Esta análise, procura falar do mangá Resident Evil: Marhawa Desire de uma forma geral, comentando aspectos de seu enredo, de sua relação com o restante da série, personagens, etc. Se você quiser, pode conferir nossa análise individual do primeiro volume do mangá Marhawa Desire clicando aqui.

Já não é novidade para ninguém que os jogos estão cada vez mais saindo dos limites dos consoles e partindo para os nichos da cultura pop, tais como cinemas, teatros, HQ’s, mangás, entre outros. Tudo isso para dar um ar diferente aos jogos, rechear as diversas franquias com mais detalhes e adaptações, e, claro, a fim de trazer ainda mais amantes para o mundo dos jogos eletrônicos.

Exemplo disso foi o lançamento em 2012 do mangá da série Resident Evil, intitulado Resident Evil: Marhawa Desire, que trouxe uma história cheia de informações curiosas e, para muitos fãs, até importantes para o complemento do enredo central de toda a franquia, principalmente do jogo Resident Evil 6, do qual o mangá serve como um prólogo.

Nessa análise será comentado um pouco sobre tudo o que você poderá encontrar nesse mundo diversificado da franquia, então já fique ciente que o conteúdo aqui apresentado estará cheio de spoilers!

MD4

O enredo fica por conta de um acidente biológico ocorrido no renomado Colégio de Marhawa, localizado na Ásia. Ciente de tal acontecimento através de uma carta mandada por sua antiga namorada, o especialista e professor de bacteriologia da Universidade de Singapura, Doug Wright, e seu assistente e também sobrinho Ricky Tozawa, partem para o colégio a fim de investigar a origem de todo o transtorno. Chegando ao colégio e se reunindo a sua antiga namorada, Madre Gracia, também diretora e responsável por Marhawa se veem diante de um caso real de ataque biológico, suspeitando ser, de inicio, causado pelo famoso T-Vírus, que devastara Raccoon City anos atrás.

Conforme vão passando os dias em que estão hospedados no colégio a fim de investigar o ataque, professor Doug e Ricky acabam encontrando uma epidemia com os casos aumentando a cada dia, e se veem enfrentando um novo tipo de vírus, muito mais forte do que eles próprios imaginaram e pensavam ter conhecimento.

Além da presença ilustre de Chris Redfield e de Piers Nivans no mangá, outros personagens principais que entram para esse mundo de ataques biológicos acabam se tornando importantes na franquia. Um deles é Ricky Tozawa, que mostra ser um jovem preguiçoso e querendo ter mais popularidade entre as garotas, mas muda de personalidade quando começa a enfrentar zumbis e começa a tentar proteger os estudantes do colégio, que até então desconhecem o que está acontecendo.

O Professor Doug Whight se mostra muito importante também, tanto no enredo do mangá quanto para a própria franquia, pois sendo especialista em bacteriologia, ele tem contato direto com a B.S.A.A. e os ajuda em alguns acidentes biológicos ocorridos pela Ásia. Doug se torna um ótimo suporte para a organização, sendo até solicitado pelo próprio Chris Redfield, um dos personagens mais conhecidos na franquia. Doug e chris acabam tendo uma relação de grande parceria durante os eventos de Marhawa Desire, e o mangá também mostra que essa relação vai além dos eventos ocorridos ali.

MD5

A jovem Bindi Bergara, estudante e presidente do conselho estudantil de Marhawa, entra de cabeça nessa trama por querer proteger o colégio dos zumbis que aparecem no local e tentar acabar com a tirania de Madre Gracia, e a partir daí descobrimos que Bindi também age por motivo pessoal, pois por causa da tal tirania de sua diretora, a sua melhor amiga, Nanan, acaba sendo morta numa tentativa de fugir do colégio totalmente isolado o mundo. A partir disso, Bindi acaba investigando tudo o que Madre Gracia escondera dos demais estudantes, junto com Ricky e professor Doug.

Merah Beji é outra personagem nova nesse mundo, mas se mostra altamente capacitada para estar em tal lugar. Sendo da divisão da B.S.A.A. do Extremo Oriente, e tendo ligação direta ao professor Doug, junta-se a Chris Redfield e Piers Nivans para investigarem o paradeiro do professor, que assim que deixou a Universidade de Singapura rumo ao Colégio Marhawa, se torna incomunicável e, então é dado desaparecido. Com suas habilidades elevadas ao extremo e capaz de enfrentar qualquer B.O.W. que aparecer em sua frente, Merah se torna essencial para qualquer missão que lhe é concedida, e tal personalidade da agente a torna uma excelente parceira, tendo até a compaixão e total companheirismo com Piers Nivans.

Uma personagem de grande mistério nesse mangá seria a mulher toda encapuzada que anda pelos arredores do colégio. Diretamente envolvida com os acidentes biológicos, ela se encontra sempre em comunicação através de um dispositivo em cubo, reportando todos os ataques ocorridos no local, deixando grandes impressões de que ela faz parte da Neo-Umbrella.

MD3

Outra personagem que se destaca bastante em toda a história de Marhawa Desire, sem dúvida, é a Madre Gracia. Sempre rigorosa com as regras dentro do colégio e disposta a manter a alta reputação do mesmo, Madre Gracia reage fria a seus alunos infectados, e assim que o professor Doug chega ao local, ela o pede que somente ele investigue os casos, negando a solicitação de ajuda a B.S.A.A. Até então, toda essa frieza e rigidez mostrava que Madre Gracia seria a vilã principal do enredo, mas isso muda quando todo o passado dela é revelado. Ela sempre foi a filha “menos amada” pelo pai, que fora o fundador e diretor do Colégio Marhawa. Crescendo acostumada com essa falta de carinho paterno, ela acaba seguindo os próprios passos se formando, mas assim que seu pai falece, fica totalmente encarregada pela direção da instituição, algo que lhe foi pedido pelo pai em seu testamento. Ao aceitar a nova responsabilidade, Madre Gracia torna o colégio mais rígido e “correto” possível, afim de não decepcionar seu pai e mostrar que ela sempre foi capaz de ser mais do que a simples “caçula” da família. Para isso, ela faz  de tudo que o santuário sagrado do seu pai não venha desmoronar com a reputação em perigo por causa dos ataques biológicos, então acaba por optar em manter segredo de todos sobre o incidente.

Uma coisa interessante desse mangá é observar as diversas ligações que existe entre alguns elementos essenciais e característicos da franquia. Exemplo disso são os B.O.W.s que aparecem em vários momentos no mangá, como os zumbis, Hunters e Cerberus.

Outra curiosidade seriam as diversas vezes em que é mencionado o incidente que acontecera em Raccoon City, aparecendo até traços da cidade em ruínas e de seus sobreviventes, como Leon S. Kennedy e Claire Redfield.

O sentimento de companheirismo é um fator bastante explorado pelo Mangá. Tanto a relação entre Ricky e Bindi, e principalmente entre Piers e Merah, lembra muito o que fora presenciado em Resident Evil 1 e Resident Evil 2, onde a relação de companheirismo e trabalho em equipe entre Jill Valentine e Chris Redfield, tanto também entre Leon S. Kennedy e Claire Redfield. Além disso, também é interessante observar o uso desse tipo de artifício justamente em uma história que serve de prólogo para Resident Evil 6, um jogo onde a cooperação e o companheirismo são marcantes, principalmente porque 3 das 4 campanhas do jogo são baseadas na cooperação de uma dupla.

MD1

Aliás, Resident Evil 6 é o grande gancho do mangá com o restante da série. Funcionando como um prólogo para a história do game, Marhawa Desire obtem diversas situações que influenciam diretamente para o desenvolvimento de tal história, uma delas é observado logo de cara, a presença de Chris Redfield e Piers Nivans, protagonistas de uma boa parte do sexto game da série. Além disso, também há a infecção é causada pelo C-Vírus, o principal elemento da trama de RE6, que tem seus primeiros casos na Ásia contados no mangá. Um dos momentos chaves de todo o mangá seria o epilogo no ultimo volume, onde parece Chris e Piers já combatendo o bioterrorismo causado na China, que é o começo da campanha da dupla no jogo.

Resident Evil: Marhawa Desire é uma ótima leitura, tanto para os fãs quanto para aqueles que não estão acostumados com o mundo mostrado na série. A história é bem envolvente e empolgante, que chega a introduzir vários leitores a experiência das tramas vividas na série, como o bioterrorismo. Para aqueles que já são fãs e acompanham a franquia, a leitura promete informações complementares e curiosidades que deixaram a trama de Resident Evil ainda mais complexa e completa.

Ficha Técnica

Título: Resident Evil: Marhawa Desire (Biohazard Marhawa Desire)
Ano de Lançamento: 2012 – 5 volumes

CRÉDITOS
Escrito por: Paloma Cristini Vicente
Revisão: André Ceraldi

O texto não reflete a opinião do site REVIL, e sim da autora da análise.

Análise geral - Resident Evil: Marhawa Desire
Votação do leitor 28 Votos
8.3
%d blogueiros gostam disto: