O REVIL recebeu um convite especial da Capcom Brasil para jogar, em primeira mão, a demo de Resident Evil 2 Remake exclusiva da Gamescom! A experiência foi a portas fechadas, mas calma que vamos comentar nos mínimos detalhes a nova build do jogo. Apertem os cintos e vamos aos fatídicos acontecimentos da incrível demo de Claire Redfield.No começo do mês, também tivemos a oportunidade de jogar a demo de Leon S. Kennedy durante a Warner Summit aqui do Brasil. A demonstração era focada na exploração dos claustrofóbicos corredores da R.P.D., na resolução de puzzles e no combate frente a frente com zumbis, em ambientes escuros e intimidadores.

A nova build disponível na Gamescom deste ano é a de Claire Redfield e é bem diferente da demonstração de seu parceiro Leon. A demo da personagem traz um pouco mais de “ação”, isso mesmo! Novos cenários, batalhas de tirar o fôlego e personagens surpreendentes deram as caras nesse novo gameplay, e tivemos cerca de 20 minutos para desfrutar de tudo isso. E como era de se esperar de um remake desse calibre, a qualidade está impecável.

A nostalgia dos ambientes em 4K

Quando jogamos a DEMO de Leon, a primeira sensação que nos veio a cabeça foi: é tanta nostalgia que parece que estamos jogando Resident Evil 2 pela primeira vez no Playstation 1. A nova build de Claire intensifica ainda mais este sentimento de nostalgia. A cada sala ou lugar em que entravamos, vinha uma pequena lembrança dos velhos tempos.

O demonstração começa no gabinete do delegado Brian Irons, aquela mesma sala onde ele é visto pela primeira vez com a filha do prefeito morta sobre a mesa. Um ambiente redondo, com o mesmo gosto peculiar do delegado: Livros, quadros enigmáticos e alguns animais empalhados nos cantos da sala. Tinha a presença de um puzzle nesta sala, no entanto não era possível resolvê-lo.

É possível dizer, logo após subir e descer algumas escadarias, que o ambiente continua intimidador. Você consegue perceber que algo ruim está por vir, e isso resgata aquele estado de alerta, que faz parte da essência do Survival Horror.

Não muito tempo depois chegamos a um cenário muito conhecido por todos que jogaram o clássico. No começo confesso que demorei para sacar onde eu realmente estava, até me dar conta de que era a sala onde no clássico usamos as peças do xadrez para abrir uma porta. O ambiente está espetacularmente irreconhecível, um labirinto escuro e cheio de fumaça, que atrapalham um pouco a visão do jogador.E por último temos o icônico estacionamento da R.P.D. Também totalmente reformulado, escuro e intimidador. Tentamos ir até o corredor do necrotério, ou até mesmo a prisão, mas infelizmente ambos os corredores estavam trancados, mas subentende-se que é possível explorar estes ambientes na versão final do jogo.

Os personagens e trama

Logo após entrar na sala do puzzle do xadrez, a primeira cutscene da demonstração acontece. Nela, Claire tenta mover um armário para abrir espaço em um corredor escuro, no entanto, se depara com uma pequena garotinha fofa de os olhos azuis esbugalhados de medo. Sherry Birkin faz sua primeira aparição em Resident Evil 2.Leon e Claire ficaram perfeitos neste remake, mas ouso dizer que Sherry foi a que ficou mais fiél se comparada com o design do jogo original . O uniforme escolar da garotinha é bem fiel ao de uma criança daquela época (1998) e a voz da personagem é tão calma e doce que torna a criança mais amável ainda. Isso corrobora para que o jogador queira proteger a menina a todo custo.

As primeiras palavras de Sherry para Claire são: “You need help”. Claire assustada, olha para trás e se depara com um dos vilões mais temidos de toda a franquia, William Birkin. Aí meu amigo, uma boss battle frenética se inicia, tornando essa demonstração a mais espetacular até o momento.Willian Birkin… Não consigo definir em palavras a perfeição dos detalhes deste indivíduo. Totalmente e fielmente redesenhado, com um gráfico extremamente realista, reafirmando ainda mais que a RE Engine é sim a resposta para alguns problemas da franquia Resident Evil.

O vilão cai com Claire nos labirintos da sala do puzzle do xadrez. Willian está com o suna fiel barra de ferro, e vai pra cima da garota como se não houvesse amanhã. No momento do combate eu estava com alguns itens primários como pistola, sub-metralhadora, grenade launcher e alguns itens secundários como faca e granada – sim, a granada está de volta. Como todo bom jogador de Resident Evil que se preze, gastei logo as balas de grenade launcher no vilão e me surpreendi pois a arma deixava o vilão todo queimado, SIM! O fogo deixava o vilão com parte do corpo toda preta e tostada, e eu me surpreendi num nível inexplicável com este detalhe.Depois de ser agarrado 2 vezes, finalmente consegui derrotar o vilão com uma granada, e logo se iniciou a clássica cutscene dele caindo no abismo, só que desta vez conseguimos ouvir o barulho dele caindo na água.

Logo após o embate contra o monstro, subi para a garagem e lá tivemos outra surpresa: Brian Irons.Se antes as pessoas já não gostavam do chefe de polícia, nesta versão do game elas vão gostar menos ainda. No clássico não era tão claro a magnitude da arrogância e canalhisse do personagem, mas graças o poder da RE Engine, agora conseguimos ver em detalhes as feições do vilão e pegar mais ranço ainda.Irons surge das sombras nos momentos finais da demonstração, ao que tudo indica ele estava atrás de Sherry e queria levá-la para Annete, a mãe da menina. Logo o xerife rende Claire e pede para que Sherry amarre a garota. Logo após um diálogo arrogante, o xerife mostra seu lado cruel e faz uma pequena chantagem psicológica contra a pequena Sherry, dizendo que se ela não o obedecer, mataria sua nova amiga. Como uma boa porreta que é, Claire começa a responder Irons de volta com total desprezo, até ser interrompida por um ato violento do xerife, que agride a garota com pontapés e tapas. Bom, se tivermos a oportunidade de matar o xerife na versão final do jogo, o faremos com muito prazer.

Nos mínimos detalhes

Agora falando um pouco sobre exploração, itens e alguns detalhes importantes que não podemos deixar passar, tive a oportunidade de explorar totalmente tudo o que estava disponível na demonstração e algumas coisas são importantes citar.

Logo após a exploração da sala do xerife Irons e as escadas, consegui juntar alguns itens como balas de pistola, munição incendiária para o lança granadas, algumas ervas e pólvoras. Também conseguimos perceber alguns detalhes interessantes, como por exemplo, uma maquete da Delegacia de Polícia de Raccoon City. Nesta maquete, é possível notar a presença de uma torre de relógio.“Mas ué? Uma torre de relógio?” Sim caros leitores. Na versão original do jogo em 1998, não existia uma torre de relógio na delegacia e sim um andar, o que deixa meio duvidosa as teorias de que aquele local mostrado nos primeiros trailers de Resident Evil 2 possa ser a Clock Tower. Talvez seja uma nova área da delegacia e talvez possa até mesmo ser explorada.

Na área das escadas, percebi a presença de um rádio na cintura de Claire, o que me faz acreditar que até esse ponto do game, o seu encontro com Leon na R.P.D já aconteceu. Para quem não se recorda, no original o primeiro encontro de Leon e Claire depois do acidente na cidade acontece nos corredores após a sala dos S.T.A.R.S., e nesse encontro cada um dos personagens fica com um rádio para manterem contato.Outra situação que me fez pensar um pouco é o encontro de Claire e Willian Birkin. No clássico de 98, quem encontra o vilão pela primeira vez na sala do puzzle das peças de xadrez é Leon, e não a Claire. Isso reforça ainda mais o fato de que no remake, teremos “mistura” dos cenários A e B, com acontecimentos simultâneos dos dois personagens.

Logo após o encontro com Irons, o vilão leva Sherry pelo portão que estava trancado no estacionamento usando o cartão magnético, levando a garotinha para as ruas de Raccoon City. Isso abre margem para a Capcom expandir ainda mais o gameplay, levando o jogador para novos cenários e até mesmo ao encontro com outros personagens e inimigos.

Impressões da demonstração

Depois da honra que foi a Capcom Brasil nos convidar para jogar essa demonstração da Claire em primeira mão, sendo ela uma build exclusiva de imprensa e da Gamescom, sou suspeito para dizer mas Resident Evil 2 Remake é tudo aquilo que os fãs mais desejavam.

A riqueza dos detalhes e da qualidade gráfica é impressionante. Os desenvolvedores não pouparam esforços para fazer um jogo com cenários e personagens extremamente bem trabalhados, e uniram isso com o enredo rico de Resident Evil 2, sendo o match perfeito.

O cuidado nos diálogos e nos personagens é outra coisa notável. Em um deles, Sherry conta para Claire que sua mãe trabalha para a Umbrella. “Umbrella? Aquela grande empresa farmacêutica?”, Claire fica impressionada com o cargo da mãe da garotinha, nem desconfiando que a mesma era responsável todo aquele caos na cidade.

Claire também aproveita para falar de seus pais, algo que até o momento não tínhamos muitas informações. A universitária conta que seus pais morreram a muito tempo, e que sua única família, é seu irmão Chris Redfield. Por conta disso, a pequena Sherry acaba se identificando ainda mais com a personagem.

Outro diálogo interessante é entre Irons e Claire. Logo após ser rendida e agredida, Claire diz: “Meu irmão é um S.T.A.R.S., você mal perde por esp…” e apanha mais vez do chefe de polícia. Apesar do desconforto da cena, é interessante ver a garota enaltecendo seu irmão.

A escassez de munição e itens de cura também me fizeram amar a demonstração. Isso mostra ainda mais que Resident Evil 2 trará a verdadeira experiência de Survival Horror que todos os fãs tanto esperavam.

Confira também a nossa análise da demo em vídeo:

O REVIL gostaria de agradecer a Capcom Brasil, a Warner, e especialmente o Fabio Santana, Dennys Michelassi e o Ruan Segretti pela oportunidade. Ficamos muito gratos e felizes de nosso trabalho estar sendo reconhecido por profissionais tão competentes!

Resident Evil 2 será lançado no dia 25 de janeiro de 2019 para PlayStation 4/PS4 PROXbox One/Xbox One X e PC (Steam). No Brasil, somente as versões de consoles serão distribuídas de forma física pela WB Games, com direito à fabricação nacional. O título chega ao País com legendas em português.

%d blogueiros gostam disto: