O G-Type é resultado da injeção do G-Vírus em um hospedeiro humano. O infectado desenvolve velocidade, força, agilidade e resistência sobre-humanas, além de ter sua capacidade regenerativa aumentada de forma exponencial, o que acaba causando uma série de mutações no hospedeiro, principalmente se este receber dano físico e perder partes do corpo. Essas mutações, ocorrem de forma extremamente acelerada fazendo com que o hospedeiro tome formas cada vez mais distantes do aspecto humano. As células infectadas com o G-vírus alteram toda a estrutura do organismo do hospedeiro, enquanto se alimentam de seu corpo. É por este motivo que os infectados com o G-vírus passam por transformações tão dramáticas.

Devido a natureza do G-vírus, o hospedeiro infectado continuará sofrendo mutações constantemente. Em dado estágio de mutação, o G-Type começa a perder a sua efetividade como B.O.W., não somente por conta da lentidão de movimentos e da quase ausência de forma que seu hospedeiro toma, mas por sua total falta de controle. Ainda com relação aos olhos, em sua primeira mutação, o G-Type desenvolve um olho gigante em seu ombro direito.

O hospedeiro infectado com o G-Type também possui uma característica importante, que é a procura por outros hospedeiros que sejam compatíveis com o G-vírus. O objetivo é depositar embriões, dando prosseguimento ao ciclo de vida dessas criaturas. Para que haja compatibilidade entre embrião e futuro hospedeiro, é preciso haver certa similaridade genética entre o G-Type original e a vítima.  Um exemplo disso é Brian Irons, que ao receber o embrião, teve seu corpo dilacerado pelo mesmo, que ao sair do corpo de Irons, continuou seu desenvolvimento – mesmo que incompleto – formando o G-Adult Body.

Na história de Resident Evil, dois indivíduos se infectaram com o G-vírus: William Birkin e Curtis Miller.

 

William Birkin

Em setembro de 1998, William Birkin se viu obrigado a injetar a si mesmo com o G-Vírus após um ataque da equipe delta da USS liderada por HUNK ao seu laboratório. Houve tiros e Birkin ficou mortalmente ferido, e afim de evitar sua prematura morte, ele se injetou com sua própria criação.

A partir daí seu corpo sofreu rapidamente os efeitos do G-Vírus e sofreu mutações, transformado-o em uma implacável criatura que perseguiu pelos esgotos e matou quase todos os membros da USS que o haviam atacado em seu laboratório. O único sobrevivente foi HUNK.

Após isso, Birkin passou a vagar pelos esgotos que ligavam a R.P.D. ao laboratório subterrâneo da Umbrella em busca de  hospedeiros para depositar o embrião do G, afim de se reproduzir. Além disso, Birkin também buscava por sua filha, Sherry, que estava na delegacia a mando de Annette, mãe de Sherry e esposa de Birkin, que a mandou para lá por considerar o local seguro. Sherry era semelhante geneticamente ao seu pai, e sendo assim, seria um hospedeiro perfeito para o embrião G. Em dado momento, Birkin consegue depositar o embrião em sua filha. Porém, mais tarde, Sherry recebe ajuda de Claire Redfield, que lhe aplica o anti-vírus impedindo o desenvolvimento do G dentro da garota.

Birkin, que acabara por mutar inúmeras vezes em decorrência dos ferimentos sofridos em batalhas contra Leon S. Kennedy e  Claire, é destruído de forma definitiva após a sua quinta mutação ao atacar o trem que levava Claire, Sherry e Leon para longe dos laboratórios da Umbrella.

Presente em: Resident Evil 2, Resident Evil: The Darkside Chronicles, Resident Evil: Operation Raccoon City.

 

Curtis Miller

Em 2005, em uma tentativa de provar a ligação do governo norte americano com o incidente de Raccoon City, Curtis Miller, um sobrevivente do desastre na cidade, injetou-se com uma amostra do G-Vírus adquirida através de Frederic Downing, da WilPharma.

Ainda que no começo das transformações parte da inteligência humana e capacidade de raciocínio estivessem mantidas em Curtis, a natureza do G-Vírus faz com que ele perca o controle em dado momento e passe a perseguir sua irmã, Angela. Assim como Sherry e Birkin, Curtis e Angela possuem compatibilidade genética, o que a tornaria um hospedeiro perfeito para ele depositar os embriões do G. Com a ajuda de Leon S. Kennedy, Angela consegue escapar das investidas de seu irmão transformado.

Durante a perseguição que fazia a Leon e Angela, Curtis acaba caindo no fosso do laboratório da WilPharma, colocando um ponto final na sua vida.

Posteriormente, pedaços do corpo de Curtis foram recolhidos por uma equipe de pesquisas da Tricell, pois continuam o G-Vírus e seriam materiais de pesquisa valiosíssimos.

Presente em: Resident Evil: Degeneration

%d blogueiros gostam disto: