Perfil
Nome: Alexia Ashford
Nascimento: 1971
Altura: 1,75m
Peso: 54Kg
Tipo Sanguíneo: desconhecido
Afiliações: Umbrella (1981-1998)
Status: Morta (1998)

A nova Veronica

1971 – 1983

Alexia Ashford nasceu em 1971, e desde os primórdios de sua vida (literalmente), ela não pode ser considerada um ser humano normal.

Alexia foi criada artificialmente por seu pai durante o projeto CODE: Veronica. Usando o corpo mumificado de VeronicaAlexander Ashford extraiu material genético e manipulou os genes que controlam a inteligência humana. O DNA extraído foi implantado em um óvulo gerado por uma mãe de aluguel. Inesperadamente, o experimento gerou os gêmeos Alfred e Alexia.

Enquanto desde cedo a menina mostrava-se genial e completamente fora dos padrões, Alfred era apenas mais uma criança inteligente. Ela se graduou em uma universidade como um dos alunos de mais destaque, com apenas 10 anos de idade. Ainda jovem, a beleza e inteligência de Alexia lembravam Veronica Ashford, a grande matriarca da família.

Enquanto isso, Alfred vivia à sombra da irmã, criando uma admiração profunda por ela. Com o passar dos anos, as diferenças entre os dois tornaram-se ainda mais evidentes, causando uma relação um tanto desigual entre Alfred e Alexia: ele a tratava com amor e devoção inestimáveis, enquanto ela o tratava como um servo.

Ainda aos 10 anos, a menina prodígio foi contratada como pesquisadora chefe no Centro de Pesquisas da Umbrella na Antártica, construído pela própria família Ashford. Em julho de 1981, Alexia consegue criar seu próprio vírus, o T-Veronica, a partir da fusão do T-vírus com DNA de formigas rainha e plantas.

Ela surpreendeu a todos, não somente pela precocidade, mas pelo talento e a capacidade de conduzir duas pesquisas simultaneamente: tanto com sua criação, quanto com o carro chefe da Umbrella na época, o T-vírus. O destaque de Alexia irritou William Birkin, que pesquisava o T-vírus em Raccoon City.

Birkin vangloriava-se por ser o pesquisador chefe mais novo da empresa, mas o prestígio de Alexia “quebrou seu troféu imaginário em pedacinhos”. Enquanto Birkin se lamentava por não ser mais o prodígio da empresa, Albert Wesker interessou-se pelo vírus criado por Alexia.

Vingança

1983 – 1998

Em fevereiro de 1983, Alfred e Alexia descobrem que são, na verdade, fruto de experimentos científicos e traçam um plano de vingança contra o próprio pai.

Alexander havia apostado suas fichas no projeto CODE: Veronica para tentar restaurar a glória da família Ashford, que havia sido manchada pela falta de talento de Alexander em relação a seu pai, Edward, um dos fundadores da Umbrella. Alexia foi criada e veio ao mundo como a esperança de ser uma nova Veronica, tão bela e genial quanto a grande matriarca da família e a chave para a glória do nome Ashford.

O plano de vingança de Alexia e Alfred consistiu de infectar Alexander com o vírus T-Veronica. O pai dos gêmeos acabou por se transformar em um monstro horrendo, preso e abandonado nas instalações da Umbrella na Antártica. A infecção de Alexander não consistiu somente de vingança.

Alexia usou o pai como cobaia de um experimento, para entender melhor o comportamento do T-Veronica. Nos estágios finais de desenvolvimento do vírus, Alexia entendeu exatamente como sua criação funcionava e resolveu infectar-se.

Decidida, ela calculou que precisaria de um sono criogênico de mais ou menos 15 anos para poder entrar em simbiose com o T-Veronica. Para o mundo exterior, Alexia foi dada como morta, infectada acidentalmente no laboratório. Enquanto isso, Alfred se mantinha como o guardião fiel da cápsula em que sua irmã era mantida.

Nasce a Rainha

1998

Em 1998, a simbiose entre Alexia e o T-Veronica foi estabelecida e ela pode se libertar do longo sono criogênico, portando incríveis habilidades. Logo ao acordar, Alexia deparou-se com o irmão, Alfred, agonizante. Ele havia sido gravemente ferido em um confronto com Steve Burnside.

O garoto acabou infectado por Alexia, em mais uma de suas experiências com o T-Veronica.

A morte do irmão não foi a única surpresa para Alexia. Albert Wesker estava em seu encalço, em busca do vírus T-Veronica. Após ter atacado a Ilha Rockfort, ele dirigiu-se para a base na Antártica em busca da própria Alexia – a única fonte do vírus T- Veronica. Em um confronto com o vilão, Alexia mostrou sua verdadeira forma. Não sendo páreo para os poderes dela, Wesker foge da luta e acaba se contentando com o cadáver de Steve para obter o vírus.

Em mais um dos experimentos maléficos de Alexia, Steve tornou-se vítima. Ela o infectou com o vírus T-Veronica e o colocou em uma armadilha para matar Claire Redfield. Transformado em monstro, Steve ataca a garota, mas consegue voltar a si antes que algo grave aconteça com ela e age contra Alexia, cortando o tentáculo que agarrava Claire. Por conta disso; ele acaba sendo morto, perfurado por um dos tentáculos da vilã.

Após alcançar a desejada simbiose com o T-Veronica, Alexia pode desenvolver três formas diferentes de si mesma.

Na primeira, de aspecto bastante humanoide, ela possui músculos em forma de tentáculos, que se enrolam em torno de seu corpo, além de uma pele modificada com características de plantas bastante resistente, que pode repelir balas. Seu sangue tornou-se incandescente, como efeito do vírus, formando barreiras de fogo que servem como defesa caso ela seja atacada.

Em sua segunda forma, os genes do T-Veronica deram a Alexia a aparência de uma grande formiga rainha alada, com um grande tubo falopiano em seu abdome. Nesta forma, Alexia é capaz de formar larvas chamadas de Attack Creatures. No entanto, como a integração dela com o T-Veronica ainda não está totalmente completa, essas larvas são inviáveis.

Quando o abdome reprodutivo é destruído, Alexia atinge sua terceira e última forma, como um inseto voador. Batendo suas quatro asas com incrível velocidade, ela ataca lançando seu sangue que se transforma em fogo ao entrar em contato com o ar.

A queda da Rainha Arrogante

1998

Alexia acabou se perdendo em toda a sua grandiosidade, transformada em pura ambição. Sua destruição final veio através das mãos de Claire e Chris Redfield, com a menina buscando vingança pela morte de Steve. O golpe final veio com a Linear Launcher, arma projetada em segredo pelo próprio Alexander, que temia que a ganância cega de Alexia a levasse a um caminho sem volta.


Aparições

  • Alexia aparece pela primeira vez como a grande vilã de Resident Evil CODE: Veronica. A presença de Alexia na trama é uma grande surpresa após a descoberta de que (na Ilha Rockfort) ela era, na verdade, seu irmão gêmeo, Alfred, travestido. A vilã realmente dá as caras na base da Umbrella na Antártica, após acordar de seu sono criogênico, em uma das cutscenes mais marcantes da série. Alexia também é um dos chefes de Resident Evil Survivor 2 – CODE: Veronica.
  • Alexia retorna a série na releitura de CODE: Veronica feita em RE: The Darkside Chronicles, no cenário “Game Of Oblivion”. Dessa vez, a personagem é apresentada com uma abordagem diferente. Em CODE: Veronica, Alexia acorda como uma mulher, com um comportamento compatível com sua idade real após o sono criogênico, 27 anos. Em “Game Of Oblivion”, Alexia apresenta o comportamento infantil de uma menina mimada de 12 anos, colocada no tubo em 1983. A personagem também é muito mais maléfica em sua primeira aparição. Em CODE: Veronica, Alexia vê o irmão acordar e o acalenta. Em “Game Of Oblivion”, ela o trata como alguém inútil, e mata o Alfred sem hesitar, apenas por não tê-la acordado na hora certa.

Curiosidades

  • Alexia tem grande destaque no Wesker’s Report II. Boa parte de sua história antes de CODE: Veronica é contada pelo relatório.
  • Coincidência ou não, o vestido roxo de Alexia é muito semelhante a um dos figurinos de Rose, de Titanic.
  • A Red Queen do primeiro filme de Resident Evil é uma referência clara a Alexia. Cada membro da família Ashford possui uma joia, sendo a de Alexia uma formiga vermelha, uma associação ao T-Veronica, que possui DNA de formigas rainha. A associação entre Alexia e a Rainha Vermelha também pode ser uma referência à tirana Rainha de Copas (Red Queen em inglês) de Alice no País das Maravilhas. Há ainda uma teoria evolucionista chamada “Teoria da Rainha Vermelha” que fala da relação adaptativa que hospedeiros e seus parasitas alcançam ao longo da evolução.

Atrizes e Dubladoras

Resident Evil CODE: Veronica
– Leila Johnson

Resident Evil: The Darkside Chronicles
– Karen Strassman

 

%d blogueiros gostam disto: