Em entrevista ao site Gamespot, os produtores de Umbrella Corps, Masachika Kawata e James Vance, abordaram diversos aspectos do game. Além de falarem de questões técnicas e do próprio gameplay, os dois discutiram como o título se encaixa na franquia Resident Evil e até mesmo na cronologia.

Kawata afirma que, apesar de ser um spin-off com uma abordagem muito diferente do que costumamos ver na série, Umbrella Corps não é algo hipotético, como Operation Raccoon City. “Umbrella Corps se passa nos dias atuais de Resident Evil, após os eventos de RE6. Estamos usando esse título de forma quase irônica”.

Quem conhece a história de Reident Evil sabe que a Umbrella foi destruída há anos, mas para Kawata existe um background no universo da franquia que é capaz de embasar a premissa de Umbrella Corps.

Para James Vance, o título do jogo é uma ironia. Após o fim da corporação que destruiu Raccoon City várias outras empresas tentam ser “a nova Umbrella”. Para isso, elas contratam mercenários para roubarem pesquisas e obterem informações em locais de acidentes biológicos ou incidentes bioterroristas.

Os produtores também explicaram como vai funcionar o sistema de níveis dos personagens no jogo. Ao contrário dos shooters tradicionais em que as habilidades são medidas por um número ou uma classificação, em Umbrella Corps os jogadores ganharão pontos dependendo do desempenho nas partidas e, com eles, poderão customizar o personagem.

Com relação ao balanceamento, os produtores buscaram entregar armas com vantagens e desvantagens e evitaram armas extremamente poderosas que facilitassem a vitória. O jogador deve decidir quais ferramentas deve usar durante as batalhas de acordo com cada situação.

Sobre os cenários, Kawata e Vance explicaram que a maioria deles será claustrofóbica e fechada, para permitir o combate de curta distância e criar uma sensação de tensão do inesperado: nunca saber de onde um inimigo pode atacar.

Apesar de ter usado essa estratégia em Resident Evil Revelations 2, a Capcom não pretende incluir microtransações em Umbrella Corps. “Teremos DLCs grátis e alguns mapas adicionais para revtalizar a experiência com o tempo, mas não vamos estar constantemente expandindo o jogo com conteúdo extra por um longo período de tempo ou algo do tipo”.

James Vance contou que a equipe de Umbrella Corps é formada por pessoas que já trabalharam com Resident Evil e com Lost Planet. Boa parte dos envolvidos se inspirou nos “survival games” japoneses, que são basicamente jogos de paintball, com pessoas se enfrentando em arenas, usando equipamentos militares de proteção e traçando estratégias pelo cenário.

Quando questionados sobre a abordagem inesperada de trazer um jogo de tiro enquanto muito se discute os caminhos que a série deve seguir, Kawata foi direto: “porque é popular no Ocidente”. Para agradar a audiêcia oriental, os produtores usaram elementos diferenciais, como o combate de curta distância e os ambientes claustrofóbicos.

Finalizando a entrevista, os produtores afirmam que, apesar de Resident Evil “ainda ser sinônimo de survival horror para muitas pessoas, é também uma marca que evoluiu com o tempo”. Eles acreditam que é importante oferecer uma variedade de experiências aos jogadores.

Apesar da estratégia ousada de Umbrella Corps, a Capcom não pretende abandonar as raízes: “As pessoas também esperam jogos que estejam mais de acordo com a nossa linha princial e temos algumas coisas para lançar nessa direção também”.

Os produtores estariam se referindo apenas a Resident Evil 0 HD Remaster, ou vem algo a mais aí?

Fonte: Gamespot

  • Luis Gustavo Rodrigues Souza

    Só tenho uma coisa a dizer: Deslike pra CRAPCOM

  • Marcos Alves

    Masachika Kawata não foi o mesmo que há pouco tempo disse que o survivor horror era pequeno demais para a franquia Residentes Evil? Tá explicado ele ser o produtor desse lixo!

    • Bruna Mattos

      Foi rs

    • Luis Gustavo Rodrigues Souza

      Essa daí é a importância que os produtores tão dando pra cronologia da série, enfiando qualquer porcaria pra tapar buracos. Eu vi esse game, achei ele até que legalzinho como fps, mas para resident evil… já não bastasse o Opperation Raccon city agora enfiam mais um lixo quela a baixo dos fâs.

    • Pagan Min

      masachika kawata não foi um dos caras que contribuiu com a produção de resident 5 e 6? palmas pra esse samurai genial.

      • It’s a mii, Mario!

        RE6 e Genial são palavras que não combinam. :/

        • Pagan Min

          tava sendo irônico.
          mas pra quem ultimamente tá produzindo lixeiras como revelations 2 e umbrella corps da vida…

    • Daniel

      Foi ele mesmo. Ele disse que o terror não teria mais espaço na franquia.
      Espero que ele quebre a cara de novo com esse Call of Evil:Umbrella Warfare.

  • It’s a mii, Mario!

    Adoro quando a palavra “evoluir” e usada em alguma frase para afirmar que algo mudou pra melhor mesmo que seja puramente dependente de gosto e ponto de vista.

    Não e por nada não mas tenho a impressão que a demanda por “pew, pew, pew” deu uma caida, tambem tenho a impressão de que a maioria do pessoal que joga esse tipo de game não vai largar o CoD e o Battlefield para jogar um Operation Raccoon Shit 2.0.

    • Rodrigo Zika!

      E pra jogar precisa abandonar os outros?Existem jogadores casuais ninguém joga um jogo eternamente,ate eu enjou.

  • Fabricio Barbosa

    Particularmente, eu não me importo que esse jogo feda. O remédio pra isso é só passar longe.
    O meu maior medo é de haver pessoas nesse projeto tbm envolvidas com o RE2make. Se é que me entendem.

    • Sokholov

      Se prepara ai.

      • Fabricio Barbosa

        O Remake é visto pelos fãs como uma obra prima intocável, imaculada, e a Capcom sabe disso. Sua iniciativa de se fazer um RE2make é, sem dúvida, devido ao apelo que o primeiro teve. Se ela cometer o erro de fazer algo nos moldes de Umbrella Corps ou ORC (sim, sei que forcei muito a barra), ou seja, uma CAGADA CONSCIENTE, prometo a mim mesmo o seguinte: DESISTIR DA SÉRIE.

        • Sokholov

          Da Capcom ja não duvido mais nada, ainda mais depois desse tapa na cara dos fans, lembrando que Kawata é o mesmo que disse a galhofa “o survival horror não tem mais espaço na serie”, e ainda o Yoshiaki Hirabayashi (o não mais misterioso H) que disse que RE6 traria de volta o survival horror… Eu pressinto que na melhor das hipóteses, esse Remake do RE2 será um jogo no mínimo ao estilo do Revelations no que diz respeito a ação, mas a gente sabe que a visão da Capcom é completamente diferente da nossa.

          • Fabricio Barbosa

            Pois é, mas todos esses jogos vendidos com propaganda enganosa são da nova geração da franquia. Eu quero dar essa chance a CAPCOM por se tratar de um trabalho EM CIMA DE UM TÍTULO ANTIGO agraciado por muitos. Mas se ela cometer o sacrilégio de querer transformá-lo em algo voltado para a nova geração, aí, como eu disse anteriormente, DESISTO DE VEZ DA FRANQUIA…

            …Pois ela estará mudando algo já consolidado, e pior: Contra a vontade da maioria massiva dos fãs. Acima de tudo, a CAPCOM sabe que os jogadores só querem um RE2make para, unica e exclusivamente, repetir a mesma graça que foi o 1, e não uma mudança na jogabilidade.

  • Thiago Barros

    Umbrella Corps não é hipotético, é uma merda mesmo.

  • Yuri Ribeiro

    Jogo feito por estagiários. Com o Dinheiro gasto com esse troço, Resident Evil 3 Remake já estaria meio caminho andado.

    • Rodrigo Zika!

      Nem saiu o 2 calma.

  • Washi .Santana

    Ta ai a equipe que ta trabalhando no remake haha

  • Mateuz

    olhando essa entrevista, eu espero estar enganado com relação ao futuro. resumindo o que ele disse é um “vamos dar o remake para os fãs old schools chatos e o re7 pra galera mais nova que adora uma boa ação”. mas eu sempre fico na esperança do RE7 ser no mínimo com uma pegada de revelations. mas duvido. e bem, se é pra jogar um tps de qualidade, vou jogar o do the last of us ou do uncharted, não esse pseudo jogo com jogabilidade de ps2.

  • Evandro Ceni

    tomara q anuncie RE7 logo pô!

  • Jota PDF

    “Porque é popular no Ocidente.” Pá. Os fãs têm de entender que o lucro sempre prevalece. O remake de Resident Evil é considerado uma obra-prima da série por muitos (inclusive por mim), porém fracassou feio no lançamento original. Só ganhou popularidade com o passar dos anos.
    Enquanto isso, o divisor de opiniões Resident Evil 5 chegou chegando e é o jogo mais vendido da franquia. Mas o Umbrella Corps anda sendo mais crucificado que Jesus. A Capcom vai ter que investir pesado no marketing e convencer que o jogo pode ser um shooter de qualidade se quiser uma margem de vendas aceitável.

    • Rodrigo Zika!

      Talvez convencer fã,mais um jogador casual que gosta de tiro não.

    • Lidervan Lino

      resident evil 5 é bom …tem pouco ou quase nada de horror mas é bome ainda representa mt de resident evil, até mesmo o 6 que é ruim tbm tem ( beeeeem pouquinho disso ) ….isso ai é um shooter merda tipo o outro ….não existe público pra isso ….mais uma decisão executiva equivocada, baseada em números que tem mais haver com interese e busca pela essência da franquia do que com o rumo que ela tomou ….

      • Sokholov

        É só questão de marketing, usou o nome (ou neste caso, o enredo da franquia, personagens…) para fazer o jogo vender melhor, igual os filmes mediocres do Paul Anderson dúvida que os filmes venderiam tanto sem o Resident Evil como título. Digo e repito, não tem necessidade de a Capcom querer criar um “CoD” da vida vinculado a franquia Resident Evil.

      • Pagan Min

        resident 5 é top tendo ou não algo a ver com resident evil. o resto é mimimi de fã alucinado.

    • Roberto R. Bernatzki

      O Remake fracassou porque era exclusivo da Nintendo, quando foi relançado ano passado para as outras plataformas fui sucesso geral, tanto é que estão fazendo Remake do 0 e do 2….

      • Hunk

        REMASTER do 0 e remake do 2. foi mal por parecer chato, mas é uma diferença bem grande mesmo.

        • Roberto R. Bernatzki

          Legal fera quer um biscoito ? é obvio que eu sabia, é penas um mero detalhe……

          • Hunk

            tudo bem, mas só mencionei porque é um mero detalhe bem importante não acha? e não é tão óbvio não, vc ficaria surpreso com a quantidade de gente que não sabe a diferença, por isso falei pra informar. mas eu tentei justificar a razão pra eu ter falado isso, então acho que óbvio mesmo é que eu não falei com o intuito de desmerecer ou encher o saco. de qualquer forma, se vc já sabe então me ignore.

      • Jota PDF

        Será mesmo? Resident Evil 4 também era (inicialmente) exclusivo da Nintendo e foi sucesso absoluto. GameCube não era tão fracassado assim.

    • Fabricio Barbosa

      Permita-me discordar de vc e concordar com o colega abaixo (Roberto).

      O REmake foi injustiçado sim por causa do lançamento exclusivo para o NGC e a relativa baixa popularidade desse em relação ao PS2. O REmake (versão do NGC) teve vendas estimadas em 1 milhão e tantas unidades (1,35 milhões pra ser mais exato), enquanto que RE4, pra mesma plataforma, também ficou na casa dos 1,7 milhões. As vendas desse só alavancaram 9 meses depois quando o título saiu pra PS2, que era um console BEM MAIS POPULAR.

      RE5 é um EXCELENTE JOGO DE AÇÃO, não discordo disso (gráficos lindos, atmosfera, ambientação), mas como “Resident Evil” é PÉSSIMO, pois ao meu ver (opinião de fã apenas) fugiu completamente as raízes. Mas foi um campeão de vendas porque, DE CARA, USOU O NOME ‘RESIDENT EVIL’ (que só deve muito o peso aos títulos antigos).

      No fim das contas, sim… A baixa popularidade do NGC em relação ao PS2 foram cruciais no sucesso de vendas de determinados títulos. E mais uma informação relevante: REMAKE HD Remaster foi o jogo digital MAIS VENDIDO NA HISTÓRIA DA CAPCOM.

      FONTES:
      http://residentevil.com.br/noticias/resident-evil-hd-remaster-ultrapassa-1-milhao-de-copias-vendidas

      https://pt.wikipedia.org/wiki/Resident_Evil_4

  • Osnir Theodoro

    Sei la… tomando por base a historia de RE sobre desenvolvimento de armas biologicas, acho que era inevitavel que a serie tomasse um rumo mais voltado a conflitos militares e tudo mais…gosto de games que te deixam na beirada da cadeira, mas como disse esse rumo era inevitavel.

    • Oliveira Robinson

      Vai jogar COD.

      • Osnir Theodoro

        Comentário infeliz hein cara… N é pq eu acho normal q a série virou mais ação q eu prefiro a série desse modo… Qdo RE parou com o terror fui jogar dead space, alan wake, na época do ps2 joguei haunting ground… Quem faz os games são os caras da capcom. A gente compra e joga se quiser…

  • Rodrigo Zika!

    Prefiro esperar sair,se for bom jogo se não não jogo,minha vida não vai mudar sendo rui ou bom.

  • Rivershield

    Se vai fazer um jogo de ação, que seja um jogo de ação decente. Tudo que eu vi de Umbrella Corps até agora parece uma grande porcaria.

    • Sokholov

      Principal de tudo, se a CAPCOM quer tanto, MAS TANTO MESMO (que chegar ate a irritar) fazer um jogo de ação e tiros desenfreados, também não á necessidade de o mesmo ser vinculado a franquia, mas é questão de marketing, se fosse uma franquia nova a repercussão desse jogo seria bem menor…

      • Rivershield

        É a preguiça corporativa atacando a Capcom novamente. Se vc for parar pra pensar, todos os grandes desenvolvedores da Capcom saíram da empresa, o único que continuou foi o do Street Fighter, e é provavelmente por isso que Street Fighter é o único jogo da Capcom que parece bem encaminhado.
        A capcom precisa urgente de uma nova mente criativa, e principalmente precisa investir mais em seus projetos.

  • disqus_DJxNIoAJcK

    Tudo o que se deve ter em mente é que Resident Evil é sobre guerra biológica e não terror psicológico. Entendendo isso verás que a série sempre foi melhorando.

    • Jota PDF

      Terror psicológico é com Silent Hill. Resident Evil sempre foi uma série pé no chão, se baseando em mutações biológicas pra criar o terror. Muita gente enche o peito pra dizer que RE acabou no 3. É tão poser que nem sabe que o estilo clássico só foi embora com o RE0 e ainda deixa o grande CODE: Veronica de lado, rs.

      Tensão não se constrói só com inimigos surgindo ou atacando do nada. Tensão pode existir através do sufoco, o que eu acho que Resident Evil 4, tão criticado por muitos, usa várias vezes. O jogo entope árias com inúmeros inimigos que podem dar dor de cabeça a um jogador de primeira viagem. Também faz o jogador enfrentar Regeneradores e Iron Maidens em lugares relativamente claustrofóbicos.

      As pessoas têm que abrir a mente e parar de achar que os controles tanque devem voltar com a câmera fixa, porque… Nem precisa dizer o porquê ._.

      • Hunk

        concordo, eu até acho o RE4 mais tenso que os antigos. mas eu ainda gostaria de ver um jogo com câmera antiga e controle tanque, embora isso realmente não seja uma necessidade.

    • Juvenal De Souza

      Não confundam Tema com gênero. São coisas totalmente diferentes. O tema de um jogo nada tem a ver com o estilo/gênero de jogo. Não existe essa de: “RE sempre foi sobre bioterrorismo então é normal que fique na ação.” Grande confusão. Você nunca verá um desenvolvedor de jogos dizendo: “Vc pergunta: Do que é sobre o seu jogo? Ele: Bioterrorismo. Vc: Como é o estilo de jogabilidade? Ele: Bioterrorismo.” Viu como isso não faz sentido? Resident Evil é uma franquia consagrada por sua jogabilidade e estilo de jogo, sobrevivência e terror. Cenários claustrofóbicos, pouca munição e cheio de enigmas. O tema sempre foi bioterrorismo. O tema não conflita com estilo. Não será o tema que dirá se o jogo será horror ou de ação. E sim sua jogabilidade. É a mesma coisa que eu mudar o enredo do Devil May Cry, o Dante se tornando humano e perdendo seu poderes e no próximo game, ele vai enfrentar os inimigos com movimentos limitados humanos e pouca munição. Pronto. DMC acabou de se tornar um game de survival horror e os fãs vão me xingar muito no twitter porque abandonei a fórmula do jogo que o consagrou, Hack ‘N Slash, Aventura, Ação. Continuaria com o mesmo tema sobrenatural e fantasioso. mas o estilo de jogabilidade mudaria drasticamente. É a mesma coisa que aconteceu com RE. Então, por favor. Não usem mais esse argumento.

      • Hunk

        sim, claro que são coisas diferentes, mas pelo menos ao meu ver não tinha como dar muito prosseguimento ao tema do bioterrorismo sem ir mais pro lado da ação pelo menos nos jogos principais (mas ainda acho que há espaço de sobra pra jogos paralelos como os revelations). no caso do devil may cry tem uma diferença, essa mudança que vc mencionou seria algo completamente desnecessário para a trama, na verdade isso só atrapalharia ela, não seria irrelevante de forma alguma e com certeza não se encaixaria com nada que já foi indicado antes. já no caso de RE (e lembrando, agora é uma questão de ponto de vista e é completamente subjetivo) alguns de nós, incluindo eu, acreditamos que a evolução natural do bioterrorismo levaria a jogos de ação. sabemos que gênero e tema são coisas diferentes (pelo menos parto do princípio que a maioria sabe), mas que um não afeta o outro de forma alguma é discutível, e é aí que entra nosso argumento. claro, pode ser que estejamos errados, ninguém pode dizer que sabe todas as possibilidades existentes, não existe nenhum ser onisciente entre nós, mas é um ponto de vista plausível e tem fundamento na história de RE, não foi tirado do nada sem explicação alguma, e portanto deve ser respeitado assim como os outros pontos de vista opostos. mas nesse caso eu acho que essa discussão não é relevante, é claro que um jogo com essa jogabilidade do umbrella corps não se encaixa entre os REs principais de forma alguma, nem entre os jogos de ação, mas se trata de um spin-off, não de um jogo principal, portanto a liberdade é total. poderia muito bem ser um jogo de corrida, luta, stealth, hack ‘n slash ou qualquer outra coisa, e isso inclui um jogo de tiro focado no multiplayer. eu pessoalmente preferia algo mais novo na franquia, como um jogo de kart mesmo, mas isso não tira o direito desse jogo como um spin-off de ser qualquer coisa, desde que seja bom (e aí já é outra discussão).

        • Juvenal De Souza

          Aí que está. O trama de RE se desenvolveria para algo maior. As coisas deveriam ficar mais tensas e problemáticas com o bioterrorismo atacando todo o globo. A situação para um ser humano como Jill Valentine ou Chris Redfield, quem seja, deve se tornar pior, mais frustante e mais sem saída, uma situação pior do que Raccon City, pois se tornou praticamente a terceira guerra mundial. Comida faltando, munição, economia ferrada e lei marcial. Vejo muita falta de lógica no enredo da franquia ultimamente com o Re5 e 6. Os protagonistas se tornarão super homens. Sobrevivem a queda de avião, sobrevivem a queda de um ônibus, empurram rochas vulcânicas com o punho. Só me faltava aparecer o Goku também. Os jogadores de RE só existem por causa de seu enredo humanizado, a partir do 5, a Capcom começou a forçar a barra para agradar os fãs de jogos de ação. Assim traindo seus verdadeiros consumidores. Em questão de enredo, de 0 à 10, dou nota 0.5 para a criatividade desses caras. Não é assim que se desenvolve um trama bom para vender. Ok, pode fazer o enredo que quiser. Mas nunca mudará o fato que ela pode ser uma porcaria que agrada ninguém.

          • Hunk

            mas o bioterrorismo está se espalhando em escala global e as situações estão ficando piores. tudo bem, isso não quer dizer que os jogos novos sejam necessariamente mais difíceis, mas nos primeiros tínhamos situações isoladas, o máximo que chegou foi à destruição de uma cidade, mas agora as ameaças além de destruírem cidades inteiras facilmente também ameaçam causar impactos globais. o caminho que escolheram seguir foi representar um mundo que ainda não chegou num estado apocalíptico, mas basta 1 empurrão pra isso. tudo bem que também seria plausível se dissessem que algum vírus em particular levou o mundo a um estado apocalíptico, mas esse não era o único resultado possível, sem falar que isso já é um tema batido e na minha opinião seria uma ótima forma de desperdiçar o potencial da história de RE. acho essa demonstração de um mundo que ainda resiste, mas que está em constante ameaça, muito mais interessante e acho que dessa forma dá pra explorar muito melhor os personagens, inclusive os próprios vilões, que veem nesses vírus um negócio lucrativo ou que os usam para alcançar outros objetivos particulares. tanto no RE5 quanto no 6 isso pode ser visto, e até mesmo no revelations o jack norman ameaça contaminar uma grande parte da água do planeta, o que também desencadearia um problema global. só pra esclarecer, quando eu defendo que eu não vejo como evitar a ação eu não descarto a possibilidade de jogos paralelos que busquem o survival horror, como os revelations, e eu também não defendo todos os exageros vistos principalmente no RE6, que é um jogo que eu gosto muito, mas critico onde acho que poderia ser diferente. ver personagens sobreviverem sem nenhum arranhão à queda de um avião, acidentes automobilísticos e todo tipo de situação que deveria causar morte ou pelo menos ferimentos graves também me incomoda, mas mesmo com os jogos sendo de ação isso não é necessário, dá pra maneirar nesse aspecto em qualquer estilo de jogo, portanto vejo isso como um assunto separado. e quando vc se refere aos “verdadeiros consumidores”, o que seria isso? se alguém gosta de RE e de jogos de ação e compra o RE6 então essa pessoa não consumiu o produto de verdade? sei que muitos fãs old school ainda se veem como superiores por terem chegado primeiro, mas por mais que não queiram aceitar isso não os torna mais legítimos que os outros. tudo bem não gostar de todos os jogos, mas querendo ou não RE4, 5 e 6 são jogos oficiais da franquia assim como qualquer outro, portanto quem consome esses jogos é um verdadeiro consumidor de RE. em questão de não agradar ninguém, rolou um “pequeno” exagero aí. independente do que deve ou não deve ser feito com a franquia RE4, 5 e 6 ainda estão longe de serem fracassos, e acho difícil de acreditar que jogos que vendem milhões não agradam ninguém. e se vc realmente acha que um jogo como o RE5 merece um 0.5 em qualquer quesito, então vc é muito sortudo, porque claramente vc nunca viu nenhum produto ruim na sua vida.

          • Thiago Camara

            Concordo com tudo dito ai

  • Wesley Mieli

    me tira uma duvida isso vai te modo historia ou so mata mata mesmo ?

    • Jose Eduardo

      parece q não vai ter modo história não

  • Daniel

    “O nome Umbrella Corps é uma ironia”
    Esse jogo é uma ironia completa, uma piada!

  • TYRANT_LTS

    O cara não está errado, mas esse jogo precisa ter qualidade. Pelo gameplay, ainda não tem qualidade. Por mim, se a CAPCOM quer lançar esses jogos para ganhar dinheiro, não tem problema. Desde que RE7 seja epicamente foda e ganhe prêmios e mais prêmios kkkkkkkk.

  • André

    Desculpas e mais pretextos pra lançar esse lixo.

  • Lucas De Lima

    “As pessoas também esperam jogos que estejam mais de acordo com a nossa linha princial e temos algumas coisas para lançar nessa direção também”.

    RE7 Semi anunciado?

    • Hunk

      tomara, não entendo como que o povo ta com tanto ódio desse jogo que nem se tocou nesse pequeno detalhe importante pra caralho. mesmo que não seja o RE7, ele acabou de confirmar que tem mais jogo em desenvolvimento e não é um spin-off muito diferente dos jogos principais.

      • Pagan Min

        como dizem que Resident 7 está em desenvolvimento desde o lançamento do 6 e como o remake acabou de ser anunciado , acredito muito que seja o 7. ano que vem é importante demais pra passar sem um título inédito, de peso.

        • Hunk

          no caso de não ser pelo menos já sabemos que é algo similar à proposta dos jogos principais, mas provavelmente é o RE7 mesmo.

  • Yuri

    A cada novo fato que surge ou explicação que esse produtores tentam dar, abomino ainda mais esse jogo.

  • Augusto

    Me incomoda muito a qualidade gráfica desses novos jogos da franquia. Será que a Capcom não pode caprichar mais em sua serie principal?

    Revelations 2 foi legalzinho mas deixa muito a desejar em aspectos técnicos. Não me entendam mal, não sou um cara que se importa somente com gráficos, mas se estou jogando um game no ps4 o minimo que gostaria de ver é um jogo que faça jus aquela geração. Tem jogos do inicio da geração ps3/x360 mais bonitos que esses Re atuais.

  • Jefferson Viana

    Estamos no auge da massificação dos jogos online, com coop e multi, hoje sim deveria existir mais um resident evil outbreak, perderam uma grande oportunidade.

    • Hunk

      não diria que perderam, ainda dá pra remasterizarem os outbreaks e até mesmo fazer um novo, agora se vão eu não sei, mas espero que sim.

      • Oliveira Robinson

        Um Outbreak seria o top, mas se fizerem multiplataformas que se interajam ou seja todos os VG’s e o PC também seria empírico. Os Outbreaks foram muito bem elaborados pena foi a limitação do PS2 um bom VG, mas hoje em dia com a internet a mil seria um suprassumo jogar este excelente jogo. Tenho pena dessa gurisada que não sabe o que é dificuldade e gastam fortunas com dlcs.

        • Hunk

          seria legal mesmo se tivesse uma forma de conectar as diversas versões dos jogos, inclusive em qualquer jogo multiplayer isso seria interessante. mas não sei se isso seria possível ou pelo menos viável, não entendo muito dessa parte técnica. é verdade que os outbreaks lançaram na época errada, tudo bem que obviamente já existiam jogos online, mas ter a comodidade de uma psn, live ou steam teria feito uma diferença enorme. acho que seria uma boa aposta da capcom relançar os jogos com o modo online, especialmente levando em consideração que o próprio remake vendeu bem, provando que ainda dá pra ter lucro com os jogos com a antiga jogabilidade, então se resolverem relançar jogos desses que ainda por cima tem modo online nessa época atual tem de tudo pra ser um sucesso. se não der então é porque não era pra ser mesmo, mas que vale a pena apostar vale, até porque na pior das hipóteses terão apenas gastado com a remasterização e com os servidores, não envolve todo o orçamento de um jogo novo.

  • Definiu tudo com o “Porque é popular”. Temos ai mais um Call of Duty Zombies

    • Oliveira Robinson

      Falou pouco mas falou muito.
      Resident Evil não deveria ter saído da sua temática e sim melhorado a sua performance, me lembro quando comprei o meu 1o Dreamcast um dos melhores VG’s da época e joguei a versão do Code Verônica X. Baita jogaço só perdia pro RE2 e RE3, bons tempos que não voltam mais e sobre o RE4 foi ótimo por que no NGC tu vê a qualidade e o capricho que foi produzido. Mas ficou faltando o survival horror da serie. E é uma pena que a gloriosa Capcom está perdendo com suas franquias por serem modistas.

  • Bruna Carvalho

    Toda a direção que a série está tomando é culpa do público. Uma empresa não iria lançar um tipo de produto se os consumidores não quisessem. Desde o RE3 quando surgiu o modo mercenários e que eles viram o quanto isso agradou os fãs, eles começaram a focar em ação. Hoje em dia, o grande público curte jogos fáceis e com tiro a torto e a direita, jogos mamão com açúcar que vc é o fodedão e mata todo mundo. A Campcom só está cumprindo seu papel para permanecer no mercado. Nada mais natural. O Resident Evil HD Remaster, meus amigos, dificilmente seria zerado por um fanboy filho da mamãe adepto de COD e Uncharted. Jogos da velha guarda, como RE e Tomb Raider (seu estilo antigo de gameplay, hj a série se salvou trocando Nathan Drake por Lara), onde exigia menos dos seus dedos e mto mais do seu cérebro, só tendem a perder espaço hoje em dia. Não é a toa que séries como Fatal Frame e Silent Hill não dão mais as caras. São séries com uma temática tão intricada em suas mitologias sobrenaturais que não teriam como se enquadrar na ação. Já RE tem pretexto pra isso, e muito. Nada melhor do que armas biológicas em massa para substituir os terroristas do Counter Strike.

  • Fernandinho Silva

    Esse umbrella corps ai não compraria nem se fosse de graça resident evil só foi bom ante o re3

%d blogueiros gostam disto: