A Famitsu teve a oportunidade de entrevistar o produtor Masachika Kawata e o diretor Nakanishi Koushi, ambos envolvidos com o desenvolvimento de Resident Evil 7, revelando mais alguns detalhes interessantes acerca da aguardado (e já polêmico) título numerado.

Nakanishi revela que a produção começou por volta de fevereiro de 2014, e Kawata, por sua vez, comenta que a ideia principal veio de Jun Takeuchi, que já desenvolveu alguns títulos da série e produziu Resident Evil 5. Como já é sabido, os eventos de RE7 ocorrem na cronologia existente do jogo, alguns anos após os eventos de Resident Evil 6.

O diretor comenta que de fato decidiram voltar às raízes para proporcionar uma completa experiência de horror, por exemplo, através de um personagem que não está preparado para este tipo de situação, jogado em um pesadelo sem saber o que lhe aguarda, sendo este um dos conceitos principais do jogo.

Nakanishi e Kawata reforçam que a demo não fará parte do produto final, e que além disso, alguns artifícios não estarão também. Eles revelam que a demo foi desenvolvida juntamente com o jogo principal, e que isso trouxe alguns problemas durante o processo.

Assim como a demo, a intenção do jogo principal é fazer com que cada jogador tenha uma experiência diferente ao jogar. Por exemplo, encontrar um item e não entender para que ele serve (dedinho?) entre outros fatores. A intenção da demo era oferecer uma amostra dessa sensação e percepção que estará presente no jogo principal quando for lançado.

Nakanishi percebe que muitos fãs estão preocupados sobre as mudanças da essência de um Resident Evil, mas reiterou que mesmo que a demo não revele muito sobre o que estará no jogo, a verdadeira essência da série estará presente. Uma dessas mudanças é o fato do jogo ser em primeira pessoa.

Sobre Kitchen, o título e o design do logo

É explicado também o fato de adotar o nome Resident Evil no título japonês. A tradução do termo é “Jaaku na Shujin” ou Residentes Demoníacos em português. Mesmo que Biohazard ainda esteja no título, eles sentiram que o termo “Resident Evil” se encaixa bem no conceito que o jogo vai trazer. A forma que encaixaram o 7 no Z de Biohazard e VII em EVIL, foi simplesmente genial, além de terem resgatado a tipografia clássica da série.

Também é revelado que a tech demo “Kitchen” para Playstation VR já oferecia pistas sobre Resident Evil 7, explicando que se olhar o T, ele tem uma linha cortada para sutilmente dar a ideia do número 7 do lado esquerdo. O REVIL já suspeitava que Kitchen era uma prova de conceito para o que viria a ser o jogo. Kitchen não tinha a intenção de demonstrar um jogo da série, então as pessoas nunca analisaram muito, segundo Kawata.

Quais aspectos da série serão mantidos?

Nakanishi comenta que a série evoluiu com os anos, como as mudanças de câmera aplicadas em Resident Evil 4 e agora, em Resident Evil 7. Ao passo que eles buscam manter elementos familiares, eles também buscam novos desafios e ideias para introduzir nos títulos mais novos. Resident Evil não seria o que é se não existisse essa busca por desafios, ao passo de manter o coração e atmosfera da série.

Com RE7, eles buscaram resgatar as mesmas sensações que os fãs sentiam em seus jogos favoritos, dando cada passo lentamente como se qualquer coisa pudesse acontecer ao dobrar o corredor, com o batimento cardíaco lá nas alturas. Não há batalhas na demo, mas ela foi criada com a ideia de trazer o pensamento “este é o Resident Evil que amo“.

Resident Evil 1 tem sido uma forte fonte de inspiração para a equipe de desenvolvimento, em especial o fato de resgatar os sustos e arrepios que ele proporcionou, mas agora em níveis elevados em Resident Evil 7. Para isso foi decidido adotar a câmera em primeira pessoa.

Sobre a RE Engine e o progresso de desenvolvimento

Resident Evil 7 faz uso da nova engine proprietária chamada “RE Engine”. Nakanishi revela que eles desejavam um motor gráfico que tornasse o jogo muito realista, então decidiram fazer do zero, com muita dedicação e esforço. Kawata, por sua vez, revela que não é apenas RE7 que se beneficiará desta engine, mas futuros jogos também.

Ambos estão extremamente emocionados com a reação dos fãs após o anúncio do jogo na E3 2016, e que buscam com que os fãs colham os frutos do trabalho, suor e lágrimas que os desenvolvedores estão colocando, e assim tenham mais uma vez orgulho da série. Por fim, eles comentam que o jogo está 65% completo em sua fase de desenvolvimento.

Resident Evil 7 será lançado em 24 de janeiro de 2017, para Playstation 4, PC e Xbox One. O jogo terá suporte ao Playstation VR e pode ser adquirido antecipadamente nas lojas virtuais, nas versões padrão e deluxe (que virá com episódios extras e DLC). Fiquem ligados no REVIL para ficar por dentro de todos os detalhes desse jogo promissor.

Fonte: Play-Asia (via Famitsu )

%d blogueiros gostam disto: