eiPNoMpnyAo

Nessa semana Resident Evil 6 completa 5 anos de lançamento e essa postagem tem caráter comemorativo.

O título divide opiniões entre a comunidade – com muitos fãs gostando e outros odiando. Nós vamos analisar os principais pontos em que Resident Evil 6 erra e acerta para entender o quão impactante o game foi na época e a sua relevância dentro do cenário atual da franquia.

#5 – Erro: Jogabilidade desbalanceada

Um dos maiores problemas da experiência que Resident Evil 6 proporciona, é a jogabilidade desbalanceada. Nós temos inimigos extremamente frágeis e que apresentam pouco desafio – como os zumbis por exemplos, e personagens que correm, rolam, utilizam armas do cenário e que com poucos tiros aniquilam qualquer ameaça.

O desafio de Resident Evil 6 só aparece em dificuldades mais elevadas e nos capítulos finais – o que traz uma experiência rasa de gameplay, já que você não sente a necessidade de se preocupar com o seu personagem e com os itens que utiliza, tirando completamente a essência da franquia que é o survival horror e até o action horror.

#5 – Acerto: Mecânicas criativas

Apesar do pesares, as mecânicas do jogo são fluídas e possuem uma vasta combinação de possibilidades nos combates. Algo que funcionaria muito bem em um game de guerrilha – algo que vimos dar certo na campanha de Chris e Piers.

#4 – Erro: Gráficos inconsistentes

É impossível jogar Resident Evil 6 e não notar que ele é o game com os gráficos mais inconstantes da franquia. De um lado temos personagens extremamente bem modelados e com feições realistas, e num segundo momento, é fácil dar de cara com uma parede com texturas de baixa qualidade ou inimigos com um trabalho de modelagem questionável.

#4 – Acerto: Boa direção de cenas

Visualmente, Resident Evil 6 possui uma excelente direção de cenas de corte, com closes dramáticos, dublagem e atuações dignas de cinema!

#3 – Erro: Falta de foco

Resident Evil 6 recebeu uma campanha de divulgação muito massiva – a maior que a Capcom já fez até hoje. Foi nos prometido um game que misturava o melhor da franquia – tinha Resident Evil ali pra todos os gostos.

A campanha de Leon teria foco no terror, a de Chris na ação, de Jake na aventura e a de Ada, na furtividade e resolução de puzzles.

Aprendemos com Resident Evil 6 que é impossível ter tudo isso dentro de um mesmo game com as mesmas mecânicas de jogabilidade.

O game mistura tudo e mais um pouco e ao mesmo tempo que tenta ser o Resident Evil para todos os gostos, ele peca em todas as tentativas e acaba sendo um game mediano que recebeu duras críticas da mídia especializada por conta disso.

#3 – Acerto: Variedade de inimigos e estratégias de combate

Como os inimigos de cada campanha são diferentes, acabamos tendo uma grande variedade deles e as mecânicas para derrota-los são divertidas, principalmente quando jogamos em co-op com algum amigo.

#2 – Erro: Mal aproveitamento dos personagens

Ao término de Resident Evil 6, quando pensamos nos personagens é complicado encontrar a importância deles nisso tudo.

O Piers morre, a Helena pode nunca mais aparecer na franquia, já que sua história teve início, meio e fim dentro do game e a nova direção proposta em Resident Evil 7 faz a participação de Jake ser duvidosa nos dias de hoje.

A história termina, e Leon, Chris e Ada, continuam sendo as mesmas pessoas de sempre, sem que exista uma evolução na histórias deles.

Sherry é a única personagem que voltou em RE6 que teve uma evolução na sua trama e que talvez possa aparecer um dia.

Piers, nunca vamos aceitar a sua morte.

#2 – Acerto: Personagens de personalidades cativantes

Tudo o que foi abordado no item anterior é revoltante, já que todos os personagens de Resident Evil 6 possuem bons diálogos e são carismáticos.

Resident Evil 6 é o game com as melhores relações desenvolvidas entre os personagens já visto em toda a franquia.

#1 – Erro: história fraca

A história de Resident Evil 6 pode ser resumida em um parágrafo que parece mais a sinopse de uma novela mexicana: uma mulher se sente traída e quer se vingar causando um apocalipse no mundo todo.

Enquanto Resident Evil CODE: Veronica se preocupa em ter uma história complexa que envolve obras de literatura e referências cinematográfica, Resident Evil 6 foca em um colapso mundial em prol de cenas épicas de proporções que só vimos nos filmes do Paul Anderson.

#1 – Acerto: Crossovers e fan service

Fan service bem executado é bem-vindo em qualquer situação. É inegável que descobrir que veríamos Chris e Leon lutando lado a lado gerou uma empolgação sem tamanho, fora a volta de Sherry e a subtrama envolvendo Ada Wong e a “Ada de azul”.

A culpa não é só do jogo

Apesar dessa lista ter 5 erros e acertos muito pontuais, é interessante ressaltar que o maior erro de Resident Evil 6 foi criar grande expectativa através de sua divulgação e altos investimentos de produção.

Com tanto capital a ser aplicado, é completamente revoltante ver os erros nos quais Resident Evil 6 se encaixa, o que torna compreensível a divisão de opiniões que ele causa.

O impacto do game é visto até hoje, com a Capcom revendo o foco da série e voltando à essência da franquia como vemos em Resident Evil 7.

Goste ou não, Resident Evil 6 fez história, e nesses 5 anos de lançamento, continua sendo lembrado como boa referência ou como um erro que não deve ser cometido de novo.

 

%d blogueiros gostam disto: