O REVIL completa 15 anos de existência neste mês – isso mesmo, 15 ANOS, mais idade do que muita gente que acompanha nosso site. Somos mais velhos do que muitas empresas, do que muitos outros sites conhecidos e sobrevivemos a diversos altos e baixos, turbulências que fazem partem de um projeto colaborativo, criado em prol da comunidade. É uma data extremamente especial e expressiva para nós. Sempre que chegamos em outubro olhamos para trás para lembrar de tudo que já passamos, do que aconteceu no REVIL e, claro, das pessoas que contribuíram para construir a história do site.

E para marcar o fim dos “trabalhos” de 15 anos do REVIL, convidamos alguns membros da equipe e algumas pessoas que já contribuíram com a comunidade para contar um pouco da experiência e trazer os momentos marcantes que viveram por aqui. O REVIL é da COMUNIDADE, dos fãs que ajudam a manter o site participando, seja colaborando com conteúdos, compartilhando notícias, opinando sobre as informações ou até mesmo interagindo com a gente nas redes sociais.

Tudo é feito com o maior carinho, por isso, é de coração que convidamos todos os visitantes para ler os relatos a seguir:

Ricardo Andretto – ThE cRaZy (fundador do REVIL, criado 1999)

REVIL Memories1

O REVIL surgiu como uma brincadeira. Sim, uma brincadeira durante a adolescência. Meu contato com a série foi em 1999, em uma locadora de jogos eletrônicos. A primeira imagem me que vem à cabeça de Resident Evil é do zumbi devorando um dos membros S.T.A.R.S. na mansão. A cena despertou a minha curiosidade. Na época, atrelado a outros compromissos, eu fazia um curso básico de informática – é, ainda era “modinha” naquele ano – e dentre os conteúdos havia uma noção de design e programação de sites. Brincando, durante esse cursinho, fundei um site com três propostas: falar sobre Resident Evil (REVIL), sobre Final Fantasy (FF Forever) e Dino Crisis (Dino Alive). Era algo bem tosco, a grosso modo como tudo em 1999. A primeira hospedagem do site foi no falecido GeoCities (Yahoo!) e, ao logo do tempo, fomos migrando entre o hpG (IG) e VilaBOL (UOL), também serviços descontinuados, até chegar ao REVIL atual, em servidor próprio e com endereço único – www.residentevil.com.br – já sem nada sobre outras franquias.

Posso dizer que a criação do site marcou a minha vida em diversos aspectos. O primeiro de todos e o mais importante é de que a iniciativa ajudou a moldar o meu caráter. Adolescente tem personalidade instável, que se não for bem trabalhada pela vida, por experiências positivas, pode tornar a convivência com as pessoas e as escolhas mais difíceis. O REVIL me ajudou a crescer como pessoa. Aprendi a programar para manter a estrutura do site funcionando – só fuçando em códigos. A definir a profissão – hoje, sou jornalista e especialista em Mídias Digitais. Tudo graças ao site, ou ao que eu poderia proporcionar para o projeto, no geral.

Cada ano é um ano. Cada experiência é uma experiência. Eu nunca imaginei que o REVIL cresceria e chegaria até onde chegou. Continuamos crescendo, temos milhares de seguidores no Facebook, no Twitter, no YouTube e entramos recentemente no Instagram. Também temos uma gama invejável de parceiros e posso dizer que ganhei muitos AMIGOS. Em nome da equipe e dos colaboradores fica aqui o meu OBRIGADO!

Ah, e só para finalizar, nem preciso dizer que fiquei MUITO feliz em ver o clássico do GameCube, Resident Evil, estar sendo remasterizado em alta definição. Afinal, o irmão original dele, para PlayStation, é o grande responsável pela fundação e pela continuidade do REVIL. Nada mais justo do que ter gás para continuar o site sabendo que a série está cada vez mais acessível para a comunidade.

Bruna Mattos – Yuna (faz parte do REVIL desde 2008)

REVIL Memories2

Eu fiz parte do fórum REVIL por muitos anos antes de entrar para a equipe do site. Fiz parte do grupo que participou de uma reforma enorme, tanto no conteúdo quanto na estrutura do REVIL. Eu sempre gostei de Resident Evil, mas acho que só virei fã da série mesmo nessa época. Nesse período eu li muito sobre a série, joguei games que não conhecia, procurei materiais que não existiam em português, conversava praticamente o dia inteiro com os outros membros da equipe… tudo para tentar produzir conteúdo para o REVIL. Com o passar dos anos, o tempo pra se dedicar a esse projeto enorme foi diminuindo, mas até hoje tento me manter ligada nas novidades da série e tento dar uma mão para o pessoal que participa da equipe de forma bem mais atuante do que eu. De vez em quando, ainda me arrisco e produzo alguma coisa.

Muitas coisas me marcaram no tempo em que eu estive no REVIL, mas o que sempre me deixava mais empolgada eram as entrevistas com os dubladores. A nossa primeira entrevista foi com o DC Douglas, dublador do Wesker, e eu lembro que a gente ficou literalmente histérico de felicidade. O mais legal de tudo foi que eu mediei o contato com o DC e ele começou a entrevista com um “Hello, Bruna”, imitando a voz do Wesker (sim, eu tenho um “oi” do Wesker só pra mim!). A primeira a gente nunca esquece, mas a que marcou MESMO foi a entrevista com a Alyson Court, dubladora da Claire. Além de ter toda aquela admiração pelo trabalho da Alyson, eu fiquei maravilhada com as respostas que ela deu. Ela não era só uma dubladora de um personagem de Resident Evil, ela sabia MUITO sobre a série, em vários aspectos e conhecia a Claire como a palma da própria mão.

Eridson Gampert Spanemberg – Kess (membro do REVIL desde 2002)

REVIL Memories3

Conheci o REVIL lá pelos idos de 2002, numa busca sobre novidades de RE4 e o até então chamado de RE Online, que viria a ser o Outbreak. Inscrevi-me no fórum, mas demorei um tempo até acessar, o que fiz só lá pelo começo de 2003. Foi uma paixão que me tomou conta. As discussões sobre a série, que no início eram muitas para quem nem sabia mas trabalhava muito bem como coveiro de tópicos, brigas dos istas, e aquele clima divertido, onde a movimentação ainda era boa a ponto de lermos algo e já ter coisas novas ao final da criação de uma postagem.  Sempre tentei ajudar o site, mas sem muito efeito, tendo escrito umas duas matérias e um detonado. Já no fórum, a presença era constante, e a vida lá era intensa. Um dos grandes momentos foram as tretas para a mudança da plataforma utilizada, lá em 2005, no meio de um BBR lendário, com brigas, discussões, traições e formação de várias parcerias!

Felipe Demartini – Evil Shady (membro do REVIL entre 2008 e 2011, hoje é editor do site New Game Plus)

REVIL Memories4

Quando entrei no REVIL em 2008, como parte dos esforços de reformulação do conteúdo do site, decidi mudar também a forma com a qual eu agia em relação ao próprio conteúdo. Eu estava recém-formado e, infelizmente, desempregado. Então, principalmente naquele primeiro ano de equipe, era no site que eu praticava o jornalismo que havia acabado apendido na faculdade. Passei a enxergar tudo de forma mais séria e efetivamente como trabalho, e isso é algo que me acompanhou também no Resident Evil SAC e que está comigo até hoje.

E um momento que com certeza me marcou foi a revelação do modo cooperativo de Resident Evil 5, na E3 de 2008. Seguindo nessa pegada mais séria que eu comentei, fizemos uma cobertura bastante completa da feira naquele ano e eu me lembro de trabalhar com uma TV ligada o tempo todo nas novidades da feira, enquanto usava o computador para escrever tudo o que vinha de novo de lá.

A aparição de Jun Takeuchi no palco da Microsoft, a primeira vez que Chris joga Sheva para o outro lado do cenário e toda a empolgação daquela época me marcaram bastante e foram um grande motivo pelo qual, durante anos, Resident Evil 5 foi meu jogo favorito da série.

Nilton Kleina – Cool (membro do REVIL entre 2010 e 2012)

REVIL Memories5

Acesso o REVIL desde 2008, mas levei uns anos até ser visitante frequente e ainda mais tempo para integrar a equipe. E, olha, valeu a pena esperar: foi a minha primeira experiência profissional como jornalista de games. Claro, é um fansite que não ganha toneladas de dinheiro e contribuir não é o mesmo que ser repórter do The New York Times. Mas foi ajudando no conteúdo, elaborando posts do blog e monitorando o fórum que mantive acesa aquela paixão pela área, que começou quando eu comprava, sei lá, uma Nintendo World sobre um lançamento como “The Legend of Zelda: Majora’s Mask”. Eu ficava maravilhado em ler algo tão bacana em português e saber que pessoas ganhavam (dinheiro e satisfação pessoal) para jogar e escrever sobre aquilo. Hoje, com quase quatro anos no ramo, só tenho a agradecer ao REVIL pela oportunidade e pelo ambiente sensacional.

E tem as pessoas. É que nem amizade de escola: você convive com a turma toda quando está lá no meio, mas aí se forma e cada um vai para um canto. Ficam alguns contatos — e desses você dificilmente se desfaz. A amizade (aham, amizade!) é exercida com menos frequência, mas em papos curtos volta e meia a gente percebe que ainda existe. “Vida longa e próspera” é clichê, mas é o que eu desejo ao REVIL. Parabéns!

Marco Tulio Vidal – Summers (membro do REVIL entre 2009 e 2012)

REVIL Memories6

Não sei dizer exatamente quando conheci o REVIL, pois assim que descobri o que era internet, as páginas relacionadas a Resident Evil sempre estiveram nos meus favoritos. Mas em 2009 me tornei um usuário bastante ativo no Fórum, onde passávamos horas e horas discutindo sobre os lançamentos da série e teorizando a respeito do passado/futuro da franquia.

Algum tempo depois, fui convidado a integrar a equipe do REVIL, e ainda que tenha ficado mais ligado ao ambiente do Fórum, atuando como moderador responsável pela seção de Fanfics, acabei realizando alguns trabalhos muito bacanas também no site.

Justamente nessa época foi idealizada a Linha do Tempo sobre a série, projeto esse encabeçado por mim e pela Bruna (Yuna). Foram quase seis meses de muita pesquisa, que não se limitou a buscar somente aquilo contado nos jogos, mas também nos inúmeros materiais promocionais da franquia, como livros, manuais de jogos, virais, vídeos, revistas, entre outros. Sem dúvida alguma, esse é o projeto que mais marcou minha passagem pelo REVIL e que me deixa muito orgulhoso.

Enfim, ainda que eu tenha ótimas memórias do tempo em que fiz parte da equipe do REVIL, a maior lição que eu retirei dessa experiência foram as amizades que fiz. São pessoas que deixaram de ser meros usuários de um fórum de internet, com nicks engraçados e curiosos, para se tornaram grandes amigos, que eu pretendo levar para toda a vida. Tudo graças a esse projeto incrível que é o REVIL.

André Ceraldi – Ceraldi (membro do REVIL desde 2011)

REVIL Memories7

Desde que entrei para a equipe no começo de 2011, rapidamente assumi uma série de responsabilidades dentro do REVIL, muito pela necessidade de movimentar as coisas que andavam meio paradas. Notícias, artigos, análises foram algumas das coisas que tomei conta logo de cara, muitas vezes fazendo até mesmo algumas besteiras. Literalmente aprendi na base da tentativa e erro, mas isso só fez bem para mim, e pouco a pouco fui moldando uma forma de conduzir os conteúdos e com o tempo, passei a conduzir até mesmo o REVIL como um todo: trazendo novas ideias, buscando parcerias, e sempre tentando enxergar além da simples publicação de conteúdos, justamente para fazer o REVIL crescer como um todo e não apenas ser um replicador de notícias.

Foram diversas ideias que tive e que se transformaram em projetos colocados em prática nesses quase 4 anos de REVIL: desde a migração para uma plataforma mais moderna, como novo layout, navegação implementada e interação ampliada, até a concepção de projetos como a REVIL Wiki, que é a menina dos meus olhos no REVIL e nasceu da nescessidade de ter informações de qualidade e confiáveis em português sobre personagens, localidades, vírus e etc. Algo que até sua criação não existia.

Além disso, por conta da meu trabalho na área de design e comunicação, assumi o comando das redes sociais do REVIL enxergando nelas uma forma de difundir o site e alcançar ainda mais pessoas através de postagens com notícias, conteúdos diversos e afins. O resultado disso, foi um crescimento ímpar no site, impulsionado por ações e pela atenção dada as redes sociais, que hoje, são um dos grandes trunfos do REVIL para levar até o público as principais informações da franquia RE e também os conteúdos exclusivos produzidos pela equipe.

Seria impossível comentar os meus momentos mais marcantes dentro do REVIL e não lembrar do ano de 2012, quando tivemos o lançamento de três jogos: RE: Revelations, REORC e RE6. Além da empolgação pelo lançamento de tantos títulos, o trabalho na época foi imenso: desvendar mistérios campanha viral, postagem de cerca de 10 a 12 notícias por dia,  buscar novidades, traduzir materiais do inglês, francês e até japonês, responder diariamente centenas de fãs que questionavam sobre os lançamentos, promover ações, promoções… ufa! O trabalho foi enorme, mas o prazer em colocar a mão na massa e levar tudo isso até o público foi algo indescritível, ainda mais trocando ideias e participando de discussões especulando sobre o que poderíamos esperar dos jogos em relação a história, jogabilidade e tudo mais.

Me marcaram também, todas as entrevistas que conseguimos depois que entrei para o REVIL, e foram muitas! Na época do lançamento de Resident Evil 6 conseguimos entrevistas em vídeo com diversos dubladores: Christopher Emerson (Piers); Courtenay Taylor (Ada/Carla); Matthew Mercer (Leon) e Eden Riegel (Sherry). Além dessas, conseguimos entrevistas com Julia Voth, modelo de rosto de Jill Valentine, com a equipe da Capcom e da Slant Six que atuaram na produção de REORC, além das recentes entrevistas com Masachika Kawata sobre RE: Revelations 1 e com Michiteru Okabe sobre RE: Revelations 2. Isso só para citar as mais marcantes, pois houveram várias outras nesse período!

Hoje, quase tudo que rola no REVIL acaba passando pelas minhas mãos, de forma direta ou indireta. Sinto um imenso orgulho disso, e de fazer parte e ajudar a tocar adiante um dos maiores fã sites sobre games de todo o mundo, e hoje não me enxergo longe do REVIL nem nos próximos 15 anos.

Lucas Duarte – Ricky (membro do REVIL desde 2012)

REVIL Memories9

Entrei no REVIL em setembro de 2009, mas já acessava bem antes disso. Me registrei no fórum na época em que RE: The Darkside Chronicles e a versão Gold Edition de RE5 estavam pra ser lançados. Me apaixonei pelo ambiente e pelo modo que as pessoas viam a série. Tratei logo de me enturmar e me tornar uma dessas pessoas que levavam a franquia RE a sério como eu nunca imaginei levar. Conheci várias pessoas que eu também nunca imaginei que se tornariam queridas e tão presentes na minha vida, que me ajudaram não só com Resident Evil, mas também na minha evolução de todos esses anos.

Um dos momentos mais marcantes pra mim foi sem dúvida quando RE: The Darkside Chronicles vazou na internet poucos dias antes do lançamento e pessoas começaram a fazer stream do jogo na internet. Ninguém se importou com os compromissos do dia seguinte, só foi todo mundo assistir e comentar no chat do REVIL no MSN, de madrugada mesmo.  Eu só tenho a agradecer o REVIL pela oportunidade de ter vivenciado tudo isso. De ter aprendido, de ter ensinado, de ter discutido, especulado e conhecido tanta gente bacana. Minha passagem pelo REVIL é algo que eu definitivamente não vou esquecer nunca. Desejo tudo de melhor que se pode desejar para um projeto; Que o REVIL continue crescendo cada vez mais a cada dia! Parabéns!

E você? Tem alguma história com o REVIL? Algum momento marcante da série Resident Evil que você tenha acompanhado através do nosso site? Participe você também do nosso artigo especial! Deixe o seu relato nos comentários deste post!

%d blogueiros gostam disto: