Resident Evil Revelations 2 segue um dos conceitos do primeiro “Revelations”: usar referências literárias no game.

Enquanto a aventura de Jill e Chris na luta contra o T-Abyss envolvia fanáticos pela Divina Comédia de Dante Alighieri, Revelations 2 traz referências a Franz Kafka.

Kafka era um autor e filósofo tcheco que publicou algumas obras muito influentes no século XX, a maioria em alemão. As mais conhecidas são “A Metamorfose”, “O Julgamento” e “O Castelo”. As principais características dos textos do Franz Kafka eram abordar temas como alienação, conflitos entre pais e filhos, brutalidade física e psicológica, medo e transformações místicas.

Sim, você não está enganado. Eu acabei de resumir Resident Evil: Revelations 2 com as expressões e palavras aí de cima. Os conceitos do game estão todos aí misturados com os principais temas das obras de Kafka.

As relações entre o jogo e o autor alemão não param por aí. Já viram os nomes dos capítulos de Revelations 2?

“A Colônia Penal” , “Contemplação”, “O Julgamento” e “A Metamorfose” são todas obras de Franz Kafka. Conhecendo os textos, podemos entender o que cada capítulo de Resident Evil: Revelations 2 pode trazer.

A Colônia Penal

Não apresentava sinal algum da redenção prometida. O que outros teriam encontrado na máquina acabara por lhe ser negado. Os lábios se achavam apertados com firmeza, os olhos abertos, com a mesma expressão que tinham quando vivos, o olhar seguro de si, convencido. A testa se achava perfurada pela grande agulha de ferro

A história dessa obra se passa em uma colônia penal francesa. Colônias penais são locais usados para exilar prisioneiros, separando-os completamente da sociedade, em locais remotos, geralmente em ilhas. Muita coincidência? Acho que não, hein?

“A  Colônia Penal” descreve o uso de um equipamento elaborado de tortura e execução que marca a sentença do condenado em sua pele com agulhas de ferro e vidro, antes de deixá-lo morrer, após 12 horas de tortura.

A história se foca em um personagem chamado somente de “explorador”, que está conhecendo o tal equipamento de tortura e execução. O “oficial” é o responsável por apresentá-la e usá-la. Com o tempo, o explorador descobre que a máquina tem uma espécie de senso de justiça, mas todos os acusados são instantaneamente considerados culpados. A lei descumprida é “tatuada” em seus corpos durante 12 horas, até que a pessoa morra. Geralmente, as vitimas nem sabem qual crime cometeram, mas os utilizadores da máquina a consideram infalível e, portanto, seu julgamento é incontestável.

A obra é uma crítica aos institutos penais, aos “mecanismos de justiça” e às práticas cruéis em prisões.

Como já sabemos, Revelations 2 começa em uma prisão. Claire, Moira e outros membros da Terra Save são levados até o lugar por soldados desconhecidos. Assim como os condenados da “Colônia Penal” de Kafka, elas não fazem ideia do motivo de estarem nesse local. E como Neil diz em um dos trailers do jogo, “a Terra Save tem inimigos”: Alguma ação da ONG mexeu com a pessoa ou empresa errada, e agora as duas precisariam pagar por esse suposto “crime”.

Tudo o que as duas personagens vêem são pessoas sendo torturadas até a morte ou transformadas em Afflicted, criaturas geradas a partir de uma possível infecção por um vírus e um processo de tortura leva à insanidade. Durante os gameplays, vemos que a prisão é um lugar macabro, cheio de salas e mecanismos de tortura. O conceito é bem forte nesses cenários, e tudo fica mais marcante no primeiro trailer, com os gritos de pânico das possíveis vítimas.

Assim como Claire e Moira parecem estar no papel dos condenados, a vilã do jogo parece incorporar o papel do oficial, o torturador da história. Em certa parte da obra de Kafka, o personagem defende incondicionalmente o uso da tal máquina e a enxerga praticamente como uma figura divina. Ele é o único a possuir as plantas e manuais de uso do equipamento.

A vilã também pode ocupar o papel do comandante, o personagem responsável por projetar a máquina e definir seu funcionamento. No entanto, para que o sistema funcione, o oficial ainda é necessário. E aí poderíamos cogitar um segundo vilão atuando ao lado da vilã principal (a nossa suposta comandante): Neil Fisher. De acordo com a lista de troféus vazada recentemente, já se sabe que ele pode ser um antagonista e que vai morrer pelas mãos de Moira Burton.

A Contemplação

“Contemplação” compreende uma coleção de 18 pequenas histórias ou crônicas escritas por Franz Kafka. Essa foi a primeira obra publicada por ele, em 1921.

É provável que só o título da obra seja relacionada ao capítulo do jogo em si. A própria palavra contemplação tem um sentido muito amplo: “admirar e pensar sobre algo”. Em uma abordagem religiosa ou mística, pode significar “alcançar Deus através de uma experiência pessoal”.  O capítulo “Contemplação” provavelmente vai resultar em alguma epifania ou grande revelação da trama.

Ainda, os 18 contos de Kafka podem servir como referências pontuais para vários aspectos da trama. Não é possível detalhar toda as obras aqui, mas alguns textos merecem destaque.

“Crianças na estrada” é um conto sobre uma menina de oito anos que fugia da cama durante a noite para brincar com os colegas. Faz algum sentido que Natalia esteja usando uma espécie de camisola e carregue um ursinho durante o jogo? Vale lembrar que Yasuhiro Anpo não quis comentar o fato de a menina estar usando um pijama, então esse deve ser um detalhe importante (por mais estranho que isso possa parecer).

“Desmascarando um golpista” conta a história de um homem que cai nas garras de uma espécie de trambiqueiro que abusa de sua ingenuidade. Podemos ter alguma relação entre Claire, Moira e Neil Fisher aí?

“O Homem de negócios” é uma crônica contada em primeira pessoa. Em boa parte do texto, o homem de negócios fala sobre como está insatisfeito com a vida. Apesar de parecer difícil fazer uma ponte entre a obra e Revelations 2, alguns trechos falam sobre estresse físico, dor, ansiedade e medo.

O Julgamento (O Verdicto)

“O Julgamento” fala da relação entre um homem e seu pai. A história acompanha um jovem chamado Georg Bendermann, que mantém uma amizade por carta com um colega russo e está prestes a se casar com Frieda Brandenfeld.

Georg tem uma relação muito complicada com seu pai, mas decide visitá-lo para falar sobre o casamento e sobre seu amigo. A visita acaba piorando as coisas e os têm uma discussão sobre o comportamento de Georg após a morte de sua mãe. O pai acredita que o falecimento de sua esposa foi um baque muito maior para ele do que para o filho.

A maior parte da narrativa mostra um Georg que tenta dar atenção e carinho ao pai, mas não consegue entender as respostas paternas, geralmente com atitudes agressivas em relação ao filho.

A história de “O Julgamento” nos faz pensar imediatamente na complicada relação entre Barry e Moira Burton, “um campo minado de emoções”. No entanto, quando observamos as cenas do jogo liberadas até agora, percebemos que as atitudes agressivas partem de Moira, e não de Barry. Enquanto o pai tem falas amorosas (“eles pegaram meu bebê”, “estou aqui, querida”, etc) e parece genuinamente se preocupar com a filha, Moira é sempre áspera em relação a Barry.

No “Julgamento” de Revelations 2, aparentemente, Barry assume o papel do incompreendido Georg, enquanto Moira pode ser o pai agressivo. Aliás, o “sangue quente” de Moira é uma característica sempre destacada na personagem. Na cena de abertura, Neil comenta com Claire sobre os perigos de falar sobre Barry com a garota e, em seguida, ela reclama de forma bem agressiva sobre o pai: “fucking Barry”. Usar esse tipo de palavrão para se referir um familiar é sinal de relação conturbadíssima e o motivo do relacionamento familiar ser tão difícil parece estar mantido a sete chaves pela Capcom (existem N teorias e zero dicas).

Outro ponto importante de “O Julgamento” é o fato de existir a morte de um ente querido na história e esse ser um fator importante na complicada relação entre o pai e o filho. Muitas pessoas cogitaram que o trauma de Moira com relação a armas de fogo estaria relacionado à morte de sua irmã, Polly, ou até mesmo de sua mãe, Kathy.  As suspeitas recaem bem mais sobre Polly do que sobre Kathy, pois Okabe e Anpo já afirmaram que Moira vive com os pais. De qualquer forma, o fato de podermos comparar a obra de Kafka com a história conturbada dos Burton é um forte indicativo que um ente querido da família pode ter sim, morrido.

Enquanto Moira teme armas de fogo, Barry é completamente apaixonado por elas. Essa contradição entre os dois personagens pode ser mais um fator que contribui para a relação conturbada deles. Se Polly ou Kathy morreram com um tiro disparado por uma das armas de Barry (ele era um aficionado por elas, talvez um colecionador), é esperado que Moira culpe o pai pela(s) morte(s).

Vale lembrar que o ESRB, o órgão de classificação etária dos EUA, deixou escapar que uma cena que lembra muito um suicídio pode acontecer durante o game: “Uma outra cena mostra um personagem humano atirando em sua própria cabeça com uma pistola, resultando em um grande derramamento de sangue”. A cena pode ser referir apenas a algum membro da Terra Save levado à loucura na prisão, mas também pode se relacionar com a possível morte de Polly ou Kathy em um flashback.

Ainda que a relação de Moira e Barry não seja exatamente um modelo do que vemos em “O Julgamento” de Kafka, é provável que nesse capítulo descobriremos quais sãos os problemas que existem entre os dois.

A Metamorfose

Essa é uma das obras mais famosas de Franz Kafka, e conta a história do vendedor Gregor Samsa, que um dia se transforma em um inseto gigante, semelhante à uma barata.

Gregor trabalha somente para pagar as dívidas e sustentar os pais, abandonando todas as suas vontades de desejos. Em uma certa manhã, Gregor acorda transformado em uma barata gigante. Assustada, a interesseira família de Gregor o isola em um quarto, enquanto planeja como vão sair da complicada situação financeira em que se encontram, sem o filho para sustentá-los. Gregor, que antes era o provedor, passa a ser visto pelo pai como um imprestável e pela mãe como um objeto de repulsa.

Gregor acaba aceitando sua própria metamorfose: começa a andar pelas paredes e teto do quarto, além de comer restos de comida. Enquanto aceita a aparência repulsiva de inseto e passa a viver praticamente como um, Gregor só lamenta a solidão e isolamento da família e a impossibilidade de trabalhar. Apesar de ter aceitado a si mesmo, a família continuava assustada com sua aparência e o mantinha escondido. Com o tempo, os Samsa vêem Gregor como um fardo e decidem se livrar dele.

“A Metamorfose” é uma obra absolutamente aclamada e sua principal riqueza está em algumas lições e reflexões. Por mais clichês que pareçam esses temas, o texto fala, dentre N outras coisas, sobre aceitação e desapego às aparências: Gregor sabia que ainda era o mesmo, ainda que fosse visto como um inseto asqueroso.

Quem leu até aqui deve estar pensando “Ok, belíssima reflexão, mas e daí”?

A figura central do capítulo “Metamorfose” é Natalia Korda, a misteriosa garotinha que acompanha Barry na ilha. Outro ponto que chama demais a atenção e pode ligar Natalia diretamente à obra é a capa da trilha sonora de Revelations 2 (ok, eu sei que eu fui longe, mas fiquem comigo).

A metade do rosto de Natalia parece coberta por um inseto. Vale lembrar que metamorfose é o nome do processo pelo qual uma larva se transforma uma em borboleta – o que parece ser exatamente o inseto que cobre o rosto da personagem na imagem.

Será que podemos considerar tudo de forma tão literal assim? Talvez possamos. Na obra de Kafka, Gregor Samsa se transformou em um inseto e, no contexto de Resident Evil, isso passa bem longe do bizarro, principalmente no sentido literal da coisa.

Já sabemos que Natalia não é uma garota comum. Ela é capaz de ver inimigos através de paredes e identificar seus pontos fracos. Muito mistério ronda as origens de Natalia e como ela é capaz de fazer tudo isso. No universo de Resident Evil, habilidades extraordinárias geralmente estão relacionadas a vírus. É altamente provável que Natalia tenha sido infectada em algum momento, o que explicaria, por exemplo, porque ela está na lista de convidados da Terra Save. A menina pode ser vítima de experimentos ou da exposição a algum vírus que ainda desconhecemos, o que rendeu as suas estranhas habilidades.

Personagens infectados por vírus sempre questionam suas essências, seu lado humano. Albert Wesker fala sobre isso no Wesker’s Report I: “Eu perdi o Tyrant, e o plano que desenvolvi, que custou minha humanidade, havia fracassado.” Após ter sido infectada pelo G-vírus, Sherry tem uma vida longe dos padrões normais, sendo constantemente vigiada e testada, até se tornar uma agente do governo. Manuela Hidalgo, de “The Darkside Chronicles” é outro personagem infectado que entra em conflito com sua existência, ao perceber que sua sobrevivência depende do constante transplante de órgãos, o que resultou na morte de um número enorme de garotas na vila onde ela vivia. Esse tipo de questionamento acontece até mesmo nos filmes, quando Alice agradece a Wesker por ter eliminado o T-vírus de seu corpo. Em RE3: A Extinção, Alice se isola por ter medo de prejudicar pessoas com seus poderes.

O que todos esses personagens têm em comum é que acreditam ter um “lado monstro”, algo assustador que os torna diferentes, que atrapalha suas vidas “normais”, ou que ofusca seu “lado humano”.

Se Natalia é infectada por algum vírus, é provável que ela se sinta estranha, ou excluída por sua natureza “anormal”. O fato de ela estar aparentemente sozinha na festa da Terra Save também é estranho; não vemos menção a nenhum parente dela na lista, pai ou mãe. Em um gameplay liberado pelo Biohazard France, Natalia afirma “não ter pais”. Ela pode ter perdido a família em um ataque bioterrorista ou foi rejeitada por ser uma “aberração”, como o personagem de Kafka ou outros personagens infectados.

A presença de Barry como figura paternal provavelmente vai ser essencial para a evolução de Natalia. No último trailer divulgado, ele diz “ela pegou você, assim como fez com o meu bebê”. Barry é (ou era?) pai de duas meninas, o que automaticamente cria uma relação de empatia entre ele e Natalia. Okabe já afirmou que Barry irá cuidar da menina como um pai, mais um indicativo de pais ausentes na vida da personagem.

Natalia pode passar por um processo de aceitação de sua natureza, que pode começar a acontecer pelo contato com Barry, quando ela passa a ajudá-lo para enfrentar as criaturas presentes na ilha. Nesse ponto, é possível imaginar Natalia como um personagem semelhante à Manuela Hidalgo. No final de “Operation Jaiver” Manuela decide usar os poderes conferidos pelo T-Veronica, antes mantidos em segredo, para ajudar Krauser e Leon. Ela usa seu próprio sangue “inflamável” (como o de Alexia) para derrotar o próprio pai. A parte final desse processo de aceitação de Natalia pode ser a tal metamorfose, em que a garota assume sua forma “final” (de uma borboleta?), para ajudar os personagens a sobreviver.

Agradecimentos: LeonardoLeme, que comentou sobre a conexão entre os episódios de Revelations 2 e as obras de Franz Kakfa

Contribuíram: Paulo Wirth, Juninho Lima e Steven Andrade.

%d blogueiros gostam disto: