Glzt8Ub_VmE

Acho que todo mundo pensa em várias coisas que aconteceram em Resident Evil ao longo desses 21 anos e sem dúvida, tem algumas que você olha e pensa: caraca – que burrada, Capcom! Listamos apenas 5 e e dependendo da recepção, a gente pode fazer uma segunda parte mais pra frente.

5 – Alex Wesker não ter saído ilesa em Resident Evil Revelations 2

Nós entendemos a influência de “A Metamorfose” de Franz Kafka em Resident Evil Revelations 2, e o quanto Alex Wesker ter se transformado em um monstro e se replicado em dois corpos diferentes era preciso pra criar paralelos com a obra, mas convenhamos, é extremamente broxante ver a Alex ter seu corpo destruído e acabar sendo morta no final do game.

A gente sabe que na real ela tá vivinha da Silva dentro do corpo da Natalia Korda, mas é triste pensar que ela sequer apareceu em um cutscene em computação gráfica e que ela não foi inteligente o suficiente para prever a furada que a experiência de “troca de corpo” iria causar.

Sério, gente. Quando eu fiquei sabendo que Alex Wesker era uma mulher e que ela era a vilã do segundo Revelations eu já tava esperando ela sair viva no final, fugindo em um helicóptero se preparando pra substituir Albert Wesker como vilão da fraquia e se tornar a vilã mais poderosa que Resident Evil já teve. Me iludi? Talvez bastante.

4 – O final ideal para Resident Evil 5

Chris e Jill são os personagens que nos fizeram conhecer as conspirações da Umbrella e passaram por poucas e boas nas mãos de Albert Wesker, tá aí um fato incontestável.

E em Resident Evil 5, nós temos o fechamento de vários arcos envolvendo esses três personagens, se dando pela morte de Wesker.

Mas sabe uma coisa que me deixa boladão, ver a Sheva atirando com a Rocket Launcher no Wesker junto com o Chris ao invés da Jill.

Eu não tenho nada contra a Sheva, mas velho, a Jill que foi pega pelo cara, ela que foi enganada por ele no primeiro jogo – ela e o Chris – deveria ser o momento deles, só deles!

A Sheva tem seus motivos e tal, mas ela pegou o bonde agora e já quer sentar na janela e dar tchauzinho?

O ideal seria a Jill e o Chris seguirem caminho depois de Jill se ver livre do P-30 e a Sheva seguir com o Josh na DLC Desperate Escape. Amém?

3 –Nemesis não aparecer em nenhum outro jogo

É fato que Nemesis é uma das B.O.W.s mais famosas e amadas da franquia. O perseguidor surgiu em Resident Evil 3 e é o responsável pelo carisma do game, mas fica o questionamento: se o Nemesis é tão querido, porque ele nunca mais apareceu na franquia?

O monstro é um tipo de Tyrant – mais inteligente e controlável do que os vários tyrants que a gente viu ao longo dos outros jogos, mas diferente dos outros tyrants, o Nemesis nunca apareceu de novo, o que eu acho uma tremenda duma burrice!

Já que ele é um ttyrant como qualquer outro, eu daria um jeito de alguma empresa ou terrorista replicar a arma biológica pra ela aparecer em outros jogos e em maior número, como acontece com os demais tyrants.

Antes que você venha falar que a Carla Radames fez isso com o Ustanak, já vou pedindo licença porque aquela coisa do RE6 só consegue ser chata – nem chega aos pés do Nemesis.

2 – Uma história para Jake Muller que faça ligação com eventos passados da série

Agora chegou a hora de tocar naquele assunto delicado que começa com Jake e termina com Muller. Ame ou odeie, Jake é o filho de Albert Wesker e protagonizou Resident Evil 6 ao lado de Sherry Birkin.

O que todo mundo estranha, é que conhecendo Albert Wesker como um cara focado em seus objetivos e super maléfico, teria tempo para engravidar alguém e ter um filho por aí.

Fora o fato de Jake ser ruivo – muitas pessoas ainda tem uma pulguinha atrás da orelha sobre quem ou o quê é Jake Muller.

Pensando na inserção dele em RE6 e suas interações com Sherry e Chris, faria mais sentido se ele tivesse ligação com outro evento que foi esquecido tanto quanto o próprio Jake – Steve Burnside.

Mas antes que você pire, deixa eu resumir a teoria que não é verídica, mas é curiosa. No final do cenário Game of Oblivion em Resident Evil: Darkside Chronicles, o Wesker leva o corpo de Steve Burnside e provoca Claire dizendo que ele pode fazer com que ela veja Steve de novo.

Agora vamos a teoria: Jake não se lembra de seu pai – ele tem 20 anos mas aparenta ser mais velho. Ele parece se lembrar de Chris Redfield na primeira vez que eles se encontram, e Chris também vê algo familiar nele.

Quando Sherry cita Claire em algumas conversas, Jake parece intrigado, há algo familiar sobre Claire também.

Agora outra coisa que dá força pra essa teoria: o sangue de Steve possuía o T-Veronica, agente utilizado na criação do C-Vírus. O sangue de Jake foi utilizado pra potencializar ainda mais o vírus – os anticorpos dele também eram a cura para o C-Vírus – curioso, vai?

Vamos então ao saldo dessa história toda: O Jake é ruivo, aparenta se lembrar da Claire e do Chris, parece ser mais velho do que consta, tem a cura pro C-Vírus no sangue, o que liga ao Steve e seu corpo cheio de T-Veronica e ainda tem umas habilidades overpower – CLARO – O Wesker pegou o corpo do Steve, deu um jeito de trazer ele à vida, implantou memórias falsas e jogou ele no mundo, certo? ERRADO!

Oficialmente o cara é o filho do Wesker mesmo, e a gente tem que aceitar. Pessoalmente, eu preferiria que essa fanfic que eu acabei de contar fosse verdade, ele tivesse ligação com o passado da franquia e outros personagens do que ele ser só um personagem chato que foi esquecido no churrasco e que poucos sentem falta.

1 – Neo Umbrella começar e acabar em Resident Evil 6

Ainda falando de Resident Evil 6, vamos lembrar do hype de 2012 ao saber que teríamos uma nova Umbrella (essa era a primeira vez que isso acontecia na série) e que ela era a empresa vilã do game.

Tá, mas aí a Carla morre, tem toda aquela cena do sangue do Simmons formando a logo da Umbrella embaixo do obelisco e aí a gente pensa: a Carla louca morreu, mas deve ter muita gente foda por trás da Neo Umbrella e isso aí foi só o nascimento dela na franquia, né? Não, tá errado de novo!

Pensa comigo o quanto seria incrível se essa empresa fosse de fato a nova vilã da série. Dá pra especular que personalidades como Alex Wesker, Nicholai Ginovaef, Hunk, Jessica Sherawatt e Raymond estariam unidos por trás da Neo Umbrella.

Mas nah, a Capcom achou que seria mais divertido se milhões de Umbrellas surgissem em outros jogos, como é o caso da Umbrella Corps, Umbrella vermelha e Umbrella azul de Resident Evil 7 – outra oportunidade desperdiçada… Pra variar, né?

Bônus – Resident Evil Operation Raccoon City

E por último, como um bônus, vamos falar do game que tinha tudo pra ser um dos melhores da série e até inovar pra quem curte games de ação – Operation Raccoon City.

A receita era perfeita: uma época nostálgica, jogaríamos com os vilões vendo a destruição da cidade por outros olhos, um shooter de ação completo com vários inimigos clássicos e adorados da franquia e a interação com acontecimentos e personagens que a gente já conhece.

Acabou que a Capcom apressou a Slant Six que lançou o jogo inacabado e sem final, a crítica caiu matando, é impossível jogar sozinho por causa dos bugs e por mais que ele seja divertidíssimo de jogar com online com os amigos, ele foi uma puta decepção e a gente vai passar o resto da vida lamentando por isso.

Essas foram a nossa lista com 5 oportunidades perdidas em Resident Evil e queremos que vocês me falem aí: vocês concordam com a minha lista? Não esqueçam também de colocar aí nos comentários as outras oportunidades que vocês acham que a Capcom perdeu dentro da série – a gente pode fazer uma segunda parte se essa aqui agradar vocês!

%d blogueiros gostam disto: