguei há dois anos atrás. Porém, fui verificar aqui no REV2 a opção de controle similar ao RE6. Nossa, que fácil de usar! Um analógico eu ando enquanto o outro eu posicionou a câmera. Só achei estranho mirar e atirar com o L e R, pois me acostumei a atirar com o X. Será essa a mesma jogabilidade do 6 atualizado?
            O controle similar ao RE4, que eu tanto gostava, já achei meio “duro”. A câmera te acompanha automaticamente atrás do personagem, mas o ajuste do posicionamento se torna limitado.
            Ainda não finalizei o REV1, mas pretendo fazê-lo, pois o achei bem interessante.
            Se eu tiver a oportunidade de jogar o 6 novamente, seguirei as suas dicas com certeza e volto aqui para te dizer o que achei. Quanto ao jogo em si, adoro o Leon e o Chris, mas a história do Simmons e da Carla, da Sherry e do super Jake, não conseguiu me agradar (não sendo hater, mas eu esperava um clima semelhante aos clássicos, sem “superheroismos” ou ideias megalomaníacas).
            Em relação ao 7, acabei de jogar a demo. O que aprendi sobre ela:
            – Jack e Marguerite desapareceram em 2004 (o jogo é em 2017) , tipo quando lançou o RE1, cuja história era no ano seguinte – nostalgia) são importantes de alguma forma e resolveram se isolar para ter sossego.
            – explorar a casa foi uma sensação ótima! Procurar chave, procurar item, ver os files para encontrar alguma pista do próximo passo, etc.
            – remete ao RE1, na minha opinião, principalmente em relação a exploração.
            – sustos e tensão com certas situações, estão presentes.
            – esse jogo é literalmente um Resident Evil.

            Compartilhe a ssuas preocupações em relação ao 7.
            Confesso que não sei muito o que dizer sobre o 7 e como ele se encaixa na franquia, a não ser o que descrevi acima.

          • Hunk

            Lembro que estive numa situação similar quando joguei os REs clássicos pela primeira vez. No meu caso foi o RE4 que me trouxe pra essa franquia (anos mais tarde eu descobri que tinha jogado o CV antes na casa do meu sobrinho, mas eu era muito novo e nem sobrevivi ao primeiro encontro com os Cerberus, além de não saber que estava jogando um RE por não ter visto o nome do jogo), então voltar pros clássicos é que foi mais complicado, mas eu admirava tanto esses jogos antes mesmo de saber jogá-los que não conseguia parar de tentar até pegar o jeito. Lembro que eu tentei jogar o Nemesis, não consegui nem chegar à delegacia, fui pro RE2, não consegui ir muito além de usar a medalha do unicórnio, tentei o RE1, também sem sorte, e fui alternando entre esses jogos algumas vezes até conseguir entender o que eu estava fazendo de errado. A minha adaptação à movimentação deles acabou vindo no RE3, que foi o primeiro RE clássico que zerei, e pra mim o que fez a diferença foi a forma como eu entendia a movimentação, não só como uma habilidade manual, mas como algo lógico também. O que eu vou dizer parecerá meio óbvio, mas pra entender e conseguir aplicar nos jogos demorou. O truque é não utilizar a posição da câmera pra tentar se locomover, e sim pensar no posicionamento do corpo do personagem e do cenário, como se vc estivesse vendo por ele ao invés de vendo por fora através de câmeras que alternam o tempo todo de posição. A partir do momento em que eu entendi e consegui aplicar isso eu aprendi a andar nos REs clássicos quase que instantaneamente, nem diria que foi uma questão de prática, e sim uma questão de chegar a uma conclusão essencial e entender como funciona a visualização do jogo. É um esquema incomum e complicado a princípio, mas depois de entendê-lo eu passei a considerá-lo como algo bem artístico, porque além de forçar uma mudança na nossa forma de entender a movimentação ele ainda valorizava o detalhe dos cenários ao fixar a câmera em ângulos pré-determinados. Eu diria que era até cinematográfico, mas num bom sentido, de uma forma que não atrapalhava o gameplay, pelo contrário, gerava um gameplay único.

            Se formos comparar com o RE4 veremos que na verdade a movimentação é praticamente a mesma, no máximo talvez tenham mexido na velocidade do personagem e outros detalhes, mas o esquema básico não mudou, o que mudou foi a câmera. O RE5 até adicionou a opção de andar pros lados em certas configurações de controles, mas os únicos que mudaram radicalmente a movimentação (entre os jogos principais) foram o REV2 e o RE6, e o RE6 é logo o mais frenético e com controles mais complexos, então faz muito sentido que nem todo mundo que vem dos REs antigos se adapte facilmente a esses dois jogos, com o sexto sendo mais difícil que o segundo Revelations. Mas se vc se acostumou à jogabilidade do REV2 agora então acho que o próximo passo natural é a do RE6 mesmo, porque ao meu ver o REV2 usa uma versão simplificada da jogabilidade do RE6. Andar, mirar (inclusive mirar enquanto anda), atirar, correr, acho que isso tudo se não é igual entre os dois jogos é bem similar, as 3 simplificações que o REV2 fez pelo que eu me lembre foram substituir as esquivas mais complexas do RE6, incluindo o slide, por uma única esquiva através do botão bola, mudar o manuseamento do inventário e seleção/uso de itens, usando um método mais simples, e o mais notável, a forma de usar os golpes físicos. Eu diria que essas 3 seriam as únicas adaptações que vc teria que fazer entre um jogo e outro, com os golpes físicos sendo o maior diferencial, os problemas que vc poderia ter com a câmera acredito que fossem mais relacionados ao campo de visão, o que agora é customizável.

            Quanto à história, realmente há diferenças. Eu acho que olhando de uma forma geral a trama de RE seguiu um rumo natural, com a formação da BSAA e o bioterrorismo sendo coisas que se encaixaram muito bem, mas olhando pro RE5 em particular a conclusão que eu chego é que esse jogo apresenta uma ótima backstory e elementos importantes pro futuro de RE, mas a trama em si que se desenrola nesse jogo também não é das mais atrativas pra mim. Acho que é o próprio ritmo do desenrolar da história que não me atrai tanto, além dos personagens secundários não terem sido tão marcantes ao meu ver. Já o RE4 eu gosto sim da história, inclusive da forma como ela se desenrola e dos personagens secundários, mas ela é singular por ter um tom de side-story, como se fosse uma breve pausa em meio aos eventos principais envolvendo organizações e pessoas focadas na pesquisa e uso dos vírus (até no primeiro REV eu acho que a história tem mais tom de ser um capítulo principal da franquia), se focando num evento bem isolado fora do comum nos REs principais. Por esses motivos acho compreensível que vc veja a história desses dois jogos de forma diferente.

            E sobre o RE7, a exploração é exatamente o que mais me anima, incluindo a resolução de puzzles e o sistema de inventário, fatores que remetem mesmo aos REs clássicos. O que me desapontou e que não tem mais jeito de consertar é a câmera. No fim das contas eu jogo muitos tipos diferentes de jogos, incluindo jogos em primeira pessoa, então mesmo que essa não seja minha câmera preferida não será o suficiente pra me afastar do jogo, mas eu realmente não acho que combina muito com RE. Inclusive vai além da própria escolha de câmera, outra coisa que me preocupa é que essa escolha deve ter sido feita pra seguir a onda dos jogos de terror atuais, o que eu sinto que é algo que os produtores do RE7 podem estar seguindo até demais, e talvez até estejam colocando em primeiro plano, como se o terror psicológico desses jogos fosse mais importante que o survival horror dos REs clássicos. Bem, isso é mais uma preocupação do que um julgamento final, e mesmo que eles sigam essa onda ainda me parece que estão sabendo colocar os elementos dos REs clássicos misturados aos dos novos jogos de terror, então com certeza terá RE ali dentro. Resta ver como ficará a proporção, se tenderá mais pra terror psicológico ou pra survival horror, pros jogos de terror atuais ou pros REs clássicos.

          • Shuichi Minamino

            Eu tinha uma réplica a fazer do seu comentário, mas ele foi marcado como spam e não consigo enviar a resposta. Agora que vi ao acessar o disqus.
            Que interessante ter começado pelo RE4. Logo pela jogabilidade mais convidativa. Imagino seu incômodo ao se deparar com a jogabilidade clássica tanque. Para quem fez o inverso, foi mais natural. Sim, concordo com a lógica que citou. Devido a essa jogabilidade presente nos clássicos zero a CV, podíamos observar os cenários (eu gastava horas nisso). Quanto a história, eu sinto como se houvesse uma lacuna entre o CV e o RE4. A partir do Zero, houve uma evolução natural da história. Mas e a partir do CV? Essa parte foi liberada anos mais tarde no RE The Umbrella Chronicles. Creio que uma história como essa merecia um jogo completo e numerado, mas enfim, não entendo as razões da Capcom. A produtora deu espaço para histórias potenciais e, mais uma vez, concordo com você, faltou ser bem melhor contada. Eu me animei muito com o RE7. É como se ele fosse uma ruptura com a saga e, ainda assim, mantendo certos elementos. Não me incomoda o fato de não ter os personagens antigos (eu adoro Leon, Claire, Chris, Jill… ), pelo contrário. Por enquanto, não tenho muito a dizer sobre o RE7, a não ser pela minha experiência com a demo. Foi uma sensação ótima, quase a mesma que tive ao jogar RE1 em 1998! Andar pela casa dos Bakers, procurar itens, tomar sustos…tudo muito legal! Difícil não ler as novidades sobre o jogo, mas tento evitar (se é que isso é possível), para não perder a graça de descobrir tudo sobre ele. Realmente, não me animo assim por um RE desde o REV 2 e, claro, o anúncio do RE2 Remake. É sempre bom ler essas experiências e as suas opiniões. Agradeço por compartilhá-las. Lamento eu não poder discutir melhor sobre o RE6, pois este é um jogo que realmente não tenho muito a dizer…

          • Hunk

            Ir do RE4 pros clássicos realmente não foi fácil, mas mesmo quando era difícil não era frustrante a ponto de não valer a pena, eu sempre tive motivação o suficiente pra continuar tentando até aprender. Quanto à lacuna do CV pro RE4, concordo. Esse jogo meio que foi um pequeno reboot, não no sentido literal da palavra, afinal a história não foi descartada, mas por não possuir muitos vínculos com os jogos principais e por terminar abruptamente com certos assuntos. Quando eu digo que considero que a história dessa franquia seguiu um rumo natural eu me refiro mais a como o RE5 e o Umbrella Chronicles (gosto muito desse jogo, mas a destruição da Umbrella realmente merecia um jogo dedicado e de alto orçamento) deram continuidade aos assuntos mais importantes, seguidos dos REVs e do RE6, mas o RE4 como um RE principal é praticamente uma anomalia. É uma anomalia que a princípio não me incomodou por ter sido o meu primeiro RE e que hoje eu não vejo como um defeito na trama devido a forma como os jogos posteriores retornaram com os antigos assuntos, mas eu tenho quase certeza que se eu tivesse vindo já dos clássicos e depois ido pro RE4 eu o teria estranhado da mesma forma como eu estranhei o RE7. Inclusive eu tenho pensado muito nesse assunto desde o trailer de lançamento do RE7, não pude deixar de ver muitas semelhanças entre esses jogos, especialmente pela forma como ambos parecem fazer uma reviravolta inesperada na trama. Mesmo que a jogabilidade e a história acabem não tendo muito em comum, ainda assim essa semelhança já é bem gritante. Ainda estou meio na dúvida quanto ao RE7, mas darei uma chance pro jogo, até porque ele realmente me parece que será bem divertido e tem alguns elementos dos REs clássicos que eu ficaria bem feliz em ver novamente em um jogo inédito. O que me preocupa mais é como esse jogo ficará em relação à timeline mesmo, se ficará com cara de anomalia (principalmente depois do caminho que os últimos jogos tem traçado) ou se conseguirá de alguma forma continuar naturalmente com os eventos, o que eu não direi que é impossível, mas tenho minhas dúvidas se a Capcom dará a devida atenção. Seja como for isso não tem nada a ver com a qualidade do jogo, afinal o próprio RE4 mesmo com esse problema ainda é um dos meus jogos preferidos até hoje, só torço pra que seja lá o que a Capcom resolva fazer ela não esqueça de manter uma coerência na trama e de ir planejando bem a história de RE até o final. Ação ou terror, eu não gostaria que os assuntos importantes fossem ignorados pra sempre e essa história nunca tivesse fim, os meus maiores medos em relação a RE são com esse quesito mesmo.

            PS: Desculpe pela demora pra responder, tava estudando direto pra uma prova de Teoria da Computação, então tenho estado com pouco tempo livre ultimamente, mas de vez em quando eu arranjo uma brecha pra poder aparecer aqui pelo REVIL.

          • Shuichi Minamino

            Que nada, eu entendo. Às vezes fica difícil mesmo ter um tempo livre. Sei como é isso. Eu só consigo responder em horários incomuns. Eu preciso agradecer e espero que não se incomode com tantas réplicas (que já tornaram o post enorme! Peço desculpas), mas eu adoro, como pode perceber, falar de RE e compartilhar ideias e conhecer opiniões coerentes e centradas que, inclusive, agradeço por compartilhá-las. Aprendi muito com elas e certos detalhes sobre a trama até vejo de outra forma! Gosto das postagens do Revil, embora eu tenha evitado, sem sucesso, ler algumas coisas. Concordo com o nome que deu ao RE4 como anomalia. E sim, ele é muito divertido. Passava horas jogando e pretendo retomar em breve o 4 e o 5. Quanto ao 7, eu sinto algo tão novo e, ao mesmo tempo, tão clássico, que é difícil defini-lo, baseado no que vi até agora. Me anima muito essa nova dinâmica e você comentou um fato interessante: como ele se ajusta na timeline. Pelo pouco que eu vi de RE6 (você pode falar melhor que eu), algumas campanhas pareciam uma guerra, com B.O.W. atacando freneticamente! Não consigo ver essa situação no 7, que traz uma simplicidade no sentido de encarar os perigos, bem diferente daquela dinâmica desenfreada do 5 e 6. Como eu disse, nessa parte ele se assemelha mais ao 1. Além dos elementos clássicos que fazem do jogo ainda mais interessante. Se os produtores dissessem que o jogo é um reboot, não seria surpresa alguma, pois ele parece (até então) bem próximo do clássico RE1. Contudo, sendo parte da timeline, me desperta muito interesse em saber como vai ser esse encaixe. Mais ainda, explorar cada detalhe desse jogo e aproveitar todos os elementos que retornam à trama. Acho que, com o 7, a CAPCOM tem a chance de se redimir trazendo um RE inovador, como foi o RE4, e resgatando as origens da série com elementos de exploração, situações de susto e sobrevivência. Se a produtora vai acertar, eu não sei, mas a premissa é muito boa e ao julgar pelo que foi apresentado, eu diria que será uma experiência, no mínimo, empolgante.

          • Hunk

            Nem precisa se preocupar com isso, as melhores conversas que eu tive aqui no REVIL sempre foram longas mesmo, isso faz parte. Além do mais eu tendo a aparecer em horários incomuns mesmo, tipo agora, no meio da madrugada. Por isso eu encaro as conversas do REVIL mais como uma troca de cartas do que como mensagens instantâneas, porque na maioria das vezes eu escrevo com a intenção de só conferir as respostas mais tarde, muitas vezes com dias de diferença. E dessa vez eu acabei me superando mesmo, agora que a minha faculdade voltou de meses de greve os professores tão espremendo um bando de provas no tempo apertado que tem, e como o nosso amado amado reitor resolveu que vai espremer 3 períodos num ano em 2017 a situação deve continuar complicado por um tempo. Tudo porque ele não quer aceitar que perdeu um período pra greve, pra ele é fácil só espremer tudo e fingir que nada aconteceu, nem vai perceber a diferença, mas pros alunos e professores que realmente tem que fazer algo útil da vida isso é uma enorme putaria. Além de ter que se virar com um prazo inaceitável pra estudar toda a matéria as férias também vão pro caralho, é inclusive trabalho escravo, já que eles já tão deixando de pagar os professores de novo. Foi mal pela virada de assunto, voltando ao RE7, pode não parecer por alguns de meus comentários anteriores, mas eu também espero que esse jogo surpreenda. Não negarei que pra mim o que não faltam são preocupações a respeito das decisões tomadas com esse jogo e o que elas significam pra essa franquia como um todo, mas no fim das contas não desejo nenhum mal a esse projeto, espero mesmo que dê tudo certo e que a Capcom consiga ter a competência pra realmente conseguir encaixar esse jogo com toda a franquia, além de conseguir representar bem os elementos de RE nele. Só não pretendo comprar no lançamento como eu fiz com o RE6 porque o preço parece combinar com o jogo, tá realmente aterrorizante, mas assim que puder não hesitarei em pegar a versão mais completa que houver, afinal independente de qualquer controvérsia a qualidade dos REs principais nunca foi algo que eu tenha duvidado.

          • Shuichi Minamino

            Esse Disqs é interessante. Ele notifica quando alguém responde ou curte algum comentário, por isso consigo responder, já que não dá pra ver no Revil por causa de muitos comentários às vezes. Realmente é difícil mesmo. É o mesmo problema que vejo aqui na UERJ. Embora a greve tenha sido muito necessária, o reitor querer resolver um problema criando outro não creio que seja a melhor saída. Infelizmente, a forma como o governo (no caso, do RJ) teve que lidar com os problemas no setor de educação, trouxeram enormes prejuízos, tanto para alunos quanto para professores, além dos outros funcionários e servidores. Lamentável ver como estão tratando a educação, mas enfim… Torço para que você consiga lidar com toda essa situação da melhor maneira possível e boa sorte.
            Também não pretendo adquirir o RE7 no lançamento, considerando esse preço absurdamente alto. Vou aguardar até que o jogo esteja com um valor mais acessível, embora a vontade de conhecê-lo seja enorme com tanta notícia surgindo! Mesmo sem expectativas, acredito que a Capcom esteja se esforçando para trazer um jogo digno de RE, com elementos clássicos de volta, atmosfera de terror e sobrevivência, alem da nova dinâmica presente. Estou vendo muitos pontos positivos para que ele seja um sucesso e me motivando cada vez mais a querer jogá-lo! Enquanto isso, tem sido ótima a oportunidade de (re)explorar a mansão Spencer.

          • Breno Lima

            Concordo com o que você falou sobre os files. Sem contar também que neles são contados detalhadamente a vida dos personagens antigos como Chris, Leon e Sherry, citando seus eventos nos títulos anteriores. Talvez muitos odeiem o RE6 por não conhecer totalmente o que se encontra por trás da história, fazendo a mesma parecer totalmente artificial.

          • Hunk

            Acredito que seja isso mesmo, porque na realidade o RE6 tem uma backstory muito bem desenvolvida, só que eu nunca vejo quase ninguém citando algum detalhe que não tenha sido visto diretamente nas campanhas. Isso não é culpa dos jogadores, é culpa da própria Capcom, que não soube inserir essa parte importante da história dentro das campanhas, comprometendo não a história em si, mas a forma como ela é contada. Uma história comum pode ser muito cativante se for bem contada, mas o oposto também se aplica, uma história detalhada e interessante pode perder todo o impacto se não for bem contada. Ao meu ver esse foi o maior mal do RE6 ao lado dos exageros constantes.

  • Pedro Ivo Faro

    O filme parece ser mais voltado para o terror, e só isso já ajuda bem. No entanto, fico meio duvidoso de como vão “amarrar” chris, leon e rebecca na msm história.
    Tá certo q o Chris e a Rebecca são da BSAA, mas o Leon não. Aí fica a dúvida de como vão fazer isso. E segundo: o cara da foto, pra mim, tem td pra ser o Nicholai. Como disseram mais abaixo, se “desenterraram” a Rebecca, q n aparece cronologicamente desde o primeiro jogo (c exceção da tal peça de teatro q puseram ela), fazer o Nicholai reaparecer n seria tão bizarro assim

  • ….Chapolin….

    so vim ate aqui ler por causa da postadora altos faps

  • Fabricio Oliveira

    A capcom nunca larga a mansão spencer.. toda mansão em todo jogo remete a mansão spencer.. isso que é aproveitamento de arte kk’

  • Alisson Matheus Seraggioto

    Leon de novo? Aff……………

  • ≈ΩSkullomaniaΩ≈

    Nossa, nunca vi uma mansão em Resident Evil antes, que novidade. Inovou toda capcom.

    • Jhonny Lima

      É tradição de RE ter uma mansão, se não tivesse não seria Resident Evil e isso não é ruim!

      • An?

      • Marcos Veloso

        A tradição fazia mais sentido quando o Spencer estava vivo. Agora que ele morreu, a unico que pode manter o legaod, seria a Alex.

    • Erik Soares

      nossa cara eu não acredito no que você acabou de comentar

  • Jhonny Lima

    Vai ter mansão sim. Vai ter Leon sim! Se reclamar tem até um laboratório subterrâneo. O povo só sabe reclamar, essas características fizeram e fazem de RE o sucesso que é.

    • Resident Evil 5 e seu dinheiro discorda disso.

      • Renato Quorthon

        no resident evil 5 tinha um laboratório também caso ninguém lembre.

        • Jhonny Lima

          E uma mansão, onde eles lutam com a Jill.

        • Por motivos de roteirismo e não como uma característica marcante da série como um todo – fora que é a área mais boring do jogo, mas até ai, opinião pessoal.

          • Jhonny Lima

            Haaaa o laboratório da Umbrella não é algo marcante. Vai dormir cara! O jogo é sobre vírus infectantes, tudo gira em torno de algum laboratório, Umbrella, Tricell e etc. Para de falar besteira e passar vergonha. “Por motivo de roteiro”, vai jogar Pacman que não precisa de roteiro nenhum.

          • Pfff, até ai: Quantos laboratórios de Umbrella eu já não vi? Não é marcante pois é sempre a mesma coisa, não tem o que me surpreender, as funções são sempre as mesmas, elas não contam nada e não adicionam em nada, são localidades a se passar puro e simplesmente.

            (Ah, uma nota de um ex-membro da Umbrella que morreu) Não importa para narrativa, não afeta o que estou jogando no momento. É nulo de propósito. E o jogo não é em torno de Umbrella, Laboratórios, eles são só ferramentas coadjuvantes de um roteiro, no fim tudo se trata sobre criaturas, vilão megalomaníaco e coisas absurdas como pessoas vivas dentro de um vulcão socando rochas vulcânicas.

            Eu estou sentindo uma vergonha alheia em ver que você consegue ser tão ruim em debater sobre o jogo que você, na teoria, é fã.

            E eu não jogo Pacman, prefiro Tetris.

          • Renato Quorthon

            não dá para pensar em Dark Souls sem pensar em Firelink Shirine, assim como não dá para pensar em Resident Evil sem um vírus ou praga, e os laboratórios marcantes ou os files falando sobre alguma coisa de algum personagem morto ou vivo, ou até de criaturas, isso torna o jogo algo mais pessoal. Veja The Last of Us… um jogo com enredo marcante, só que não tem a profundidade de jogos como Resident Evil, Silent Hill ou Metal Gear… eu me senti comandando um Filme bom e mais nada.

      • Jhonny Lima

        Você jogou RE5? Parece que não!

        • Eu joguei, zerei, platinei e one more thing: Ele não é um jogo que depende de uma mansão for the entire game, just saying.

          • Jhonny Lima

            Cara, vai estudar. Eu não disse q o jogo todo se passa em uma mansão. Só disse que tem uma! Jogue Lost in Nightmares e vc vai saber oq estou falando. Um abraço.

          • Ofende mais que eu gosto.

            Eu respondi sua seguinte frase: “Essas características fizeram e fazem de RE o sucesso que é.” com a resposta: “Resident Evil 5 e seu dinheiro discorda disso.”.

            Primeiro que ele não tem quase nenhum elemento de “Resident Evil”, o que tem não é nada similar aos anteriores e como ele é colocado em mesa para ser jogado, é como conteúdo adicional.

            Se você se diz fã dessa franquia ai, deveria entender que mesmo os anteriores não dependem de uma mansão para serem “Resident Evil”, é além disso, algo que até mesmo um barraco no Rio de Janeiro pode proporcionar (Se bem que qualquer lugar do Rio de Janeiro pode proporcionar):

            Claustrofobia como proposta, Level Design bem estruturado.

          • Jhonny Lima

            Tem mansão? Tem!!!! Não importa se é DLC. E tem laboratório subterrâneo tbm. Tudo oq eu disse q faz parte dos jogos. Vc acha que RE5 não foi um sucesso? Gostaria de faturar 10% doq ele faturou.
            Em nenhum momento eu disse que os jogos dependem da mansão, para de ser louco. Eu disse que são características de Resident ter uma mansão.
            Vai causar em outro post, dude!

          • Você que está causando, cara. Relaxa, ‘véi.
            Toma um remédio ou um suco de maracujá sem açúcar e volta aqui.

            Uma mansão e um laboratório não formam “Resident Evil”, se for assim >>Bioshock<< é Resident Evil também, amigão. Você nunca re-jogou eles e parou para pensar o que faz a série ser tão icônica na cabeça de quem se diz ser fã da série? Claustrofobia e Level Design, por isso muitos ainda considera Resident Evil 4 como sendo ainda um jogo perfeitamente condizente dentro do gênero Survival Horror e possuindo inúmeros elementos dos Resident's clássicos.

            E é inacreditável como você tem uma falta de memória absurda ou realmente quer descer um argumento a baixo esquecendo completamente o que eu falei: "Resident Evil 5 e seu dinheiro discorda disso" – amigo, presta atenção na conversa, em momento algum eu falei que ele foi um fracasso. Ow! Interpretação de texto, brother.

            E uma mansão não é uma "característica", é um plot device – eles poderiam simplesmente entrar em um trilho de trem e repentinamente aparecer na mansão. (Oh… Senti um deja-vu). Roteiro, cara.

          • Jhonny Lima

            Cansei, vai lá no dicionário e pesquisa por CARACTERÍSTICAS. Flw

          • Renato Quorthon

            rapaz o Resident Evil gira em torno de terrorismo, tudo que foi investigativo ou questão de sobrevivência no passado agora se resume em uma guerra, o que vimos na DLC do Re5 foi o Chris e a Jill indo investigar uma mansão, Resident Evil não é mais apenas um game de terror. Caso você não goste de Ação ai é um gosto seu, tem gente que não curte Terror e eu não vejo muitas criticas aos games mais antigos.

          • Here it go, deixar coisas esclarecidas antes de eu começar com o que eu tenho para te responder:

            Eu não acho nenhum Resident Evil seja completamente bom que não seja “Code Veronica” e “Revelations”. Eu não me importo com o gênero do jogo, amos que eu citei tem o gênero de ação embutido ali neles. Eu me importo com o seu conteúdo – level design, direção de arte, cenários, dificuldade, história, narrativa, desenvolvimento de personagem, por ai vai.

            Voltando:

            Resident Evil ele SE TORNOU uma história que gira em torno de terrorismo, antes eram casos isolados que foi tomando proporções maiores e se encerrou no terceiro jogo. Com o tempo, a saída do Mikami – a mente criativa por trás da franquia que sabia onde acertar em cheio nas verdadeiras “Características” que a série possui e não o que os fãs dizem que ela possui – deixou a Capcom com as mãos atadas e ela não poderia perder seu grande título deixado pelo Mikami que ao lado de Ocarina of Time, revolucionou a industria dos vídeo games.

            E como nós vamos fazer isso? Entrando na onda do que foi feito depois dele e fez sucesso: Como por exemplo? Gears of War, cria de Resident Evil pós revolução de seu lançamento. E uma das coisas que cativa diversos jogadores de RE é a sua história e seus vilões, o que eles fazem? Expandam a história para um nível gigantesco, assim temos qualquer desculpa para continuar criando esses jogos.

          • Renato Quorthon

            para mim a “cara” da serie são os super mutantes, depois de zerar os primeiros games os cenários já não metiam tanto medo apesar das outras coisas citadas não perderem a graça. o negócio é que no Resident Evil 1 eu fiquei meio de saco cheio de passar toda aquela mansão e enfrentar os mesmos zumbis e hunters e mal podia esperar até encontrar o Tyrant e lutar até a morte, não que estivesse ficando chato, o “saco cheio” que eu cito é relacionado a repetição, ai veio o resident evil 2, tudo tão foda mas continuava igual, a diferença é que os inimigos variavam e a dificuldade era boa, cada chefe trazia uma sensação boa igual ao que ocorre na serie Souls hoje em dia e a história continuava forte, ai veio o resident evil 3, tudo que eu mais quis naquela época foi dar de cara com o nemesis umas 1000 vezes, até que o game evoluiu com a chegada do resident evil 4, ai já não ficou tão parado como os games anteriores. A minha grande decepção foi ver a extinção dos T-00, mas não significa que perdeu o nome resident evil, apenas que as mansões mirabolantes e traiçoeiras com criaturas enormes escondidas sumiu, não por completo porque os laboratórios continuam a aparecer e as criaturas enormes também, mas bem fraquinhas e chatas. Eu gosto dos mais atuais tanto como gostei dos anteriores, a diferença é que perdeu um pouco do brilho, só que a história continua boa e os gráficos maravilhosos como visto no Resident Evil 5, só não tem aquela nostalgia de ir em uma mansão investigar o inferno.

    • Daniel

      Vai ter Chris tambem.

  • Renato Quorthon

    que foda cara, estou louco para ver o destino de meus personagens preferidos que será mostrado nesse filme!

  • Max
    • Mateus

      Bem observado.

  • Abmael Soares

    Então vai ter Ada Wong também, né? Porque onde o Leon está… A Ada está junto. (tudo bem que o último filme é possível que tenha sido o clone dela, mas nunca se sabe…). Minha Rebecca voltando com tudo, quero ver um pôster dela também.

    • Andre Iack

      No Degeneration teve Leon e não teve Ada.

      • Andrew Monteiro

        Sim, mas teve Claire

        • Andre Iack

          Eu sei, eu me referi apenas a Ada.

  • André L. Silva

    To achando que esse filme vai fazer ponto com do RE6 para o 7.

    Aproposito aquela foto ali com mesa de jantar , ta igual a do RE 1 HD REMAKE.

    • Rodrigo Alves

      Geralmente os filmes cgi fazem isso
      O final do degeneration tem ligação com re 5
      O final do condenação tb tem ligação com re6

      • André L. Silva

        Exatamente.

  • Daniel

    Já chegaram a alguma conclusão de quem é o cara ali no céu?
    Se for o Nicholai, vai ser muito foda.

    • Hunk

      Eu gostei da teoria de que seria o Geralt, ou o Scar do Rei Leão, essa me faz rir até agora. Mas seriamente, não, não dá pra concluir nada ainda, só teorias mesmo, especialmente sobre ele ser o Nicholai ou o Krauser (o nome do filme é Vendetta e tem o Leon, até que faz sentido).

  • J Aleixo

    Será que por um pequeno acaso aquela não seria a mansão de RE7? Será que o Chris e o leon não morreram lá, afinal lembram da música? Go tell aunt rhody everybody is dead ( Vá dizer a Tia Rhody que todo mundo está morto) este TODO MUNDO poderia incluir o Chris e o Leon?? Seria aí a ponta para RE7??

    • Jota PDF

      Oloco

    • Mercenary Nemesis

      eu tbm ja pensei o mesmo por conta da musica e aquela fala de estar preparado para dizer adeus…

      • J Aleixo

        Só espero que se for pra matar, mata todo mundo mesmo e não apenas o Chris, coitado.. Que ver sangue, eu quero que se mate mesmo. https://uploads.disquscdn.com/images/994f65e36f4613f59847f56d7bb25a27f4fe4a8a994fe9f97183984364a08977.jpg

        • Mercenary Nemesis

          eu prefiro que os antigos se aposentem, deixa eles la quietinhos, mas claro, que deem um desfecho ao invés de simplesmente sumir com eles.

          • J Aleixo

            Tbm, queria que o Chris se cassasse com a Jill. O Leon abandonasse essa obsessão pela Ada e que a Claire encontrasse um namorado que não fosse amaldiçoado kkkk

          • Breno Lima

            licença, mas acho que a amaldiçoada deve ser ela. Já que todos os homens que se envolvem com ela, morrem. kkkkkkkkkkkk

    • Hunk

      Eu prefiro que esse todo mundo seja literal e o mundo se exploda logo, se o Leon e o Chris morrerem desse jeito acho que eu não aguento.

      • J Aleixo

        kkkkkkk

      • Kaiq Andrade

        Kkkkkk

      • Rafael Henrique

        kkkkk morrer nao podem nao, mas tambem estou de saco cheio desses 2 kkkkk, tinha que existir um resident evil só com mulheres o_O

        • Hunk

          A Claire e a Jill bem que merecem mais atenção mesmo, mas acho que é só uma questão de equilibrar melhor o foco, se matassem o Chris e o Leon de uma vez só seria tenso.

  • Tiago Ferradás

    Aquela sala ali lembra muito a vista no RE 3.5, ou a sala vista no Queen Dido, pouco antes da luta contra o Jack Norman.
    Enfim… apesar de eu estar farto do Leon e do Chris, estou tendo mais interesse pelo filme do que pelo RE7.
    Espero que o filme fique bom.

  • Caio Vinicius Viana Lima

    O Chris e a Rebecca vão estar no filme também?!?!?
    #aguentacoração

  • Leonardo Medici Ceregato

    Esse filme pode trazer o Leon e Chris que todo mundo esperava em RE:6… Vamos ver se fazem algo bom (o que sempre vêm fazendo nos filmes em animação)

  • Rodrigo

    Na espera desse filme, as animações nunca desapontam.

  • ITALOpkg ✓ᵛᵉʳᶦᶠᶦᵉᵈ ᵃᶜᶜᵒᵘᶰᵗ

    “O filme conta com Leon S. Kennedy, Chris Redfield e Rebecca Chambers como personagens principais.”

    Finalmente a Capcom vai dar uma atenção especial para a Rebecca, já tinha passado da hora de trazê-la de volta a série.

%d blogueiros gostam disto: