Todo mundo sabe que filmes B são grande fonte de inspiração para Resident Evil, especialmente aqueles que foram feitos por Shinji Mikami. Obviamente, a grande referência para a série vem da obra de George A. Romero.

Em 1998, a Capcom contratou Romero para dirigir um comercial de Resident Evil 2 para a televisão japonesa. O resultado foi tão impressionante que a Sony quis contratá-lo para dirigir uma adaptação dos jogos para os cinemas. A parceria era natural, visto que Romero é um grande ícone da cultura pop e obviamente uma das fontes das quais Resident Evil bebia.

No entanto, as coisas não deram muito certo. Empolgado pela chance de revisitar o gênero que ele mesmo criou usando um ponto de vista diferente, Romero estudou o jogo a fundo (ele não era um jogador, mas assistiu gravações de outra pessoa jogando). Ele escreveu um roteiro que era fiel aos personagens, história e ambientação de Resident Evil em apenas seis semanas, mas não foi o suficiente.

Ao contrário da versão escrita e dirigida por Paul WS Anderson em 2002, o roteiro de Romero era fiel ao primeiro Resident Evil, e trouxe um repertório de criaturas bizarras (incluindo tubarões mutantes, cobras gigantes e uma planta devoradora de homens) tiradas diretamente do primeiro jogo da série que os gamers adoravam. Embora alguns detalhes tivessem sido modificados, o tom do roteiro e a estrutura estavam muito mais próximas do jogo que a versão sci-fi feita por Paul Anderson.

“O primeiro jogo era uma história clássica de horror, com progressão lenta e momentos de terror”, comenta Jamie Russel, autor de “Book of the Dead: The Complete Story of Zombie Cinema”. “O filme de Anderson, em contraste, usou o mesmo conceito, mas aplicou esteroides; era forte e intenso”. De acordo com pesquisas de público que o estúdio envolvido no projeto estava desenvolvendo, era exatamente isso que o público gostaria de ver no começo dos anos 2000.

Apesar de incorporar a mitologia dos jogos, a Sony e a Capcom descartaram o roteiro de Romero. O produtor da Capcom responsável pelo projeto, Yoshiki Okamoto, disse na época: “O roteiro de Romero não era bom, então ele foi demitido”. Curto e grosso.

A decisão parece dura, mas a proposta de Romero, nitidamente, não era “comercial” como o roteiro proposto por Paul Anderson. Hoje em dia é difícil contestar a decisão tomada pela Capcom e pela Sony. A franquia Resident Evil já dura 15 anos nos cinemas e já faturou mais de um bilhão de dólares.

Quem tiver curiosidade, pode ser o roteiro de George Romero aqui.

Resident Evil 6 O Capítulo Final estreia em 26 de janeiro nos cinemas nacionais.

Via io9 e Vairety.

  • Jota PDF

    Acho que é muito fácil execrar o Anderson e vangloriar o Romero aqui, mas ninguém aqui de fato botou as mãos no roteiro dele. Talvez fosse mesmo ruim, mesmo com fortes ligações aos jogos. Até os melhores dos melhores erram às vezes. Enfim, eu nem vi os filmes que o próprio Anderson fez. Talvez os dois roteiros sejam uma bosta, rs

    • Edson Almeida

      http://www.dailyscript.com/scripts/resident_evil_romero.html
      Esse é o roteiro, o link está no fim dessa matéria caso queria ver.
      Eu particularmente não li ainda, mas eu irei e bem, eu gostei do primeiro filme de RE, então não posso dizer muito.

    • Moon

      Já li o roteiro, está na internet e é uma bosta. Chris indio, Chris e Jill transando, era terrível.

      • Rodrigo Zika!

        kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    • Marcos Vinicius

      Bom, eu vi até o 4º filme da Alice e cara …
      Assim, o 1 é um bom Resident Evil, o problema mesmo é a partir do 2, a viagem começa nesse filme.

    • Wesley Guedes

      Quando vc diz que não viu os filmes do Anderson, vc diz os residents ou outros filmes que ele fez?(e colocou a Milla no meio XD)

  • Rodrigo Zika!

    A questão é simples, queremos algo que de retorno. E pronto, não precisa ser diretor pra saber.

  • Max

    Resumindo, com os filmes eles queriam quantidade ($) ao invés de fidelidade ou qualidade.

  • Matheus Haubrich Iparraguirre

    É a geração massa-veio coordenando o cinema.

  • Rafael Tramontin

    Pós-matrix, qual roteiro vocês acham que eles iriam querer?
    E o primeiro filme não é ruim. Pois ele não tentou meter nada dos jogos junto. Ruim foi quando tentaram colocar personagens dos jogos e fizeram isso de maneira ruim.

    • Andre Iack

      Na minha opinião o início dos anos 2000, assim como a primeira década de 2000, foi a derrocada do mundo do cinema e do entretenimento em geral (salvo algumas exceções, é claro), tudo ficou muito “matrix” e muito padronizado também, a indústria limitou muito a criatividade pra se encaixar nos padrões moderninhos e futuristas. Pra mim os anos 2000 foram a pior época pra tudo isso, já dessa segunda década do século XXI pra cá (ano 2011 – até o momento) me parece que as coisas estão começando a ficar mais legais, ainda que de um modo mais tímido, inclusive eu me arriscaria até a dizer que aquele roteiro do Romero, com alguns ajustes obviamente, seria mais aceitável pros padrões de hoje do que naquela época de início de novo milênio.

      • Emerson Bernardo

        Pensando só em filmes comerciais (blockbuster), na minha opinião d 2010 para cá a coisa só tem piorado, td gira “ainda mais” em torno do dinheiro, está cada vez mais difícil filmes como “filmes”, hj a preocupação é produzir filmes q possam ser assistidos tanto por crianças, pré-adolescentes, tanto qnt por adultos e adolescentes d ambos os sexos, exemplo disso é a “fórmula Disney”, nd contra, pois msmo com essa tal fórmula, eles produzem bons filmes, vide Mogli q msmo sendo para um público bem abrangente é um filme mt bom, sem contar os inúmeros remakes, q só demonstram a grande preocupação em produzir filmes com maior segurança no retorno financeiro, d 2000 a 2010 ainda haviam algumas produções um pouco menos pautadas nessas questões financeiras e mais preocupadas em contar uma história como ela é, hj ao produzir um filme existem várias “intervenções” em pró do lucro q devem ser feitas, opa filme vai ser lançado na China, muda esse roteiro aí e põe algum personagem chinês, sendo q coisas assim estão acontecendo cada vez mais, filmes d grande orçamento feitos para públicos mais específicos vão ficar cada vez mais raros.

        • Andre Iack

          Nesses pontos isolados que vc abordou eu até concordo que hoje está ainda pior, talvez eu não tenha me expressado da melhor maneira, mas eu acredito que hoje em dia eu acho que está um pouco melhor porque existe uma quantidade de filmes que me agradaram mais nesse tempo de 2011-2016 do que na década que passou. Eu sei porque mas talvez eu não vá saber explicar com as palavras certas o porque eu acho hoje um pouco melhor, talvez um desses exemplos atuais seja o filme do Godzilla de 2014, pois do ano 2000 ao 2010 seria praticamente impossível imaginar um ícone de uma cultura não Americana(principalmente por ser da cultura Japonesa, que sempre foi mal retratada por lá) ganhar um filme de Hollywood bem adaptado e de alto orçamento, e também por causa de alguns revivals da década de 90 que estão ocorrendo hoje em dia no mundo do entretenimento num geral, até porque os anos 90 sempre foram sinônimo de criatividade, o que inclusive contrasta muito com a primeira década do século XXI e eu acredito que esse foi um dos motivos pelos quais eu detesto tanto o mundo do entretenimento dos anos 2000, imagine alguém que viveu toda a infância vivendo daquele “mundo mágico” dos anos 90 e depois entrando na adolescência com o impacto do tão “sem graça” mundo do entretenimento da década de 2000, foi um contraste muito violento pra época, agora como eu já estou acostumado(ou pelo menos conformado) talvez eu esteja conseguindo enxergar de um modo mais positivo quando surge alguma novidade mais criativa no mercado, não que eu tenha essa percepção apenas por pura ilusão, até mesmo porque o exemplo dessa ousadia a mais que está surgindo no mercado atual(mesmo que de um modo muito tímido) como no exemplo do novo Godzilla que eu citei é real.
          Agora, que o mercado está cada vez mais comercial e ganancioso, isso é indiscutivelmente uma verdade.

          Pois é, acho que é justamente por isso, pelo menos esse é o máximo que eu conseguiria te explicar com palavras.

          • Emerson Bernardo

            Então comigo é o contrário, se tem uma década q seria fácil d pensar em
            filmes bons, essa década seria a d 2000 até 2010 pois foi nessa q
            comecei a ter idade e meios (internet) para assistir, porém filmes ñ tão
            comerciais, pensando em filmes d forma geral na minha opinião a década
            passada daria uma lavada na atual, agora pensando só nos blockbusters
            pode ser q as coisas ñ estivessem assim tão melhores naquela época, mas cito
            “tentando” pensar apenas em filmes comerciais a Trilogia do Senhor Dos
            Anéis, Batman Cavaleiro das Trevas, Kill Bill (acho q ñ é comercial, mas
            acabou virando), Cassino Royale (sou mto fã rsrs), A Origem, Gladiador,
            Star Trek d 2009 nem sou fã, mas gostei mt mais do q d Star Wars O
            Despertar Da Força (msmo sendo fã da franquia), mas respeito seu ponto d
            vista, atualmente tenho mt mais dificuldades d conseguir encontrar
            filmes fodas do q naquela época, saudades d filmes tão bons qnt O Clã
            Das Adagas Voadoras, Oldboy, Os Infiltrados, Onde Os Fracos Não Tem Vez
            entre mts outros rsrs, claro q d vez em qnd ainda aparecem filmes como O
            Grande Hotel Budapeste ou Drive, mas tenho a impressão q os filmes d hj
            estão cada vez mais decepcionantes, principalmente os blockbusters, mas
            ao msmo tempo, acho q nunca se arrecadou tanto nas bilheterias.

          • Andre Iack

            Os filmes da sua lista são realmente muito bons, inclusive para o meu gosto estes que vc citou estão no mesmo nível da qualidade dos filmes mais atuais que eu gosto, na verdade não acho necessariamente que houve apenas filmes ruins naquela época, o que eu quis dizer é que em grau de quantidade eu acabei vendo uma quantidades considerável de filmes que eu considero bons surgindo em menos tempo durante estes 5 anos do que em todos os dez anos da década passada, na verdade a minha crítica se concentrou apenas na questão da quantidade e de alguns pontos bem isolados dos quais eu acho que hoje em dia ganham em vantagem em comparação a década passada, como as adaptações mais fieis(como o Godzilla de 2014 que eu citei), mas de resto também concordo com vc que hoje em dia tem muitas coisas até piores do que naquela época, como a ausência de filmes mais cults(de nicho) e a ganância$$$ cada vez mais crescente da indústria.

            PS: Donnie Darko é um filme cult(“não comercial”) da década passada e eu acho ele excelente!!

          • Emerson Bernardo

            Nossa q filmes são estes? Essa década ainda ñ terminou, quem sabe ainda sejam lançados vários filmes tão bons qnt os da década passada nestes 3 anos restantes, filmes comerciais essa década pode até se equiparar ou ser melhor q a passada, mas no geral acho bem difícil, mas óbvio q tem haver tb com o q cada um teve acesso, apesar q hj em dia é só querer q dá para assistir td q filme, além do Donnie Dark haviam mts filmes fodas q nem tds conheciam, Deixa Ela Entrar, A Invasora, Mártires, Cold Fish, Mr.Vingança, Eu Sou Um Ciborgue Mas Tudo Bem, Scott Pilgrim Contra o Mundo, O Gosto da Vingança, Todo Mundo Quase Morto, Lunar, cara há uma porrada d filmes, alguns até ganharam remakes hollywoodianos esses tempos, vai do gosto d cada um tb, se der me indica filmes q vc considera fodões d 2010 para cá (apesar q alguns q mencionei talvez fossem d 2010, então já são dessa década rsrs), mas vai q eu é q tenha deixado alguns filmes passar, esse ano msmo houveram por enquanto uns 3 q gostei mt, A Bruxa (mts odiaram, mas eu gostei), Elle e Mogli…

      • Rodrigo Zika!

        Realmente mudou bastante, e acho que a nova geração foca mais em efeitos, já que isso evoluiu muito rápido, e acho que atualmente esta melhor, inclusive filmes de super heróis, estão fazendo filmes mais fieis as HQs. estou gostando disso.

      • Max

        Quando você se refere aos filmes eu concordo parcialmente com você, mas o efeito Matrix na verdade existe até hoje, ainda mais com o avanço da tecnologia e dos efeitos especiais atualmente. Os filmes que mais fazem sucesso em bilheterias hoje em dia são filmes que além de possuírem o efeito Matrix, também são filmes que possuem o padrão Disney (principalmente filmes de super-heróis) então as coisas não mudaram tanto assim, ou talvez até tenham piorado com essa febre de filmes de super-heróis atualmente, que apesar de eu gostar desses filmes, reconheço que já estão começando a ficarem saturados. Sobre os games também concordo parcialmente com você, pelo menos na primeira metade dos anos 2000 (2000 a 2005) foram lançados grandes jogos, principalmente no Playstation 2 que estava no seu auge na época. Já a partir da segunda metade dos anos 2000 com os laçamentos do XBox 360 e PS3 os jogos começaram a cada vez mais ficarem mais realistas e com enredos cada vez mais bem trabalhados, mas em contraste com isso surgiram as DLC’s e as microtransações, que se impregnaram como um câncer na indústria de games, então nem tudo são flores.

        • Andre Iack

          Sim, concordo com vc, nem tudo são flores, inclusive nesses aspectos essa geração ainda está muito longe disso(se é que um dia vai ser), mas o que eu quis dizer foi que ao meu ver as coisas melhoraram um pouco apenas, e mesmo assim apenas em alguns aspectos, como as adaptações que estão tendendo a ser mais fieis, adaptações Hollywoodianas que na década passada nem sonhávamos em ver, como por exemplo o Godzilla de 2014 que respeitou bastante o material de origem(isso me surpreende por ser algo Japonês bem retratado no cinema Americano), e pelo menos julgando só pelos trailers divulgados parece que o live action do Ghost In The Shell seguirá pelo mesmo caminho de fidelidade. Outro aspecto positivo na minha opinião é que a indústria parece que está voltando a apostar mais em efeitos práticos hoje em dia(vide Evil Dead de 2013, Jurassic World…), pois no início dos anos 2000 o boom da computação gráfica estava a todo vapor, é claro que hoje em dia ainda está e até mais do que naquela época, mas o que eu estou querendo dizer é que ao menos está havendo uma diversidade uma de opções “pouquinho” maior do que naquele período, pelo menos na minha visão. Quanto aos video games tiveram alguns games que eu gostei bastante como Silent Hill 3 e a série Outbreak, porém eu me referi mais em relação a época do PS3 e XBOX 360 (que ainda faziam parte da primeira década de 2000), sinceramente eu não gostei muito mesmo, salvo algumas exceções.

          Mas de resto tenho que concordar com vc que hoje em dia tem muita coisa até pior do que naquela época, a minha intenção era me referir apenas a alguns pontos isolados que me chamaram a atenção positivamente hoje em dia, mas como eu escrevo muito às vezes eu acabo me estendendo muito mais do que eu realmente gostaria.

          • Max

            A geração PS3 e XBox 360 apesar de ter tido uma boa evolução gráfica realmente foi fraquinha se comparada com as gerações PS2 e PS1, acredito que o motivo disso seja porque não aconteceram tantas coisas inovadoras na geração PS3 e XBox 360 se comparada com as gerações PS1 e PS2. Foram nas gerações PS1 e PS2 que ocorreram grandes mudanças, como a mudança de foco das produtoras para criarem jogos em 3D ao invés de 2D, além de que muitas grandes franquias de games surgiram nessas duas gerações.

  • Luis Felipe Soares

    Eu já havia lido o roteiro do Romero em uma postagem bem antiga que o REVIL já tinha feito aqui. Realmente remetia muito a filmes B, porém não era algo que iria impactar e trazer grande público. Vamos ser realistas, se o roteiro (por mais fiel que seja ao jogo) não for bom, o filme não faz sucesso; se não faz sucesso não há lucro e se não há lucro é cancelado, ou seja, talvez Resident Evil nem tivesse saído do 1º filme.

    • Pedro da boleia

      eu não manjo muito, mas um chris índio não me parece nada fiel também.

    • Jivanildo Silva Bezerra

      Não por isso, os filmes do Anderson tbm não fizeram esse sucesso todo que a matéria sugere. Mesmo assim continuam pois ele é o produtor executivo e portanto quem investe nesse filmes ruins. Mesmo se as bilheterias fossem se 100 pessoas por filme a franquia ainda iria ter 6 filmes porque o objetivo da franquia é promover a Milla Jovovich.

  • Pedro da boleia

    kkkkkkkkkkkkkk
    até tinha esperança nesse romero depois de ver nego elogiando, mas aí eu leio ”chris índio”…aí é foda. dois lixos de roteiro, aí não dá. é torcer para os filmes da milla acabarem logo e pra alguém sério assumir a franquia no cinema no futuro, mas não acredito nisso não, sinceramente.

    • Rodrigo Zika!

      Só se for outro diretor kkkkkkkkkkk

  • Daniel

    Eu ainda acho que a melhor coisa a se fazer é parar de fazer filmes de RE.
    Paul e Milla já estão podres de ricos com esses filmes, dêem um ponto final nessa palhaçada.

    • Jivanildo Silva Bezerra

      Concordo!!

  • Bruno Ferreira

    Cheguei a ver algumas páginas do roteiro do Romero que publicaram alguma vez em algum lugar e era muito ruim mesmo. Não me lembro dos detalhes, mas até minha ideia de como poderia ser um filme da série é melhor do que o que ele escreveu.

  • Rafael Pitagoras

    Tem uns videos feitos por fãs no youtube, curtas de alguns minutos que ja vi a algum tempo que dá de mil a zero nos residents oficiais, sinceramente, vi ate o segundo filme depois nunca mais, se fosse um terror classico a moda antiga e baseado na historia de resident e seus personagens com muita fidelidade seria incrivel!!

    • Rodrigo Zika!

      Na verdade tem series no YT feitas por fãs, bem legais.

  • Bruna Mattos

    Os filmes do Paul Anderson não são o que eu gostaria, mas Romero que me desculpe… que roteiro CHATO!

  • Jivanildo Silva Bezerra

    Primeiro a franquia Resident Evil nos cinemas ainda não fer 1 bilhão, fez 915,8 milhões, então essa matéria já está equivocada apartir daí. segundo o primeiro roteiros me parece ótimo, claro precisava de alguma adaptações como tirar os tubarões mutantes por exemplo, mais no geral parece melhor que o roteiro do Anderson, na verdade os produtores foram idiotas de descartar de primeira um trabalho de alguém de já havia ajudado a franquia RE a chegar onde está hj (GEORGE ROMERO). E terceiro outro equívoco dessa matéria sensacionalista é falar que não há como contestar a decisão da produtora com base nos resultados, que resultados? Não houve nenhum filme da saga a ultrapassar a marca dos 300 milhões (marca que é considerada mínima para um filme Hollywoodiano ser considerado bom ou aceito pelo público) com o roteiro de GEORGE ROMERO não era difícil ultrapassar essa marca, e outra 15 anos de duração da franquia, pelo amor de Deus, não é como se estivessem fazendo filmes todo ano como a Marvel, por exemplo, a média de tempo é de 3 anos de um filme pro outro, o último filme demorou cinco anos de diferença para o anterior, desse jeito fica fácil chegar a 15, 20, 30 anos de “franquia de sucesso” como essa matéria mal feita fala.

    • Horror Head

      calma rapaz… não to vendo nada de sensacionalista ai não… apesar de ser uma merda, comercialmente os filmes são um sucesso.

      • Jivanildo Silva Bezerra

        Sucesso comercial? Qual filme RE ultrapassou a marca de 300 milhões em receita mundialmente, nenhum, e é apartir dessa marca que os produtores de Hollywood consideram boa. Pode ser até que vendam bastante em produtos, isso não tenho como saber, mais em bilheteria não é um sucesso. E a matéria tenta passar sim que o sucesso do filme é enorme, quando não existe notas boas da crítica e nem grandes bilheterias, fala erroneamente que o filme ultrapassou a marca de 1 bilhão quando ainda não o fez e fala que a franquia já dura 15 anos como se fossem produzidos filmes todo ano, isso pra mim é sensacionalismo.

        • matheus

          Cara, voce querendo ou não, os filmes fizeram sucesso sim. Você tem uma ideia absurda na cabeça que um filme hollywoodiano pra fazer sucesso tem que render acima de 300 milhoes. Isso não tem nada a ver, depende do tipo de filme obviamente. Claramente você nao entende que filmes com o orçamento relativamente baixo que Resident Evil tem, se render pouco mais de 100 milhoes de dolares mundialmente já sao considerados sucessos sim. Você sabe porque continuam fazendo os filmes? Porque cada Resident Evil rendia mais dinheiro que o anterior, tirando o quinto que rendeu menos que o quarto, mas mesmo assim rendeu uma grana alta pra um filme da escala de Resident Evil. Olha pra franquia Anjos da Noite, por exemplo, que é do mesmo estúdio de Resident Evil e que tem públicos e orçamentos semelhantes, Anjos da Noite está no quinto filme e o que fez mais sucesso comercialmente rendeu “apenas” 160 milhoes de dolares, enquanto Resident Evil tem dois filmes que renderam mais de 200 milhoes. Aí você vem dizer que fizeram 6 filmes apenas pra promover a Milla… Não! Fizeram porque rende dinheiro mesmo! Você pode nao gostar dos filmes o quanto quiser, mas que fizeram sucesso comercialmente fizeram.

          • Jivanildo Silva Bezerra

            Isso dos 300 milhões não sou eu quem está dizendo, isso é um consenso entre os produtores de Hollywood (estabeleceram essa marca para considerar um filme de sucesso independente do orçamento, claro os filmes com orçamento maior que precisaria de render mais). O filme é de baixo orçamento mais a arrecadação e semelhante a arrecadação de filmes como “Atividade Paranormal” que é praticamente um documentário e quase nem tem orçamento. Quer ver um sucesso de bilheteria com baixo orçamento?… “Deadpool” gastou quase a mesma quantidade de RE e rendeu mais de 700 milhões oque a saga RE demorou quatro filmes pra render. Concordo que um dos motivos da saga está continuando é a sua creste bilheteria, mais há filme com a mesma situação de RE com bilheterias crescentes mais ainda baixas que foram cancelados com dois ou três filmes, então essa saga só chegou a seis filme porq o Paul WS Anderson é o maior investidor, viu não tem a ver se gosto ou não dos filmes é um fato.

  • DJ _X_ leitinho

    Por culpa dessa GERAÇÃO MODINHA os filmes são UM LIXO e os jogos a parir do RE4 também são.
    Se eh pra ser curto e grosso Capcom, eu tambem sou.

    Dessa bilheteria não tem UM REAL meu, e nunca vai ter. Se fosse o filme feito pelo Romero, baseado no primeiro game, eu com certeza assistiria todos. Assisti o primeiro filme do Paul Anderson (em DVD) e vou falar a real. Uma droga. Não tenho saco pra ver nenhum dos outros. Comecei a ver o 2 e desisti.

    Bons filmes não dão bilheteria hoje em dia. Só filmes comerciais. O que manda eh a grana. Tenho medo que as vendas de RE7 não superem as expectativas da Capcom, isso fará ela retomar os Resident of Duty com golpes de karatê e personagens de moto.

    Guerra Mundial Z tem muito mais referências a RE do que qualquer filme do RE.
    De qualquer forma espero que RE Vendetta honre o nome Resident Evil. Se for uma droga como os filmes da Milla Jovovich vou assistir só 10 minutos e nada mais.

    _X_

  • Pedro Ivo Faro

    Se os filmes tivessem sido feitos pelo George Romero teriam sido bem melhores. Fim.

  • Erik Soares

    na minha opinião que lançei logo esse porcaria de filme (QUE GRAÇAS A DEUS VAI SER O ULTIMO)e depois disso fazer um reboot digino com a verdadeira historia e os verdadeiros personagens de resident evil porque eu tenho ódio dessa alice puta que pariu que personagem chata da PORRA e já não gostava dela no primeiro filme depois que vir ela matando o nemesis na porrada naquela hora deu vontade de da uma voadora na tv eu me matou pra mata que ele filho da puta no resident 3 e vei o diretor e me colocar uma mulher dando porrada no nemesis? TEM QUE MORRE UMA PORRA DESSA!!!!!!

    • Miguel A.

      É, uma mulher deu uma porrada no Nêmesis.
      Algum problema com isso?

%d blogueiros gostam disto: