Perfil
Nome: Carla Radames
Nascimento: Entre 1985 e 1989
Altura: desconhecida
Peso: desconhecido
Tipo Sanguíneo: desconhecido
Afiliações: A Família e Neo-Umbrella
Status: Morta (2013)
Carla Radames foi uma brilhante pesquisadora que costumava trabalhar para Derek C. Simmons, também foi a responsável pela criação do C-vírus, mas devido a alguns fatos traumáticos em sua vida ela se tornou também uma mulher fria que se passava por Ada Wong, além de ser a fundadora e cabeça da Neo-Umbrella.

Aos 15 anos de idade, Carla completou seu doutorado em Genética e foi logo encaminhada para um instituto de pesquisas que pertencia à “Fundação Simmons”, e logo ela foi dirigida ao centro de pesquisas de vírus e armas biológicas. Simmons se impressionou com a notável inteligência de Carla e também com os resultados de suas pesquisas. Ela admirou Simmons por ele ter dado reconhecimento a ela.

Carla ficou encantada com Simmons e se focou inteiramente no desenvolvimento do C-vírus; ela só pensava em fazê-lo orgulhoso, mas para Simmons, ela era apenas mais uma pesquisadora, no fim das contas.

Carla começou a desenvolver o C-vírus em meados de 2001.


As raízes do C-Vírus

“Eu obtive um vírus que seria descartado, T-Veronica, e consegui desintoxicá-lo. Simmons confiou a mim as pesquisas de novos modelos de armas biológicas, mas eu decidi melhorá-lo primeiro.

Inicialmente, eu obtive sucesso em extrair apenas o “Atributo que causa mutação no DNA”, a característica definitiva do Vírus Progenitor que foi melhorada com a criação do T-vírus. Eu repeti as melhorias em conjunto com o T-Veronica , o que resultou no “t-02”, o qual negou a rejeição intensa das células cerebrais, sua maior falha.

Originalmente, para que o T-veronica se adaptasse ao corpo humano sem rejeição, simbiose e imunidade deveriam ser mantidos depois da injeção através de um longo período em sono criogênico. De qualquer forma, o “t-02” que eu criei resolveu esse problema. E então, se a síntese com o G-vírus que extrai de Sherry Birkin correr bem, o vírus supremo estará completo.

Embora não há como saber quantos anos isso irá levar, eu o farei á qualquer custo para cumprir as expectativas de Simmons.”

Projeto Ada Wong

Depois de sua interação com Ada Wong em 1998, Simmons acabou se encantando por ela. No entanto, esse encanto e admiração se tornaram uma obsessão depois que ela o rejeitou, fazendo com que ele começasse o “Projeto Ada”, em um laboratório localizado na Quad Tower, China.

O Projeto Ada tinha como objetivo criar outra “Ada Wong”, uma Ada que sentisse por Simmons o que ele sentia por ela. Carla era a pesquisadora chefe por trás dos experimentos, tentando usar o aspecto de Mutação Completa do vírus para controlar sua consequência.

Por anos, Carla fez tudo ao seu alcance para fazer com que seu recém criado C-vírus realizasse o desejo de Simmons de ter uma nova Ada Wong. Contudo, sempre o resultado era mais uma falha. Ela tentou realizar o experimento milhares de vezes, resultando em diversos monstros, como a Lepotitsa e o Gnezdo, mas não houve nenhum experimento que terminasse em sucesso…

Até a tentativa de número 12.235 – a tentativa que usou a própria Carla Radames como cobaia contra sua vontade. Devido a sua estrutura genética, Simmons descobriu que ela seria a candidata perfeita para o Projeto Ada.

Em Abril de 2009, o corpo de Carla Radames renasceu com sucesso na imagem perfeita de Ada Wong, com a mente limpa para ser moldada por Simmons. Naquele dia, Carla Radames deixou de existir e só conhecia a si mesma como Ada Wong.

A evidência do seu “nascimento” foi encontrada pelos agentes americanos Leon Scott Kennedy e Helena Harper no laboratório subterrâneo de Simmons sob a Catedral de Tall Oaks, e depois a própria Ada Wong viu o vídeo, em uma fita VHS intitulada “Feliz Aniversário, Ada Wong.”

Duas Ada Wong

Duas Adas Wongs estão envolvidas nesse incidente. Uma é a espiã de vermelho que sempre acompanha Leon S. Kennedy. A outra é a Ada Wong que fundou a Neo-Umbrella e que é responsável pela infecção em Edonia e teve contato com Chris Redfield e Jake Muller há seis meses.

A primeira é a Ada Wong original e a segunda é a copia criada por Simmons, usando Carla Radames e o C-vírus. A Ada Wong da Neo-Umbrella contatou a Ada original e contou o que pretendia fazer e o desastre biológico que iria causar.

Neo-Umbrella

Carla acabou se dando conta do que Simmons tinha feito a ela, e assim, em segredo, ela se dedicou a destruir tudo o que Simmons mais desejava. Para fazer isso, ela secretamente fundou uma organização que ela batizou de Neo-Umbrella, atuando na China onde ela desenvolveu o C-vírus.

Seus recursos na China foram direcionados a um certo número de projetos, dentre eles o objetivo principal de Carla e prioridade da Neo-Umbrella, a criação da arma biológica conhecida como HAOS. Hospedado em Instalações Submarinas construída, essencialmente, como uma incubadora gigante para a criatura, Haos deveria ser uma gigantesca arma biológica capaz de se separar em partes.

Dentro de seu corpo estariam órgãos capazes de dispersar o C-vírus, não muito diferente da Lepotitsa. Esses dois fatores o faziam teoricamente capaz de infectar todo o mundo em uma velocidade alarmante. Durante seu desenvolvimento, um plano de emergência constatava que “Se o líder da Neo-Umbrella for morto, a criatura deveria ser liberada independentemente de seu estagio.”

Isso poderia ocasionar na liberação de uma arma biológica incompleta, mas que seria possível que ele ainda serviria ao seu propósito e o plano não sofreria alterações.

Edonia

24-25 de dezembro de 2012

Em dezembro de 2012, Carla foi à Edonia seguindo ordens de Simmons. Foi ordenado a ela confirmar se o DNA de Jake Muller continha anticorpos contra o C-vírus. Nos detalhes de sua missão, Carla foi informada que a agente da DSO Sherry Birkin havia sido mandada para achar Jake Muller e tira-lo do país para Simmons.

Além de confirmar as suspeitas de Simmons, uma parte da missão de Carla era garantir que Sherry saísse com segurança do país com Jake sob sua custodia. Mas ao ouvir sobre Jake Muller, Carla teve outros planos muito diferentes para o filho do antigo bioterrorista, Albert Wesker.

Enquanto estava na Edonia, Carla se deparou com o Exército de Libertação da Edonia, o grupo em que Jake estava trabalhando atualmente, e começou a circulação do que ela chamava de energéticos (Energy Boosters). Mas na verdade, as seringas dadas aos soldados continham o C-vírus.

Assim que eles começaram a injetar os “energéticos” em si mesmos, eles imediatamente começaram um processo de mutação doloroso, que os transformou no que a BSAA chamou de J’avo.

De qualquer forma, como previsto, o C-vírus não teve efeito algum em Jake Muller, indicando a Carla e Sherry de que ele, de fato, tinha tais anticorpos. Mais tarde, Carla foi encontrada na Prefeitura de Edonia pelos agentes da BSAA Chris Redfield, Piers Nivans e Finn Macauley.

Ela se apresentou como Ada Wong, quem ela acreditava ser, dizendo que as guerrilhas tinham se injetado com o que eles chamavam de C-vírus. Alegando ser uma funcionária da prefeitura, ela diz que o Exército de Libertação da Edonia a fez refém.

Ela confirma as suspeitas da BSAA que o C-vírus é o que cria os J’avo e quanto mais é questionada por Chris, ela revela a eles que as guerrilhas foram fundadas por uma organização chamada Neo-Umbrella. Os agentes da BSAA a escoltam pela prefeitura, com Finn na função de mantê-la segura enquanto Piers ficava de olho nela.

Quando várias crisálidas começaram a liberar criaturas chamadas de Napads, Carla os guiou até uma porta oculta no segundo andar, dizendo a eles que ela sabia outra forma de saírem dali. Enquanto eles se aproximavam da saída, Carla se separou do grupo e ativou uma armadilha, separando os agentes Finn, Ben Airhart, Carl Alfonso e Andy Walker, de Chris e Piers, que continuaram presos do outro lado.

No portão atrás deles, Carla apareceu e se despediu dos agentes da BSAA antes de jogar uma bomba de agulhas que quando explodiu liberou várias agulhas contendo o C-vírus em todas as direções.  Os quatro agentes que estavam presos ali foram infectados e Chris e Piers foram forçados a vê-los mutar, enquanto Carla escapava.

Depois de ter feito sua grande fuga, Carla se dirigiu ao ponto de encontro determinado para Sherry Birkin, onde Ustanak e um grupo de J’avo finalmente conseguiram pega-los. Carla confrontou Jake Muller pessoalmente, se dirigindo a ele como “Wesker Junior”.

Ela explicou de modo superficial, algumas coisas sobre seu pai, Albert Wesker, dizendo a ele que ele havia herdado um tipo sanguíneo muito especial. Depois disso, ela simplesmente ordenou com que Ustanak nocauteasse Jake, levando ele e Sherry para o centro de detenção próprio na China.

O fim de uma farsa

Junho/julho de 2013

Depois de derrotarem Iluzija, outra arma biológica criada pela Neo-Umbrella, Chris e Piers ao lado de Marco Rose perseguem Carla; ela por sua vez, infecta Marco com o C-vírus usando sua pistola de agulhas, e foge imediatamente pulando da janela.

Chris e Piers continuam sua perseguição, até que eles se encontram com Leon S Kennedy e Helena Harper. Enquanto Chris e Piers tentam matá-la, Leon e Helena querem protegê-la, por pensarem que se trata da verdadeira Ada Wong. Com essa interferência, Carla consegue novamente fugir dos agentes da BSAA.

Ela foge usando seu conversível vermelho, enquanto Chris e Piers a perseguem em um carro da BSAA. Eles acabam chegando ao porta-aviões onde a Neo-Umbrella se encontrava. Os planos de Carla estavam finalmente se concretizando.

Apesar de ela estar sendo seguida pelo porta-aviões não só pelos agentes da BSAA, mas também pela própria Ada Wong, ela ficou sabendo que o J’avo que ela havia mandado para infectar Simmons com uma variação mais poderosa do C-vírus havia obtido sucesso.

Assim que ela terminou de contar a Simmons que ela iria destruir tudo o que “A Família” dele havia lutado para construir, ela finalmente confrontou Chris e Piers. Ela provocou Chris variadas vezes falando da morte de seus homens não só na Edonia, como também na China, irritando-o ao ponto dele disparar contra ela.

O tiro foi o suficiente para desarmar Carla, e ela conta que não era o fim só para ela, como também para todo o resto do mundo, pois um porta-aviões iria lançar mísseis para começar uma gigantesca epidemia com o C-vírus ao redor do globo.

Logo em seguida, um helicóptero com um membro da “Família” aparece atrás de Carla e um homem dispara contra ela com um rifle de precisão. Carla então diz que nada poderá impedir seus planos, nem sua própria morte e dá passos para trás até cair da plataforma que estava há vários metros de altura.

Antes de encontrar seu fim inevitável, Carla se infectou com uma dose potente do C-vírus e por fim foi encontrada pela verdadeira Ada Wong. Carla levantou-se do chão e começou a sofrer uma mutação; o corpo de Carla começou a se transformar em uma resina branca, que começou a tomar conta do porta-aviões.

Em uma tentativa de se livrar de Ada, Carla lançou contra ela uma grande quantidade da resina em que seu corpo se transformava, mas Ada facilmente desviou dela, e então Carla começou a consumir todo o porta-aviões expandindo seu corpo, enquanto Ada tentava escapar. Enquanto Ada tentava achar uma saída do porta-aviões, Carla a atacou com clones dela mesma em tamanho humano, e continuou consumindo tudo à sua volta.

Ada então descobriu que a mutação de Carla é facilmente ferida quando em contato com Nitrogênio; quando Ada se aproxima do elevador, Carla bloqueou sua passagem recriando com a resina na qual seu corpo havia se transformado, um tipo de rosto, bloqueando a fuga de Ada. Para a infelicidade de Carla, atrás de seu rosto havia vários tanques de nitrogênio, nos quais Ada disparou para finalmente por fim a Carla Radames.

O legado

Depois de conseguir uma amostra do sangue de Jake Muller, Carla começou a trabalhar em um método de deixar seu estimado C-vírus mais forte. Usando a parte do sangue de Jake que o fazia mais resistente ao vírus, ela conseguiu fazer com que o mesmo ficasse muito mais potente.

Com a nova versão potencializada do vírus, a necessidade de uma crisálida foi totalmente descartada. Isso permitia o individuo infectado não só de se transformar imediatamente, mas também ir além de várias transformações sem chance de danos celulares ao seu corpo.

Com o vírus agora muito mais poderoso, Carla ordenou a um de seus J’avos que infectasse Simmons, fazendo com que ele se transformasse em uma criatura horrenda, e que suas transformações dolorosas ficassem cada vez piores até que sua vida tivesse fim, nas mãos dos agentes americanos Leon S Kennedy e Helena Harper.

Enquanto isso, Chris e Piers depois de terem salvado Jake Muller e Sherry Birkin conseguiram parar o Plano D, destruindo Haos. Mas infelizmente para Chris, Piers perdeu um braço em batalha e se sentiu forçado a se injetar o C-vírus para poder ajudar Chris no confronto com Haos.

Ainda há traços de que o C-vírus está pelo mundo devido a uma cena – no final de Resident Evil 6 – em que Jake Muller é visto lutando contra um grupo de Napads,  ao que tudo indica devido ao fator de mutação instantânea do C-vírus especial.


Atrizes e Dubladoras

Resident Evil 6
– Courtenay Taylor (voz)
– Michelle Lee (captura de movimentos)

%d blogueiros gostam disto: