À primeira vista, o game para PC realmente ficou muito bonito e supera as expectativas, com gráficos estonteantes e coloridos, além de bons modos de controle que transformaram um jogo já ótimo em algo quase perfeito. Este review foi feito com um PC hardcore, usando todo o potencial que o game pode oferecer. Utilizei DirectX 10 e todos os efeitos no máximo, em uma resolução full HD (1920 x 1080). Com os óculos Nvision 3D, você obtém um gameplay ainda mais real e assustador, mas o recurso está disponível apenas para monitores com frequência de 120 Hz, ainda bem raros no Brasil.

Os controles da versão PC são ainda mais simples que nos consoles. O inventário é acessado com a tecla E, e os itens podem ser selecionados pelo teclado numérico, com cada botão representando um slot. A troca de itens e armas in game segue a mesma lógica, com cada espaço representando uma das teclas numéricas localizadas acima das letras. Um novo sistema de mira foi implementado, e substituiu as miras a laser. Agora, sempre que uma arma é ativada, um pequeno marcador surge na tela e é controlado pelo mouse, melhorando a jogabilidade. Para aqueles acostumados a FPS, jogar Resident Evil 5 com teclado e mouse é fichinha. Vários bugs e falhas gráficas das versões PS3 e Xbox 360 também foram corrigidos, e a quantidade de inimigos aumentou ligeiramente nos modos Veteran e Professional. De maneira geral, estas mudanças deixaram o jogo mais ágil e divertido.
Os gráficos estão um pouco melhores, mas existem diferenças bastante notáveis quando se utiliza DirectX9 ou 10, principalmente na representação de fumaça, cores e explosões. Isto, porém, será percebido apenas por aqueles que possuírem um monitor com resolução acima dos 1200 pixels, pois as texturas contam com uma alta contagem de polígonos. Quando disponível, o processamento PhysX pode ser ativado, deixando a gravidade ainda mais perfeita e melhorando diversos outros efeitos físicos do game.
O grande destaque do port, porém, está no minigame The Mercenaries: o modo No Mercy, que triplica o número de inimigos simultâneos na tela, além de aumentar a resistência e inteligência deles. Prepare-se para correr pois, com algumas dezenas de monstros atacando ao mesmo tempo, é bem difícil ficar parado em um único ponto. Seja cauteloso também na utilização da munição, pois qualquer erro pode ser fatal. As regras para pontuação no modo No Mercy também mudaram. Agora, para conseguir um ranking SS, você precisará matar não somente os inimigos, mas também as galinhas escondidas em cada um dos cenários.
Para aqueles que não têm acesso aos consoles, Resident Evil 5 PC é uma ótima alternativa. Ao contrário dos ports anteriores para computador, este não possui problemas e conta com belos gráficos. Porém, apenas as máquinas mais poderosas poderão usufruir de todo o potencial desta versão. Para perceber a qualidade dos gráficos desta versão, acesse nossa galeria.

Vídeos

– Cutscene com as novas roupas

 

– Modo No Mercy – Gameplay 1

 

– Modo No Mercy – Gameplay 2

Requisitos

• Mínimos

– SO: Windows XP
– Processador: Intel Pentium D ou AMD Athlon64 X2
– Memória RAM: 512 MB para Windows XP; 1 GB para Windows Vista
– HD: No mínimo 8 GB de espaço livre
– Resolução: 800 x 600
– Drive compatível com DVD9
– Placa de vídeo: NVIDIA GeForce 6800, ATI Radeon HD 2400 Pro, com 256 MB de VRAM e DirectX 9.0 / Shader 3.0
– Placa de som: compatível com DirectSound

• Recomendados
– SO: Windows Vista
– Processador: Intel Core2Quad ou superior, AMD Phenom X4 ou superior
– Memória RAM: 1 GB ou mais para Windows XP, 2 GB ou mais para Windows Vista
– HD: No mínimo 8 GB de espaço livre
– Resolução: 1280 x 720 ou maior
– Drive compatível com DVD9
– Placa de vídeo: NVIDIA GeForce 9800 ou superior, ATI Radeon HD 4800 ou superior, 512 MB ou mais VRAM
– Placa de som: compatível com DirectSound

Créditos

Escrito por: Leonardo Carmona – U.B.C.S. Ronin
Vídeos por: Leonardo Carmona – U.B.C.S. Ronin
Edição de texto e vídeo por: Felipe Demartini – -Evil Shady-
Review publicado em: 09/11/2009

%d blogueiros gostam disto: