A importância e a história que Resident Evil possui no universo dos games são inquestionáveis. Com 23 anos, a franquia ainda consegue chamar a atenção dos fãs com lançamentos e novos rumores. Porém, a Capcom sofre para trazer o universo de Raccoon City até os torneios de eSports. Apesar de algumas tentativas, o jogo ainda precisa de algumas mudanças para conseguir seguir o ritmo de outros sucessos atuais.

Em março deste ano, o torneio Twitch Rivals de Resident Evil 2 passou por mudanças de última hora que acabaram gerando algumas críticas de jogadores. Apesar do sucesso com a premiação de US$ 15 mil disputada entre 20 jogadores de diferentes países, a organização do torneio mostrou que ainda precisa de melhoras. O potencial da franquia para esses eventos continua sendo algo grande e que em algum momento será um sucesso.

Somando todos os jogos lançados, Resident Evil já vendeu mais de 84 milhões de títulos em todo o mundo. Esse sucesso não diminuiu com o tempo, já que as novidades ainda chamam a atenção e os números de fãs aumentam. O sétimo jogo da franquia, por exemplo, passou dos 5 milhões de unidades vendidas com apenas alguns meses de lançamento em 2018, o que mostra que o game precisa apenas aproveitar esses números e entrar no mundo competitivo.

A maior aposta da Capcom parece ser exatamente o remake de Resident Evil 2, que conseguiu boas vendas e também críticas positivas. No primeiro semestre, como mostram os dados obtidos pelo portal Meio Bit, o jogo vendeu mais que New Super Mario Bros. U Deluxe, um dos maiores jogos da Nintendo para o console Switch. Foram mais de 3 milhões de unidades na primeira semana após o lançamento oficial.

O cenário dos eSports

Mesmo com bons números no mercado, a importância de entrar no cenário competitivo é grande. Atualmente, as grandes empresas estão apostando pesado nos eSports e conseguindo bons lucros. Em 2018, a revista Forbes divulgou uma lista de algumas das empresas mais bem-sucedidas que estão investindo nestas competições. A norte-americana Cloud9, por exemplo, possui uma receita de US$ 310 milhões com 11 times diferentes.

Outro exemplo de sucesso acontece com o popular jogo Dota 2, que domina o mercado de eSports por alguns anos. Já foram mais de US$ 170 milhões em premiações para equipes e jogadores que disputam o The International, espécie de Mundial da categoria. O site Techtudo fez uma lista com as maiores premiações do ano passado, e Dota 2 está sempre no topo.

O jogo Counter-Strike:Global Offensive é outro título que mostra a força dos eSports e pode ser até uma referência para a Capcom. A disputa do StarLadder Berlin Major promete equilíbrio pela premiação de US$ 500 mil. A Team Liquid e a Astralis são apontadas como favoritas no portal de apostas de eSports da Betway. No dia 8 de agosto, a equipe norte-americana aparecia com 36,4% de chance de vitória, ficando na frente dos dinamarqueses.

Resident Evil 2 competitivo

Recém-lançado em janeiro deste ano, o remake de Resident Evil 2 foi bastante elogiado pela boa jogabilidade. Por isso, o título virou uma espécie de arma para que a Capcom conseguisse finalmente explorar o universo dos eSports com os zumbis. A ideia é uma competição em que os jogadores vão coletando itens de diferentes valores, precisando superar fases repletas de zumbis e chefes. Quem atingir o maior valor em itens, acaba se consagrando o vencedor.

 

Apesar de alguns fãs gostarem da ideia, é muito pouco para o universo da franquia. Resident Evil possui diferentes jogos, que vão desde a história principal até o modo Outbreak. Por isso, os produtores precisam explorar mais e criar melhores cenários. A Capcom poderia até utilizar a influência de Street Fighter, que é um sucesso em competições e possui torneios com premiações milionárias ao redor do mundo.

O sucesso de Resident Evil como um dos eSports é questão de tempo, já que a franquia é forte demais para ficar de fora deste universo. No entanto, a pergunta que fica é quando a Capcom vai começar a investir para que isso aconteça. A próxima novidade da empresa, divulgada no início do ano, ainda é um título inédito. Quem sabe este seja pensado mais profundamente em termos de interatividade e se torne ideal para um grande torneio.

%d blogueiros gostam disto: