O insider Dusk Golem, famoso entre os fãs da franquia, compartilhou detalhes do desenvolvimento inicial de Resident Evil 7 e do que acabou sendo descartado em favor do jogo final que chegou ao mercado. De acordo com ele, as primeiras versões do sétimo título numerado começaram a ser desenvolvidas em 2012, antes do lançamento de Resident Evil 6, e foram canceladas em 2014. Esse “RE 6.5” veio em uma época onde muita coisa era fruto de experimentação. E entre essas experiências, estavam sendo testados cenários em Portugal e na Itália.

Dusk Golem detalhou especificamente a versão em território italiano. Era conduzido pelo diretor de RE6 e Resident Evil Outbreak, com Leon S. Kennedy como personagem e mais alguém que ele diz não saber (no Twitter, Alex Aniel afirma ser Sherry Birkin). RE7 iniciou seu desenvolvimento fora da RE Engine, com a MT Framework, e com uma mecânica parecida com RE6, mas com um ambiente mais expandido. Neste caso, o jogo se passaria em uma cidade fictícia flutuante na Itália, meio que baseada em Veneza.

O título chegou a ir em uma fase estável, com 30-45 minutos disponíveis de jogo. Tinha inimigos aquáticos – alô Resident Evil Revelations – que eram parecidos com pessoas e animais e teriam se transformado por beber água infectada. Os personagens literalmente usariam “armas baseadas em água”, algo que o insider diz que nunca ficou claro se seriam armas de água, ou armas convencionais. Também teria um sistema de escolhas, algo como no clássico Resident Evil 3: Nemesis em que a ação fica em câmera lenta enquanto aguarda a resposta do jogador em algum momento dramático. Essa “escolha” levaria a diferentes níveis e caminhos entre os capítulos.

Além disso, esse RE 6.5 seria focado em ameaças ambientais, como derramamento de óleo, propagação de incêndios, águas infectadas que serviriam tanto para dar perigo aos jogadores quanto para derrubar inimigos. Algo que Dusk Golem descreve como um jogo de “gato e rato” com o aspecto de “desastre natural” do surto. O insider finaliza dizendo que espera que isso vaze por alguém algum dia. Bem que seria bacana ter acesso a isso, não?

Via AestheticGamer1 (Dusk Golem)

%d blogueiros gostam disto: