O recém anunciado e ~polêmico~ Umbrella Corps pode ser jogado durante a Tokyo Game Show 2015. Os visitantes podem experimentar o modo One Life Match, em que o jogador só tem uma vida por partida, sem chance de respawn, para poder derrotar a outra equipe. Jornalistas dos sites Kotaku e Polygon tiveram a oportunidade de jogar algumas partidas e publicaram suas impressões sobre o game.

O Kotaku inicia a análise comentando a decisão nada ortodoxa da Capcom de lançar um jogo de tiro como parte das comemorações de 20 anos da série. “É muito estranho. Quando você pensa em Resident Evil, você não pensa em jogos de tiro multiplayer”. A “decisão estranha” continua a ser enfatizada em: “existem um monte de jogos de tiro online, mas só existe um Resident Evil. Isso deixou os fãs com a pulga atrás da orelha”.

De acordo com a análise do Kotaku o mapa da versão demo parecia bem construído e realmente criava um clima de tensão e claustrofobia no jogador.

Cada personagem é equipado com um “zombie jammer” uma espécie de escudo traseiro que permite passar pelos zumbis sem ser detectados. Parte da estratégia é destruir os “zombie jammers” dos adversários para que eles tenham que enfrentar hordas de zumbis, além dos oponentes humanos.

O texto também destaca que, apesar de o framerate do jogo estar bastante estável, ele parece um tanto travado. “Os controles não parecem tão sólidos como deveriam”. Em um jogo de tiro competitivo, essa característica é essencial para uma boa experiência.

Finalizando, o preview do Kotaku destaca que Umbrella Corps ainda precisa convencer, especialmente em um mercado abarrotado de jogos de tiro que sofrem inovações a cada lançamento.

O Polygon chamou Umbrella Corps de “um mini-Counter Strike com zumbis”. O site chamou atenção para o arsenal recheado do jogo “nossos soldados estavam equipados com uma variedade de armas, granadas e outras ferramentas. Haviam três carregamentos diferentes – ataque, curto alcance e tático – e cada um possuía uma mistura de rifles semi-automáticos, escopetas, pistolas, granadas táticas e um explosivo especial chamado jammer buster, que é capaz de interferir com o funcionamento do zombie jammer”. Ainda falando sobre as armas, o texto destaca o “brainer” uma espécie de machado de escalada que pode promover one-hit-kills durante o combate de curta distância ou evitar headshots ao repelir as balas.

Para o Polygon, os zumbis de Umbrella Corps não parecem grandes ameaças. Eles são encontrados cambaleando pelo cenário enquanto os personagens entram em conflito. As criaturas só entram em ação quando um zombie jammer é danificado ou quando podem ser usados como escudos.

Assim como o Kotaku, o Polygon também não curtiu os controles: “parecem meio desajeitados”. Os personagens são capazes de andar bem rápido de pé ou agachados. Abaixar tende a reduzir a probabilidade de ser visto, mas não prejudica em nada a velocidade de deslocamento pelo cenário, o que foi considerado estranho.

Umbrella Corps chega ao PlayStation 4 e aos PCs no início de 2016.

%d blogueiros gostam disto: