A Capcom nos convidou para testar o Project REsistance, novo projeto da franquia que está em desenvolvimento. O teste foi a portas fechadas e com muito mais tempo do que tivemos disponível na Brasil Game Show.

Durante a BGS 2019 era possível jogar o beta do game, o mesmo que foi disponibilizado para alguns dos participantes do programa de Embaixadores, onde você se candidatava a receber um código do jogo e era escolhido aleatoriamente para fazer o teste em casa. Na feira era possível montar um grupo de 5 pessoas: quatro delas tomavam o controle dos Sobreviventes, personagens que eram usados como cobaias e uma pessoa controlava o Vilão durante o gameplay.

Eu fui um dos que receberam o código do programa de Embaixadores, mas só consegui jogar 5 partidas, onde em 4 delas eu fiz parte do grupo de sobreviventes e na última jogada eu consegui ser o vilão. O que deu pra perceber é que quando você é o sobrevivente e joga com pessoas que você nunca viu ou tem contato, o processo se torna muito mais complicado e difícil.

O idioma é um problema constante, a maioria falava japonês e um ou outro inglês, o que atrapalhou o andamento dos cenários. Com a barreira de linguagem não foi possível montar uma estratégia em equipe para poder completar o objetivo de escapar do experimento. Nesse quesito, o que esperamos é que seja possível criar uma Party com um grupo de amigos com comunicação via headset para combinar as estratégias sem que o vilão perceba.

A figura mudou completamente quando joguei com o vilão, porque foi muito fácil aniquilar os sobreviventes em menos de 10 minutos de gameplay. Além das opções de perseguir, armar armadilhas e controlar os zumbis, quando você tem acesso ao Mr. X, o jogo acaba em segundos com seus socos super potentes.

Brasil Game Show

O problema do teste na BGS foi o tempo curto e muita fila para um estande que contava somente com um setup de 5 consoles para o jogo. Para resolver esse problema, a Capcom programou um dia inteiro com a imprensa especializada, para que todos pudessem experimentar o jogo com todos os personagens e aproveitar, com calma, suas habilidades específicas.

Nós do REVIL tivemos a oportunidade de estender o gameplay por 4 horas, já que um dos convidados não pôde comparecer. Testamos todos os personagens, incluindo o vilão, mais de uma vez e cada partida teve duração entre 10 e 15 minutos.

Os sobreviventes

Samuel Jordan

Sobrevivente – Qualidade: Força

Soco rápido (dash punch)

Impulso inesperado para a frente e soco no inimigo mais próximo. Essa qualidade é ativada ao apertar o botão L1 e tem um carregamento mais rápido podendo ser utilizada novamente após um curto tempo de espera, porém é considerado um ataque leve.

Punhos de ferro (fists of iron)

Impulso inesperado para a frente e soco no inimigo mais próximo. Esse comando é acionado ao apertar o botão L1+R1 e tem um carregamento mais lento. É o ataque mais poderoso do personagem.

Sam tem muita saúde e se destaca em combate de perto. Ele é um boxeador promissor até sofrer uma lesão, durante uma luta de boxe, que acabou com sua carreira. Optou por participar de um novo teste médico na esperança de curá-lo e levá-lo de volta ao ringue. Não há notícias dele desde então.

January Van Sant

Sobrevivente – Qualidade: Hacker

Sobrecarga (overload)

Desabilita câmeras, obstruindo as ações do vilão. Esse ataque é escolhido com o botão L1 e tem o carregamento mais rápido para ser utilizado diversas vezes.

EMP

Danifica todas as câmeras e aumenta o custo de utilização das cartas pelo vilão. O comando é acionado ao apertar L1+R1 e demora muito mais para ser carregado e ativado novamente.

January pode hackear câmeras para limitar as habilidade de observação do vilão. Ela é uma hacker experiente, que investiga os acordos ilegais entre a Umbrella e o Departamento de Polícia de Raccoon. Ela desapareceu de maneira inesperada sem passar seu conhecimento a ninguém.

Valerie Harmon

Sobrevivente – Qualidade: Suporte

Instinto de sobrevivência (survival instinct)

Aponta itens e ameaças próximas, tornando-os mais fáceis de serem encontrados por sua equipe. Sempre que Valerie ativa essa opção, os inimigos marcados sofrem mais dano que os demais. A habilidade é ativada com o botão L1 e o carregamento é rápido e muito útil durante o gameplay.

Spray de primeiros socorros modificado (modified first aid spray)

A personagem utiliza um spray de primeiros socorros temporário para curar companheiros próximos. Quando um ou mais membros do grupo levam muito dano durante a partida, todos podem se juntar no mesmo lugar para serem restabelecidos ao mesmo tempo. Essa função é ativada ao pressionar L1+R1 e tem um tempo de espera mais estendido que o primeiro.

Valerie é uma química com excelência em curar os companheiros. Ela se juntou ao time de pesquisa da Umbrella no cargo de estagiária, até que seu companheiro de quarto começou a sofrer com transtorno de memória. Valerie foi sequestrada enquanto procurava as causas deste problema.

Tyrone Henry

Sobrevivente – Qualidade: Resistência

Chute poderoso (power kick)

Ataque inimigos a sua frente com um chute poderoso apenas apertando o botão L1. O tempo de espera do ataque é curto e é muito eficiente contra o Mr. X.

Animar (rally)

Aumenta a moral dos seus companheiros, diminuindo o dano recebido por um tempo definido. É ativado com os botões L1+R1 e deve ser usado da mesma maneira que a ação de cura da Valerie: todos precisam estar no mesmo local para que fiquem com o benefício ativado.

Tyrone tem alta defesa e é excelente em combate de perto. Trabalhando para o Departamento de Bombeiros da Cidade de Raccoon, Tyrone foi combater um incêndio em uma fábrica da Umbrella e nunca mais foi localizado desde então. O Departamento de Bombeiros concluiu seu desaparecimento como morto na linha de combate do incêndio.

O Gameplay

Com o setup montado com 5 TV’s de LED e 5 Playstation 4 Pro, tivemos tempo de sobra para jogar com todos os personagens e analisar cada detalhe das características de cada um. Na primeira partida, o Fábio Santana, da Capcom, iniciou como o Vilão para que todos os convidados pudessem jogar além da primeira parte do cenário.

Os sobreviventes estão fora das instalações do que parece ser uns escritórios e, logo no começo, já temos um baú com itens que podem ser comprados com “Umbrella Coins”, dinheiro obtido no jogo (ainda não há informações precisas se o jogo terá microtransações para compra de itens específicos).

Comecei jogando com a Valerie, e foi uma das personagens que mais gostei. Ela consegue utilizar as armas disponíveis dentro dos baús e também tem a habilidade de curar seus amigos com mais facilidade. O Fábio foi bem ‘compreensivo’, deixando inimigos mais leves e poucas armadilhas durante as fases, o que facilitou a análise detalhada de toda a atmosfera do jogo, os inimigos e itens espalhados pelo cenário. Ninguém ficou desesperado para fugir, tudo aconteceu com muita calma.

Jogando com a January você consegue pregar peças e trapacear o Vilão, tanto desativando as câmeras de segurança quanto anulando muitas das opções de armadilha que ele pode usar contra o seu time. A função exclusiva da personagem é essencial para a conclusão da missão e é um ponto bem positivo January usar qualquer tipo de arma para eliminar inimigos e desativar as câmeras de vigilância. Seu fator replay é ótimo.

Sam‘ é o boxeador, e não me agradou muito o estilo de jogo que ele propõe, mas isso é porque eu prefiro jogadores de suporte, os que ajudam de outras maneiras sem ser com a força – esse não é meu forte -. Sua habilidade é muito útil contra inimigos que agarram. Por vezes tinha um cachorro ou algum zumbi no meu pescoço e, quando o Samuel vinha ao resgate, eu era salvo instantaneamente.

Tyrone era bombeiro em Raccoon City, então ele tem várias habilidades que o ajudam a cumprir os objetivos nesse jogo. Mais uma vez, este não foi um personagem que me agradou, mas é pelo estilo de jogo mesmo, o da pancadaria. Tyrone é muito forte e utiliza qualquer arma para defender seu grupo. O chute dele é capaz de derrubar o Mr. X por alguns segundos dando tempo de todos fugirem do local em segurança. O ponto positivo do personagem é que ele utiliza a habilidade de incentivar seus companheiros para aumentar a resistência da equipe, para que todos possam chegar ao objetivo final.

Por trás das câmeras

Esse é o personagem que TODOS vão querer jogar sem parar (pelo menos até a Capcom achar o meio termo de algo que está parecendo muito desbalanceado) porque além do vilão, você controla TUDO dentro no cenário, desde inimigos como zumbi, cachorros e lickers até as câmeras de segurança com metralhadoras acopladas. O tão criticado “overpower” do Vilão é algo que chega a ser surreal. Quando você toma controle do Mr. X, as chances de sobrevivencia das cobaias diminiu drasticamrnte. Assim que invocado, mesmo que por poucos minutos, foi o suficiente para concluir meu objetivo. É só ativar a arma biológica e sair dando socos que tiram praticamente toda a vida dos sobreviventes. É o único ponto a ser balanceado entre todos os personagens.

A proposta do jogo é muito boa. Todos se divertiram muito. Project REsistance é para ser jogado com pessoas que você conhece. A melhor parte é poder se comunicar e pensar em estratégias coletivas para avançar durante o gameplay.

O jogo não tem semelhança alguma com o Umbrella Corps, e nem é possui a mesma proposta. Os locais e inimigos te levam a um passeio por uma Raccoon City à beira do colapso pelas bombas nucleares que ainda iriam assolar a cidade. O fator nostalgia conta a favor com inimigos (a zumbi de shortinho de Resident Evil 2, clássico e remake), os cachorros, lickers e até mesmo o Mr. X estão presentes e você tem o dever te desviar de todas essas aberrações e chegar ao seu objetivo final. Portanto, NÃO joguem o Project REsistance pensando em Umbrella Corps. Este é um novo projeto da Capcom que tem como objetivo atrair os jogadores de e-Sport, público que a empresa ainda não cativou 100%.

Conclusão

Finalizando essa análise, espero que todos que tiverem a oportunidade de jogar Project REsistance em seu lançamento consigam tirar o melhor dele como pudemos fazer na Capcom. Jogar com os amigos faz TODA a diferença nessa nova proposta da empresa.

Project REsistance vem para dar um ar novo à franquia e resgatar os elementos dos Outbreaks de uma forma atual. O gameplay online cooperativo é um ótimo atrativo até que o tão esperado remake de Resident Evil 3 seja anunciado. Mais novidades sobre o projeto devem ser anunciadas em breve.

Não deixem de comentar qual é a opinião de vocês, caso tenham jogado o jogo, ou então o que acharam dessa análise!

%d blogueiros gostam disto: