Perfil

Nome: Alexander Ashford
Nascimento: desconhecido
Altura: desconhecido
Peso: desconhecido
Tipo Sanguíneo: desconhecido
Afiliações: Umbrella (1968-1983)
Status: Morto (1998)

Alexander Ashford se tornou o patriarca da sexta geração da família Ashford, após a morte de seu pai, Edward. Especialista em engenharia genética, foi responsável pelo avanço do projeto CODE: Veronica, que era uma tentativa de fazer o nome da família Ashford voltar a ganhar prestígio. Alexander foi responsável pela construção da Base de Pesquisas da Umbrella na Antártida, e foi diretor do local por 14 anos. Seu grande objetivo era criar a “reencarnação” da primeira matriarca da família: Veronica Ashford, que teve sua beleza e inteligência ecoando através dos tempos.


O peso do sobrenome e o projeto CODE: Veronica

1968 – 1969

Em 1968, Ozwell E. Spencer, James Marcus e Edward Ashford fundaram a Umbrella em meio as pesquisas com o vírus Progenitor. Nesse mesmo período, a família Ashford atingiu o ápice de sua prosperidade, mas tudo mudaria muito antes do que se imaginava.

Alexander, que trabalhava ao lado de seu pai nas pesquisas com o Progenitor, viu o peso do nome Ashford cair todo em suas costas, quando em julho de 1968, Edward é infectado acidentalmente com o Progenitor durante as pesquisas e morre.

Alexander passou então a ser o patriarca da família Ashford, com a responsabilidade de dar continuidade a prosperidade que seu pai tinha trazido para a família. Com a morte de Edward, o interesse de Spencer no que os Ashfords poderiam proporcionar à Umbrella diminuiu, principalmente porque o novo patriarca não possuía os mesmos talentos do pai, nem mesmo para ser um chefe de pesquisa.

Foi justamente essa pressão, que o fez tomar uma série de decisões duvidosas que colocaram o nome Ashford em cheque, inclusive dentro da própria Umbrella.

Pouco depois da morte de seu pai, Alexander havia começado a trabalhar no projeto CODE: Veronica, que visava criar um clone da matriarca da família Ashford, Veronica, que possuía inteligência e beleza muito acima da média, algo que ficou marcado e atravessou gerações.

O projeto CODE: Veronica era a esperança de Alexander de colocar o prestígio da família Ashford de volta nos trilhos e vingar-se do desdém de Spencer, reconquistando uma posição de destaque dentro da Umbrella.

Em fevereiro de 1969, Alexander ordena a construção da Base da Umbrella na Antártida, e em segredo ordena que seja construído um laboratório secreto para abrigar as pesquisas do projeto CODE: Veronica. Em nove meses a base foi concluída, e embora fosse de propriedade da Umbrella, o laboratório subterrâneo foi mantido em sigilo por Alexander Ashford.

Os gêmeos

1971 – 1981

Durante suas pesquisas, Alexander conseguiu descobrir o elemento genético que determina a inteligência do ser humano. Com esse conhecimento, ele extraiu os genes do corpo mumificado de Veronica, e os manipulou a fim de aumentar a inteligência do ser proveniente daquela experiência. Após fazer isso, ele implantou o embrião no útero de uma mãe de aluguel, e como resultado, em 1971 nascem os gêmeos Alexia e Alfred Ashford.

Alfred nasceu portando apenas uma inteligência pouco acima da média e por este motivo, foi considerado um fracasso. Já Alexia foi considerada como o grande sucesso da experiência: seu intelecto era muito superior ao normal, tornado a garota uma verdadeira genia.

Tanto, que apenas 10 anos após o seu nascimento, ela se graduou em uma universidade, tornando-se chefe de pesquisas da base da Antártida. Pouco tempo após este fato, ela também conseguiu criar um novo vírus, o T-Verônica. No entanto, a grandiosidade de Alexia e a obsessão pelo T-Veronica preocuparam Alexander e ele criou a arma Linear Launcher para combater as criaturas geradas com o vírus da filha.

Com o brilhantismo de Alexia ecoando em todos os cantos da Umbrella, Alexander acreditava que finalmente o nome da família Ashford voltaria a ter o respeito devido, e que isso poderia alçá-lo a posições de destaque dentro da companhia, mas ele não esperava que os segredos do passado pudessem se voltar contra ele.

Pagando pelos segredos do passado

1983

Em 1983, Alfred descobre uma passagem secreta na Base da Antártida, onde segredos da família Ashford são guardados. Em fevereiro daquele ano, ele e Alexia descobrem que na verdade são frutos de uma experiência de manipulação genética feita por Alexander.

Os dois ficam revoltados com o fato e planejam se vingar de seu pai. Alexander fez o que fez, na tentativa de acobertar seus erros do passado, que fizeram com que ele fosse o grande responsável pela ruína que tomou conta da família Ashford. Como vingança, Alexia infecta Alexander com o vírus T-Veronica, que induz uma rápida mudança celular no organismo de Alexander, destruindo seus tecidos e células cerebrais.

Ele foi incapaz de incorporar o vírus ao seu organismo, e acaba se transformando em um monstro, que ficou conhecido como Nosferatu. Alfred e Alexia trancam a criatura em uma sala secreta na Base da Antártida, e o deixam lá, relegado e sem contato com o mundo exterior.

Além de vingança, a infecção de Alexander com o T-Veronica era um teste que Alexia deseja fazer, e, vendo o resultado da infecção em Alexander, ela chega a uma nova conclusão sobre o vírus, e conduz experimentos em seu próprio corpo.

Após o sumiço repentino de Alexander, Alfred se declara sucessor da dinastia Ashford, e toma a frente dos negócios da família como novo patriarca.


Aparições

  • Alexander Ashford está presente em Resident Evil CODE: Veronica, além de ser citado em files e ter retratos seus espalhados pelo Palácio e pela Mansão dos Ashfords na Ilha Rockfort. Ele aparece também como o monstro Nosferatu, que foi no que ele se tornou após ter sido infectado com o vírus T-Veronica por sua filha Alexia.
  • Ele também aparece em Resident Evil: The Darkside Chronicles, no cenário “Game Of Oblivion” e no jogo Resident Evil: Survivor 2, que recontam os acontecimentos de CODE: Veronica.

Curiosidades

  • Sua única aparição sem ser transformado em Nosferatu, se deu em RE: The Darkside Chronicles em um vídeo com instruções para o uso da Linear Launcher. Fora isso, só o vemos transformado ou em retratos espalhados pelas propriedades dos Ashfords.
%d blogueiros gostam disto: