Perfil

Nome: Sergei Vladmir
Nascimento: desconhecido
Altura: 2,02m
Peso: 110Kg
Tipo Sanguíneo: desconhecido
Afiliações: Exército Soviético (????-1991); Umbrella Corporation (1991-2003)
Status: Morto (2003)

Sergei Vladimir é um ex-coronel do Exército Soviético que acabou se juntando a Umbrella Coroporation como Comandante da Guarda, mas na verdade tinha funções que iam muito além de seu título oficial.

Ele se envolveu diretamente no projeto Tyrant, bem como na formação da U.B.C.S. e também era responsável pela segurança e monitoramento interno da Umbrella. Sergei acabou se tornando o braço direito de Ozwell Spencer, graças a sua lealdade e competência. Dentro da companhia, ele era conhecido como Coronel.


Exército Soviético

? – 1991

Sergei servei ao exércido Soviético durante o período da Guerra Fria e fez parte da invasão soviética ao Afeganistão. Por conta de seus feitos, ele chegou a patente de Coronel, e embora tenha dedicado o seu melhor a serviço da U.R.S.S., ele acabou se vendo forçado a abandonar a carreira militar com o fim da União Soviética no início dos anos 1990, graças a Glasnost e a Perestroika, implantadas por Mikhail Gorbachev.

Após isso, Sergei teve que buscar por uma nova carreira, e suas habilidades demonstradas dentro do exército soviético poderiam fazer dele um importante valor pra mercados competitivos e que necessitavam de alguém com pulso de aço para ser responsável por determinadas áreas.

Início na Umbrella

1991-1998

Sergei entrou em contato cm a Umbrella em dezembro de 1991 procurando por um trabalho. Ele foi usado como organismo base para testes de adaptação do projeot Tyrant, e foi descoberto que ele era um dos raros seres-humanos que tinha genes compatíveis com o T-Vírus, algo essencial para o sucesso do projeto Tyrant. Com isso, a Umbrella conseguiu autorização de Sergei para criar 10 clones seus.

A pesquisa com os clones de Sergei permitiu que a Umbrella criasse uma nova variação do T-Vírus, fazendo com que a probabilidade de um humano se tornar um Tyrant após a infecção fosse maior. Em troca, Sergei foi nomeado executivo da empresa, tornando-se fiel a Ozwell Spencer. Sergei ainda manifestou o interesse de usar o poder da Umbrella para trazer de volta ao topo a sua terra mãe, a Rússia.

Sua experiência e conhecimento no meio militar, tornou-o essencial na consolidação da unidade militar da Umbrella, a U.B.C.S.. Ele compartilhou com Spencer as suas ideias de formar um grande sistema de monitoramento interno da Umbrella, para vigiar as atividades dos funcionários da empresa.

Com sua crescente importância dentro da empresa, Sergei recebeu dois Tyrants T-103 modificados para servir como seus guarda-costas, os Ivan. Pouco depois, ele foi nomeado diretor do laboratória do Cáucaso da Umbrella, tornando aquele local o seu quartel-general, e um lugar totalmente seguro para guardar os segredos da compania.

Rasteira em Wesker

Julho de 1998

Spencer deu ordens a Sergei para ele recolher do laboratório em Arklay, as amostras de Tyrants que ele necessitaria para dar prosseguimento ao projeto T-A.L.O.S., um novo modelo de Tyrant que poderia se tornar a BOW suprema da Umbrella, mais eficiente e mortal do que o próprio Nemesis. Dessa forma, Sergei cumpriu as ordens de Spencer levando consigo o material para a base da Umbrella no Cáucaso Russo.

Como homem de confiança de Spencer, Sergei acompanhava de perto o progresso e os planos dos principais funcionários da Umbrella, entre eles Albert Wesker e William Birkin e percebeu que Wesker poderia vir a ser um problema.

Dessa forma, ele moveu todo conteúdo de pesquisas da compania para o supercomputador UMF-013 e usou o sistema de inteligência artificial chamado de Red Queen para bloquear o acesso de Wesker ao disco rígido do computador.

Esse sistema de IA também foi implantado na base do Cáucaso da Umbrella, onde Sergei conduzia experiências para a produção do T-A.L.O.S. Esse procedimento feito por Sergei, impediu que Wesker tivesse acesso ao computador após a sua morte forjada no incidente da mansão de Spencer.

O caos em Raccoon City

Entre Setembro de Outubro de 1998

Em Setembro, Spencer deu a Sergei ainda mais poderes, tornando-o uma espécie de comandante de emergências da Umbrella. Sua primeira atitude nesse posto, foi enviar para a cidade seis Tyrants produzidos em massa através de um helicóptero.

O primeiro foi deixado na RPD para encontrar Sherry Birkin e pegar a amostra de G-Vírus que ela carregava consigo em um colar. Os outros cinco foram enviados para a Dead Factory para combater as forças da Spec Ops enviadas pelo governo Norte-Americano com o objetivo de resgatar William Birkin e amostras do G-Vírus.

Ele também foi o comandante de uma operação especial realizada por Nicholai Ginovaef. Sobre suas ordens diretas, Nicholai foi a Raccoon com a UBCS mas com uma missão bem diferente da do seu esquadrão: ele deveria coletar dados de combate das armas biológicas contra os demais soldados da UBCS e recolher provas que poderiam incriminar a Umbrella

Além disso, também conseguir uma amostra do agente Daylight, criado pelo professor Greg Muller na Universidade de Raccoon. Nicholai tinha carta branca para fazer o que fosse preciso para cumprir os seus objetivos, e embora tenha sido atrapalhado por Carlos Oliveira e Jill Valentine, Nicholai conseguiu escapar de Raccoon com o dever quase totalmente cumprido.

Após isso, Sergei retirou o UMF-013 do laboratório subterrâneo para que a Umbrella pudesse dar continuidade as suas atividades em outro lugar. De um helicóptero, Sergei ao lado de Spencer e carreganto o UMF-013 viram Raccoon City ir pelos ares quando os mísseis nucleares atingiram a cidade.

O fim da Umbrella

18 de fevereiro de 2003

Entre a esterelizicação de Raccoon City em 1998 e 2003, Sergei continuo o desenvolvimento do T-A.L.O.S. com a intenção de usar a BOW para dar uma sobrevida a Umbrella que entrou em colapso financeiro por conta do incidente em Raccoon e das investigações que se seguiram.

Em 18 de fevereiro de 2003, o Governo Russo obteve informações confidenciais sobre o laboratório do Caucáso da Umbrella. Albert Wesker foi o responsável pelo vazamento da informação e também forneceu de maneira anônima, a localidade da base.

Jill Valentine e Chris Redfield também estavam no local investigando as atividades da Umbrella. Além de ter que lidar com a dupla de agentes, Sergei ainda se viu confrontado por wesker, que foi até a base Russa da Umbrella com o objetivo de conseguir as informações do UMF-013 e também de se vingar de Spencer por tê-lo usado como um mero fantoche.

De um lado, Sergei tentou impedir o avanço de Chris e Jill liberando o T-A.L.O.S., que acabou sendo destruído pela dupla, do outro lado, Sergei acabou entrando em confronto direto com Wesker, que destruiu os dois Ivans que faziam a segurança de Sergei.

Sem alternativas, ele se injetou com o T-Vvírus, transformando-se em uma criatura poderozíssima, ainda assim, não foi capaz de fazer frente a Wesker, que o matou, roubou as informações do UMF-013, deletou seu HD e apresentou provas anônimas da culpa da Umbrella em diversos crimes de bio-terrorismo, colocando um fim definitivo a compania fundada por Spencer, Marcus e Ashford.


Curiosidades

  • Sergei Vladimir entrou na série para, além de outros motivos, ser clonado para ser usado como base para a produção em massa de Tyrants, porém, por diversas inconsistências na cronologia da franquia, isso nunca foi bem explicado e nunca foi consolidado.

Atores e Dubladores

Resident Evil: The Umbrella Chronicles

  • Patrick Seitz (voz)

Galeria de Imagens

  • Rodrigo Zika!

    Pra mim esse personagem deveria ter sido aproveitado mais pela Capcom,e não morrido na mão do Wesker e virando um monstro fraco e ridiculo,uma pena ter morrido rápido.

%d blogueiros gostam disto: