ICDiQNpyx4I

No vídeo desta semana do canal do REVIL fomos inspirados pelo clima romântico do dia dos namorados e decidimos listar os casais que todo mundo shippa em Resident Evil.

Se você não sabe o que é shippar, o dicionário nerd internético explica:

Shippar é uma expressão criada a partir da palavra inglesa relationship, que significa “relacionamento”, em português.​

Este neologismo foi popularizado por leitores e criadores de fanfics (histórias alternativas criadas por fãs), que tinham o desejo de unir personagens que na história original não formavam um casal amoroso.

Resumindo, shippar é um negócio de gente que não tem o que fazer mesmo, mas a gente desempenha a função com louvor e muita competência.

Antes de iniciar a lista, fica o agradecimento ao pessoal que participa do grupo do REVIL no Facebook que não me ajudou a criar os shipps em si, mas determinar a ordem dos casais mais populares para a comunidade. Se você não faz parte do nosso grupo ainda, trata de clicar aqui e participe!

Rebecca Chambers & Billy Coen

Rebecca e Billy acabaram formando uma dupla improvável em Resident Evil o. Ela era uma agente dos STARS em sua primeira missão e ele era um criminoso super perigoso e foragido.

O Billy era acusado de matar 23 pessoas em um ato de crueldade sem tamanho e ainda era um ex-fuzileiro naval. Ou seja, um cara altamente treinado e perigoso que estava à solta na floresta de Raccoon depois de as sanguessugas do James Marcus atacarem o comboio que levava ele para execução.

Rebecca, aquela alma inocente e inexperiente se vê em sua primeira missão cercada de zumbis, sanguessugas e cachorros sanguinários, não hesita em peitar um assassino perigoso, mesmo em uma situação extrema. Uma mulher corajosa dessas, bicho. E vocês ainda falam que ela é fresca.

Enfim, Rebecca e Billy percebem que precisam se aliar pra sobreviver àquela situação. De início, a relação dos dois não é fácil. Ela é claramente inexperiente e orgulhosa demais pra admitir isso para um criminoso procurado, mas mesmo assim, Billy não a deixa sozinha, pois sabe dos riscos que os dois passam e é melhor atuarem juntos.

Com o tempo, a Rebecca percebe que há algo estranho. Como é que um cara gente boa feito o Billy podia ter matado 23 pessoas? Ele acaba contando a verdade, que foi culpado pelo assassinato injustamente. A Rebecca então protege o Billy e decide não entregá-lo aos seus superiores.

Nessa relação de companheirismo e amizade que nasceu ali entre duas pessoas tão diferentes, muita gente viu que havia algo mais.

Infelizmente, nem todos os finais são felizes. Billy foi condenado pelo assassinato daquelas 23 pessoas e a única forma de não acabar pegando a pena de morte era fugir e permanecer escondido. Rebecca reporta aos superiores que Billy Coen estava morto, para que ele pudesse seguir sua vida na clandestinidade. Depois daquele dia, os dois podem nunca mais ter se visto.

Claire Redfield & Leon Kennedy

Apesar de Resident Evil 2 ter mostrado que rola um sentimento entre Leon e Ada, tem quem queira que outro casal se forme no jogo.

A Ada só faz o Leon de otário, usa ele para conseguir o que quer… e ele, trouxa como é, acaba caindo sempre. Algumas pessoas acham que o cara não merece isso, que outra mulher poderia ser a metade da laranja do Leon sem abusar desse lado mais… ingênuo dele.

Para muita gente, a Claire é a escolha ideal para o Leon.

Os dois se conhecem em Raccoon City. Ela estava em busca do irmão, Chris, e ele chegava na cidade para o primeiro dia de trabalho como policial. Completamente desavisados, Claire e Leon caem no meio do apocalipse zumbi em Raccoon City e passam a atuar juntos para saírem vivos da cidade, mesmo que seguindo por caminhos diferentes.

Com seu instinto protetor, principalmente com mulheres, Leon acaba não percebendo que a Claire é independente demais para que alguém a defenda. Ela se vira muito bem sozinha e ainda salva a Sherry, que acaba ficando como o grande elo entre Leon e Claire depois do incidente em Raccoon City, como vimos em Resident Evil 6.

Os dois personagens seguem a vida por caminhos diferentes. Ela acaba se tornando uma ativista da TerraSave, combatendo o bioterrorismo e oferecendo apoio às vítimas. Já ele se torna um agente do governo dos EUA.

A Claire e o Leon acabam se reencontrando em uma coincidência, durante um incidente no aeroporto de Harvardville. Para variar, o Leon acaba enrolado com outra mulher bonita, a Angela… e nada de rolar o tão esperado casalzinho com a Claire.

[Mas considerando o histórico de interesses amorosos da Claire, que sempre acabam virando monstros e obviamente morrendo… se eu fosse o Leon eu deixava tudo como tá…]

Chris & Piers

Tem gente que vai ficar surpresa com esse shipp, mas se tem quem veja que a amizade entre Chris e Jill vai além da parceria nas missões, por que não enxergar isso entre Chris e Piers?

Piers era um agente da B.S.A.A que era visto como o cara que ia substituir o Chris um dia. Era excelente em tudo o que fazia, tinha um espírito de equipe enorme, além de ser um baita atirador, exatamente como o Chris. Apesar só vermos a relação dos dois acontecendo em Resident Evil 6, o Chris e o Piers tem um laço muito forte.

Depois que o Chris perde a equipe toda em uma armadilha da Carla Radames, ele acaba tendo uma amnésia, e se perde completamente na vida. Começa a beber e vagar pela Edonia, totalmente sem rumo.

Quem traz o Chris de volta pra B.S.A.A é o Piers, mas isso não é um processo fácil, por que Chris ainda se questiona muito, acaba se tornando irresponsável e irracional durante as missões por do trauma de ter perdido a equipe. O incrível disso tudo é como o Piers é o cara que sempre está lá para botar o Chris pra cima e fazer com que ele se lembre do líder e a inspiração que ele é para aqueles soldados, ainda que nem sempre isso seja feito da forma mais amigável.

No fim das contas a Capcom fez essa sacanagem que foi matar o Piers. Não só com a galera que passou a shippar os dois, mas porque o Piers é um dos melhores personagens que Resident Evil recebeu nos últimos tempos. O Piers acaba morrendo em um sacrifício pra salvar a vida do Chris e é ali que o capitão percebe pelo que vale a pena continuar lutando.

Jill Valentine & Chris Redfield

Jill e Chris são os primeiros personagens jogáveis da série e talvez nem tenham parecido um casal em potencial de início. Os dois atuam como agentes do S.T.A.R.S, o esquadrão especial de Raccoon City, e são enviados por Albert Wesker para investigar acontecimentos estranhos que estavam acontecendo na floresta ao redor da cidade. Naquela missão, os Chris e Jill passaram por uma experiência que mudou as vidas dos dois para sempre e fortaleceu ainda mais o laço entre eles.

Resident Evil 1 não aprofunda tanto a relação entre Jill e Chris, já que eles pouco interagem entre si em seus respectivos gameplays, mas um detalhe no final acabou mexendo com o imaginário dos fãs. No helicóptero, os dois se consolam e dão as mãos. A cena quase se repetiu em Resident Evil Remake, com a Jill super cansada encostando no ombro do Chris. Alguns vêem só uma amizade muito forte, enquanto outros desejam que role algo mais.

Resident Evil 5, no entanto, mostrou que a relação de Chris e Jill era muito profunda. O jogo usa muito os conceitos de amizade e parceria, e os dois acabam se tornando um grande símbolo disso. Resident Evil 5 começa com um Chris meio abatido, que achava ter perdido a Jill durante uma luta contra o Wesker. A possibilidade de Jill estar viva é o que faz o Chris seguir em frente. Quando ele finalmente a encontra, as coisas não são muito fáceis, porque Jill está sendo controlada pelo Wesker. Quando ela volta a si, temos mais uma cena que mostra a relação forte que os dois possuem.

 

Em Resident Evil Revelations os dois voltam a aparecer juntos em um game. O que chama a atenção não é necessariamente a relação dos dois, mas o comportamento Jessica, uma das vilãs do jogo. A Jessica parece estar interessada no Chris ou tenta seduzi-lo para conseguir alguma coisa, mas parece que ele não é tão trouxa como certas pessoas… Enfim, a Jessica faz mil perguntas sobre a Jill e fica tentando descobrir se afinal rola alguma coisa entre os dois parceiros. O Chris acaba não dando muito papo, mas o Parker deixa no ar: “talvez ele já tenha dona, Jessica”.

Ada Wong & Leon Kennedy

Talvez esses dois sejam o primeiro casal de verdade de Resident Evil, daqueles que a gente não fica só imaginando se rola alguma coisa. Por que ali rola muita coisa.

Leon e Ada se conheceram durante o apocalipse zumbi em Racoon City. Ele era um policial no seu primeiro dia de trabalho, que tinha chegado atrasado depois de uma ressaca daquelas por ter tomado um pé na bunda. Típico do Leon, não é mesmo? Ada dizia que estava apenas procurando pelo namorado dela, mas na real era uma espiã que estava na cidade a mando de Albert Wesker para roubar uma amostra do G-vírus.

Ele, um trouxa. Ela, esperta demais, mas não tão fria quanto aparentava. Leon fazia de tudo para protegê-la, e mal sabia que Ada era até mais habilidosa do que ele pra lidar com toda aquela situação. Quando os papéis se invertem e ela se arrisca para salvá-lo em uma batalha contra o Tyrant, rola uma das cenas mais românticas de Resident Evil.

 

Aguardando esse beijo em 1080p 60fps real oficial.

Leon e Ada acabaram se encontrando de novo no Pueblo, na República Eslava e… depois ele foi premiado com DUAS Adas. E duas Adas significam o que? Leon sendo feito de trouxa em dobro e zero gols marcados, se é que vocês me entendem.

Atualmente, Leon e Ada não estão juntos e um relacionamento duradouro entre os dois certamente seria complicado. Ele é um agente do governo que luta contra o bioterrorismo e ela é uma espiã, envolvida com empresas criminosas. Por mais que a Ada se faça de durona, o epílogo dela em Resident Evil 3 deixa claro que o Leon deixou uma marca na espiã.

E aí? O OTP de vocês apareceu na lista? Tem algum outro casal que você shippa? Conta nos comentários. Não deixe também de curtir e compartilhar o vídeo para outros fãs de Resident Evil. E claro, nunca é demais avisar: inscreva-se para ficar por dentro de tudo que sai no canal!

%d blogueiros gostam disto: