qjAaQgIB12g

Desde o anúncio do desenvolvimento do Remake de Resident Evil 2, quase não tivemos informações sobre o título e ainda não temos noção alguma sobre como ele está sendo desenvolvido.

Nós sabemos que as mudanças nas mecânicas trazidas em Resident Evil 7 dividiram a comunidade e que muitas pessoas gostam e outras não, no entanto, é válido entrar em discussão e analisar com afinco quais são as possibilidades de termos Resident Evil 2 Remake nas mesmas condições.

Afinal, o game terá a polêmica câmera em primeira pessoa?

O sucesso de Resident Evil 7

Antes de mais nada, é bom relembrar que Resident Evil 7 foi um sucesso de críticas e vendas. Apesar de seu protagonista pouco carismático, ele resgatou diversos elementos que faziam de jogos mais atuais, como Resident Evil 6 e Resident Evil: Revelations 2, genéricos e sem muita personalidade.

Fora que o terror dos primeiros jogos voltou junto com a exploração que faz do capítulo tão Resident Evil quanto os jogos pós Resident Evil CODE: Veronica.

 

Apostar no que deu certo, é jogar seguro quando o assunto é o remake de Resident Evil 2 que é o título preferido de boa parte dos fãs da série, no entanto, existe a parcela de jogadores que não aprovaram as mudanças e não se simpatizaram com as novas mecânicas e o terror sem limites.

Vale lembrar que por se tratar de um clássico tão querido, é altamente arriscado tentar mudar a experiência de algo que já é tido como um ícone entre os fãs.

A Nostalgia

Apesar das novas mecânicas de Resident Evil 7, o game trouxe muitos elementos que fizeram os fãs de longa data que sentiam falta do Survivor Horror se sentirem em casa.

A mansão Baker e seus enigmas remetem às localidades da trilogia principal com todo o seu terror e imprevisibilidade, o que funciona bem somada à tecnologia de realidade virtual que torna o título em primeira pessoa.

Não é difícil de imaginar que seria icônico revisitar Raccoon City e a R.P.D. em escala real diante dos nossos olhos, no entanto, a experiência poderia ser menos nostálgica se fosse tão diferente do game original.

Uma grande crítica ao remake de Resident Evil 2 em primeira pessoa, é por causa da impossibilidade de ver os rostos e os corpos dos personagens controlados, no entanto, no formato em que a história do jogo é contada, a dinâmica de controlar Claire e ver o Leon, Sherry e todos os outros personagens, e o mesmo quando controlamos Leon, poderia trazer uma experiência que lembraria o original e traria uma experiência inédita junto.

O Terror

O principal fator para as mudanças que Resident Evil 7 trouxe, foi o foco total no terror. Atualmente, a tendência do mercado de games, é de jogos de terror em primeira pessoa por conta da imersão que foi potencializada com a chegada dos óculos de realidade virtual.

Em recentes entrevistas, os produtores de Resident Evil deixaram bem claro que a visão deles para o futuro da franquia, envolve o terror que é a origem de Resident Evil;

Indo por esse pensamento, talvez exista uma chance ainda maior de que Resident Evil 2 Remake tenha as mesmas mecânicas de Resident Evil 7, o que pode potencializar ainda mais o sentimento de perigo no game.
Imagina como seria encontrar o primeiro Licker ou o Mister X em realidade virtual!

A Câmera em primeira pessoa

O combate em primeira pessoa de Resident Evil 7.

Mas quando o assunto é a câmera em primeira pessoa, nem sempre estamos falando de saudosismo e fidelidade ao original. Devemos considerar que muitas pessoas que não aprovaram Resident Evil 7, simplesmente não gostam das mecânicas da câmera imersiva e preferem uma experiência em terceira pessoa.

Por mais que exista a possibilidade desse remake ter a jogabilidade e mecânicas originais, apenas com melhorias gráficas e novidades, existe também a possibilidade do jogo ter a jogabilidade dos títulos mais recentes, como Resident Evil: Revelations 2, por exemplo, o que poderia ser um meio termo entre os fãs.

A nova engine

Resident Evil 7 utiliza um motor gráfico inédito: A RE Engine, que foi criada para os novos lançamentos da Capcom.

Trabalhar com uma engine não é nada fácil, leva-se tempo, testes e profissionais para que todas as mecânicas e possibilidades cheguem sem erros e funcionais nos jogos prontos. Tudo isso envolve grandes investimentos.
Resident Evil 7 trouxe uma experiência satisfatória quando o assunto é qualidade técnica; e considerando o notável corte de gastos que gerou a não contratação de Alyson Court na dublagem de Claire Redfield, talvez seja viável para a Capcom utilizar todo o aprendizado no mais recente título da franquia e canalizá-lo no desenvolvimento de Resident Evil 2 Remake.

A Realidade Virtual

Não é novidade que a Capcom está em crise após os altos investimentos em lançamentos que não obtiveram o retorno esperado, como Resident Evil 6 e Street Fighter V.

Resident Evil 7 tem exclusividade de um ano para o óculos de realidade virtual da Sony, o PSVR.
Tal exclusividade, gerou um acordo que possibilitou bons investimentos no título, que automaticamente impulsionou a venda do acessório do PlayStation 4.

Não seria surpresa alguma se o remake de Resident Evil 2 tivesse o mesmo acordo, já que todo investimento em projetos cuja empresa está mal das pernas, é bem vindo.

O que será melhor para esse remake?

É complicado dizer o que é melhor ou pior para Resident Evil, já que a série já passou por tantas mudanças e ao longo dos anos experimentou e abusou de diversos formatos de jogabilidade e gênero.

Resident Evil 7 trouxe mudanças polêmicas tal como Resident Evil 4 que dividiu os fãs ao longo dos anos. É possível que estejamos vivendo esse período de mudanças novamente – em que a comunidade irá se dividir entre os que preferem as mecânicas atuais, e os que preferem as anteriores.

No entanto, é fato que a franquia precisa se posicionar e decidir um foco, e quando pensamos em lucro, é importante citar que para um game se manter relevante, ele precisa seguir as tendências do mercado e continuar atraente para os velhos e novos jogadores.

Nesse sentido, esperamos que a Capcom não tenha medo de inovar e arriscar para entregar não a experiência que nós queremos, mas a experiência que precisamos e não sabemos.

Resident Evil 2 Remake é um clássico icônico que está marcado pra sempre na memória de quem quiser rejogá-lo quantas vezes for preciso, no entanto, um Remake precisa não só relembrar, mas renovar algo que já é adorado à ponto de criar uma nova obra-prima.

 

  • Eduardo Andrade

    ACHO QUE GRAÇAS A DEUS NÃO HA ESTA POSSIBILIDADE, VISTO QUE JA TEM O RESIDENT EVIL THE DARKSIDE CHRONICLES

    • Alef Kun

      Só que Darkside é um jogo mal feito

      • Eduardo Andrade

        DESCULPE, MAS NÃO ACHO NÃO

  • Ethan Winters

    um novo RE em primeira pessoa, é legal e divertido (COMO O RE7), E QUEM SABE SE ADAPTAR VAI GOSTAR… agora, RE2 em primeira pessoa? tá brincando não é?, primeiro que não combina, segundo que vai acabar com todo o clima original, e terceiro que tem quem que ser algo parecido com um REMAKE, e não perder o ar de ”Estou voltando no tempo”, então… RE2 EM PRIMEIRA PESSOA NÃO COMBINA NEM UM POUCO e nem se quer 3ª pessoa over The Shoulder do RE4. re clássico SÓ COMBINA COM 3ª pessoa câmera fixa. Resumindo, 1ª pessoa não combina e 3ª pessoa de RE4 também não, TEM QUE SER CLASSICÃO. 1ª pessoa pode continuar de RE7 pra frente, mas REMAKE? nem fodendo… É ISSO

    • Andre Iack

      Concordo totalmente com vc, até porque lugar de inovar não é em R-E-M-A-K-E, pra isso já temos o Darkside Chronicles que nos forneceu um gameplay “alternativo” de RE2.

      E se você não se importar, só pra acrescentar ao seu comentário: No Remake do RE2 a câmera fixa é uma obrigação, mas se for igual a do Code Veronica seria uma PERFEIÇÃO!

    • Ricardo Maidel

      Cara, o seu comentário foi muito incisivo e direto; NÃO FODAM COM UM JOGO ORIGINAL. Qualquer remake tem um pequeno espaço pra mudanças, assim como ocorreu com o re1. E isso é muito bem vindo… mas não pode mudar a história ou a “cara” do jogo. A realidade virtual é o futuro dos jogos, então não há como fugir dessa imersão em primeira pessoa. Faça isso com novos jogos. Mas deve haver o respeito sobre um ícone da franquia. Deve-se manter a originalidade da obra, antes de se pensar em lucro.

      • Ethan Winters

        Era isso que eu tava tentando falar cara. Valeu!

    • Ethan Winters

      O que eu tentei falar é que, ”RE2 REMAKE NÃO É UM JOGO NOVO” exemplo: vai ter mecânicas novas, coisas novas, MAS tem que ter o espirito de RE2 ali, a câmera clássica é um desses espíritos. é um jogo velho mas com adições e gráficos novos. se eles já tiveram a ideia de RE2 ser em primeira pessoa e um jogo novo completamente diferente e descartaram, FICO FELIZ, mas esperaria eles fazerem isso em um RE8. RE8 PODE SIM SER UM RE2 ”ALTERNATIVO” (ASSIM COMO RE7 É UM RE1 ”ALTERNATIVO”) é um novo jogo, ISSO QUALQUER UM SE ADAPTA. mas agora, pegar um jogo velho como RE2 e ter merda nenhuma do original, PRINCIPALMENTE A CÂMERA? EU METO PEDRA NA CAPCOM SEM DÓ SE ELES FIZEREM ISSO.

  • ratStar

    Legal a matéria. É interessante já ir discutindo sobre, pra galera manter as expectativas sob controle e futuramente não chover tanto hate. Eu sou da turma que prefere que a Capcom “jogue seguro” e faça algo aos moldes do REmake1. No entanto, se não for do jeito que eu idealizo (e isso é bem provável de acontecer), eu não farei disso o fim do mundo. Se eles fizerem em Over the Shouder ou em Primeira Pessoa, que façam bem feito. O mais importante pra mim é manterem a essência de RE2 (e não transformarem em um jogo de ação pura).

  • Marcos Vinícius

    Não quero nem imaginar Resident Evil 2 em primeira pessoa, seria o cúmulo da escrotice.
    Do 7 em diante, beleza, mas não MECHAM

  • Anthony

    Ué, coloca opção de 1ª e 3ª pessoa, até GTA que é muito mais complexo tem essa opção.

  • Marcos Vinícius

    Resident Evil 2 em primeira pessoa seria o cúmulo da escrotice.
    Do 7 em diante, beleza, mas não MECHAM nos clássicos desse jeito, tem que RESPEITAR a palavra REMAKE, assim como aconteceu no primeiro game.
    Para vocês verem como as coisas estão ”brabas” para a Capcom, a gente tem MEDO dela fazer cagada em um simples Remake. O pessoal deveria se sentir mais ”seguro” porque sabemos como um REMAKE funciona.
    E convenhamos, todos nós estamos loucos para ver Leon e Claire em alta definição com os gráficos de ponta atuais, coisa que a câmera em primeira pessoa não proporciona.

    • Você está enganado. Aconselhamos a dar uma olhada nesse vídeo: https://residentevil.com.br/videos/ask-revil-14-qual-diferenca-entre-remaster-remake-e-reboot

      • Marcos Vinícius

        Enganado aonde ?
        Eu sei a diferença entre Remake, Reboot e Remaster (esse que antigamente era conhecido como ”HD Edition”).
        Eu só quero que a Capcom faça o mesmo trabalho que ela fez no primeiro Remake (do 1). Quem sabe eles tenham alguém criativo naquela empresa e nos surpreendam com alguma ”novidade”, porem, estamos falando da Capcom (que mal conhece os fãs e se enrola para uma DLC), oi Not a Hero !

        • “tem que RESPEITAR a palavra REMAKE, assim como aconteceu no primeiro game.”

          Câmera em primeira pessoa não tiraria a característica de um remake. Agora, cuidado como se expressa, porque essa postagem é imparcial e não defende o que deve ou não ser feito.

          • Marcos Vinícius

            ”Câmera em primeira pessoa não tiraria a característica de um remake.”

            Depende, dava pra jogar Resident Evil 2 original em primeira pessoa ? Então… Qualquer mudança, já seria motivo de choradeira, foi assim no 4, agora no 7 … A grande maioria espera demais do 2 (seu Remake, segundo alguns, vai salvar a franquia), qualquer tropeço, vai gerar mais uma ”guerrinha” entre os fãs.

            ”Agora, cuidado como se expressa, porque essa postagem é imparcial e não defende o que deve ou não ser feito.”

            Eu sei, não me entenda mal, é que eu costumo ver debates dos ”especialistas” (YT, por exemplo) logo … Para ”eles”, Resident Evil deveria ser um coisa para sempre, enfim … ^^

          • Seguindo essa lógica, era mais fácil então terem anunciado um Remaster, como foi feito com Crash Bandicoot – o mesmo jogo, apenas com novos gráficos. Eu entendo que muita gente queira um remake com câmera clássica, ou a por cima dos ombros de RE4, mas a intenção da minha discussão é preparar o campo para a outra possibilidade que querendo ou não, está aí e temos que encará-la.

            Mesmo se o jogo tivesse a câmera cinematográfica de GTA V mas tivesse a mesma história, personagens e locais, ainda seria um remake.

            Não sabemos nada do jogo, só resta aceitar que estamos no escuro e que toda possibilidade é real.

          • Nando Fiurst

            não tiraria a caracteristica, mas tiraria toda essencia de um RE classico, tipo para min particularmente, talvez para outros não

  • Eva4Ever#ThankYouEva

    Acredito que como a campanha principal já é imersiva o suficiente mesmo em câmera estática não tem muita necessidade de se colocar em 1 pessoa, talvez em algum modo extra eles coloquem a opção de selecionar a câmera em 1 pessoa pq eles já fizeram isso antes no Code Veronica no Battle Game, e tipo a gente meio que já experimentou o RE2 em 1 pessoa no DC, mas é burrice pensar que a Capcom não vai utilizar a Realidade Virtual de algum modo no RE2, minha aposta é algum modo extra.

    ´´Resident Evil 6 e Resident Evil: Revelations 2, genéricos e sem muita personalidade.“
    https://i.imgur.com/NC63bRa.gif

    Deus tá de olho nesse Shade

  • Não acredito que eu desenvolvi Resident Evil 2 Remake em primeira pessoa. 😛

    Agora falando sério – leiam com atenção. Em momento algum afirmamos o que vai ser ou o que não vai ser no game que ainda nem trailer tem. O intuito do vídeo é criar um debate saudável sobre o assunto que querendo ou não, merece a nossa atenção, pois podemos estar passando por mais uma reforma na franquia. Se você entende o quão relevante esse assunto é, esse vídeo é pra você!

  • Nightmare

    A Capcom já viu que deu errado a camera em primeira pessoa em resident evil 7, só falta repetir essa cagada no remake do resident evil 2…

    • Nightmare

      Acho que o mais próximo que a Capcom chegou dos jogos antigos foi o revelations, acho que ela podia fazer o 2 com mais de um tipo de camera, como no resident evil remake que tem a camera fixa e uma camera mais atual…

      • Wesley Guedes

        No caso, o primeiro revelations lembra mais os jogos antigos, mas o RE7 me lembra bastante o RE1.

        • Nightmare

          A Ambientação do 7 é excelente, só que eu não acho o jogo tudo isso que estão falando.. pra mim resident evil 7 é um jogo ok, bem previsivel, mas ainda sim um bom jogo… só que espero que eles usem como base o revelations, mas com algumas mudanças, em um futuro resident evil 8… mas o remake do 2 pra mim teria que ter opção de camera, a camera fixa e movimentação tanque, e uma camera e movimentação mais moderna, assim conseguiria atrair tanto os jogadores mais antigos da serie quanto os mais novos.

          • Wesley Guedes

            Pelo seu comentário eu percebo que esse resident sofre de algo que eu carinhosamente chamo de síndrome de breaking bad: a obra é muito boa, porém de tanto o pessoal falar ela perde um pouco do seu brilho e qualidades e parece que as partes mais fracas/ ruins ganham mais força. Mas não me admiro disso acontecer, RE7 é o próximo jogo enumerado após o RE6 que é um resident e até mesmo um jogo em si beeeem fraco, acho até natural o pessoal falar tanto desse re7. Quando você diz para eles se basearem no revelations, você diz mais no primeiro né? Porque o 2 pelo menos eu vi como um re 4 mais contido e com verba limitada. Eles fizeram isso que você falou da câmera nesse remaster do remake, eu acho que é certeza que vão fazer isso no remake do 2 e eu vou até além disso: eu tenho uma enorme curiosidade em saber como esse jogo ficaria em primeira pessoa feito pela própria capcom.

          • Nightmare

            Eu falei do primeiro revelations mesmo… eu sei que esse jogo tem seus defeitos, mas é o que mais me lembra os jogos classicos da serie… Agora sobre o resident evil 2, quanto menos mexerem melhor… é muito perigoso a empresa pegar um game que tem uma legião de fãs e fazerem muitas mudanças.. um exemplo disso é o final fantasy 7, que quando eles divulgaram um trecho de gameplay, os fãs arrebentaram a square por que parecia mais um hack and slash do que um rpg de ação, tanto que a square teve que voltar atrás e dizer que o jogo teria uma jogabilidade um pouco deferente do que foi mostrada… e isso serve pro resident evil 2, mexer pouca coisa, como a opção de cameras que eu citei, e graficos de nova geração, é só isso o que os fãs querem desse remake.

      • Hugo Souza

        Eu acho os Revelations fracos, especialmente porque, para mim, destruíram a Jill e a Claire, além dos enredos serem muito boring, mas tinham potencial, se o Revelations 1 tivesse sido projetado direto para os consoles e o 2 tivesse um orçamento maior talvez seriam jogos melhores.

        Sobre a câmera do remake: este provavelmente vai acabar sendo o fator decisivo da compra de muitos fãs, pois são muito sensíveis quanto a isso, Meu Deus do Céu. A fanbase do God of War não pirou na batatinha quando mudaram a do novo. Mas voltando ao assunto: a melhor escolha para a Capcom seria eles colocarem opção de escolha de câmeras para o game, assim agradariam os fãs raízes, os novos e os nutellas. Agora se for para eu escolher uma escolheria a fixa, mas com uma atualização pois para mim ela está muito defasada e mais atrapalha do que ajuda (eu to cansado de ser surpreendido por zumbi por causa de possição ruim de ângulo), uma câmera estilo Until Dawn seria o ideal para mim pois se adapta ao gameplay e é cinematográfica.

        Remake com câmera fixa e uma mais atual, onde tem isso?

    • Hugo Souza

      Errado aonde, fio? Só fãs mimimizentos que recalamam.

      • Nightmare

        É só ver as noticias sobre o game.. mais de 90% dos fãs antigos da serie reclamaram dessa camera… mudar o estilo de camera de 3° pra 1° pessoa é a mesma coisa que pegar um game como Call Of Dutty e transforma-lo em um jogo de terceira pessoa, é uma mudança que eu acho bem radical, e não acredito que ela vá arriscar de novo em resident evil 2 remake ou em um futuro resident evil 8…

        • Hugo Souza

          Você só repetiu o que eu disse: fãs mimizentos. Se eles parassem de chorar pela mudança da câmera e jogassem o jogo realmente não estariam fazendo comentários extremamente estúpidos, pois o jogo é um Resident Evil em sua essência, o terror e o survivor estão lá, câmera nenhuma atrapalha isso.

          • Nightmare

            Todos os games em primeira pessoa que eu joguei o personagem principal é totalmente descartavel, e resident evil 7 é a mesma coisa, Ethan é um personagem totalmente sem sal, aliás passei o jogo inteiro sem me importar com ele, e ter um personagem principal com um desenvolvimento ruim principalmente em um jogo de terror é horrível, quando jogo um game, principalmente de terror eu quero conhecer mais o personagem que eu controlo, me importar com ele… e o resident evil 7 não é ruim, mas também não é a 8° maravilha do mundo, é um jogo bem Ok, tem mais referencias do que originalidade, a capcom jogou no seguro, viu qual era a nova moda dos jogos de terror, e apostou nisso.

          • Nightmare

            Além de que teve momentos que eu não sabia o que estava jogando, pois embora tenha uma ambientação bem parecida com a do primeiro jogo, é um game bem diferente…. fora que a capcom não está em um bom momento, então ela decidiu apostar na nova safra de jogos de terror, que são jogos de terror psicológico em primeira pessoa pra capcom tentar se reerguer…

          • Hugo Souza

            Então tu não jogou Bioshock até hoje, né?

            Ninguém está dizendo que o game é a 8ª maravilha do mundo, o que importa mesmo é que os elementos que consolidaram a franquia estão no game, e carisma baixo de personagem algum ou mudança de câmera pode tirar isso do game, aliás penso que TALVEZ a pouca presença da personalidade Ethan seja provavelmente para dar a impressão que nós somos o personagem principal, pois isso funcionou com um amigo meu, como você pode ver em Slender o personagem que você controla nem fala pois é justamente para você se por no lugar dele.

            Enfim, sim, eu acredito que algumas das mudanças em RE7 foram estratégicas, a câmera por exemplo, 99,99999% dos games de terror são de 1ª pessoa, tipo que os youtubers adoram (publicidade de graça), e ainda por cima o game praticamente lançou o VR, isso é mais um boost de vendas, e como zumbis já estão ficando muito saturados trouxeram os digníssimos Bakers S2, além de trazer uma pouco de “terror psicológico”, mesmo sendo explicado no game que eram apenas alucinações.

          • Nightmare

            Eu realmente nunca joguei Bioshock, já ouvi falar muito bem do game, mas nunca me interessei, quem sabe um dia eu pegue pra jogar… Sobre isso da gente ser o personagem principal é o que mais me incomoda em um jogo em primeira pessoa.. quando eu jogo um game, principalmente de terror, eu não quero ser o personagem, e sim conhecer o personagem, saber sobre a estória dele, e os conflitos dele… mas isso vai de cada um, tem gente que gosta de ser o personagem principal. E sobre isso do jogo ter a camera em primeira pessoa por publicidade de graça eu concordo com você, a capcom tá precisando de grana, então resident evil 7 tem vários elementos de outros jogos que estão na moda hoje em dia pra vender… e esse terror psicologico em algumas partes eu não curti não… mesmo sabendo que era apenas alucinações, mas isso foi apenas uma desculpa da capcom pra colocar terror psicologico no game, já que no teaser jogavel as pessoas estranharam um game com o nome resident evil com terror psicologico… gosto bastante da ambientação do 7, foi o que mais se aproxima dos primeiros jogos da franquia, mas mesmo assim espero que eles usem o revelations como base, que a capcom pegue o que deu certo no resident evil 7 e junte com o que deu certo no revelations pra criar um novo game, talvez um futuro resident evil 8.

          • Nightmare

            além de que eu sinto falta de jogos de terror em terceira pessoa, já que a maioria dos jogos de terror hoje em dia é em primeira pessoa, um tipo de camera que eu não curto, além de que eu já enjoei desse tipo de jogo, pois todo ano lançam trocentos games de terror em primeira pessoa..

  • Gustavo Dória Costa

    A MELHOR ADIÇÃO pra esse Remake são banheiros.Sim,banheiros!Onde já se viu uma delegacia de polícia sem banheiros?Os policiais usam fraldas?Cagam na latinha?Hoje no globo repórter

    • Walisson Silva
    • Hugo

      Com certeza eles vão inserir algumas novas localidades como no RE Remake.

    • Hugo Souza

      Nunca parei pra pensar nisso…

    • Kyle Reese

      A verdade, Gustavo, é que o layout dos cenários da franquia Resident Evil sempre foram estranhos. Nunca achou estranho que no meio da cidade há portas que te levam a outra parte da cidade?

      O layout de Raccoon City não faz sentido algum.

      • Gustavo Dória Costa

        Ou eu achar uma BATERIA DE CARRO atrás da estátua do prefeito…ou o esgoto da delegacia ter uma porta que abre com PEÇAS DE XADREZ que na verdade são chips…quem projetou essa cidade andou jogando muito point and click

    • Rivershield

      Bem observado kkk

  • Douglas

    Eu achei um ótimo vídeo….são todas teorias plausíveis ….Porém eu acredito que o fato de Resident evil 2 ter sido um dos títulos mais amado e preferido de muitos ( no meu caso foi RE 3 : nêmesis…..e sinceramente,espero do fundo do coração que esse jogo ganhe um remake ) e o fato de muita,mas muita gente mesmo não ter curtido RE 7 pelo fato de ser em primeira pessoa…sem contar toda a ansiedade e expectativa que as pessoas estão depositando nesse remake,eu duvido muito a Capcom arriscar em por o jogo em primeira pessoa…..sinceramente,eu espero e torço muito para que seja em terceira pessoa,mas eu ficaria feliz se viesse com a OPÇÃO de ter a camera em primeira pessoa…pois certamente seria tbm uma experiência muito bacana jogar com PSVR….enfim,pra resumir……PREFIRO EM TERCEIRA PESSOA….MAS CURTIRIA MUITO SE TIVESSE A OPÇÃO DE TER TBM A PRIMEIRA PESSOA COMO OPÇÃO DE CAMERA….era isso,grande abraço a todos que lerem !!

    • Hugo

      Se o remake do 2 estourar, com certeza haverá o remake do 3.
      Lembrando que a capcom já disse antes que pretende investir em remakes de grandes séries então vem coisa boa por aí.
      Mas remake do 3 se houver mesmo, só na próxima geração.

      • Douglas

        Tomara cara…certamente ira demorar,mas so de saber que podera sair,ja é algo !! hehe…abraço !!

        • Hugo

          Depois do remake do 3, eu aguardo por um remake do Dino Crisis.

          • Douglas

            Mano,sei que é louco( pelo que soube,o projeto foi cancelado..)…mas ainda sonho com o silent hill…hehe

  • Hugo

    “Um remake precisa não só relembrar, mas renovar algo que já é adorado a ponto de criar uma nova obra-prima”.

    Resident Evil Remake não seguiu á seco esse padrão e fez sucesso.

    • Wesley Guedes

      Na citação que você fez tá falando sobre inovar, coisa que foi bem feita no remake (ex dos Crimsons head). Queria saber o que eles poderiam adicionar no RE2 para seguir uma linha que nem o do primeiro remake, mas acho meio difícil.

    • Douglas

      Cara,eu gostaria que nesse remake houvesse novas localidades …como uma extensão maior das ruas…novos inimigos e uma ligação direto com os eventos de RE 3…..Principalmente na RPD….tipo…algum sinal da passagem da Jill por la….algum dano causado por nêmesis em alguma localidade dentro da RPD ( pois os acontecimentos de metade de RE 3 acontecem antes dos acontecimentos de RE 2 ) e decisões que influenciassem de alguma forma no destino dos personagens ao longo do jogo como no remake do primeiro RE,onde vc pode ou não salvar o Barry entregando ou não a arma pra ele na luta contra a Lisa.Acho que ficaria demais dessa forma !

    • Kyle Reese

      O Remake do primeiro game é diferente do primeiro jogo, mas ao mesmo tempo é igual.

      Foi um Remake perfeito, pois manteve a essência do original, mas adicionou novo conteúdo..

      • Andre Iack

        Eu diria que ele na verdade foi igual sim, mas um igual que manteve tudo o que o original tinha com adições, não substituições. Acho que a única parte que realmente foi substituída de uma maneira mais evidente em relação ao original foi a parte da biblioteca onde tem uma porta que dá pra uma sala com uma janela que dá vista para o heliporto da Umbrella, mas isso não tirou nem um pouco a fidelidade da adaptação até porque essa pequena alteração não é considerada algo icônico/marcante do jogo original, de resto só ocorreram adições que expandiram o jogo em vários aspectos, o que fez ele superar o original com muita facilidade, pelo menos eu acho ele muito melhor do que o RE1 original. Se por acaso o Remake do RE2 vier com uma câmera diferente ele estaria fazendo uma substituição(de uma característica muito icônica/marcante!) e eu torço pra isso não acontecer, seguir a linha de adaptação do primeiro Remake é a “fórmula” ideal pro RE2 REMAKE.

        • Marcos Vinícius

          Isso que você citou sobre o 1 me lembrou de certos cenários do 2, como esse:
          https://uploads.disquscdn.com/images/44eca5491f807e3c2ddadba0b9cb4ee597993d3da6c1a8fbb6050b1a3188a6f1.jpg

          Aquele fundo preto, só esta assim devido as limitações do PS1 (ou da época). Agora, com a tecnologia atual, eles podem adicionar cenário em volta (creio que essa parte da imagem, é por fora da delegacia e ali ao lado em preto, seria algum beco ou rua)… Ou seja, eles podem muito bem adicionar zumbis passeando ou quem sabe, um local vazio com algum civil fugindo…

          • Andre Iack

            Sim, isso que você mencionou seria um exemplo perfeito de “mudança” que não anularia o original mas sim o melhoraria acrescentando novidades e ao mesmo tempo mantendo o que já existia. Esse conceito poderia ser aplicado a várias características marcantes existentes no jogo original na adaptação para o Remake.
            Outros exemplos interessantes seriam também a adição de novas salas e de banheiros na R.P.D.

          • Kyle Reese

            No Outbreak 2 colocaram zumbis no lado de fora dessa área.

            Achei que ficou legal, mas como haviam vários zumbis, um policial atirando neles e os protagonistas do jogo, o cenário acabou perdendo seu clima sombrio.

            Comparem o mesmo cenário no Resident Evil 2 e no Outbreak 2 e verão do que eu estou falando.

          • Andre Iack

            Sim, mas no caso do RE2 REMAKE bastaria não haver os policiais sobreviventes atirando nos zumbis que o clima continuaria sendo sombrio mesmo com a implementação de zumbis do lado de fora e com um cenário um pouco mais claro, porém mantendo o mesmo clima noturno, fico imaginando esse cenário da foto no RE 2 REAMKE com uma lua cheia ao fundo (na parte onde só tem um background preto).

  • Max

    O Remake de RE2 tem que ser o mais fiel possível ao jogo original, assim como foi o Remake do primeiro Resident Evil. Não sou contra o jogo ter câmera em primeira pessoa desde que seja opcional.

  • Renan José Pereira

    Aqui vai a minha opinião a respeiito do RE2 Remake:
    Eu gosto do RE2 com a sua mecânica antiga. Terceira pessoa, câmera fixa e tudo mais.
    Se fosse ver o MEU gosto RE2 deveria ser igual o primeiro RE Remake.
    Eu acredito que esse comentário sobre RE2 ser em primeira pessoa tem uma grande chance de não acontecer. Porque?
    Por se tratar de um game com a temática ZUMBI.
    Pensem bem….
    A Capcom já lançou o RE Survivor no PS1 e depois lança RE Dead Aim que altera a mecânica de gameplay com visão em terceira e primeira pessoa.
    Analisando esses dois games porque RE Dead Aim teve essa mudança?
    O jogador via o Zumbi AGARRAR E MORDER o personagem no RE Survivor?
    Em RE Dead Aim o game tinha que ser em terceira pessoa até que se resolva atirar para ver isso.
    Agora imagine RE2 em primeira pessoa com os Zumbis mordendo só a mão ou o pé do jogador?

    • Héricles Albuquerque

      Se RE2 for como RE7 o jogador vai ter o corpo todo, não só a mão e o pé, você só não ia conseguir ver se fosse pego pelas costas, o que é ótimo.

      • Renan José Pereira

        Como ainda não tenho um PS4 e quero jogar o RE7 não vi muito do seu gameplay. Se há esse tipo de percepção eu não sei. Minha opinião se baseou pelos jogos antigos e outros jogos de primeira pessoa que eu joguei.
        Valeu!

  • Héricles Albuquerque

    A jogabilidade de Resident Evil 7 deixou uma imersão muito maior que a dos jogos anteriores, poder ver e ouvir através dos olhos e ouvidos do personagens influencia muito nisso, mas acho que Resident Evil 2 Remake tem que ser em terceira pessoa simplesmente por ser Resident Evil 2.

    • Nightmare

      Por mais que eu goste de resident evil 7, eu fiquei mais tenso jogando o 2 com aqueles graficos do ps1 do que o 7 com a camera em primeira pessoa, mas ainda acho o 7 um bom game, por mais que eu não goste desse tipo de camera…

      • Héricles Albuquerque

        Pra mim é uma questão de costume, na época que eu joguei Resident Evil 2 eu era novo e não tinha muita experiencia com jogos de terror e survival horror, basicamente só tinha jogado Resident Evil e Silent Hill antes de RE2, então o efeito do jogo era maior… Resident Evil 7 não causou o mesmo efeito de quando joguei os primeiros pela primeira vez, mas conseguiu dar medo, já quando joguei RE Remake pela primeira vez não foi tão tenso e talvez por isso acho que os Revelations são como o 5 e o 6 sem a ação, porque não tem terror nenhum, RE7 ainda causou medo por ser algo novo e ter uma imersão maior que os anteriores, acho que se ele fosse em terceira pessoa não seria tão bom.

        • Nightmare

          O Resident evil 7 não conseguiu me causar tanto medo assim… e olha que o também joguei uma parte com o oculos no ps4( não o Vr, um outro oculos que não tem 3D), não sei por que mas em pleno 2017 eu ainda jogo resident evil 2 e ainda sinto a mesma tensão que sentia quando jogava esse game aos 7 anos, já o 7 me deixou tenso em algumas partes, mas por eu achar ele um pouco previsivel acabou não me deixando com tanto medo assim. E sobre esse negócio de jogo de terror em primeira pessoa dar mais medo do que jogo em terceira pessoa eu não acredito muito não… Silent Hill 1 e 2 me dão mais medo que todos os jogos de terror em primeira pessoa que joguei.

  • Blizza

    Não senhor
    Remake é remake, não vai querer inovar ou implementar o novo em um tributo. O máximo é justamente novos cenários e aquela coisa toda do primeiro Remake mas a mecânica inteira deve fazer jus ao nome remake

  • Rodrigo Zika!

    Vai ser igual os outros, não tem porque ser diferente, pessoal chorão mds kkkkkkkk

  • Dannilo

    É impressão minha ou tem gente considerando que o sucesso, ou “sucesso” de resident evil 7 é um indício de que o jogo deve ser em “primeira pessoa”?? O texto é muito subjetivo, ok, mas não tentem fazer isso ao público, pq a maioria esmagadora de fans de Resident evil e não uma “PARCELA” querem o jogo aos moldes ou dos antigos, ou que pelo menos se possa enxergar os personagens, falando então em terceira pessoa! Não venham com essa, a aceitação de RE 7 foi devido a outros aspectos, não somente a câmera em primeira pessoa, pq se vc faz re 7 em primeira pessoa aos moldes de re 6, estaríamos vendo a capcom falindo de vez!

    • O texto é claro pra quem sabe ler e quer entender: estamos falando de possibilidades.

    • Bruno Reis

      Comentário perfeito Dannilo!

  • Wesley Guedes

    O re2 remake tem quem seguir uma evolução natural do que foi o remake do primeiro, mas só pelo título me gerou uma grande curiosidade em como seria RE2 em primeira pessoa (feito pela própria capcom, sem mods).

  • Chosen Undead.

    É só darem opções, ao invés de empurrarem goela abaixo a ideia deles.
    1° pessoa pra quem quiser e a câmera clássica/estática pra quem preferir o modo clássico.

  • GTR TELEFONIA

    ainda estou na dúvida qual sai primeiro ,esse remake ou um sillent hill kkkk

  • Guilherme Rodrigues

    Na minha sincera opinião, se o remake do Resident Evil 2 vier em primeira pessoa será uma grande merda, a pior coisa que a Capcom poderia fazer. Eu odiaria com todas as minhas forças, mais que os haters de Resident Evil 7. Eu não diria nada se a perspectiva em primeira pessoa fosse uma opção, possibilitando alternar entre câmera clássica e primeira pessoa. Poxa, é um remake, não consigo ver sentido a Capcom escolhendo a câmera sendo em primeira pessoa. Não acredito na possibilidade do remake ser em primeira pessoa de qualquer maneira.

  • Fábio Firmino

    Nããããããooooooo!!!!!!!!!………..

  • Daniela Naomi Camparis

    Na minha opinião um Remake do Resident Evil 2 não é a hora da Capcom ousar, pelo contrário, é o momento dela jogar bem seguro pois é um título muito icônico na franquia, que mexe com a nostalgia de milhares de pessoas. Eu adorei a primeira metade do Resident Evil 7, mas acho que o estilo em primeira pessoa não cabe nesse novo título. Acho que é possível trazerem o terror em terceira pessoa, assim como fizeram nos clássicos. Sem contar que Leon e Claire são personagens que possuem muito carisma entre o público, eu detestaria jogar sem poder ver a reação deles, a cara de susto da Claire ao cruzar com o primeiro Licker.

  • Kyle Reese

    Eu sempre sonhei com um remake de Resident Evil 2 nos moldes do primeiro, ou seja, mantendo a câmera e jogabilidade clássica, mas adicionando novo conteúdo, como novas áreas, inimigos, puzzles, etc.

    Poderiam até aumentar as áreas externas, ou seja, a caminhada pelas ruas antes de chegar na delegacia.

    Se o jogo for em primeira pessoa eu posso até jogar, mas não será a mesma coisa.

    • ratStar

      Acho que é quase consenso que todos preferem nesses moldes aí que você falou. Com câmera clássica ou no estilo Code Verônica. Seria perfeito!

      • Kyle Reese

        E qual a diferença da câmera clássica para a do Code Veronica?

        A única diferença que me lembro é o giro em 180 graus (implementado em Resident Evi 3 Nemesis) que o personagem pode realizar.

        • Andre Iack

          As duas possuem o mesmo estilo (ambas são cinematográficas), a diferença é que a “clássica fixa” É totalmente travada e a “clássica Code Veronica” possui uma certa mobilidade, ela acompanha o personagem de um modo sutil.

          (RE2) Clássica Fixa

          https://www.youtube.com/watch?v=GK4vPIVsdZo

          (RE:CV) Clássica Code Veronica

          https://www.youtube.com/watch?v=nmhw_Dcqz64&feature=youtu.be&t=653

          https://youtu.be/nmhw_Dcqz64?t=734

          • ratStar

            Obrigado por responder. É exatamente isso. Além disso os cenários de CV são totalmente em 3D e não pré renderizados.

          • Andre Iack

            Sim, até porque seria impossível implementar esse tipo de câmera em cenários pré renderizados. Um movimento de câmera mais dinâmica também foi implementado de maneira similar na remasterização do primeiro Remake, mas como os cenários são fotos renderizadas a mobilidade se limitou apenas a movimentos 2D : cima, baixo, direita, esquerda.

            (RE:HD REMASTER) Câmera clássica com movimentos 2D

            https://www.youtube.com/watch?v=nLwZFeAauM8&feature=youtu.be&t=4731

          • ratStar

            Legal! Não tinha parado pra pensar nisso! Outro jogo da Capcom que dá pra perceber a diferença nítida entre cenário 3D e pré-renderizado é Dino Crisis, onde DC1 (3D) e DC2 (p-r). Tem Onimusha também, onde Onimusha 1 e 2 (p-r) e Onimusha 3 (3D). Acho a técnica “3D clássica” (se é que podemos chamar assim) o melhor dos dois mundos. Os Silent Hills clássicos (1 ao 4) utilizavam muito bem esse estilo, mas neste caso a câmera era mais livre, sempre acompanhando o personagem (mas, ainda assim, sem ser Over the Shoulder). Eu curtia muito.

          • Andre Iack

            Entendi o que você quis dizer e concordo contigo, se vc reparar bem a câmera dos Silent Hills clássicos pareciam uma mistura da câmera do Dead Rising com a câmera do RE: Code Veronica porque elas acompanhavam os personagens pelas costas (só que sem ser em Over The Shoulder, pois a câmera era mais afastada, assim como a do Dead Rising) e em outros momentos ela mostrava o personagem de ângulos mais cinematográficos, porém sem ficar travada em um ponto só assim como era a câmera do Code Veronica.
            Particularmente acho que os Silent Hills clássicos tinham o sistema de câmera para jogos em terceira, principalmente para games de horror, mais legal que eu já vi.

          • ratStar

            Exato, ainda bem que vc entendeu o que eu quis dizer. Eu também achava o sistema de câmera dos SHs clássicos o melhor! E, ao contrário do que muitos pensam, o campo de visão ampliado (e não limitado), com você vendo praticamente tudo ao seu redor, não deixava o jogo menos aterrorizante (muito pelo contrário rs). Mas é pq Silent Hill tinha uma atmosfera aterradora tbm…

          • Andre Iack

            Sim, e além do mais existe um outro fator muito importante relacionado aos games de survival horror que é a estética (principalmente dos cenários), os games de horror sempre prezaram pelo visual, especialmente se tratando dos games de horror japoneses, nos quais estão inclusos os próprios RE clássicos que tinham um visual até mais nipônico do que os dos RE lançados mais recentemente.
            Antigamente eu até era mais fechado em relação a outros tipos de câmera nos games da franquia Resident Evil, mas hoje em dia reconheço que é necessário aceitar mais variedades nesse sentido se tratando dos novos jogos que ainda virão, apesar de eu ainda gostar mais das câmeras clássicas, mas quanto ao RE2 REMAKE eu não conseguiria aceitar uma mudança tão drástica assim na câmera, sinceramente eu não consigo imaginar um outro sistema de câmera que não seja a cinematográfica naquele cenário exuberante do R.P.D. Já estou até imaginando toda a beleza daquele cenário maravilhoso refeito com os gráficos dessa geração de todos os ângulos possíveis haha!

          • ratStar

            Kkkkkk Eu também curtia muito essa questão da estética e qualidade visual nos cenarios dos clássicos. Era gostoso explorar cada cantinho e ver cada detalhe (de Raccon por exemplo), os cenários não eram genéricos. Não querendo puxar sardinha pra nenhum estúdio ou empresa, mas hoje em dia, um dos únicos que se assemelham nesse quesito, são os jogos da ND. Tipo, você percebe um nível absurdo de Detalhes nos jogos deles, parece que cada elemento do cenário tem um porquê de estar ali, uma história pra contar, e você fica instigado pra saber mais e explorar cada canto. Parece que o cenário tem vida. Esse tipo de coisa, em jogos de terror/survival atuais, só senti em RE7, na propriedade dos Baker por exemplo. Até o Outlast tem muito cenário reciclado (tirando a expansão Whistleblower, que tem um cenarios bem legais, criativos e detalhados). Agora, Dead Space por exemplo, apesar de eu adorar o jogo, não tem essa questão da estética de cenários como ponto forte, você percebe muito cenário reciclado e parecido nos jogos (por isso tem aquele GPS pra vc literalmente não se perder…coisa que RE6 copiou porcamente).

          • Andre Iack

            É muito legal mesmo explorar um cenário cheio de vida e personalidade, inclusive a Capcom fez um belo trabalho ao acrescentar algumas coisas ao cenário da versão remasterizada do primeiro Remake, a versão do Gamecube já era maravilhosa, mas a versão HD tratou de melhorar ainda mais pondo novos detalhes de vegetação, entre outras coisas, e dessa vez algumas coisas até se movimentam em alguns cenários porque eles implementaram alguns elementos 3D neles.
            E eu entendo você quanto a sua preferência à ND, essa empresa de fato é uma das melhores da atualidade e sempre capricha nos seus trabalhos, não que outras não caprichem também, mas citar a ND como um exemplo é perfeitamente compreensível.

          • ratStar

            Eu só tive a oportunidade de jogar o REmake agora, em HD, e vou te falar…Pqp, que puta jogo lindo! E RE0 também!!! Só de pensar numa “Origins Collection 2”, com RE2 e RE3 nesse mesmo esquema, chego a ter orgasmos nerds rsrs

          • Andre Iack

            Hahaha! Tomara mesmo que um RE3 REMAKE aconteça! Tô doido pra ver o Nemesis com os gráficos da nova geração, mas no entanto, pra isso se tornar realidade a primeira coisa que tem que ser confirmada é se o Remake do RE2 vai realmente seguir as mecânicas do original pra ser fiel(como o Remake do RE1 foi) e fazer jus a esse clássico tão ovacionado pelos fãs e pela crítica, superada essa fase é só torcer pro jogo vender bem e a Capcom seguir o mesmo caminho no RE3. Torçamos pra dar tudo certo né…

          • ratStar

            É o que eu mais quero! Quando falaram do RE2 Remake eu fiquei super feliz pois assim um Remake do 3 se torna mais possível. Se os cabeças da Capcom tiverem o mínimo de inteligencia eles farão nos moldes do REmake pois já é uma receita de sucesso. E se o RE2 Remake for feito nesses moldes pode ter certeza que vai vender rios de unidades. Daí, RE3 remake será inevitável. Vamos torcer pra ocorrer tudo bem com RE2 que assim o remake do 3 é só questão de tempo.

            PS: to doido pra ver o Nêmesis aterrorizando a Jill em alta definição também. 😀

          • Douglas

            Cara,pensei a mesma coisa agora……ia ser demais mesmo !!

          • Kyle Reese

            Já que entraram no assunto, qual é a diferença entre cenários pré-renderizados e não pré-renderizados?

            Há anos que eu leio sobre isso, mas nunca entendi. Como é possível, por exemplo, diferenciar o cenário de Resident Evil 2 (pré-renderizado) do Code Veronica (não pré-renderizado)?

          • Andre Iack

            Bem, eu não sou um especialista mas vou tentar explicar com a linguagem que está ao meu alcance… cenários pré renderizados são fotos colocadas dentro do jogo para servirem de cenários, na verdade essas fotos foram modelos de cenários feitos em 3D, porém esse modelo 3D foi renderizado antes de ser colocado dentro do jogo, na verdade esse modelo 3D não está alí de verdade dentro do jogo, o que está no jogo é apenas a foto dele.

            Pense no seguinte exemplo: você constrói um cenário 3D dentro de um programa de modelagem 3D e depois em vez de usar o modelo 3D propriamente dito dentro do jogo você apenas tira um “print screen” desse modelo que você construiu e põe a “foto” dele dentro do jogo para servir de cenário, essa técnica era utilizada em alguns jogos antigos porque os cenários quando eram pré renderizados ficavam mais bonitos, se eles fossem renderizados em tempo real as texturas dele não ficariam tão bonitas e realistas quanto elas poderiam ficar quando eram renderizadas fora do jogo(ainda na fase de produção do game), é por isso que seria impossível por uma câmera dinâmica que se movimenta em 3D(em tempo real) dentro de um cenário que na verdade não passava de uma mera imagem 2D(ou seja, uma fotografia estática), tudo por causa da limitação gráfica/tecnológica da época. Hoje dia não se utilizam mais cenários pré renderizados nos games porque a tecnologia gráfica avançou muito e os games conseguem ter cenários muito bonitos e realistas mesmo sendo renderizados em tempo real.

            Em resumo:

            – Cenário pré renderizado: cenário 2D (uma foto). Que no caso dos RE clássicos passa a falsa impressão de ser um cenário em 3D.

            – Cenário renderizado(renderizado em tempo real): Esse é um cenário 3D de verdade e portanto é renderizado em tempo real.

  • Pedro Araujo

    RE5 Lost in Nightmares tem a opção da câmera Clássica e Over the Shoulder e é bem bom, apesar de ser um extra e bem curto.
    Bastava dar a opção e acrescentar a 1a pessoa, e esse assunto para quanto a agradar tais ou tais fãs estava resolvido .-. Nesse jogo funcionou a escolha das câmeras. E tem muitos outros games atuais em que se pode variar entre 1a e 3a, como Fallout e GTA.

  • Rivershield

    RE2 em primeira pessoa não vai rolar, a Capcom não é tão doida.
    Às vezes o REVIL é tão aberto a “novas possibilidades” que eu acho que não reclamariam se anunciassem RE2 Remake como um exclusivo pra VR, ou até mesmo se a Capcom decidisse transformar Resident Evil em um RPG de turnos.
    Mas xingamento não é argumento né? Então aqui vai minha refutação:

    – Nostalgia
    RE2 Remake, antes de tudo, é um fanservice, e o que os fãs querem é o mesmo jogo, só que melhorado. Portanto algo só pode ser mudado sob o pretexto de melhorar o que já era bom. Tais melhorias incluem principalmente os gráficos, mas melhorias na história e na jogabilidade são bem vindas.
    Fazer em primeira pessoa seria uma melhoria? Claro que não, seria uma alteração cujo objetivo seria mudar completamente a experiência. Pergunte a si mesmo se é isso que você quer.
    Se a resposta for não, então já deveríamos descartar a possibilidade de RE2 Remake em primeira pessoa justamente por que o fator nostalgia diminuiria em pelo menos 90%. Ao invés disso, o Revil inverte a situação comparando com RE7, que é um jogo com uma proposta diferente, cuja principal razão de ser em primeira pessoa é para revitalizar a série, afim de reavivar o interesse por ela e renovar sua identidade. Se isso funcionou ou não está aberto para debate, mas o fato é que isso não tem nada a ver com a proposta do Remake, que é justamente refazer o jogo para os fãs.

    – O Terror e A Câmera em primeira pessoa
    Fazer um jogo em primeira pessoa em um cenário escuro cheio de jumpscares, essa é a fórmula dos jogos de terror modernos. Uma fórmula preguiçosa se comparada à criatividade de Silent Hill ou da própria série RE. A principal desculpa para se fazer um jogo em primeira pessoa é tal sensação de imersão.
    É fato que imersão é uma NECESSIDADE quando se trata de jogos de terror.
    Mas a jogabilidade nunca foi o principal fator que determina a imersão de um jogo. Os principais fatores que determinam a imersão são:
    1>Atmosfera: o jogo cria uma atmosfera que é de alguma forma fascinante para o jogador, de forma que prenda sua atenção. Várias ferramentas são usadas para isso, mas a atmosfera de um jogo é especialmente ligada ao aspecto visual e sonoro.
    2>Enredo: sim, o segundo aspecto que gera mais imersão em jogos é o enredo. Pense bem, pq RPGs são considerados os jogos mais imersivos, isto é, os que possuem mundos e personagens mais fascinantes em comparação a outros gêneros? Pq possuem enredos mais vastos e complexos, com grande foco em desenvolvimento de personagens. Essa situação é semelhante, por exemplo, ao tipo de imersão causada por livros e filmes.

    Jogabilidades não são apenas mecânicas para fazer o jogo funcionar, podem também ser ferramentas usadas para alcançar esses fatores. A Câmera em primeira pessoa se usa principalmente do primeiro aspecto ao proporcionar um ambiente na perspectiva do jogador, colocando-o imediatamente dentro do jogo. Logo, essa artimanha cria facilmente um ambiente imersivo em um jogo de terror. É uma solução fácil para quem quer fazer jogos de terror, por isso os jogos de terror modernos (que são em sua maioria indies) fazem uso disso.

    Para alcançar o mesmo resultado, porém, um jogo em terceira pessoa precisa fazer extensivo uso do segundo aspecto, preocupando-se em desenvolver enredos e personagens cativantes e memoráveis. Isso é claro, somado com aspectos estéticos e sonoros.
    Como resultado, jogos em terceira pessoa possuem narrativas mais cinematográficas e possuem melhor desenvolvimento de personagens. Por isso, é mais fácil nos preocuparmos com personagens e enredo os jogos em terceira pessoa do que em primeira pessoa.
    Se vc se importa com um personagem, ou com o andar do enredo, isso significa que você está imerso, e esse tipo de imersão é mais difícil de alcançar, mas quando acontece é mais intenso do que mera imersão visual.
    Portanto, jogos em terceira pessoa tornam-se tão, ou até mais, imersivos que jogos em primeira pessoa.
    Se pararmos pra pensar isso teve papel fundamental no sucesso dos primeiros REs e de outros Survival Horrors de antigamente.

    Conclusão: Não é pq um jogo é em primeira pessoa que ele vai ser mais assustador que um em terceira pessoa. Tudo depende de COMO as ferramentas são usadas. Para muitos, Silent Hill 2, Rule Of Rose e etc ainda são jogos mais assustadores que Outlast e companhia.

    – A nova engine
    Engines realmente são algo complicado, e uma vez que engine de RE7 foi feita especificamente para rodar em VR, é entendível que os custos de adaptação para fazê-la rodar um jogo em terceira pessoa podem ser altos, principalmente para fazer rodar cutscenes em tempo real. Porém, uma vez que não sabemos os detalhes, nada impede que tais alterações sejam feitas.
    Se a Square Enix conseguiu fazer uma engine para jogos lineares (A luminous engine) rodar em um jogo de mundo aberto (Final Fantasy XV), a capcom consegue fazer um jogo em primeira pessoa rodar em terceira, o que parece bem menos complicado até.

    De qualquer maneira, é preferível que ela mude de engine do que fazer o jogo em primeira pessoa só por causa de uma limitação da engine atual.

    A Realidade Virtual –
    VR só iria ser vantajoso pra Capcom se ela conseguisse um contrato com a Sony, como aconteceu com RE7, e assim receber ajuda no desenvolvimento. De qualquer maneira, parece uma justificativa rasa para fazer um Remake em VR, uma vez que não há demanda para isso, e não há sequer uma grande demanda para o VR.

    – O que será melhor para esse Remake?
    Ser o mesmo jogo, mas com gráficos melhores.
    Claro, podem haver algumas alterações nos controles tanque, mas a opção tem que estar lá. Mais easter eggs, files e cutscenes e até mesmo alterações no enredo são bem vindas desde que sirvam para COMPLEMENTAR o material original, e não ALTERAR.
    Quanto a câmera, acho que tem que ser igual à original.

    Para finalizar, gostaria de dizer Resident Evil 7 não foi tão bem quanto o Revil faz parecer. O fato do jogo ter atingido as expectativas não muda o fato de que ele vendeu bem pouco em relação à media de vendas que a série costumava ter. Vejam esse vídeo (em inglês):
    https://www.youtube.com/watch?v=a7-Mx99kAsE&t=383s

    • Shark

      Excelente comentário, tá enchendo o saco essa modinha de que todo bom jogo de terror tem que ser igual a Outlast :/

      • Thiago Gonçalves

        Igual a Outlast tá a sua cabeça que vive fugindo da realidade.

        • Andrei Sokholov

          Fantasmas! Fantasmas everywhere!

    • Thiago Gonçalves

      Eu só discordo do final, se for assim REs que estão abaixo de RE7 em vendas também foram “mal das pernas”, inclua nisso RE remake, RE Zero, RE3, RE Outbreaks e os dois RE Revelations, o REVIL não fez parecer que o jogo foi bem, foram as vendas do jogo, até o fim do ano fiscal da CAPCOM o game tinha vendido 3,5 MILHÕES de cópias (3 meses), depois disso sim, as vendas do game floparam bonito.

      • Rivershield

        ” REs que estão abaixo de RE7 em vendas também foram ‘mal das pernas'”
        E eles de fato foram, se comparados a títulos numerados.
        O que eu quis dizer com a questão do número de vendas é que, pra um título numerado, RE7 vendeu pouco. Ora, nesse período de três meses, o jogo vendeu menos que RE5 e 6 na primeira semana! Logo, mesmo que ele tenha atingido as expectativas (ele na verdade não atingiu), o fato de que a Capcom tenha diminuído as expectativas de vendas em tamanha escala demonstra o caminho de insegurança que eles se forçaram a tomar com essa nova proposta.

        O que é mais interessante de se notar nisso tudo é que o HD Remaster do RE6 para a nova geração continua vendendo relativamente bem, mesmo com todas as críticas negativas.
        Me pergunto que tipo de mensagem isso está mandando para a Capcom. Pra mim estava claro desde o início que só o fato do jogo ser em primeira pessoa eliminaria a possibilidade dele alcançar a média do número de vendas da série antes disso.
        Goste ou não, é fato que fazer um Resident Evil em primeira pessoa é brochante pra caraio pra MUITA gente.
        Mas seria bom se os problemas do jogo se limitassem à câmera. Nem os mais aficionados a RE7 podem dizer que se trata de um masterpiece.

        Vc tem toda razão em dizer que a culpa do “fracasso” de RE7 é da Capcom. E essa culpa começa com a decisão de fazer o jogo numa proposta que NÃO RESSOA com fãs de RE e NÃO TEM HISTÓRICO de alcançar tamanha média de vendas quanto jogos com propostas, por exemplo, como a dos primeiros RE ou do RE4.

        Eu não estou inventando nada disso. Minhas conclusões são baseadas nas perspectivas de diversos sites ao redor da internet a respeito desse assunto.
        Lei isso, é bastante esclarecedor:
        https://culturedvultures.com/capcom-blame-resident-evil-7-sales-failure/

        • Thiago Gonçalves

          Mas eu não estou dizendo que você está inventando, RE7 é o 13º título mais vendido da Capcom o fato de eles baixarem a meta é porque eles tiveram esses parâmetros de vendagem de Outlast (e de outros jogos) como base, o que indica que eles sabem o terreno em que estão pisando e se arriscaram a trazer algo que NÃO RESSOA por ser algo DIFERENTE, mas que mantém a essência da franquia nele.

          O jogo é caro, não tem conteúdo extra muito jogável, coisa que os REs que estão focados na ação possuem, mas que destoa do que uma série que nasceu no gênero SURVIVAL HORROR é, fora que suas remasterizações estão mais baratas, não acho que RE7 seja um fracasso (De modo geral), o jogo ainda não possui uma versão completa por um preço camarada, não pegou aquela promoção que deixa o jogo pelo preço de 10 reais.

          RE8 determinará o que caminho realmente a CAPCOM ESCOLHEU, continuar fazendo games de survival horror que vendam relativamente bem, ou jogos de combate ao bioterrorismo cheios de pirotecnia que vendem bem.

          • Rivershield

            Vc leu o link que eu te mandei? Não parece. A Capcom não precisa fazer o jogo em primeira pessoa, com tramas minimalistas e personagens “normais”, para ser um survival horror.
            RE nunca foi sobre isso.

            Todos nós defendemos o Survival Horror, mas o Survival horror não está limitado a quaisquer desses fatores que hoje em dia são considerados essenciais em um jogo de terror.
            Manter a essência da franquia, a meu ver, não é reproduzir as experiências dos primeiros jogos, ou copiar elementos daqui e dali e juntá-los através de um novo tipo de gameplay. Resident Evil não se resume ao survival horror em si, ou a elementos de gameplay como o baú e ervas coloridas.
            A identidade de RE é o conjunto de diversos fatores igualmente relevantes.
            As tramas envoltas em conspirações políticas e empresariais, os vilões caricatos, os diálogos irreverentes e um tanto bregas, os personagens estereotipados e carismáticos, tudo isso é tão importante quanto qualquer outro elemento.
            RE7 pega tudo isso e joga pra escanteio, como se fossem aspectos secundários. NÃO SÃO.

            Se vc concorda com a proposta de RE7 e acha que esses fatores são secundários, então vc nunca conheceu a franquia.

            O erro principal de RE7 não é preço, nem marketing nem poha
            nenhuma do que vcs falam, é a falta da PERSONALIDADE. A câmera é o apenas um de vários aspectos que fazem RE7 destoar da franquia.

            Muito gente me diz “é fácil falar, quero ver vc achar um jeito de implementar isso que vc fala”
            Ora, pois bem, eis minha solução:

            Se a Capcom tiver um mínimo de consciência ela vai abandonar essa ideia e começar a focar no que já era bom na série, sem mudanças bruscas. A solução é muito simples:
            – Jogabilidade OTS
            – Recursos limitados com elementos de sobrevivência (como ter que racionar items e munição)
            – Dificuldade acentuada (o jogo é mais assustador quando o jogador sabe que poderá morrer facilmente)
            – Continuação da trama iniciada e RE6
            – Gráficos de primeira, do tipo que impressiona (é puta hipocrisia aquela galera que diz que gráfico não é importante)

            Em termos de mudanças, tudo o que eles tem que fazer é melhorar o que já era bom em três áreas:
            – Protagonistas: manter o carisma dos protagonistas, mas humanizá-los e abandonar os exageros em suas habilidades. Continuarão sendo os veteranos que conhecemos, mas simplesmente não matarão monstros gigantes usando facas ou derrubarão pedras gigantes em vulcões aos socos. Dar mais importância à vida e desejos pessoais dos personagens sempre foi um aspecto muito subestimado pela Capcom. Outra coisa, alguém tem que morrer. Um dos protagonistas tem que morrer, pra que os fãs não fiquem pensando que a Capcom não tem coragem de matar seus personagens. É difícil um jogo ser assustador se todo mundo souber que nenhum dos protagonistas vai morrer.
            – Vilões: Um vilão carismático é imprescindível. Um vilão de RE tem que ser forte, astuto, envolto em esquemas políticos e com ambições absurdas, mas realistas. Os vilões de Metal Gear são um bom exemplo. Vilões com visuais caricatos/estilosos são uma boa ideai pq deixam uma impressão mais forte.
            – BOWs assustadoras: Gigantes que parecem trolls do Senhor dos Anéis não são assustadores, muito menos dinossauros e insetos gigantes como em RE6… ou uma família americana zumbificada (RE7). Não tem graça nenhuma nisso. Os BOWs clássicos são os melhores pq são grotescos, não são muito exagerados e possuem explicações e aplicabilidades interessantes.

            Se um cara qualquer na internet como eu pode sugerir soluções plausíveis, eu não entendo pq uma grande corporação como a Capcom só fique piorando os seus problemas com propostas ineficientes uma atrás da outra.

          • Thiago Gonçalves

            Te garanto que eu li, li sobre a descrição de mudança de direção feita no jogo, li quando ele usou Outlast como um meio de comparação ao número de vendagem por causa dessa mudança, o fato de ser um caminho que não é muito rentável, o fato da Capcom se arriscar em tirar o personagens clássicos para trazer novos que não são a mesma coisa que os retirados, ele quis deixar claro que o impacto nas vendas pode estar relacionado com as mudanças feitas pela Capcom (Inclusive não elogiou RE6), enfim li.

            O jogo é bom, tem uma trama legal, que por sinal não foi contada totalmente, é um game que resolveu pegar o que já estava desgastado e chato e apresentar de uma outra forma, é uma mudança, mudanças tendem a não serem bem digeridas no começo e levam tempo para isso, principalmente quando os que são impactados por ela estão numa área de conforto habitual, as coisas que você descreveu aparecem em vários e vários fóruns e sites em muitas eu concordo, eu só acho que em questão de trama a Capcom tinha que ter a coragem de por as consequências, protagonistas não são imortais e ininfectáveis (ainda mais com eles ficando velhos), a Umbrella não é um ser supremo causador do mal e um fim para as histórias destes tinha que ser feito.

            Eu não tô querendo discutir sobre o que deve entrar ou não em REs futuros (E nem tô com saco pra isso), só quis dizer que RE7 não é um fracasso, se ele for considerado um fracasso porque não atingiu a meta por causa de 500 mil unidades, o que podemos dizer de seu antecessor que ficou bem longe da que foi imposta pra ele, mesmo ele vendendo bem no dias de hoje.

          • Rivershield

            Eu entendo o que vc quer dizer. Concordamos em muita coisa. Concordo que a fórmula mal usada (eu não acho que “desgastada” seja o termo correto, uma vez que seu verdadeiro potencial nunca foi alcançado na franquia), concordo que a Capcom deveria de fato se arriscar com algo novo.
            Nós dois reconhecemos os mesmos problemas.
            A diferença é a solução.
            A meu ver RE7 é sim um fracasso. Ele já era um fracasso no momento em que foi anunciado. Ele é um fracasso pq não é a solução correta, pq introduz mais problemas do que resolve, pq impossibilita diversas qualidades da franquia, e diminui seu potencial.
            O motivo de eu ter tocado tão veementemente nesse assunto das vendas foi pra exemplificar esse potencial diminuído, que começa com as vendas. Se por um lado a Capcom estava pensando muito alto com RE6, por outro está pensando muito baixo com RE7.
            Ora, Resident Evil já foi um dos nomes mais relevantes na indústria de games.
            Eu continuo acreditando que a solução que RE7 representa nunca vai funcionar. Pode ser que ela recrie a identidade da franquia, com fãs igualmente renovados. Mas isso nunca vai ser o familiar Resident Evil que conhecemos.
            Sobretudo, o potencial da fórmula criada em RE4 (que é um masterpiece, apesar dos defeitos) nunca foi alcançado pq RE5 e 6 falharam em se aproveitar dessa fórmula.
            É por isso que, diante dessa falha, eu me recuso a aceitar que o potencial da fórmula seja abandonado em prol de algo totalmente novo e que, pra bem ou pra mal, pouco tem a ver com o que estamos familiarizados. Tem certas coisas que não precisam mudar, coisas que já são o que são pq são suficientes, são únicas.

          • Thiago Gonçalves

            Olha, eu não acho que RE7 é uma solução e que a fórmula de sucesso foi abandonada, é como você disse, é uma tentativa de renovação, pra mim, é a única explicação da Capcom ter mexido em algo que estava vendendo muito, eles resolveram mudar por achar que essa mudança traria o survival horror com mais ênfase ao jogo, coisa que RE5 e RE6 falharam, acho que a fórmula antiga está desgastada porque são 5 jogos em 12 anos em que ela vem sendo aplicada, tendo os seus altos e baixos e sendo estragada por elementos de ação exagerados -Isso em RE, fora outros jogos que a utilizam também-, ela ainda pode ser usada, mas tem que trazer coisas que a revitalize (que não são QTEs), não estou tentando fazer de forma alguma que você aceite RE7, concordo com as mudanças descritas que DEVEM ACONTECER na franquia (Creio que todo mundo), mas estou citando os contrapontos:

            – Ele é um jogo que mudou a fórmula porque a desenvolvedora dele quis e achou que traria mais imersão para um jogo survival horror.

            – Meta do jogo era de 4 milhões por ser a base que jogos de sucesso com os moldes de RE7 tem (vide o Outlast).

            – Não vendeu como RE5 e RE6 porque eles são jogos voltados para a ação com elementos de survival horror que possuem os personagens antigos e câmera OTS em terceira pessoa (o padrão desde RE4).

            – A trama tem ligação com o passado da franquia, mas não está completa.

            – Há personagens carismáticos no jogo, mas o protagonista não se destaca.

            – É o décimo terceiro jogo e sexto RE mais vendido da Capcom.

            – É um jogo que não possui um modo multiplayer online que prolongue o seu fator replay.

            – Teve um pós-lançamento ruim com DLCs curtas que não esticam muito a vida do jogo e o atraso sem data determinada de uma DLC importante.

          • Rivershield

            Sinceramente, acho que vc se contenta com muito pouco.
            Deixemos a questão das vendas e metas totalmente de lado.
            Pra começar, eu não acho que qualquer personagem seja carismático em RE7. Não há ninguém ali que mereça um cosplay ou uma fanfic por exemplo. Também não acho que a trama seja particularmente interessante em nenhum aspecto. O fato de haver tantas inspirações de tantas fontes populares torna tudo muito previsível.
            Além disso, o fato do protagonista não se destacar é um dos piores erros de RE7 a meu ver. Uma das coisas mais legais de RE era o fato de que jogávamos com personagens originais, que não somente eram carismáticos mas também tinham visuais legais, estilosos. Não há ninguém em RE7 que mereça um cosplay ou uma fanfic.

            Enfim, espero que RE2 Remake não decepcione. Do contrário, terei que vender toda a minha coleção de produtos de Resident Evil, não haverá mais motivo para colecionar coisas de uma série que eu não gosto mais.

          • Thiago Gonçalves

            Às vezes o pouco é mais, muitas coisas começam pequenas para se tornarem grandes com o tempo, já foi dito que o próximo jogo será diferente de RE7 em vários aspectos, mas que manterá a essência de pessoas superando adversidades e com o conceito do survival horror.

            Fanfics e Cosplays virão de quem gostou do que foi apresentado no sétimo jogo numerado da franquia, a trama têm várias brechas onde se pode fazer abordagens sobre acontecimentos não explorados, exemplos:

            – Os 3 anos de Zoe fugindo dos pais
            – As vítimas que sofreram nas mãos dos Bakers
            – O relacionamento de Ethan e Mia antes de ela atender ao pedido de sua organização para escoltar Eveline.
            – Os experimentos feitos em Eveline
            – A relação de Lucas e a organização que criou Eveline

            O certo de tudo isso é que o survival horror voltou, talvez as críticas dos fãs em relação a câmera mude algo para o próximo game, a ideia de não centrar o jogo totalmente em personagens antigos e mostrar as consequências do que uma B.O.W. pode causar em pessoas QUE NÃO SÃO ELES é ótima, é claro que quando a trama envolver um perigo maior no qual eles são os holofotes isso muda, mas mostrar desdobramentos do que o bioterrorismo pode causar em pessoas que não são tão envolvidas com ele traz mais dramaticidade para RE, coisa que os jogos antigos possuíam um pouco e que de RE5 para cá virou GALHOFA.

          • Rivershield

            Sinceramente, não tenho nenhum interesse em qualquer subtrama ou personagem de RE7. Por mim jogava tudo isso no ralo. Eu gosto de ter essas discussões como a que tivemos aqui, mas na verdade não tenho muita esperança pro futuro de RE, exceto por RE2 Remake (que é a única razão de eu ainda estar aqui)
            Eu não ponho fé na Capcom nem a pau, seja lá pro que eles queiram fazer com a série numerada. Mas se eles pararem com essa viadagem de câmera em primeira pessoa já vai ser o suficiente pra mim voltar a comprar os jogos da série, mas eu não acho que eles sejam capazes de trazer a franquia para os holofotes da indústria do jeito que eles estão agora.
            Espero que vc tenha razão, de qualquer maneira. Bom pra vc que consegue ser otimista

  • Maester Alex

    Muito texto acima, muitos comentários abaixo. Não estou com tempo nem com paciência pra ler tudo, então só vou soltar minha opinião:
    Prefiro que o Remake do RE2 seja em terceira pessoa, de preferência igual à câmera do CV. Sobre a possibilidade de ser em primeira pessoa, acho pouco provável, até porque o jogo vai se apoiar no fator nostalgia e deve procurar ficar parecido com o original, mas com melhorias e adições. Agora se for em 1º pessoa, eu não vou ficar contra o jogo automaticamente, ainda terei de que jogá-lo pra analisar melhor, porém ficarei muito decepcionado por uma mudança que pra mim é desnecessária.

  • Luis Felipe Soares

    Olha, pra jogos futuros não vejo nenhum problema em câmera em primeira pessoa, até porque isso intensifica mais o terror, que é o que quero ver em Resident Evil, mas pro Remake do 2 eu preferiria a câmera em terceira pessoa. Quero ver o Leon e a Claire 😛
    Só tem um problema que as pessoas esquecem “Remake” significa “Refazer”, logo, não necessariamente precisa ser feito da mesma forma.

  • Andre Iack
    • Luis Felipe Soares

      Sim, o Revil postou a notícia dia 14:https://residentevil.com.br/noticias/board-game-de-resident-evil-2-caminho
      Mas bom mesmo seria notícia do remake 🙁

      • Andre Iack

        Sim, acabei de conferir a atualização da notícia aqui no site. Fico imaginando se os modelos utilizados nesse jogo de tabuleiro não seriam baseados diretamente nos modelos que serão feitos para o Remake, vendo pelo modelo da roupa da Claire desse boardgame está muito mais parecida com a do RE2 clássico do que a versão mais recente(Darkside Chronicles), caso esteja sendo diretamente baseado no design utilizado para o Remake então os visuais do RE2 REMAKE estão bem fieis ao do jogo clássico.

        • Luis Felipe Soares

          Não pensei nisso, mas como o tabuleiro é do Resident Evil 2 então pode ser que eles não tenham feito igual ao Darkside Chronicles, justamente devido ao fato de que o jogo é baseado no RE2.

          • Andre Iack

            Sim, de duas hipóteses, uma:

            Ou esse jogo está sendo baseado diretamente no RE2 original ou está sendo baseado no futuro RE2 REMAKE (nessa segunda hipótese seria possível concluir que por sua vez esse Remake, ao menos no aspecto visual, está bem fiel ao RE2 original pelos motivos que eu já havia comentado)

            De qualquer forma é muita coincidência um jogo de tabuleiro baseado no RE2 estar saindo dois anos após o anúncio da sua produção e “próximo” do aniversário do RE2, que irá completar 20 anos em 21 de janeiro do ano que vem.

          • Luis Felipe Soares

            É… Vai se saber. Mas é bem suspeito.

  • Babydoll

    se é que estao fazendo mesmo o RE2remake(tenho duvidas).mas, se for em 1º pessoa eu nem quero ver.

  • Babydoll

    a franquia resident evil teve tantas mudanças em todos esses anos que ate lembra o michael jackson que tb teve tantas mudaças que no final ficou irreconhecivel.nao dava pra saber se era um humano,boneco ou outra coisa.

    • Andrei Sokholov

      É uma analogia bem interessante, até por que o sucesso subiu a cabeça de ambos, RE por muito tempo vive uma crise de identidade bem como Michael não soube lidar com a fama. Assim como RE também dividiu opiniões desde RE4 onde há uma drástica mudança de direcionamento, Michael dividiu opiniões quando a princípio, sofreu de vitiligo e mudou a cor da pele (há controvérsias já que alguns afirmam que foi induzido). Ambos desceram a ladeira, Michael com escândalos um após o outro, o endividamento bilionário extrapolando o tamanho da própria fortuna, e a franquia RE com aqueles maravilhosos shooters alá Call of Duty…
      Triste saber que assim como as coisas não terminaram bem para o Michael que com tanto tempo de vida pela frente viu uma carreira incrível desabar por causa de drogas mal administradas, e assim, vai também a franquia entrando em coma com o adiamento da dlc NaH de RE7 e RE2 do qual nem se tem notícia a cerca de dois anos…
      —-
      PS: A analogia do Michaael foi por causa do vídeo do Rod Lima né? rs.

      • Babydoll

        ” A analogia do Michaael foi por causa do vídeo do Rod Lima né? rs.

        ” foi sim.rsrsrs

    • playtracker

      Foi efeito do T-virus, ai serie sofreu mutação.

  • Edair Ribeiro

    Esse Resident Evil 2 remake tem que ser igual ao original, câmera em terceira pessoa. Porque em terceira pessoa não dá, tanto que Resident Evil 7 é o pior jogo de toda a série, entre numerados e spin offs, na minha opinião. R.E. 7 é tão ruim que a Capcom nem introduziu o áudio com o nome do jogo quando se aperta o start, lamentável.

    • Monokuma

      Ue man, e esse odio no coração ? O.o

      • Edair Ribeiro

        Ódio, cê é doido é.

    • Quer parceiro?

      vdd saudades daquela voz de introdução no inico ;-;

    • RockMito Clash

      OS bons tempos de resident evil já se foram infelizmente

  • Shark

    Espero que não seja um remake em 1º pessoa, pq se for eu vou passar bem longe.

  • Jhonatan Beatriz Budiny

    O pessoal todo pedindo camera classica nao sei porq, o jogo era bom por causa da camera?? Longe disso

    • Hugo

      O remake do 1* jogo usa a câmera clássica e vendeu e ainda vende feito água…e a mulekada da atualidade compraram esse jogo com força.

    • Nando Fiurst

      acho simples, se a “mulekada” não quiserem comprar por causa da camera, que passem longe do remake então.. a capcom pode enfiar a camera onde quiser no re8, mas é um remake do 2, seria seguro apostar na camera fixa, e o remaster do remake do primeiro vendeu muito bem tambem

    • playtracker

      Ah nao necessariamente. Mas aquela camera estatica dava mais medo (pelo menos pra mim). Uma camera se movendo parece mais um game de ação tipo esse tal de Couner strike ou coisa assim. Em alguns casos cameras moveis sao boas pra dar sensação que um personagem taria passando omo em Silent Hill, qdo o tal do Harry entra num beco a camera da um giro e foca quase de cabeça pra baixo dando impressão de q ele ta desnorteado, pois nao sabia o q tava acontecendo. E tem o game RE Survivor onde tem camera em primeira pessoa, mas nao sei pq naquele game me pareceu mais natural (em algumas partes) do q em outros games de RE com camera mais movel.

      https://www.youtube.com/watch?v=qsOfDNTuR_o

  • Jhonatan Beatriz Budiny

    Se a capcom fizer na camera classica vai estar sendo muito burra, vai estar jogando dinheiro fora, pq quem vai compra sao soh os fãs das antiga, qual fã novo vai quere joga numa camera ultra ultrapassada? Com jogabilidade ruim e limitada em plena oitava geração? A gurizada vai passa longe, vao dize no minimo q o jogo eh um cu, sem contar q os fãs das antiga vao compra d um jeito ou d outro, sendo em primera tercera ou vigésima pessoa, pq muitos falam falam e compram até os remasters por preços absurdus, o foco da capcom vai ser oq eh uma oitava geração e os fãs novos, pq os fãs d verdade ( fãs das origens ) vao comprar d um jeito ou d outro como falei, camera moderna ou perda d dinheiro, e o negocio pra eles concerteza dinheiro, todo mundo ja sabe

  • Guilherme Santos

    Creio que em primeira pessoa fugiria completamente do conceito de um remake, se tornaria apenas outro “spin off”

  • pra mim pode ser ate em 2d so lança alguma novidade osh

  • Romulo_cdz

    Só queria ler de muitos fãs de RE que esse “RE2 Remake” superou as expectativas…..mas sou pé no chão e sei que a Capcom sempre dá um jeito de ferrar com tudo que esperamos. Pela demora deve sair o Remake do 2 e 3 juntos….

  • Lucas Silva

    Sinceramente dizendo , na Minha opinião (antes de mais nada) seria cabível a jogabilidade do RE2: Remake ser igual ao de RE4 e um pouco parecido tmb com o RE6 e Revelations 2 em algumas ações que poderiam ser disponibilizado ao jogador (no caso em esquivas, contra ataque de vez em quando ) .
    Ou então manter a jogabilidade igual ao original , pegando um pouco da melhoria de manuseio do personagem que foi em RE3, outbreak 1 e 2 .

  • Pedro Thiago

    Eu contrario o site. Acho que o remake do 2, deve seguir exatamente a formula do original, Terro, câmeras estáticas, terceira pessoa, muitas ação com gráficos feitos pela engine do 7. É o que a maioria dos fãs querem. Desde anos atrás nós venhamos pedindo a Capcom por um remake do 2, acho que agora ela deveria ouvir, se não teria uma séria briga com os verdadeiros gamers da franquia.
    Ela pode ser inovadora sim, pode possibilitar novos sustos, novos acontecimentos, corredores e reviravoltas também; desde que não fuja muito do jogo, se não o destrupiria.

    • Yago Pereira

      É o que eu penso.
      O que fez RE4 ser bom, foi a mecânica dele.
      Assim como o que fez RE2 ser bom, foi sua mecânica.
      Mas é minha opinião pessoal, se eles vão fazer RE4 ou 7 do 2, ai é com eles. Como fã, eu vou comprar. Agora, depende da forma como for concebido.
      Eu não gostei do 7. Então eu só vou pagar quando tiver aquela promoção marota de 20 conto na Steam.

  • Rakuyo

    Em primeira pessoa nãooo… Por favor!!!

  • Yago Pereira

    Eu sou da seguinte opinião:
    Não em primeira nem em terceira, nem Re7 e nem Re4.
    Simplesmente façam igual ao que fizeram com o RE Remake que ficou esplendido. É é retro, é um sistema tanque bem chato, mas o jogo é bom definitivamente por causa de como foi concebido.

    O que me dá medo não é sucesso do Re7 nem nada disso, mas é o fato da Capcom ter chamado quem fazia o Remake PRoject de Re2 igual à RE4.

    Se fizerem um Remake do RE4 eu quero que seja um update na mecânica, no sistema, nos gráficos. Mas não no centro do jogo, na alma dele.
    O que fez RE4 bom, faz parte do RE4 e o mesmo vale pro 2.

    Então, eu não me assustaria se a Capcom tentasse, falhasse e fechasse de vez as tentativas com RE.
    Afinal mesmo o sucesso do 7 não foi o suficiente pra encher o bolso deles.

  • Jason Anikhilator

    Bom em primeiro lugar so uma coisa aparte
    Se o Re Remake do 1 game fez um grande sucesso por que a capcom nao faze igual
    Agr so por que que o Re7 “fez um sucesso”ela quer fazer igual a pelo amor neh -_- se for primeira pessoa nem vou jogar

    Se for pra trazer as origens Do Game pra Atualidade que traga agr 1 pessoa … mds

  • Leonidas Pereira

    inb4 comentários falando que Re7 é uma merda porque é em primeira pessoa.

  • playtracker

    Primeiro RE q joguei foi o 2. Mas ja vi quem disse ainda na decada de 90, q o 1 era o melhor.

  • Michel Rafael

    Legal mesmo seria poder mudar a câmera jogar com a tradicional de RE2 e com a em primeira pessoa como o novo Resident 7 . 2 opções agradaria mais os fãns , e acho que não daria tanto trabalho assim …

  • Mauro Nicoletti

    Olá amigos ! É uma honra pra mim pparticipar desse debate, jogo resident evil desde 1996 e venho sofrendo com as mudanças da franquia. Eu até gosto das mecânicas novas usadas nos jogos, mas se tratando de Re2, tem que se manter sistema de câmeras originais seria interessante colocar algumas cutcene por exemplo nas salas de save, ou no momento que o personagem pegar um diário . Eu acredito que pode ser feito muita coisa nesse jogo sem alterar sua estrutura original .

  • Mauro Nicoletti

    Eu só queria entender por que tanta demora pra lançar esse remake! Nós conhecemos a historia, já sabemos o final, conhecemos bem todos os personagens . O que acontece ?tem necessidade de tanta demora?

  • Just a Gamer

    Se o jogo for em 1ª pessoa é melhor que nem saia e que seja cancelado

    Entre os jogos clássicos, RE2 é o que mais vendeu. Inclusive vendeu mais que o sucesso RE7

    RE7 fez tanto sucesso que vendeu pouco mais que a metade de RE6 (que é o maior lixo de todos, apesar de ter vendido muitas cópias)

    Para acertar no remake de RE2 basta seguir a fórmula do remake de RE1, na mais que isso

%d blogueiros gostam disto: