Sabe quando tudo indica que algo vai ser ruim? Quando todos os indícios apontam que o produto final vai ser algo medíocre? Pois é, Umbrella Corps supera todas essas expectativas, e consegue ser ainda pior do que aparentava ser nos trailers e gameplays oficiais que foram divulgados antes do lançamento do jogo.

Sinceramente, apenas a frase acima seria o suficiente para essa análise, ela capitaliza todas as minhas impressões do jogo. mas como bem vocês sabem, eu procuro ser bastante detalhista nas análises que faço aqui no REVIL, então vou fazer isso com Umbrella Corps, embora o jogo não mereça que eu dedique esse tempo a ele.

Anunciado como um jogo de tiro competitivo com foco no modo online, Umbrella Corps faz parte das comemorações pelos 20 anos de Resident Evil, e dar esse “presente” para a franquia em seu aniversário de duas décadas é uma das piadas de mais mal gosto que a Capcom fez em todos esses anos… aliás, é piada né?! Porque esse jogo só faz sentido se for uma trollagem gigante da empresa para com os fãs de sua maior franquia.

Mas, pra explicar as coisas direitinho, vou responder a três perguntas: Funciona como jogo de tiro? Funciona como Resident Evil? Funciona pra alguma coisa?

Funciona como jogo de tiro?

Como jogo de tiro, Umbrella Corps deixa muito a desejar. A proposta de partidas rápidas e frenéticas online não se sustenta pelo simples fato de que um bom jogo de tiro online, tem por obrigação trazer controles precisos, boa movimentação de personagens, e recursos como sistema de cobertura e mira que funcionem. Em Umbrella Corps nada disso acontece, com controles imprecisos e falhos, movimentação digna de jogo mobile (falarei disso mais adiante), e um sistema de cobertura e mira que tranquilamente podem ser definidos como rídiculos.

Os bugs e lags atrapalham ainda mais a experiência, é comum seu personagem simplesmente travar no meio do combate, e quando destravar você estar morto. Isso serve dos dois lados, já que é bastante comum encontrar inimigos humanos presos e travados em alguma parte dos minúsculos cenários.

O campo de visão é um dos piores aspectos do jogo. Um dos piores usos da câmera over the shoulder que eu já vi, com o personagem deslocado totalmente para o canto esquerdo da tela, você apenas vê o que está a sua frente e em uma pequena diagonal a sua esquerda, se um inimigo se aproximar de você pela sua esquerda, adeus, morte certa – aliás uma bela “dica” pra se dar bem. Utilizando a visão em terceira pessoa, a mira até que não é das mais imprecisas, e dentro de tantos pontos negativos, podemos considerar este um pequeno e raro ponto positivo, mas é quando ativamos a mira em primeira pessoa que tudo vai por água a baixo: ela é imprecisa, lenta e com poucos minutos de jogo você entende que ela mais atrapalha do que qualquer outra coisa.

Os cenários são um desastre a parte. Para quem estava ansioso para ver cenários como El Pueblo, Raccoon City, RPD e Kijuju o gosto é ainda mais amargo. A baixa qualidade gráfica do jogo torna os cenários visualmente nada atraentes, além do fato de serem extremamente pequenos. Quem jogou RE4 sabe como o cenário El Pueblo, na área em frente a igreja é grande, em Umbrella Corps El Pueblo não tem nem 1/3 do tamanho do cenário de RE4, e além disso traz poucas alternativas de lugares para se esconder, não tem caminhos que possam te fazer surpreender os inimigos, o combate é quase sempre feito em corredores extremamente estreitos ou em áreas semi-fechadas onde uma pessoa com shotgun consegue matar todos com três ou quatro disparos.

Os demais cenários não ficam muito atrás nesse quesito, a Base da Antártida é cheia de túneis e corredores que levam a pequenas áreas abertas, mas no aspecto geral é tão minúsculo quanto os demais cenários; o mesmo vale para as ruas de Raccoon, que se resume a uma pequena área em frente a RPD, a área entre o portão principal e a porta de entrada da delegacia, e um sistema de esgotos que é composto por três pequenos túneis e uma minúscula galeria.

O labortório da Umbrella e o QG da Tricell são cenários formados basicamente por corredores, pouquíssimas áreas mais abertas e algumas escadas e túneis que dão acesso a novos e estreitos níveis. O ponto fora da curva é o cenário de Kijuju, que é o maior e mais bem desenhado do jogo. Ele apresenta diversas alternativas de caminhos, escadas, portas e uma série de corredores que tornam as batalhas nele um pouco mais atrativas.

É inimaginável que no aspecto geral, um jogo de tiro online com o nome da Capcom tenha um level design tão precário. E fiz questão de descrever um pouco dos cenários do jogo para contar a vocês uma constatação que todos os jogadores tem depois de alguns minutos: as únicas armas que funcionam de verdade são a shotgun e o brainer. Isso mostra o quão desbalanceado é o jogo. As pistolas são absolutamente inúteis, em mais de 4h de jogo somadas, não vi sequer uma pessoa fazendo uso dessas armas. Metralhadoras e sub-metralhadoras são deixadas de lado por todos tão logo as pessoas percebam que o confronto é sempre a curta distância, e que dois tiros de shotgun são suficientes para matar qualquer inimigo humano. Com o confronto acontecendo sempre a curta distância, o brainer se torna a melhor arma do jogo, uma vez que com ele é sempre one-hit kill.

Tal desbalanceamento, inclusive faz cair por terra uma das coisas interessantes do jogo, que é a personalização de armas. Pra quê gastar seu tempo modificando, incrementando ou simplesmente mudando o visual da sua arma preferida se no final das contas você sempre vai acabar usando a shotgun e o brainer? Infelizmente, a precariedade do jogo faz com que suas qualidades sejam anuladas ou simplesmente percam o pouco brilho que tem.

Por falar em brilho, o modo Multi-Mission é de longe o mais interessante do jogo. Partidas online competitivas entre seis pessoas, onde vence a equipe que conseguir triunfar em três rounds com aleatoriedade entre os tipos de missões que existem dentro do jogo. O contraste é o modo One Life Match, onde não há respawn, e por conta de todos os aspectos já citados acima, a partida pode acabar em menos de trinta segundos… trinta segundos de jogo depois de esperar durante vários minutos para carregar, encontrar matches para a partida, personalizar, escolher cenários…

Em resumo, como jogo de tiro Umbrella Corps é uma das piores alternativas do mercado. As opções melhores, mais bem acabadas, mais gostosas de jogar, com gráficos e controles melhores são tantas, que eu ainda me pergunto como a Capcom lançou esse jogo sabendo que a concorrência é tão alta e tendo a ciência de que seu produto é péssimo? Aliás, espero que eles tenham consciência disso…

Funciona como Resident Evil?

Skins1_png_jpgcopy

Como Resident Evil, o jogo funciona ainda menos do que apenas como um shooter. Eu explico…

Vindo como uma das atrações da comemoração dos 20 anos de Resident Evil, Umbrella Corps é uma enorme afronta a todos os fãs da franquia, inclusive àqueles que gostam dos jogos mais focados na ação. É o estilo de jogo que ninguém pediu – há inúmeros shooters com foco online melhores no mercado; é um jogo que tenta se valer de elementos nostálgicos, como cenários e skins de personagens clássicos e só faz macular esses elementos; e ainda por cima é o jogo que tem vergonha de usar Resident Evil no nome com medo da repercussão.

Apresentado ao ocidente apenas como Umbrella Corps, fica a impressão que a Capcom sabia o tamanho da porcaria que estava prestes a entregar ao seu público. O argumento de que deveríamos enxergá-lo com um olhar mais aberto não colou. O argumento de que é um shooter com elementos de Resident Evil e não necessariamente um RE por não carregar o nome, colou menos ainda.

Ao não utilizar Resident Evil no nome, a Capcom planejou a desculpa mais esfarrapada da história dos games. Como já disse várias vezes nos canais do REVIL: foi a forma da empresa tentar dobrar as pessoas fazendo-as acreditar que o jogo não é um Resident Evil e que sua qualidade sabidamente tão baixa não iria manchar o nome RE, mas manchou e muito. A torcida é para que o tiro tenha saído fortemente pela culatra, afinal, se não é Resident Evil porque tem os cenários, os efeitos sonoros, as skins de personagens, a Umbrella, a Tricell e os inimigos de Resident Evil? Se não é RE, por quê no Japão o jogo chama Biohazard: Umbrella Corps? É Capcom, essa não colou…

Além disso, Umbrella Corps é um spin-off com uma suposta história que se localiza logo após os eventos de Resident Evil 6. Cenários icônicos foram reconstruídos para serem um campo de testes de armas biológicas e treinamento de soldados, no modo de jogo “O Experimento”, tem até uma linha do tempo que mostra em que ano cada cenário foi reconstruído para tal propósito. Mais uma vez, infelizmente, nem isso foi feito de forma competente, e a história do jogo foi porcamente contada, mesmo se tratando de um jogo com história que não passa de 2 ou 3 linhas.

Funciona pra alguma coisa?

Umbrella Corps Screenshot 002

Se tem uma coisa que Umbrella Corps realmente serve é pra nos mostrar o quão fundo a Capcom pode chegar no poço.

Apostar suas fichas, mesmo que poucas, em um jogo feito com uma engine utilizada para jogos mobile (sim, Umbrella Corps é feito com uma tecnologia usada para jogos de celular), é a bandeira vermelha tremulando fortemente no topo da pilha de erros que vem sendo cometidos com Resident Evil nos últimos anos.

Nem o criticado e altamente bugado Resident Evil: Operation Raccoon City jogou o nome da franquia na lama tanto quanto Umbrella Corps. E cito REORC porque é impossível não comparar os jogos, e lembrar que apesar de todos os defeitos, REORC tem uma campanha single-player que pode ser divertida, um modo online que funciona bastante bem e traz variedades de estilo de jogo com controles e ações minimamente precisas. Comparando, REORC poderia receber o título de jogo do ano se comparado com Umbrella Corps, que tranquilamente figura a partir de agora como pior jogo já lançado na nossa amada franquia.

Não poderia deixar de citar alguns últimos aspectos negativos: um deles é bastante gritante desde o primeiro contato com o jogo – é vergonhoso que um jogo feito para a oitava geração de consoles, tenha gráficos inferiores a Resident Evil 5, um jogo lançado em 2009 para a sétima geração. É vergonhoso que a Capcom aprove a produção de um jogo para PS4 e PC utilizando a Unity Engine, utilizada para fazer jogos de celular. É muita coisa vergonhosa em um jogo só…

A torcida é para que esse jogo acima de tudo, mostre para a Capcom que este não é o caminho. Fazer um jogo só por fazer nos levou a ter a maior aberração possível de se imaginar.

O texto acima não representa a opinião do REVIL como um todo, e sim do autor da análise.

O jogo foi analisado no PlayStation 4, em cópia cedida pela Capcom-Unity Brasil.

 

Umbrella Corps
Jogado com amigos pode ser divertidoModo Multi-Mission é ligeiramente interessante
Jogabilidade confusaAusência de história relevanteProblemas de matchmakingArmas absurdamente desbalanceadasBugs e lags à rodoGráficos dignos do início da sétima geraçãoCenários minúsculosSistema de cover é nuloEm primeira pessoa a mira é ainda mais imprecisaFeito com a Unity Engine (usada em jogos de celular)
2.5Vergonhoso
Gráfico3
Jogabilidade2
Enredo1
Diversão4
Votação do leitor 288 Votos
0.0
  • Rafael Gens

    teve 2 Prós,é ate mais do q eu esperava kkkkkkkkk

    • Tive que dar uma forçadinha pra colocar dois prós. Agora contras, eu poderia estar listando até agora, mas achei melhor deixar só os principais mesmo.

  • Não acho que o uso da Unity seja algo a se considerar um ponto negativo.
    Claro que se tivessem utilizado a Unreal Engine 4 ou até mesmo o MT Framework, as chances de entregarem um produto íntegro, polido e otimizado seriam consideravelmente maiores. A Unity é até bem completa, o problema mesmo foi a incompetência dos devs no desenvolvimento do produto.

    Excelente análise! Fiquei com um pouco de curiosidade de jogar a versão PC, mas 5 minutos no fórum do Steam foram suficientes pra me fazer desistir. Já esperava que o game fosse um caça níquel que explorasse o fator nostalgia como chamariz pros fãs – e a review confirmou.

    • Inclusive @andreceraldi:disqus, fiquei curioso sobre o desempenho da versão PS4. Notou algum tipo de inconsistência técnica no jogo? Framedrops, má otimização, screen tearing, etc? A galera do PC tá furiosa com a qualidade do port… queria saber se isso se aplica também a versão pro console da Sony.

      • O jogo tem tanto problema, que eu não sei se o que rolou foram quedas de frame gigantescas ou se foram lags do jogo online mesmo. De qualquer forma ele é cheio de problemas em todos os aspectos.

      • DuckyBJ

        Joguei a versão de PC e cara é ridícula. Um PC que roda The Witcher 3, GTA V entre outros games pesados está rodando esse game apenas a 35 a 45 frames. Esse game deve ganhar o prêmio lixo do ano.

        • Ruy

          Obrigado pela info DuckyBJ. Realmente é uma vergonha numa franquia tão consagrada.

  • RE:ORC é melhor?

    • Felipe Sckhar

      Sem sombra de duvida. ORC apesar de um “mau resident evil”, é um EXCELENTE coop, é extremamente divertido de jogar com os amigos.

      • Hunk

        Apoiado, o ORC não é um dos melhores REs e não chega perto de merecer algum prêmio de jogo do ano (relativo ao ano em que lançou), mas em geral o jogo funciona e é divertido pra quem gosta dos atrativos que ele oferece. É um jogo mediano, simples assim, é até bom que esse novo “presente” serve pra mostrar pra quem odiava o ORC o que é um jogo ruim de verdade.

  • Awesome Saddler

    “FIlho da puta” kkkkkkkkkkkkk ai meu deus essa live

  • Felipe Sckhar

    Isso sumariza bem o que senti..
    Como pessoa que joga Resident Evil desde o seu lançamento por aqui no PS1 (eu tinha 5 ou 6 anos só, mas foi amor a primeira vista com a serie) eu dei uma chance a todos os games da serie e até agora gostei de todos, inclusive o Operation Raccoon City, que é um coop extremamente divertido.
    Infelizmente esse game foi o primeiro que eu simplesmente desisti.
    Eu comprei a edição Deluxe dele na Steam na pre-venda e estava super animado pro lançamento dele, porém quando lançou, foi decepcionante..
    A camera, a jogabilidade (tanto com controle quanto com teclado/mouse), a performance (meu PC tem mais do que os requerimentos necessarios e mesmo no low do low, eu tive quedas de FPS brutais que me atrapalharam muito), o lag, os crashes.

    Eu amo Resident Evil, é a minha serie preferida entre todas, eu dei uma chance pra todos, gosto de todos igualmente, mas esse eu não consegui, ele foi o meu primeiro reembolso na Steam, ele passa MUITO LONGE de valer os 79,90 que a Capcom ta pedindo.. Talvez numa sale violenta onde ele fica por uns 5 conto eu pegue de novo, mas por mais que isso, nem por questão de coleção eu pretendo compra-lo novamente.

    • Leo Messi

      Amor a primeira vista? Comigo foi pavor a primeira vista, meu primeiro “contato” com Resident Evil foi no ano de 2000, eu tinha 7 anos e ficava assistindo meu pai jogar o RE1, e depois não conseguia dormir a noite. Eu só fui conseguir jogar de fato a franquia em 2007 quando tinha 14 anos, e mesmo assim ainda jogava com o som baixo e de dia porque o medo não deixava jogar em outras circunstâncias. Hoje com 22 eu olho para os jogos clássicos e vejo que não tem nada de assustador, pelo contrário, eu dou é risada com a dublagem cômica de tão ruim, principalmente a do RE1. O que hoje é comédia para mim, um dia já foi um tormento na minha infância.

  • truejillsandwich

    Ele ainda conseguiu tirar essa nota toda de você Ceraldi? Rsrsrs

    • Olha, até que consegui alguns minutos de diversão jogando com um amigo, mas foi pouco e foi só.

  • Leon (O MITO)

    Umbrella Corps é tão ruim que faz Operation Raccoon City parecer um game bom.

    • GuitarMan

      Resumiu perfeitamente amigo.

  • Thiago Kuchiki

    Como falei devia ter desistido desde quando foi anunciado u.u

  • Ruy

    Oi malta… AINDA BEM QUE ISTO REALMENTE ACONTECEU! Fiz torcida para que fosse um péssimo jogo de modo que a Capcom reforce AINDA mais o horror que tem depositado nos seus jogos. Que seja o maior falhanço de sempre (e vai ser de certeza) mas que triunfe RE2 Remake e RE7 para que esta fantástica franquia nos dê muitos frutos sempre. Grande Ceraldi como sempre… Parabéns.

  • Se for a versão PC, o Steam tem política de reembolso. 🙂

    • Filyphe E Priscila

      Infelizmente é na psn

  • Rafael Lucena

    Lamentável. Supondo que a análise está correta(é a primeira que leio), me pergunto que tipo de profissional está a frente destas aberrações que estão ocorrendo com a CAPCOM. Resident Evil seria dinheiro fácil para ela, se qualquer equipe minimamente competente estivesse liderando isso. Eles estão conseguindo o impossível, fazer quem é fã, não comprar os produtos da franquia. Inaceitável.

  • NiaJax/Eva

    Só por curiosidade, mas esse jogo é canônico?
    Por que eu notei algumas referencias a ele no mangá heavenly island.

    • GuitarMan

      Não. É spin-off mesmo. Apesar dele se passar após o RE6, seu enredo não influência em nada o cânone da franquia.

      • O fato de ser spin-off não o torna não canônico. Os Revelations, os Chornicles e os Survivors são spin-offs porém canônicos. Umbrella Corps, embora não possua lá grandes enredos, é parte da cronologia (ao menos até segunda ordem).

        Pra entender melhor o lance de spin-offs, a gente tem um vídeo – https://www.youtube.com/watch?v=4wHPwni1xW4

        E os produtores da própria franquia já comentaram diversas vezes sobre isso. Enfim, qualquer coisa se ainda restar dúvidas sobre isso eu posto mais links aqui 😉

  • ITALOpkg ✓ᵛᵉʳᶦᶠᶦᵉᵈ™

    Hoje em dia Resident Evil vende apenas pelo nome, eu simplesmente amo esta saga mais sei que se perdeu com o tempo. Umbrella Corps pode não ter Resident Evil no nome, mas está vendendo (independente de pouco ou muito) por conter os elementos que existem na saga Resident Evil, então a desculpa de que não é um jogo da série não serve. Infelizmente isto é sim um jogo da saga Resident Evil, sendo spin-off ou não.

    Me lembro como se fosse ontem, a Capcom prometendo um Resident Evil com elementos de survivor horror e assim veio Resident Evil 5, e a promessa foi uma mentira. Depois prometeu trazer o terror de volta a saga e veio Resident Evil 6 e com ele mais uma mentira.

    Amo a saga mais não me impressiono com mais nada do que vier pela frente, acredito que Resident Evil 7 possa ser um bom jogo, mas não vou criar mais expectativas com a Capcom.

    • GuitarMan

      Exatamente. Tanto que no Japão esse game foi lançado pelo nome da franquia por lá. Biohazard: Umbrella Corps. Só por essas bandas que o nome não veio com Resident Evil. Esse game é uma vergonha. Se quisessem impressionar os fãs com um game foda pra comemorar os 20 anos que tivessem lançado o ramake do RE2 ai sim, a galera estaria feliz jogando esse game e nem veria o tempo passar até o lançamento do RE7.

      • Hunk

        Prefiro que lancem o Umbrella Corps no aniversário mesmo, porque claramente ele foi um produto feito às pressas pra cumprir um prazo desnecessário. É melhor que o remake do RE2 não sofra do mesmo problema e possa ser feito com calma, teria sido muito pior se esse vexame fosse com ele.

        • GuitarMan

          Não quero que eles acelerem o ramake só pra cumprir data não foi isso que eu quis dizer, games apressados só resultam em dor de cabeça. Seria interessante que o remake do RE2 já estivesse sendo feito a um bom tempo pra poder lançar agora.

          • Hunk

            Ah sim, faz sentido, mas pelo visto esse não foi o caso, parece que a Capcom tomou a decisão um pouco tarde demais. Pode acabar até sendo melhor assim porque aí esse remake pode fazer uso da engine do RE7, só espero que não seja em primeira pessoa.

  • Rafael Tramontin

    Eu, sinceramente, achei que o jogo iria surpreender gente (eu inclusive) e ser um shooter divertido. Achei que a Capcom ia conseguir fazer ele dar certo como e-Sport, fazendo campeonatos junto do Street Fighter.
    Mas, aparentemente a única surpresa foi negativa, não é divertido e não vai dar certo como e-Sport, pois pra isso tem que ter gente jogando, o que acho que não vai ter muito não. Todo mundo reclama que não encontra gente pra jogar e que demora MUITO mais nos menus e aguardando a partida começar que a partida em si.
    Eu não acho que o fato de usar Unity seja um problema. Um jogo não precisa ter um gráfico espetacular pra ser bom, ele precisa funcionar bem, e ESSE é o ponto que aparentemente Umbrella Corps está pecando.
    Os sons foram todos reutilizados e isso deixa o jogo meio sem identidade, sei lá (a demo de RE7 fez a mesma coisa e achei muito ruim).
    O jogo dá a impressão que foi feito todo em primeira pessoa e colocaram um personagem tapando meia tela como uma gambiarra pra dizer que era em 3ª pessoa.
    É até engraçado ver que se atira no NPC e um tempo depois ele voa tomando o dano, sem falar que eles se movimentam de maneira muito estranha.
    Acho que a Capcom poderia ter esperado mais um pouco e entregue um jogo melhor acabado(pra variar).
    De verdade, espero que estes erros não se repitam e a Capcom aprenda a entregar jogos prontos, já que a lição de Street Fighter 5 aparentemente não foi aprendida.

    • Hunk

      A esperança é a última que morre né? Eu mesmo também ainda tentava acreditar que o jogo poderia surpreender e não ser a merda que parecia que seria, mas no fim das contas a esperança provou que pode morrer, mesmo que seja por último. Também acredito que o mal desse jogo foi a pressa, e não necessariamente falta de capacidade, porque isso a Capcom obviamente tem. É uma pena, podia ter sido um spin-off decente, mas que seja, no fim das contas não importa tanto, estou mais preocupado é com o remake do RE2 e o RE7 (não por falta de qualidade em si).

  • Fábio Firmino

    Impressionante como a Capcom insiste em fazer jogos de ação com o nome de RE.

  • Sokholov

    “Se tem uma coisa que Umbrella Corps realmente serve é pra nos mostrar o quão fundo a Capcom pode chegar no poço.”

    Ou seja, é a prova de que quando se chega no fundo do poço, ainda é possível cavar…

  • Mateuz

    na moralzinha, eu não desejo nem para meu pior inimigo jogar algo assim. não lembro de algo tão horrível vindo de uma empresa grande assim. teve daikatana ou duke nukem forever mas esse biohazard (pra quem fala que não RE no nome tem sim, no japão) é a coisa mais tosca que já vi. um disperdicio de dinheiro e potencial.

  • Marcus Vinicius Tito

    E a Famitsu deu 34/40 heim…..esses orientais, ninguem entende o gosto kkkkkkkkkkk

    • Hunk

      Sem querer acusar ninguém sem provas, mas creio eu que seja o gosto da propina.

      • Marcus Vinicius Tito

        kkkkk exatamente! So que ficou feio pra eles agora. To so aguardando os outros sites derem os reviews. Vai ficar muito estranho isso kkkkkkkkk

        • Hunk

          Ficou feio mesmo. Pode até ser que eles sejam inocentes, mas não é o que parece, e fica feio pra Capcom também por aparentemente comprar a review. Óbvio que eles negariam com todas as suas forças que esse tipo de coisa aconteceu, mas eu não acreditaria tão facilmente. É comum haverem divergências entre as notas, mas nós não estamos falando de um jogo controverso que divide o público e a crítica, nós estamos falando de um jogo claramente feito às pressas que não chega nem perto da qualidade de seus concorrentes. A única forma de imaginar a Famitsu dando uma nota dessas é com um dinheirinho extra. Se bobear a Capcom só não pediu um 40/40 porque ela sabe que seria abusar da sorte e não queria esfregar nas nossas caras o que está acontecendo.

          • Rafael Tramontin

            Eu acho que a Capcom pagou o preço de 40/40. Mas dada a qualidade do jogo eles não conseguiram dar uma nota maior, hahaha…

          • Hunk

            Se bobear é isso mesmo, ficaram divididos entre o dinheiro e um pouco de orgulho ou medo de que ficasse óbvio, não que já não seja óbvio.

    • Dannilo

      Ja concordei e muito com a famitsu, mas dessa vez eles foram abduzidos por aliens jogadores de umbrella corps oiHOAIHOAIHAOIHAOIHAOIH

      • Hunk

        Vai ver o Umbrella Corps realmente é um dos melhores jogos já feitos e nossa compreensão humana ainda não está evoluída o suficiente pra entender isso, mas os alienígenas entendem. Ou os aliens tem mau gosto mesmo.

    • Rafael Tramontin

      Tinha que ter no rodapé: Post pago. Huahuahua…

  • Marcus Vinicius Tito

    Pra ser sincero, acho que esse UC foi feito apenas para arrecadar fundos para o RE7. Sei la, fazer um jogo desse mediocre com uma engine de celular, a Capcom não pode ser tão idiota assim a ponto de fazer uma coisa dessas. Acredito eu, em minha humilde opinião, que isso ai é um ca$h maker para o RE7 ou para alguma outra coisa. Se duvidar ainda vao lançar isso no android e no iOS. Os custos para se fazer isso devem ter sido bem baixos comparados com os outros jogos da franquia. Eu vejo muito isso com a Square e seus FF mobile, que são bem simplorios e arrecadam milhares de ienes rsrsrrsrsr….

    O que deveria ser feito era ter lançado isso apenas nos mobiles mesmo,acho que a repercussão seria menor.

    • Erick Lopes

      Os caras não vão nem recuperar o dinheiro gasto nesse jogo quem dirá juntar pra terminar RE7 kkkk as vendas desse lixo tóxico corps estão tão baixas que nem o fã que amou RE:ORC comprou kkkk

  • R.P.D. officer

    2.5 “vergonhoso” Kkkkkkk! Mas sério, esse resultado me deixa triste… Acho que logo a Capcom vai querer esquecer esse jogo.

  • Jota PDF

    Umbrella Corps nos mostra que a esperança é a última que morre, mas que ainda assim, acaba morrendo. Era uma tragédia anunciada.

  • Thiago Camara
    • Jota PDF

      2016 e ainda tem gente fazendo teoria sobre o Wesker? Já deu, né

      • Thiago Camara

        Não foi eu, eu também gostei do fim que Wesker teve. Eu não gostaria de ver ele de cadeira de rodas como spencer uma vez esteve. O problema é se a capcom resolver trazer ele de volta ? O que será que os fans achariam. Pelo que entendi o Wesker do re5 seria outro clone de Wesker.

    • Não cara, isso aí é uma das maiores idiotices já escritas pelo Rely on Horror.

      • Thiago Camara

        Não foi eu, eu também gostei do fim que Wesker teve. Eu não gostaria de
        ver ele de cadeira de rodas como spencer uma vez esteve. O problema é se
        a capcom resolver trazer ele de volta ? O que será que os fans
        achariam. Pelo que entendi o Wesker do re5 seria outro clone de Wesker.

  • Rivershield

    E a Capcom ainda tem a cara de pau de dizer “se vc não gostou da proposta do RE7, jogue Umbrella Corps que segue a linha anterior”.

    • Thiago Camara

      Muito cara de pau esse kawata. pior que pra mim UC e RE7 ja nasceram mortos. não podia continuar como os revelations?

    • Hunk

      Isso só mostra que o Kawata quando acha conveniente não hesita em mudar de time, até porque ele sabe muito bem que o Umbrella Corps é um jogo completamente diferente que não segue nem de longe a linha desse último numerado. E embora muitos não gostem do RE6 qualquer um é capaz de perceber que o esforço posto no Umbrella Corps nem se compara ao posto nesse jogo, ou em qualquer outro RE relevante.

      • Thiago Camara

        Concordo. Cada desculpa esfarrapada para as coisas que ele faz.

      • Rivershield

        Falou tudo.

      • Erick Lopes

        Véi Operação Raccoon City é o melhor jogo do mundo perto desse Umbrella Corps kkkkk

  • Erick Lopes

    Infelizmente a Capcom deve tar beirando a falencia,na verdade todas as desenvolvedoras japonesas com excessão da konami tomaram um pau das americanas,é só dar uma olhada na era play 3 e xbox 360,apenas jogos de desenvolvedoras americanas se destacaram,Rockstar,Naught Dog,Ubisoft,Activision,EA,Santa Monica…e continua assim nessa geração também,aconteceu o que os japoneses mais temiam,foram ultrapassados pelos americanos nos video games,Resident Evil acabo no 5,pois a morte de Wesker foi o desfecho final,RE6 foi um desastre pq não tinha mais historia pra conta e foi um relaxo absurdo,não considero os revelations bons,pra mim tbm são fracassos!

    • Marcos Veloso

      Só discordo da parte dos Revelations. Pra mim, o 1 tá valendo, pois conta mais da historia da BSAA e é um ”preludio” pra RE5. E só. De resto, concordo.

      • Erick Lopes

        Na verdade fui injusto com os Reveletions 1 e 2,até que eu gostei mas ainda sim são jogos ultrapassados,com gráficos inferiores a alguns do PS3 mesmo,fora os bugs e lags!

        • Hunk

          No caso do primeiro REV vale a pena lembrar que o jogo foi feito originalmente pra um portátil, o Nintendo 3DS, o que justifica os gráficos não serem grandes coisas. Quanto a bugs, eu só joguei a versão de PS3, então é apenas dessa que eu posso falar, mas não lembro de nenhum. Lags por outro lado são bem frequentes ao jogar Raid online, os servidores realmente não parecem ser de ponta. Já o REV2 eu não posso defender, porque embora eu também tenha gostado dele (tanto da campanha quanto do Raid) é difícil de defender o motivo dele ser tecnicamente ultrapassado, a Capcom simplesmente não deve ter se importado tanto a ponto de investir muito.

  • Resident Evil Fan

    Venha ajuda a pedir para a Capcom para relançar a trilogia classica do Resident Evil (Resident Evil 1, Resident Evil 2 e Resident Evil 3) para o PC via Steam compatível para os sistemas operacionais recentes (Windows 7, 8, 8.1 e 10) Compartilhem por favor ^-^

    https://secure.avaaz.org/po/petition/Capcom_Co_Ltd_Rerelease_the_original_trilogy_Resident_Evil_for_PC_via_Steam/?cnEqSkb

    • Thiago Camara

      já vai vir re2 remake e possivelmente o 3

      • Hunk

        Ele está se referindo aos jogos originais, afinal mesmo que os remakes os substituam na cronologia os originais ainda são outros jogos, tanto que eu estou jogando o RE1 mesmo depois de terminar o Remake mais de 10 vezes.

  • Usando o pad direcional para cima vc consegue mudar o ângulo
    de seu personagem para direita ou esquerda. Direcional para baixo, a câmera
    muda para frente e vc vê quem está atrás. Dá para configurar a sensibilidade da
    mira em primeira pessoa, após isso, ela fica mais leve e rápida. Dá para adquirir equipamentos ópticos, red dots ou lunetas, quando vc
    eleva o nível da arma, melhorando muito a mira em primeira pessoa nesse
    quesito. Dependendo do “quebra-crânio” também dá para desviar e contra-atacar.

  • Matheus Henrique Soares Lima

    Nunca ri tanto lendo uma análise e seus comentários como nesta. kkkkkkkkkkk. Mas mudando o tom, esse jogo não modificou as minhas expectativas em relação ao RE7, ao contrário de muitos, aprovei a proposta. Realmente preferiria que a série continuasse a linha de Revelations, mas a mudança me pareceu interessante. O que me preocupa é Street fighter v. Quando a Capcom começou a soltar as primeiras notícias deste jogo, pensei que ela não cometeria os erros dos SF anteriores, e muito menos os de Asura’s Wrath. Mas …. conseguir fighter money suficiente para liberar os novos lutadores é extremamente difícil, caso você jogue outros jogos além de SFV, ou seja, a posturas em relação a DLCs continua a mesma, só está disfarçada. Já em relação a Asura …. pelo menos este jogo vinha quase completo, só faltando o final da campanha. Bem … é esperar pra ver, mas sempre mantendo as expectativas medianas.

    • Thiago Camara

      Revelations devia ser o caminho certo para resident evil.

    • Bruno

      Eu realmente espero que a Capcom dê sequência a Sub-Franquia Revelations. É a minha esperança.
      Não vejo futuro para a série principal. Não depois do anúncio do 7.

  • RedDiácono

    Rapaz, até o Ceraldi desceu a madeira no Umbrella. Mas também não foi sem motivo. Desde o começo o mundo inteiro disse em uníssono: – Isso vai dar MERDA. Insistiram na mesma ideia, não mudaram o que foi criticado até que tchamrammmmm: Surgiu o ORC versão fundo do poço. Na moral, Capcom, não precisava :/ Dinheiro foi pro ralo pra nada. Eu prefiria que gastassem com o Remaster dos Outbrak do que com isso. Vacilou hard.

    • Hunk

      Ainda não perdi as esperanças em relação a esses remasters dos Outbreaks, mas realmente não precisava desse cavalo de troia, dava pra ter ficado tranquilamente sem nada no lugar desse jogo que não faria nenhum mal.

      • Bruno

        Parece que a Capcom não tem o código do jogo para fazer esses Remasters (Outbreak 1 e 2). O código ficou com a Nokia, que era “proprietária” dos servidores dos REs Outbreaks. Ao menos, foi isso que a Capcom disse.

        • Hunk

          Mas isso seriam só os códigos de servidores certo? Se for o caso acho que eles poderiam simplesmente recriar o modo online do zero, o que provavelmente teria que acontecer mesmo pra dar suporte à PSN, Live e Steam. Lembro inclusive que a Capcom disse que seria impossível recriar os servidores de forma não oficial, mas isso acabou acontecendo mesmo assim. Acho que no fim das contas tudo se resume à vontade, se eles quiserem arranjam um jeito, nem que tenham que fazer como se fosse um remake e recriar toda a infraestrutura pra jogatina online, a questão é se eles verão lucro ou não.

        • FromHELL★666★

          Já foi entregue uma petição para a Capcom da Avaaz, com mais de 300mil assinaturas para pedido do Remaster de Outbreak, mas a Capcom terminou ignorando essa solicitação, não deu motivos!!. Infelizmente é a Capcom ignorante e arrogante de sempre, sem ouvir os fãs e se importando apenas com o lucro deles, criando jogos básicos, sem nexo e sem sentido, gastando menos no desenvolvimento deles e vendendo a preço de diamante.

  • Marcos Veloso

    IGN – 3.8. Está sendo massacrado na Steam, mal tem jogadores… e depois reclamam que só tem fã hater de Resident Evil mas me lançam uma bomba dessas.

  • Rodrigo Zika!

    Fizeram com ma vontade, vamos ver as DLCs.

    • FromHELL★666★

      como sempre, fazem os jogos vazios e depois lançam milhares de dlcs caras ;-;

  • St4rk Dev

    Unity não é engine feita exclusivamente para desenvolvimento mobile, mas sim multiplataforma, mas de qualquer forma o jogo ficou uma merda mesmo.

  • Alexandre

    A parte mais engraçada desse jogo com certeza é rastejar, mano, o maluco parece uma cobra, ele rasteja rápido pra caralho kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • _gui

    Nada a ver, Unity não é engine de jogos mobiles, tem grandes e ótimos jogos feitos nela, só por ter suporte a mobile não significa que é uma merda…

    • Walisson Silva

      A Unity é uma das melhores engine que existe para mim. Joguei vários games lindos com esse motor no Android e não tenho que reclamar.
      Só basta contratar um pessoal que manja para trazer o melhor que Unity tem.
      O problema é que esse jogo foi feito nas coxas, gráficos zoados, tudo feito com a total falta de atenção.

  • Francisco Valdez

    Tudo errado, tudo errado!

  • Avner

    Poxa, que decepção!
    Poderiam ter feito tanto pro jogo ser bom. Com os teaser lançados eu já tava bastante puto porque eles estavam incluindo os cenários do modo Mercenários, mas estavam deixando de fora os respectivos bosses dessas fases, o que deixaria as partidas MUITO mais desafiadoras. Pelo jeito esse foi o menor dos problemas ao final.

  • FromHELL★666★

    Jogo mais lixo que o próprio lixo.

%d blogueiros gostam disto: