Conheça os jogos mais subestimados da franquia

Resident Evil tem uma longa história repleta de inovações, reinvenções e experimentos que fazem com que, mesmo após décadas, seus jogos sempre consigam surpreender os fãs.

Porém, isso também significa que muitas vezes a franquia da Capcom introduz mecânicas à frente do seu tempo ou que não estejam completamente aprimoradas. Além disso, a grande quantidade de entradas da série também pode fazer com que um título acabe sendo subestimado ou esquecido em meio a tantos jogos de alto nível.

Nesse sentido, abaixo estão os jogos mais subestimados da franquia que precisam ser mais conhecidos e jogados pelos verdadeiros fãs, seja para experimentar algo que não tenha chamado atenção no lançamento ou experimentar a primeira versão de algo inovador.

Resident Evil 0

Lançado em 2002, Resident Evil Zero apresentou pela primeira vez a ideia de um único jogador controlando dois protagonistas diferentes. Durante o decorrer do jogo, o gamer alterna entre Billy Coen e Rebecca Chambers, que possuem estilos de jogo e habilidades diferentes que precisam ser utilizadas para resolver uma série de quebra-cabeças.
A história ocorre antes dos eventos do Resident Evil original e acompanha a dupla em sua jornada para investigar um misterioso acidente de trem fora de Raccoon City. A narrativa remete um pouco ao sucesso sul-coreno Invasão Zumbi e a personalidade dos dois protagonistas é um dos pontos altos, mas a mecânica de controle não foi tão bem implementada quanto poderia e confundiu muitos jogadores.

Ainda assim, os detalhes e recursos gráficos do lançamento original do extinto console Game Cube ainda se mantém nas novas versões lançadas, assim como a tensão e níveis difíceis característicos da série que brilham no espaço quase claustrofóbico do trem onde a ação acontece.

Alternar entre Billy e Rebecca aumenta ainda mais os níveis de adrenalina e desafio e a introdução do jogo e o seu final mostram exatamente como se construir um roteiro de terror magistral. Enquanto o começo é lento e serve para definir a atmosfera e aumentar as expectativas do jogador, o final é explosivo e intensivo, superando até mesmo as expectativas mais altas.

Resident Evil: Revelations e Resident Evil: Revelations 2

A série Revelations foi originalmente lançada para o Nintendo 3DS, mas ganhou uma adaptação e uma continuação para o PC poucos anos depois.

A primeira entrada da série representou uma ótima tentativa de mesclar os fundamentos sólidos de design do primeiro Resident Evil com os controles e mecânicas de Resident Evil 4, que vale mencionar ainda servem de inspiração para todo tipo de game.

É claro que a versão portátil do jogo não conta com a capacidade gráfica dos jogos de consoles, mas o tamanho pequeno da tela fez com que a criatividade no design aflorasse e o combate do título é tão íntimo quanto surpreendente, fazendo com que o jogador tenha que ficar atento a tudo que está acontecendo para vencer.

Além disso, o jogo conta com um dos níveis mais bem desenhados da franquia. Com tema inspirado em cassinos e repleto de exemplares das tradicionais máquinas de jogos de slots, só por esse primeiro nível do quarto capítulo já vale conhecer o título.

Como todas as sequências bem-sucedidas, a segunda entrada da série, Revelations 2, pegou os melhores pontos dessa versão original e aumentou o volume. Feito diretamente para o PC, o game passou a contar com gráficos de alto nível e combates ainda mais impressionantes que o primeiro.

O arsenal do jogo é tão vasto quanto o de Resident Evil 4 e a história digna dos melhores filmes B já feitos. Além disso, o game conta com a clássica mecânica da série de juntar um personagem bem equipado com outro mais indefeso, que conta com habilidades de suporte, e aqui ela é utilizada da melhor maneira possível para fazer com que dois jogadores cooperem para ganhar.

Tudo isso faz da série Revelations uma das mais subestimadas pelos jogadores e o fato de que ambas as entradas estão facilmente disponíveis para o PC com requisitos técnicos acessíveis faz com que seja quase uma obrigação dos fãs conferi-las.

Foto: Solomon203 via Wikimedia

Resident Evil 3

Última entrada da franquia para o PlayStation original, Resident Evil 3: Nemesis conta com uma sequência de eventos única, que ao mesmo tempo precede e ultrapassa o ocorrido no clássico Resident Evil 2.

O game acompanha a protagonista Jill Valentine e o misterioso Carlos Olivera em sua jornada por uma Raccoon City infestada de zumbis enquanto ambos são perseguidos pelo implacável e imparável Nemesis.

Mesmo fazendo parte da linha principal, a trama de Jill e Carlos não empolgou tanto os jogadores quanto as edições passadas e o jogo não foi tão apreciado quanto deveria na época do lançamento. Porém, há várias qualidades que fazem da versão original um clássico subestimado e justificam o lançamento recente do aclamado remake.

Por ter sido lançado perto do fim do ciclo de vida do console, os gráficos aproveitaram ao máximo as ferramentas disponíveis e atraíram elogios do público e da crítica. Além disso, a adição de Nemesis deu um senso de urgência aos jogadores que simplesmente não existia nas versões anteriores.

Outra inovação trazida pelo game que chamou atenção foi o fato de que os inimigos perseguiam os jogadores mesmo que eles trocassem de área. Ou seja, enquanto nos dois primeiros lançamentos os jogadores podiam fugir dos zumbis apenas trocando de uma sala para a outra, Resident Evil 3 colocou a tensão no máximo ao permitir que eles passassem por elas para ir atrás dos jogadores.

Tudo isso fez do jogo um clássico que merece ser revisitado e o fato de existir um remake de alto nível faz com que a viagem seja tão simples quanto a de clássicos unânimes como Resident Evil 2 e Resident Evil 4.

Foto/destaque: EyeShotYou via Pixabay

%d blogueiros gostam disto: