6CIIeJmEA9U

E aí Survivors! Vamos falar de Daymare: 1998, jogo que vem chamando a atenção do público que curte o gênero de survival horror. Bom, para quem não sabe, o título está sendo produzido por uma empresa italiana independente – aquela mesma responsável pelo Resident Evil 2 Reborn, remake feito por fãs que deixou muita gente empolgada, mas que foi cancelado a pedido da própria Capcom.

O projeto, porém, não morreu e foi apenas remodelado. A empresa na época, Invader Games, mudou de nome e se tornou a Invader Studios, que hoje é responsável por Daymare: 1998.O que é esse tal Daymare: 1998 então? Bom, segundo a própria Invader Studios, é um jogo que vai reviver todo o survival horror da década de 90, mas sem dispensar as mecânicas e jogabilidades modernas. Só que antes de falar mais sobre o game, vamos saber um pouco mais sobre dessa empresa indie italiana, pois tem algumas curiosidades muito legais por trás da iniciativa deles e também do falecido Resident Evil 2 Reborn.

A empresa

A Invader Studios é uma empresa independente de software italiana. Foi fundada em 2016 originalmente por um grupo de amigos amantes do gênero survival horror. A princípio, o desejo dos membros era realizar o Remake de Resident Evil 2 (Resident Evil 2 Reborn) e o projeto tomou proporções enormes na comunidade de fãs da franquia que compartilhavam do entusiasmo a nova possibilidade do jogo de 1998.

É que desde que o remake do primeiro game foi lançado em 2002, a Capcom nunca mais falou sobre mais iniciativas do tipo, o que deixou tudo mais empolgante. O projeto acabou sendo interrompido pela equipe quando a própria companhia finalmente anunciou que realizaria o desejo dos fãs, muito graças a própria Invader Games (atual Invader Studios) que mostrou o tamanho do interesse por parte da comunidade com seu projeto para um novo remake dos jogos antigos.Porém, diferente do que geralmente acontece nesses casos de remakes de jogos desenvolvidos por fãs, a Capcom em vez de forçar judicialmente o cancelamento do projeto da Invader Studios, tomou uma atitude muito diferente! Convidou a empresa italiana para visitar a sede da Capcom em Osaka no Japão. Bacana, né?

Hoje em dia a Invader Studios conta com o apoio de colaboradores externos, além de consultores como Kazuhiro Aoyama, que foi o diretor de Resident Evil 3, e Satoshi Nakai, o designer de inimigos em Resident Evil CODE: Veronica e Resident Evil Zero, para seus projetos.

Caso queira saber mais sobre a equipe e a Invader Studios, é só acessar o site oficial.

O início

Daymare: 1998 é o primeiro game de Survival Horror produzido pela empresa. O projeto foi oficialmente anunciado em 2016 e a princípio contava com uma campanha de financiamento coletivo no Kickstarter, que hoje em dia encontra-se cancelada – muito provavelmente por terem conseguido o apoio de empresas maiores, como a própria Capcom para o desenvolvimento.Aproveitando a base usada em Resident Evil 2 Reborn a equipe transformou o projeto Remake em um novo game, mas usando a mesma engine, neste caso. Diferente da Capcom que usou a RE Engine em seus últimos jogos, a Invader Studios está fazendo seu trabalho usando a Unreal Engine 4, que é muito competente e conhecida também.

Como era de se esperar, o jogo tem grande influência de Resident Evil, como a movimentação de personagens, estilo da câmera por trás do ombro – lembrando muito a usada em Resident Evil 2 Remake – fora as inspirações que temos na história e até em um protagonista específico.

Mas calma lá que a empresa promete algo um pouco diferente, como mecânicas diferentes, a narrativa focada em três personagens e a aflição dos jogos antigos de survival horror, onde se tem mais inimigos que munição, vários puzzles e save points limitados.

Satoshi Nakai está contribuindo com a parte artística do game, assim como Kazuhiro Aoyama, que está apoiando na direção deste projeto da Invader Studios. Isso mostra o quanto a Capcom gostou dos caras, né? E com profissionais de peso como eles aumentam, a expectativa do jogo aumenta ainda mais.

Muitas inspirações e referências

Os envolvidos na Invader Studios não negam ser fãs de Resident Evil e que parte disso os influenciou, então temos algumas inspirações nítidas da franquia em Daymare: 1998.

Uma delas está estampada em um dos protagonistas do game, que conta com uma aparência muito próxima a de HUNK – a diferença é que aqui ele mostra seu rosto em algumas cutscenes. Fora isso, a premissa do enredo também lembra bastante Resident Evil, onde uma pequena cidade americana acabou desolada por um agente químico/viral, transformando todos que foram afetados em terríveis criaturas monstruosas – e os sons dos inimigos mais clássicos, os zumbis.Isso sem contar que o jogo também se passa no ano de 1998, com uma empresa do ramo da biogenética muito famosa com sede nos arredores da cidade. O jogo também contará com um modo de câmeras fixas ao estilo dos primeiros jogos da franquia Resident Evil!

Podemos encontrar ainda alguns easter eggs bacanas no jogo também com referências a Resident Evil e pessoas importantes que trabalharam em seus jogos, como o Shinji Mikami e um submarino japonês contento um símbolo de risco biológico (Biohazard).

Mas não só de Resident Evil vive esse jogo! Temos referências de outras mídias do gênero também, como filmes e séries dos anos 90.

Personagens

O jogo terá pelo menos três protagonistas diferentes…

Liev, que é um membro da H.A.D.E.S. (Hexacore Advanced Division for Extraction and Search) que está na cidade para completar uma missão para a Hexacore Biogenetic. Não há muitas informações ainda sobre a H.A.D.E.S. ou mesmo Liev, mas ele é um verdadeiro soldado, cumprindo ordens cegamente e fazendo o necessário para entregar com sucesso sua missão sem se importar com as consequências.

Samuel (Sam) é um guarda florestal que trabalha na floresta de Vermilion ao redor da cidade de Keen Sight. Assim como alguns outros moradores da cidade, Sam sofre de uma condição médica chamada de “síndrome de Daymare“, que causa ansiedade, alucinações e paranoia. Especula-se que exista uma possível ligação entre a condição de Samuel e a presença da corporação governamental Hexacore Biogenetics na cidade.Raven é um piloto veterano da força aérea da Hexacore, na unidade 4RG0 Delta, como membro do pelotão Crimson Skulls. Já serviu como piloto da NASA, mas acabou sendo dispensado depois de uma missão fracassada e tudo o que se sabe é que um companheiro morreu nesta missão.

Enredo

A cidade de Keen Sight acaba por ser contaminada com um agente químico/viral. Um acidente envolvendo um avião de carga acaba por liberar um gás toxico no local. As pessoas afetadas por esse gás acabam se transformando em uma espécie de ser humano derretido, sofrendo severas mutações depois de expostas.

Liev e Raven chegam à cidade depois de uma missão com sua equipe nos laboratórios da Aegis, onde também houve um incidente. Sam entra na história ao observar um helicóptero da H.A.D.E.S em que estavam Liev e Raven.Os protagonistas terão que sobreviver às criaturas que infestam Keen Sight enquanto procuram desvendar os mistérios envolvendo o gás toxico e a relação da Hexacore com o terrível acidente.

Por enquanto, esse é o enredo que foi apresentado na demo de Daymare: 1998 e nas informações divulgadas pela Invader Studios. Para descobrir o que realmente aconteceu na pequena cidade de Idaho, vamos ter de esperar o jogo ser lançado e conferir por nós mesmo!

Gameplay

O jogo nos proporciona uma movimentação muito boa e ao estilo dos jogos mais modernos, com câmera sobre o ombro, onde podemos andar e atirar ao mesmo tempo e controle de movimentação da câmera. O inventario é bem limitado, contendo poucos espaços, mas com várias abas para conteúdos diferentes, como itens consumíveis, armas, documentos, mapa e status.

Ao melhor estilo Resident Evil, temos de ir desvendando os lugares aos poucos, buscando itens e documentos para ajudar na resolução de puzzles, abrir portas e ganhar acesso a novas áreas.De fato, a quantidade dos inimigos supera a quantidade de munição que achamos durante a jogabilidade, nos forçando a conservar recursos e passar várias partes apenas desviando do que aparece na nossa frente. Sem contar que eles são bem resistentes, fazendo a gente gastar bastante munição para matá-los.

Felizmente, personagens podem reagir aos ataques. Eles podem dar socos nos inimigos para afastá-los, dando a chance de fuga. Mas calma lá que temos uma barra de stamina (cansaço) para que usemos o golpe, então nada de tentar bancar o espertinho e querer tentar matar os inimigos na porrada que não vai funcionar. Temos um sistema de que, quando somos agarrados pelos inimigos, conseguimos nos soltar apertando repetidamente um botão, sofrendo assim um pouco menos de dano.

O inventário é em tempo real, então é bom estar em uma área segura antes de verificá-lo, se não meus amigos, os inimigos não perdoam não, vão pra cima sem dó. Temos botões de rápido acesso para usar os itens consumíveis, que são os de cura e as munições para recarga, deixando assim de forma mais simples e rápida o uso deles, sem precisar ficar abrindo o inventário.

Existem dois modos de se recarregar as armas. A recarga rápida faz com que derrubemos o antigo pente de munição no chão, mas que pode ser recuperado. E a recarga lenta, que é um tanto mais demorada, porém não corremos o risco de deixar a munição restante cair e acabar a perdendo por algum motivo.

A ótima trilha sonora ajuda em nossa imersão neste universo sombrio e tenebroso que nos deparamos. Uma ressalva especial para a música tema do menu, que é muito boa mesmo! Os efeitos sonoros também são bem bacanas, tanto das portas, como das máquinas e computadores, como o dos inimigos e até mesmo ao trocarmos de armas ou correr.

A demo já está disponível na Steam caso alguém queira conferir como o jogo está.

Gráfico

A arte do jogo é bem bacana e os cenários ficaram bonitos e bem construídos, embora ainda não estejam tão ricos em detalhes. Já o rosto dos personagens nem tanto. Eles parecem meio rígidos e não tão bem detalhados como deveriam, tipo uns bonequinhos de massinha ou algo assim.

A estética dos objetos e roupas – assim como os menus – também está bem bacana e atrativa, mas com suas limitações – como pouco efeito de movimento e iluminação e sombras. Mesmo nas cutscenes não há um aumento significativo na melhora gráfica, como acaba acontecendo com cenas pré-renderizadas. Mas julgando que este é um jogo indie feito por um estúdio pequeno, então tá show de bola sim!Todas essas considerações eu fiz analisando a demo do jogo, então muito provavelmente a versão final do jogo estará mais rica em detalhes e bem construída – e isso não vale apenas para a parte gráfica, mas sim para o jogo como um todo.

Extra

O lançamento de Daymare: 1998 está marcado para o dia 17 de setembro para PC (Steam) – o jogo ainda segue sem data definida para Xbox One e PlayStation 4.

A parte da distribuição do game ficou por conta da Destructive Creators e da All in Games, enquanto a Invader Studios apenas fez seu desenvolvimento. O valor do jogo ainda é incerto no Brasil, pois não foi publicado na plataforma Steam. A boa notícia é que Daymare: 1998 terá menus e legendas em português, com dublagem disponível somente na língua inglesa.Nick Apostolides, o dublador que deu voz ao Leon S. Kennedy em Resident Evil 2 Remake, teve a oportunidade de jogar a demo e até fez um vídeo ajudando na divulgação do game contando como foi sua experiência.

Ele diz que o jogo está mesmo difícil e que há pouca munição pelos cenários, tornando Daymare: 1998 desafiador e que é isso que é preciso um título do gênero Survival Horror! Além disso ele menciona ter ouvido a voz de Paul Haddad no jogo, o dublador original de Leon em Resident Evil 2 (1998).

“Não posso dizer coisas boas o suficiente sobre isso. No geral, foi um desafio apenas permanecer vivo. Se você gosta do verdadeiro Survival Horror, vai gostar deste jogo! Este jogo homenageia onde tudo começou.”

A espera para descobrir como este jogo realmente está é bem curta. De fato, a proposta parece muito promissora para um jogo indie que seguiu os conceitos dos games antigos de Resident Evil, adaptando sua mecânica aos tempos modernos. Isso deixa muita gente empolgada para conferir o trabalho completo da Invader Studios!

%d blogueiros gostam disto: