Resident Evil virou passado para Shinji Mikami, mas não quer dizer que o desenvolvedor japonês não esteja ligado no que está acontecendo com a franquia criada por ele há mais de 20 anos. Ainda, o afastamento não impede que Mikami reconheça que a Capcom pode ter acertado com Resident Evil 7.

O foco do japonês, no entanto, agora é outro: The Evil Within 2, a continuação do jogo de terror lançado pela Bethesda em 2014. Dessa vez ele sai da cadeira de diretor e dá espaço ao John Johanas, responsável pela DLC The Assignment.

Ao site JeuxVideo, Mikami contou que Resident Evil foi, obviamente, uma influência para The Evil Within – e as referências muitas vezes são nítidas. No entanto, ele diz ter se inspirado mais em Resident Evil 4, seu último jogo da série na Capcom, para conceber o primeiro jogo da série. Agora, ele e o diretor John Johanas estão buscando mais referências no primeiro Resident Evil para a continuação, The Evil Within 2.

Outras inspirações para o jogo viriam de filmes e de séries de TV atuais, como Outcast e The Exorcist.

O IGN também perguntou a Mikami se ele ainda acompanhava outros games de terror e o japonês prontamente afirmou que havia ficado de olho em Resident Evil 7:

“Eu não diria que eu acompanho muito, mas fico de olho neles como qualquer fã de jogos de terror ficaria. Em termos de jogos mais recentes, Resident Evil 7 foi belamente concebido” – Shinji Mikami.

A resposta de Mikami é bem diferente das declarações dadas por ele sobre outros jogos da franquia, como Resident Evil 5. O criador da franquia de survival horror chegou a dizer que “não jogaria o game” e, que antes mesmo de jogá-lo, já não gostaria da experiência: “não vou gostar, porque não é o jogo que eu faria”. 

Será que Resident Evil 7 ficou mais próximo da visão que o criador da série gostaria de aplicar após RE4?

Via IGN, JeuxVideo e Kotaku.

  • Rafael Gens

    Mano isso foi lindo,mikami manja

  • gustavo lopes
    • Luis Felipe Soares

      KKKK.

  • Maximiliano da Silveira Simões

    Se Shinji Mikami estivesse trabalhando ainda com Resident Evil, com certeza a série não teria se perdido, 5,6 e 7 jogos horríveis, o 7 então descaracterizou toda a história inicial da série, ficou parecendo um outro jogo de terror mas com o nome de Resident Evil, a série sempre foi exemplar, digna de ser inspiração para outros games, ultimamente está sendo ao contrário, ela está copiando as ideias dos outros, eu baixei o RE7 Pirata e nem se quer terminei, larguei ele de mão por que não curti, não me senti jogando um genuíno Resident Evil, ele me lembrou muito Outlast só isso, eu quero saber mesmo é do Remake de RE2 e torço para que seja como o Remake de RE 1 Remaster, mesma câmera, mesma trilha sonora, e espero que os próximos RE não sejam uma cópia de Gear of War como os RE 5 e 6, ou uma Cópia do Outlast -_- sejam criativos Capcom, sejam a referência que sempre foram!!

    • Jose Modolo

      Lembrar Outlast e foda… Sendo que a franquia Clock Tower que iniciou o conceito de Stalker, e não Outlast…

      • LucasGabriel

        Não fala isso, daqui a pouco aparece nego falando “Evil Tower 7”, “Clock Evil 7”, “Resident Tower 7”.

        • ratStar

          Tower Evil 7, Evil Clock 7, Resident Clock 7, Seven Resident Tower Evil

    • Eva4Ever#ThankYouEva

      Não entendi?
      Descaracterizou onde? Pq a historia se encaixa perfeitamente dentro da franquia
      E tipo vc sabe que câmera em primeira pessoa não torna um jogo em Outlast né, que de sobrenatural tbm não tem nada,sem contar que vc tem que enfrentar seus medos em RE não fugir deles ops
      E tipo vc nem terminou o jogo
      https://i.imgur.com/bt4XUxw.gif

      • LucasGabriel

        “Bitch Whatcha gonna’do?”

    • Ao contrário de você, eu realmente senti que estava jogando o verdadeiro Resident Evil. A ideia que RE7 parece com Outlast é falácia, jogue-o completo e vai notar que é um verdadeiro Resident Evil, mais precisamente, parecido com o RE1. Não é porque ele é em 1ª pessoa, não é RE e por isso vá se parecer com Outlast, nada disso é verdade. Perceba os elementos do jogo, é bem dos primeiros RE e tem nada a ver com Outlast. Dê uma chance a ele e você vai notar.

      • Matheus Nícolas

        Faço dos seus comentários o meu, brow. Fechei o game 3x, e você sente que é um jogo resident evil sim

      • DJ _X_ leitinho

        Assino embaixo! O CRIADOR deu o aval, então quem quiser continuar com mimimimimimimimimimimi que continue! Survival horror forever!

        _X_

    • Ethan Winters

      ”Copia de Outlast” mds… EU ACHAVA QUE ISSO PAROU, mesmo tendo armas, inimigos e cenários de RE1… mas não… fazer oq?

      • Hugo Souza

        Nego ainda implica com a câmera e caga e anda para os outros aspectos que diga-se de passagem são extremamente fiéis aos clássicos. Eu me senti jogando a trilogia original só que em primeira pessoa, é fantástico!

    • Hugo

      Tudo isso que vc falou é verdade.
      Aliás, o bonde do re7 já passou faz tempo.
      O negócio agora é aguardar mesmo por RE2 Remake e a capcom vai ter que acertar nesse.
      Acertaram com RE1 Remake, portanto espero que eles sigam o mesmo padrão que tiveram antes.

      Eu mesmo prefiro que a série siga em frente com remakes do 2, 3, code verônica, outbreak 1 e 2…
      Melhor que ficar nesse troca-troca de estilo de jogabilidade.
      Capcom tá trocando as bolas igual a quem troca de roupa.

      • Hugo Souza

        Poxa, xará, aí a franquia não vai para frente…

    • Rodrigo Zika!

      Serio mesmo? Re nunca copiou ninguém? Chola mais

    • LucasGabriel

      O único que pode ser considerado um jogo ruim é RE6. RE5 e RE7 são ótimos. Pra mim isso parece opinião das massas (de haters).

  • Mike

    Talvez agora que “Deus Mikami” falou bem de RE7, o número de haters diminua. Ou não.

  • Nando Fiurst

    fico imaginando o mikami lokão de açido quando viu o chris pela primeira vez no 5

  • Ethan Winters

    Mikami, apenas falando verdades… CLARO QUE ELE VAI FALAR BEM, RE7 É O QUE RE1 ERA PARA SER PARA ELE, oque não deu para fazer em 1996, eles fizeram agora, em 2017, PRINCIPALMENTE A CÂMERA EM PRIMEIRA PESSOA

  • RODRIGO

    QUERIDO SHINJI MIKAME, volta pra CAPCOM, você está fazendo falta, e apesar de continuar com evil within, recupere Resident Evil também, por favor a capcom precisa de você

  • Rodrigo Freitas

    Acho engraçado que quando o revil postou essa notícia no facebook,eu notei que teve POUQUÍSSIMOS comentários falando mal do jogo,parece que o jogo virou não é mesmo?os haters(não todos) do jogo agora estão concordando com o Mikami?

  • Guilherme Rodrigues

    Afirmação do Mikami sobre Resident Evil 7 é bem coerente. Mesmo que Resident Evil 7 não seja algo inovador e um jogo “Oh meu Deus! Que dadiva dos Deus é isso?!”, é um jogo pé no chão, um bom jogo e um ótimo Resident Evil, fez o nome da franquia se redimir consideravelmente após o Piada Evil 6. É bom saber que o Mikami ainda acompanha a franquia, mesmo que não seja do lado de desenvolvimento.

    • Rodrigo Freitas

      fiquei até um pouco surpreso dele falar sobre jogo,eu achava que ele não tava nem ligando pra franquia

      • Guilherme Rodrigues

        Eu também imaginava que já não desse tanta importância assim, mas acabou sendo uma surpresa, e uma boa.

    • Rivershield

      Que é um jogo pé no chão isso ninguém pode negar. Se por um lado RE6 tentou fazer um pouco de tudo, mas fez mal, por outro RE7 se focou em uma única direção, e fez exatamente como proposto.
      Particularmente considero RE7 como um bom jogo de terror, mas ainda assim um péssimo Resident Evil.
      RE5 e 6 não são bons exemplos de Resident Evil, mas RE7 também não.
      Espero que a Capcom abandone essa ideia.

  • LucasGabriel

    Um RE tão bom. Pena que ainda não alcançou a meta de vendas que deveria. E que a Capcom não veja isso como um fracasso, porque se ver, vai ser muito descontente

    • Wesley Guedes

      Acho que não vão ver como fracasso, já que as previsões de venda eram baixas e o orçamento do jogo era menor.

    • Protagonista Do Gta

      Independente das vendas, RE7 causou um impacto positivo pra franquia, pode não ter acertado dessa vez, mas ele será lembrado, e isso que importa a longo prazo, que venha RE8.

      • Thiago Gonçalves

        Falta ver o direcionamento da Capcom, ele focará em jogos bons criticamente aclamados ou em jogos medianos que vendem? A pior coisa que aconteceu para RE foi RE5 e RE6 venderem pra baralho.

  • ratStar

    Pra você ver como RE7 é um bom Resident Evil (e não um bom jogo de ação, como outros jogos aí). Coerência é tudo. Até o próprio criador da saga, mesmo com todo o problema ocorrido com a Capcom, sabe apreciar uma boa iteração de sua obra mais famosa. Que venham RE8 e TEW2.

  • Daniel

    Com essa declaração o Mikami deu 2 baldões de água fria nos haters:
    1-Que o The Evil Within foi sim totalmente inspirado no RE4
    2-Que ele gostou do RE7, HAHAHAHAHA!!
    Quero ver os mimizentos de plantão agora ficar falando “volta Mikami, volta pra colocar Resident Evil nos trilhos novamente.” Se foderam.

    • Felipe Lima

      discordo em partes nobre amigo. ele não disse que foi TOTALMENTE inspirado no RE4, que a propósito é um dos meus preferidos. Em relação aos haters do R7 ele amenizou dizendo que ” em termos de jogos recentes ele foi belamente concebido”, em outras palavras, é algo bonito de se ver. Mas essa questão se ele tivesse no comando… pode ter certeza que a série não teria seguido por caminhos tão tortuosos como em RE 6, Revelations e, como ele mesmo disse, nesse RE 5 que sequer jogaria.

      • Paulo Alves

        Realmente se ele não tivesse saído da série os caminhos serão outros

      • Paulo Alves

        realmente, se ele estivesse no comando ainda os caminhos seriam outros.

    • Ryo

      Chora e espera seu “Not a Hero” fanboy

      • Daniel

        Então só por que eu gostei e gosto do RE7, sou fanboy agora?
        E quanto a chorar e esperar por Not A Hero:Pra dizer a verdade, estou cagando e andando, por mim a DLC pode ser cancelada. Vejo que o chorão aqui é você, que não admite que RE7 trouxe o terror e survival horror de volta a franquia, aceita que dói menos.

        • Andrei Sokholov

          Você é fanboy sim cara,admite. fan desse Outlast Hill ai com sua pioneira câmera em terceira pessoa…
          Confessa!

          • Rodrigo Zika!

            kkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • Miguel Blair

    Essa declaração foi pra ” cortar as cabeças” dos haters.

  • Blizza

    Mas e esse Outlast Evil ai, como fica?

  • Rodrigo Zika!

    Boa Mikami, calou a boca de muitos, RE nunca se inspirou em ninguém, só copia, SQN haters.

  • Luis Felipe Soares

    Bem, acho que a opinião do próprio criador da franquia conta mais do que a de muitos outros.

  • Marcos

    RE7 é um bom jogo sim. Mas a gente tem q reconhecer, Mikami mandou bem mais em The Evil Within do q RE4…começo a achar q o problema tá na capcom…

    • Vipo Free

      Não gostei muito de tew, joguei umas 2 horas e parei.

  • DJ _X_ leitinho

    Bacana! Eu tava curioso pra valer sobre a opinião do Shinji Mikami, quanto à RE7.
    E eu tinha certeza que ele havia gostado do jogo. Pois eh SIM um retorno ao Survival Horror. Com câmera em primeira pessoa ou não, isso não importa. RE voltou a ser um Resident Evil, resgatando inclusive coisas esquecidas como Save, Puzzles e Munição Escassa por exemplo.
    Para os antis que estão pirando pelo fato de comercialmente RE7 estar vendendo um pouco abaixo do esperado, ENGULAM ESSA. O Mestre, o criador, o gênio por trás dessa franquia foda, assinou embaixo, então, acabou a discussão. RE7 é SIM um ótimo RESIDENT EVIL. Espero que NUNCA MAIS tenhamos Residents of Duty!
    REVIL se vcs conseguirem de alguma maneira, peguem a opinião de Shinji Mikami sobre Umbrella Corps, pra ver se ele pelo menos vai conseguir falar algo.. hauahauahauahauahauahauahauhau

    E quanto a The Evil Within 2, SÓ O FATO DELE DIZER QUE VAI SE INSPIRAR EM RE1 (o maior jogo da minha vida, um pouco acima de RE2 e Super Metroid) SÓ ISSO JÁ ME FAZ SONHAR COM O JOGO!!! TEW 1 já foi excelente, TEW 2 será ÉPICO!!
    O que será que o mestre vai aprontar em TEW 2 hein? Câmera estática? Jogabilidade tanque? Vai e volta várias vezes à procura de itens? Mapa? Um vilão foda como Wesker?

    Uma coisa eh certa! Eu quero esse game!

    _x_

    • Adrian Kovacs

      RE7 pode ser bom, mas não é RE.

      • Rodrigo Zika!

        Não sabia que você poderia determinar o que e RE, defina pra você não para os outros.

        • Adrian Kovacs

          Nem pra ser relativista vc sabe.

    • kevin carmo

      Eu parei de ler no resident duts . Comentário lixoso

      • DJ _X_ leitinho

        Tá certo. Tanto que meu comentário tem várias curtidas e o seu não tem nenhuma 😀

        _X_

  • gustavo lopes
  • matheus vieira

    eu fico imaginando se Shinji Mikami não tem saido da capcom como resident evil estaria agora e uma pena

    • Hugo

      O jeito agora é esperar por RE2 Remake.

      • Delk Kalopsia

        O que estou desejando para 2018! ♥

    • Rodrigo Zika!

      Boa kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • Casal Japonês Emocionado

    Admirável a atitude do Mikami, apesar de achar RE7 um jogo extremamente mediocre, até mesmo para os padrões de 1998..,

    • Marcos Vinícius

      ”apesar de achar RE7 um jogo extremamente mediocre”

      MEDÍOCRE?
      Cara, tudo bem não gostar do 7, mas ele está longe de ser medíocre.
      Se ele fosse uma tremenda merda, não teria sido tão aclamado (tanto pelos fãs com mente aberta, quanto pela mídia especializada) … Fazia quanto tempo que a franquia em si não era tão bem ”comentada” ? Desde o 4 / 5 ou o Revelations 1 ? Porque, depois de 2012, só veio desgraça (Remasters não contam).

      • Casal Japonês Emocionado

        Sim, medíocre, o pior é que ele vai gradativamente piorando com o progresso do jogador.
        Acho que o jogo começou bem no trecho da casa principal, a primeira luta contra o Jack foi sensacional, até você começar a notar a limitação do Jack Baker, todo o senso de urgência e medo vai por água abaixo quando vc vê que ele não pode te seguir em 60% da casa principal, quando vc atravessa a fenda na sala o Jack vira um zero a esquerda, esse foi o meu primeiro balde de água fria, cerca de 40 minutos dentro do jogo, o principal antagonista, já não é mais uma ameaça…
        O efeito dos “mofados” em você acaba na décima vez que vc fechou uma porta na cara deles, até o segundo confronto com o Baker, é ai que vc pensa que a coisa vai engrenar, mas é uma luta completamente bugada, vc começa a notar a falta de cuidado da Capcom, o backtracking do primeiro naco do jogo, mesmo que de forma simples, é jogado pela janela, e da lugar a um level design completamente linear, dentro da antiga casa, vá do ponto A ao ponto B, avance mais um pouco no ponto A e avançe mais um pouco no ponto B, repita até o confronto com o chefe da area. Agora no lugar do Jack chega a marguerite, e o que ela faz? nada! vc pode ficar parado ao lado dela que as moscas lentamente vão tirando a sua vida, ela não vai tentar te empedir, ela não vai te atacar fisicamente, ela não vai correr atrás, vc simplesmente se afasta ou passa correndo por ela e ponto, achei extremamente mal pensado, toda essa parte, pelo menos a luta contra ela foi legal…
        Ao voltar pra casa principal confeço que senti um feeling de Resident Evil, as luzes apagadas, e os inimigos espalhados em lugares diferentes, pena que isso não dura nem 30 minutos, destrancamos algumas portas pegamos alguns files e vamos pro celeiro.
        A única novidade é o mofado gordo, na primeira sala vc já sabe das bombas e das caixas explosivas, resolve o puzzle mais bem elaborado do jogo e parte pro último confronto com o Jack, outra vez mais um chefe bacana…
        Ai chega a hora de fazer a “escolha”, quem salvar? não importa, nas próximas horas finais do jogo isso só vai afetar 2 minutos de Cutscene, e uma lutinha repetida com a Mia, mostrando mais uma vez o desleixo da Capcom com o jogo, o que poderia ser interessante levando em conta que daqui pra frente a gente vai encarar um dos piores cenários e mais tediosos da história da franquia, a gnt é obrigado a sentar e jogar a última fita toda vez em que chegamos nessa parte, o que deveria ser opcional a meu ver, deixe o jogador decidir, mas não, senta e deixa o script te levar pelos próximos 30 minutos, todo o resto não vou nem comentar, corredores e salas escuras enferrujadas, com toneladas dos mesmos inimigos que enfrentamos o jogo inteiro até esse ponto, só relaxa, a Evie não é uma ameaça física, o papel dela e apenas dar os Jumpscares do jogo, aquele cliche da garotinha emcapetada que todo mundo pede mais (só que não), 2 horas de corredores e inimigos repetidos depois a gente é presenteado com uma das boss fight mais anticlimáticas da história, basicamente uma cutscene.
        Isso tudo sem contar os problemas constantes de pop-in com texturas mal feitas, isso resume minha experiência com RE7, 230 Reais, com absolutamente nenhum conteúdo extra, não ligo muito pra mídia especializada, Resident Evil 7 caiu no efeito Star Wars, algo velho que o público estava doido pra ver de volta, ele foi glorificado pela mudança, pela volta as raízes, reacendeu o fogo no pessoal que jogou antigamente justamente por ser um survival, mas era fogo de palha, com o passar do tempo a galera notou que nem foi tão bom assim, a falta de interesse dos jogadores e a estagnada nas vendas de RE7 ilustra exatamente isso que eu falei, a experiência não grudou, RE7 é um jogo mediocre.
        (OBS: Revelations 1 não foi tão bom assim também não)

      • Casal Japonês Emocionado

        Sim, medíocre, o pior é que ele vai gradativamente piorando com o progresso do jogador.
        Acho que o jogo começou bem no trecho da casa principal, a primeira luta contra o Jack foi sensacional, até você começar a notar a limitação do Jack Baker, todo o senso de urgência e medo vai por água abaixo quando vc vê que ele não pode te seguir em 60% da casa principal, quando vc atravessa a fenda na sala o Jack vira um zero a esquerda, esse foi o meu primeiro balde de água fria, cerca de 40 minutos dentro do jogo, o principal antagonista, já não é mais uma ameaça…
        O efeito dos “mofados” em você acaba na décima vez que vc fechou uma porta na cara deles, até o segundo confronto com o Baker, é ai que vc pensa que a coisa vai engrenar, mas é uma luta completamente bugada, vc começa a notar a falta de cuidado da Capcom, o backtracking do primeiro naco do jogo, mesmo que de forma simples, é jogado pela janela, e da lugar a um level design completamente linear, dentro da antiga casa, vá do ponto A ao ponto B, avance mais um pouco no ponto A e avançe mais um pouco no ponto B, repita até o confronto com o chefe da area. Agora no lugar do Jack chega a marguerite, e o que ela faz? nada! vc pode ficar parado ao lado dela que as moscas lentamente vão tirando a sua vida, ela não vai tentar te empedir, ela não vai te atacar fisicamente, ela não vai correr atrás, vc simplesmente se afasta ou passa correndo por ela e ponto, achei extremamente mal pensado, toda essa parte, pelo menos a luta contra ela foi legal…
        Ao voltar pra casa principal confeço que senti um feeling de Resident Evil, as luzes apagadas, e os inimigos espalhados em lugares diferentes, pena que isso não dura nem 30 minutos, destrancamos algumas portas pegamos alguns files e vamos pro celeiro.
        A única novidade é o mofado gordo, na primeira sala vc já sabe das bombas e das caixas explosivas, resolve o puzzle mais bem elaborado do jogo e parte pro último confronto com o Jack, outra vez mais um chefe bacana…
        Ai chega a hora de fazer a “escolha”, quem salvar? não importa, nas próximas horas finais do jogo isso só vai afetar 2 minutos de Cutscene, e uma lutinha repetida com a Mia, mostrando mais uma vez o desleixo da Capcom com o jogo, o que poderia ser interessante levando em conta que daqui pra frente a gente vai encarar um dos piores cenários e mais tediosos da história da franquia, a gnt é obrigado a sentar e jogar a última fita toda vez em que chegamos nessa parte, o que deveria ser opcional a meu ver, deixe o jogador decidir, mas não, senta e deixa o script te levar pelos próximos 30 minutos, todo o resto não vou nem comentar, corredores e salas escuras enferrujadas, com toneladas dos mesmos inimigos que enfrentamos o jogo inteiro até esse ponto, só relaxa, a Evie não é uma ameaça física, o papel dela e apenas dar os Jumpscares do jogo, aquele cliche da garotinha emcapetada que todo mundo pede mais (só que não), 2 horas de corredores e inimigos repetidos depois a gente é presenteado com uma das boss fight mais anticlimáticas da história, basicamente uma cutscene.
        Isso tudo sem contar os problemas constantes de pop-in com texturas mal feitas, isso resume minha experiência com RE7, 230 Reais, com absolutamente nenhum conteúdo extra, não ligo muito pra mídia especializada, Resident Evil 7 caiu no efeito Star Wars, algo velho que o público estava doido pra ver de volta, ele foi glorificado pela mudança, pela volta as raízes, reacendeu o fogo no pessoal que jogou antigamente justamente por ser um survival, mas era fogo de palha, com o passar do tempo a galera notou que nem foi tão bom assim, a falta de interesse dos jogadores e a estagnada nas vendas de RE7 ilustra exatamente isso que eu falei, a experiência não grudou, RE7 é um jogo mediocre.
        (OBS: Revelations 1 não foi tão bom assim também não)

    • Rodrigo Zika!

      Zzzzzzzzzzzzzzz

  • Delk Kalopsia

    Para mim Resident Evil parou quando alterou todo o tema, desde jogabilidade a história, Resident Evil tem e tinha muita história para ser contada, não precisava alterar todo roteiro e história, a única coisa que presta neste 7 é a música tema, maravilhosa, “Go Tell Aunt Rhody”!

    Resumindo: RE1, RE2, RE3, RE Code Veronica X, RE File Outbreak 1 e 2 foram os únicos que prestaram, o que estou esperando de verdade é o RE2 remasterizado! ♥

    • Marcos

      Ou seja, você quer mais do mesmo !
      – Resident Evil nunca fugiu do ”tema” que são as armas biológicas, essa franquia nunca foi sobre zumbis.
      – Era preciso inovar na época (com o 4) ou você queria aquela jogabilidade ”tanque” e zumbis lentos pra sempre ? Não viaja.
      – Roteiro e história ? Cara, o arco que iniciou no 1 TERMINOU no 5, o 6 nem precisava existir.
      – Você tem que encarar o 7 como um ”reinicio”, um novo arco que ainda esta sendo desenvolvido, pelo menos, é o que dá a entender.

      Esses ”fãs raiz”, vou te contar … Se os clássicos fossem tão bons assim, porque Resident Evil não é exatamente igual a eles até hoje ? Hein … A franquia precisa de mudanças pra sobreviver tantos anos, viver na mesmice desde 1996 é tenso. Claro que o 5 e 6 fogem totalmente da essência da série (survival horror / terror) porem, agora temos o 7 que trouxe isso de volta se encaixando no gênero de terror atual.

      Um ressalve: Não fique muito faceiro com o Remake do 2, a Capcom pode muito bem meter um cooperativo naquele game, é possível se ela quiser vender milhões e agradar o povo do shooter, até porque, ninguém merece o Umbrella Corps.

      • kevin carmo

        Mano , a ADA tá com todos os tipos de vírus . Porq o 6 não deveria existir ?! Os cara são muito tosco

    • Adrian Kovacs

      RE 4 venceu o VGA e é o jogo mais popular e bem recebido pelo público e pela crítica.

    • Delk Kalopsia

      Pode ser pela crítica, por mim não, ainda bem que não comprei o RE4, até o Resident Evil Zero é melhor que qualquer um, por mim pararia no último que teve zumbis de verdade!

      Não vi ainda, mas os “Revelations” possuem zumbis ou são a mesma merda?

      • Daniel Lima

        Amigo, o revelations é bom só isso

      • Rodrigo Zika!

        Zumbis? Vai ver TWD cara

    • Rodrigo Zika!

      Seu comentário e sem nexo algum

    • Eva4Ever#ThankYouEva

      “Alterar todo roteiro e história”
      Como assim???
      Desculpa mas só pelo seu comentário dá pra ver a falta de atenção que vc possui em relação à série.
      Re7 literalmente continua o arco iniciado lá na época do RE2 e foi abandonado no RECV.
      A graça de RE mora nos detalhes, e se vc não presta atenção nesses detalhes vc perde muito conteúdo interessante.

    • Hugo

      Tenho a mesma opinião que a sua, esses jogos que vc citou são os meus preferidos tbm.

      Agora sobre re7, nem a trilha sonora escapa.

      E que venha o remake do RE2, 3, CV, outbreak 1 e 2 e por aí vai…

    • Walisson Silva
    • Rodrigo Zika!

      Ta mais vai jogar, e não venha perder tempo, e uma opinião pessoal, fim.

  • Legend

    Quando vi Re 7 pela primeira vez, já ”torci o nariz” logo de cara, já falei :

    – ”Sapoha não é Resident”

    Então decidi dar uma chance para o game e sabem o que é mais engraçado ? Ao joga-lo vc descobre que Re 7 é mais Resident Evil do que o Re 5 e 6 kkkkkkkk sério, é uma puta ironia, o jogo tem puzzles, enredo empolgante e misterioso, com reviravoltas, personagens carismáticos, uma porrada de combinação de itens e armas e é claro (e mais importante), o terror, enfim, só que o pessoal fica ”meio assim” por que não tem o Leon e cia e não é em terceira pessoa !

    Me arrisco a dizer que é hipocrisia dizer que Re 7 não é Re e não achar o mesmo de Re 6 (que eu nunca vi ngm falando…).

    Só tenho uma coisa para dizer para vc amigo que não gosta de Re 7, se vc não o jogou, primeiro jogue e depois tire suas conclusões, mas se vc jogou e ainda acha que Re 7 não é Resident Evil, então caro colega, sinto te dizer, mas vc não se identifica tanto com os clássicos quanto acha que se identifica, seu negócio é Re shooter ! Abs

    • kevin carmo

      So falo merdaa . Enyao pode se dizer que alone in yhe dark é RE. Porq tem puzzles , terror e tudo mais . Quer dizer que pra ser RE tem que abandonar a história original só porq os fã viúvos da mansão e de raccon city tavam sentindo falta do terror, e esquecer os personagens principais e forçar uma história pífia com personagens fracos ?! Que merda

      • Legend

        Vou fingir que não li o que vc escreveu abiguinho !

        • kevin carmo

          Se for pra falar merda nem comenta mesmo

          • Legend

            mimimi quer arrumar treta na internet o kid kkkkkkkkk

    • Thiago Gonçalves

      Eu não diria que RE7 é uma ironia e sim um fato, a concretização de uma ideia do jogo voltar às origens. Infelizmente não é hipocrisia de quem reclama, é birra mesmo, um chororô infernal e sem medidas porque o jogo não supriu a expectativa que eles tinham de RE7 ser um RE5 ou RE6 com novidades.

  • kevin carmo

    Re 6 >>> re 7 . Quer terror migra pra outro jogo . A história continua . Lembrando que o jogo sempre trato de armas biológicas , e as proporções que isso tomo foi mostrado no 6 . Enfim . E fã viúvo da mansão e raccon city pra falar merda do 6 .

    • Marcos Vinícius

      Não viaja, Resident Evil / Biohazard sempre foi survival horror / terror, dá para inovar sem perder a essência, mas depois que Mikami saiu da franquia que a coisa virou uma salada, nem sabíamos mais se jogávamos um Resident Evil ou outra coisa.
      E por fim, a ”história” (ou o arco do Wesker, como preferir) terminou no 5, eles podiam ter criado um arco novo no 6, porém, a história se fecha ali mesmo no game (lembra do final da campanha da Ada ?).
      Tentaram dar ”continuação” no Vendetta, mas foi apenas mais do mesmo. Ou seja, a Capcom ainda esta perdida.

    • ratStar

      Quanta asneira em um só comentário. Então quer dizer que “o pai do survival horror” não deve ter terror???? Quer ação? Migra pra outro jogo, ou aproveita aí o seu RE6….Ah, tem também o Umbrella Corps recém lançado pra você se divertir!

  • Thiago Gonçalves

    E digo mais, se Mikami estivesse produzindo um RE o jogo teria uma pegada de TEW, trama mirabolante, cheia de mistérios e uma organização nova com seus planos sórdidos e não esta divisão de Ying e Yang da Umbrella (renascida). Isso que temos em RE7 pode render algo bom? Pode, mas será que a foderosa Capcom (no sentindo bom e ruim) conseguirá realizar isso? O adiamento de NaH, pode ser uma luz para o prosseguir da saga de RE ou não.

  • Vinicius Poço

    Resident Evil 7 é muito bom , tirando alguns probleminhas como a história previsível e pouco empolgante, final chato e pouca variação de inimigos, se corrigirem isso no 8 vai ficar muito bom msm

%d blogueiros gostam disto: