A Capcom divulgou o relatório financeiro referente ao primeiro trimestre do atual ano fiscal, que iniciou em abril de 2017 e finaliza em 31 de março de 2018, revelando os principais dados da saúde financeira da empresa e o desempenho de seus diversos produtos, inclusive Resident Evil 7.

De acordo com o relatório, a Capcom como um todo aparentemente está bem, apresentando crescimento de 7,5% de vendas líquidas entre abril e junho deste ano, comparado com o mesmo período em 2017. A situação de Resident Evil 7, entre outros títulos, não parece tão animadora. A Capcom revela que RE7 e Monster Hunter contribuíram de “certa forma” para o aumento nos lucros.

Ao final do ano fiscal anterior, Resident Evil 7 havia alcançado a marca de 3,5 milhões de vendas ao redor do mundo em apenas dois meses. Porém, nos últimos 3 meses, conseguiu alavancar apenas 200 mil unidades a mais, atingindo a marca de 3,7 milhões de unidades enviadas às lojas e vendas digitais combinadas.

A franquia como um todo segue forte, ultrapassando 78 milhões de unidades vendidas globalmente dentro todos os títulos lançados, incluindo spin-off. A seguir, o TOP 5 de títulos mais vendidos:

  1. Resident Evil 5 (PC, PS3, X360) – 7,2 milhões de unidades.
  2. Resident Evil 6 (PC, PS3, X360) – 6,8 milhões de unidades.
  3. Resident Evil 2 (PS1) – 4,96 milhões de unidades.
  4. Resident Evil 7 (PC, PS4, XB1) – 3,7 milhões de unidades.
  5. Resident Evil 3 Nemesis (PS1) – 3,5 milhões de unidades.

Ao passo que 3,7 milhões de unidades não é um número ruim, comparado com os últimos lançamentos da franquia, Resident Evil 7 mostra forte queda de fôlego nas vendas ao longo do tempo de vida, mesmo com promoções e descontos realizados constantemente na Steam, PSN e Live.

O que teria causado essa aparente perda de interesse? Será que foram os diversos lançamentos de peso de 2017? Os jogadores perderam o interesse? De qualquer forma, a situação é preocupante uma vez que a DLC Not a Hero foi adiada e a Capcom não se manifesta a respeito. A softhouse havia prometido constantes lançamentos de conteúdos adicionais para RE7, o que não está acontecendo.

Fiquem ligados no REVIL para todas as novidades sobre Resident Evil 7!

Fonte: Capcom IR & Capcom: Platinum Titles

  • Rafael Araújo

    Para mim ñ vai fazer falta, mas foi bacana a intensão de voltar as raízes, uma pena o VR ter atrapalhado essa intensão.

  • LucasGabriel

    Também, olha o preço astronômico do jogo. Só não comprei na Steam pq meu PC q tinha a capacidade de rodar RE7 acabou parando de funcionar, pq olha, o preço tá bacana lá. Já na live e na psn é exploração ao ser humano.

  • Fabricio Barbosa

    Não sou o dono da verdade, mas penso que o que está ocorrendo com RE7 é que a CAPCOM não está sabendo lidar com a pós-venda do título. Como assim? Não está alimentando as discussões e o hype em torno do próprio jogo.

    A dlc Not a Hero, por exemplo, que aparentemente é o grande plot-twist do título, a princípio sairia na primavera americana. A CAPCOM adiou o projeto, jogou algumas informações genéricas no ar e simplesmente não falou mais nada a respeito. Daqui a 1 mês e meio já teremos atravessado duas estações e nada daquilo que seria o grande gancho do jogo terá saído. Assim sendo, não há outra: Se o resto do jogo não é polêmico, não possui multiplayer dinâmico e depois de algumas jogadas vc o domina por completo, o game irá minguar. Todo jogo tem um prazo de validade, e são algumas variáveis que determinarão se a de um projeto será maior que outro. Eu gostei muito de RE7, terminei-o 5 vezes, platinei, tive o hype, MAS PASSOU. Hoje já não coloco mais a mão, não tenho mais interesse. Engraçado que toda a época que estive envolvido com o título passou tão rápido. Ao mesmo tempo que me empolguei muito – e até hoje ainda gosto muito do jogo – essa empolgação passou rápido.

    Houve tbm grande publicidade em cima de RE Vendetta; provavelmente ocorrerá sobre REvelations 1 para a nova geração tbm, mas isso não justifica Not a Hero no esquecimento. RE7 faz parte de um campo totalmente novo que a franquia está atravessando e não acho que a CAPCOM possa perder o timming disso ou se dar o luxo de deixar a carne passar do ponto certo. É sabido que qualquer porcaria não deve ser produzida, mas informações e marketing devem estar trabalhando em cima tbm.

    Bom, é o meu ponto de vista. RE7 está caindo no esquecimento, a ponto de ninguém mais comentar, porque seu grande gancho foi esquecido, não sendo comentado e nem alimentado nada há pelo menos uns 4 meses.

    • Constantinopla

      Seu argento não faz muito sentido. Eles salvarem o Not a Hero pra depois é bom pois assim isso sobre o jogo irá alavancar mais discussão sobre o jogo no futuro. Você queria que eles lançassem tudo do jogo de uma uma vez? Isso seria pior.

      • Maester Alex

        Nesse ritmo Not a Hero será lançado apenas após RE8.

      • Fabricio Barbosa

        Acho que vc não me compreendeu muito bem ou eu não me expressei direito. O problema não é a CAPCOM lançar um título de forma repartida e deixar o melhor para o final, mas é ela perder a mão do tempo com o qual divide essas partes.

        Veja, se vc faz uma festa que começa as 18h, vc não deve servir os salgadinhos e em seguida servir o bolo. Por outro lado, vc não pode deixar pra servir o bolo as 6h da manhã do dia seguinte, a menos que vc tenha muitas atrações boas (acredite, muitas mesmo) nesse meio tempo que fazem o doce ser apenas um detalhe. Resident Evil 7 serviu um ótimo buffet mas se esqueceu da sobremesa. Problema é que ela não está apenas demorando, mas a CAPCOM, como dona da festa, disse: “vai ter doce sim… só não sabemos a hora que iremos servir, valeu? Enquanro isso, se empanturrem aí com o que já tem”. As pessoas numa determinada hora começarão a se levantar e irão embora.

        Não sei se foi uma boa metáfora, mas foi a que melhor encontrei pra ilustrar minha opinião.

        • Hugo Souza

          Faz sentido, essas Dlc’s day one deveriam ter sido lançadas aos poucos, e com preço camarada.

    • Max

      Além de que a ansiedade por RE2 Remake fazem muitos esquecerem de RE7.

    • Thiago Gonçalves

      Concordo plenamente, o tempo de validade da “carne” está passando, e mesmo se o tempero(NaH) que dá um gosto a mais tivesse sido colocado nela, o estado de vida dela seria o mesmo, pois estaríamos sem saber da última DLC de RE7. A Capcom não se preparou para um imprevisto e isso vai ficando evidente conforme o tempo vai passando, de 3,5 milhões para 200 mil é uma queda assombrosa.

    • Protagonista Do Gta

      perfeito cara.

  • Constantinopla

    Nego tá exagerando muito isso. RE7 é um jogo linear, levemente curto e sem multiplayer, esse tipo de jogo não chama a atenção á longo prazo mesmo tendo sido um dos melhores jogos da franquia desde o Code Veronica.

    • Max

      Se o jogo tivesse um modo Mercenaries com a possibilidade de jogar coop online, isso provavelmente ajudaria a aumentar a vida útil do jogo,

  • Ethan Winters

    1ª Possibilidade: Depois de RE6 , muito dos fans que eram das antigas abandonaram a saga, assim então os fans de RE4, RE5 e RE6 também não gostaram da nova proposta, E RESTOU SÓ ESSAS PESSOAS QUE COMPRARAM 2ª Possibilidade: O JOGO É CARO DE MAIS, é um absurdo o preço desse jogo 3ª possibilidade: idiotas que não aceita inovação, MUITAS PESSOAS FICARAM DE MIMIMI POR CAUSA DA CÂMERA, 4ª possibilidade, OS VACILOS DA CAPCOM, primeiro que eles deixam todas as DLC’S pagas caras pra kralho, segundo que o jogo nem conteúdo tem direito, SÓ EM DLC, e terceiro que, a capcom fez uma idiotice de transformar NaH em uma DLC, seria melhor eles deixar o jogo lançar no final desse ano, SÓ COM A NOT A HERO, as pessoas que ficam tipo ”Eu prefiro jogar um jogo completo… NÃO UM QUE VOCÊ FICA COMPRANDO AOS POUCOS”…. É ISSO… fazer o que? talvez NaH salve, sem contar que tem a outra 3ª DLC do jogo, TÁ VENDO PORRA? SÓ TEM DLC NESSE JOGO, eu fico desgraçado da minha cabeça!!!!

    • Max
    • Sokholov

      Ei amiguinho, quer participar no grupo de hangout que o pessoal aqui da seção de comentários criou? Já tem umas 10 pessoas lá. Você só precisa informar um Gmail/email do Google ai então eu te envio um convite que você deverá aceitar e então pronto! Fico no aguardo.

  • Max

    É muito difícil um jogo de survivor horror conseguir vender mais de 3 milhões de cópias, não é um estilo de jogo que atrai as massas como jogos de ação e RPG por exemplo, a Capcom deveria está satisfeita com as vendas.

  • Nightmare

    Resident evil 7 é um jogo OK… acho muito exagero quem diz que é um jogo ruim, pois não é, o que eu acho que faltou nesse game foi mais originalidade, foi muitas referencias a outros games e filmes e pouca coisa nova, fora que jogos em primeira pessoa dificilmente tem um personagem interessante…

  • Guilherme Rodrigues

    Resident Evil 7 vendeu muito bem para um jogo de SH em primeira pessoa, ainda mais sendo um jogo single player que não apresenta conteúdo extra algum (obviamente não estou incluindo as DLCs). Não é surpresa o jogo ter ficado morno em relação as suas vendas.

  • Lord Bhaaleito bebun

    Não tem muito mistério, o preço continua alto, mais a frente quando o jogo entrar em varias promoções em cada plataforma é provável que o acumulo de vendas chegue a mais de 5 milhões, tem também a conta das copias piratas que vários devem ter optado ao preço salgado do game.

    Desde que fiz minha analise pessoal no game acredito que é por esse caminho que a franquia deva seguir, somente restando voltar a terceira pessoa com opcional em primeira para ficar próximo da perfeição.

  • Maester Alex

    A culpa disso é da própria Capcom. O jogo não possui modo multiplayer, nem conteúdo extra após terminar o jogo. A história é linear, a única escolha que se faz não muda praticamente nada e os dois finais são quase a mesma coisa. Além do jogo custar caro, ainda tem que comprar dlc pra conseguir os extras.
    E falando em dlc, a Not a Hero que estava causando alvoroço foi adiada pra não se sabe quando e o pessoal até esta se esquecendo dela, e tem outra dlc que não se tem qualquer noticia.
    E quando digo multiplayer, não estou dizendo que o jogo tinha que ter coop no modo principal, mas algum modo extra tipo Mercenaries ou Raid que pudesse ser jogado com outra pessoa.

    • Lord Bhaaleito bebun

      Nos games de interlúdios da franquia (revelations) Multiplayer ou co-op é bem vinda, mas na franquia principal numerada acho que nunca faz falta, aliais acho que só atrapalha, o 5 e o 6 são os meus menos apreciares por conta desse fator.

    • LucasGabriel

      Não ia fazer muito sentido um modo multiplayer pro RE7. A própria trama do jogo deixa evidente que é um jogo que você deve jogar sozinho. A não ser que adicionem um modo co-op no Not a Hero, tipo um parceiro pro Chris enquanto ele tá caçando o Lucas, ainda mais porque o Chris sempre tem algum parceiro na hora de enfrentar esse tipo de coisa, vide Jill, Sheva, Rebecca e Piers.

      • Maester Alex

        Não vejo porque com o fato do modo principal ser feito pra jogar sozinho, tenha necessariamente que significar que os extras também. Existe um monte de jogo que possuem modo história single player, e modo extra multiplayer sem qualquer história, como é o caso da série Uncharted e a maioria dos Assassins Creed..

        • Nightmare

          Jogos de terror com multiplayer não combinam muito… eu sei que existe, mas resident evil e multiplayer não iria dar certo…

  • Eu disse pra continuar com a historia do dedo do manequim. Um enigma melhor que o jogo. lol

  • ratStar

    Numa época em que os jogos estão cada vez maiores e mais caros pouca gente vai querer investir num game que não traz conteúdo extra nenhum no jogo base. Talvez quando o jogo tiver a versão completa, com NaH e todas as dlcs inclusas por um preço justo o game volte a vender, mas a Capcom já perdeu o timing…

    • Sokholov

      O pessoal aqui dos comments criou um grupo do Hangouts do google, quer participar? Lá esta o Marcos, Juan, “Jo”(foto da Mia Winters), o Thiago e o Protagonista do GTA.

      • ratStar

        Simmm, como faço para participar?

  • Erivelton Freitas

    O mercado gamer está se tornando cada vez menos democrático e acessível. Anteriormente, devido a pirataria, ele era um meio mais inclusivo do que é hoje. As novas tecnologias dificultam o acesso ao conteúdo – não que pirataria seja legal, muito pelo contrário. -, e com isso, os gamers das gerações anteriores ficam deslocados, por terem outras prioridades mais vitais em vez de se preocuparem com uma futilidade como jogos.

    Uma vez, alguém disse que jogos são ‘um artigo de luxo para a nova classe média’. Na época, eu não concordei, mas hoje vejo que a frase tem sentido. No entanto, acho que todo os games perdem força após seu lançamento.

    Resident Evil 7 foi lançado em Janeiro, e já estamos em Agosto, estavam mesmo esperando que ele vendesse bem até agora?!

    • Thiago Gonçalves

      Sim, com toda certeza, talvez se NaH tivesse sido lançado em seu tempo poderia ajudar este número de vendas crescer, afinal de contas, a grande maioria jogou suas expectativas nela devido o desenrolar da história do jogo. Games sempre foram caros é só olhar o preço dos consoles antigos e seus jogos e acessórios e o salário que povo brasileiro ganhava em suas respectivas épocas, infelizmente o avanço forçado da tecnologia de hoje em dia ajuda a afastar algumas pessoas por causa do custo para se manter aparelho com novidades, fora a crise que o país vive com sua politica corrupta e seus impostos altos que sempre aumentam e não revelam benefícios para a sociedade em tal média.

  • Rodrigo Zika!

    Muitos sentiram falta de um mercenários, ou um modo coop, acho que seria sim possível ter no jogo, pelo fato dele ser só single player, acho normal ter essa queda, se a DLC que nunca mais falaram nada for boa o suficiente, quem sabe não tenham nos vendas.

  • Igor Matheus

    Uma pena que o preço cobrado pelo jogo ainda seja alto, mesmo depois de 6 meses de lançamento. Talvez essa seja uma das razões que explique as vendas abaixo do esperado. Some a isso ao sumiço do Not a Hero e a ausência de extras realmente relevantes.

  • Hugo

    E que venha RE2 Remake.

    • Biscoito18

      Estamos todos esperando. O bonde de RE7 já passou

  • Thiago Gonçalves

    A pior coisa de RE7 é ele não ter um fator replay alto e ser picotado, ele é um jogo que você termina e depois termina de novo pra ver o segundo final (se não quiser ver na net) e só, alguns modos das DLCs poderiam vir junto com o jogo final para deixá-lo mais “jogável” e assim DLCs trabalhadas na história do game poderiam serem feitas, fora novos modos que ajudassem a esticar o tempo de vida do game.

  • Tiago Ferradás

    Gente, tudo o que sobe, desce. Mais do que natural a queda nas vendas.
    Resident Evil 7 é bom jogo, mas do meu ponto de vista, a Capcom errou feio com as DLC. A princípio eram várias e que traziam muito pouco (ou quase nada) de conteúdo ao jogo propriamente dito. Era mais do que óbvio a função caça níquel delas.
    Depois foi feito todo um alvoroço sobre o Chris de Not a Hero, criou-se todo um hype sobre o conteúdo da DLC, pra depois ela ser adiada e sem previsão de lançamento. E bom, o hype passou… Abriu se uma grande lacuna e outros jogos de peso foram lançados nesse meio tempo, não houve mais nada de novo sobre p jogo ou sobre a DLC.
    Some isso ao fato de o jogo não ter muito fator replay, aa projeção de vendas exagerada e que RE7 agradou mais o público antigo da série, que é menor do que os que vieram com RE4, é mais do que natural que haja essa queda.
    Tenho pra mim que a Capcom perdeu o timing do jogo.

    • Felipe Bressane

      Admiro opiniões de gente coerente! Meus parabéns! Concordo em todos os pontos citados.

  • Monokuma

    Acho que as vendas sairam baixas devido a seu alto preço mas pouco conteudo, se vendesse o jogo por 130$ e o deluxe por 240$ acho que sairia mais justo

  • Pericles alves berto

    aquele not a hero não foi lançado ainda? antes estavam fazendo um reboliço por causa dele

  • Marcos Alves

    A campanha de RE7 é muito boa e superior, pelo menos em minha opinião, ao que vimos nos últimos títulos da série. Porém, as DLC’s que já foram lançadas são totalmente irrelevantes, o que diminui o fator replay do jogo. Pra falar a verdade, o único extra que me interessei em jogar até o fim foi aquele joguinho de cartas.

  • Eva4Ever#ThankYouEva

    Bom, pelo menos não flopou o que já é ótimo, agora a esfriada em vendas é bem óbvio o pq né.
    Tipo a falta do Not a Hero que obviamente já deveria ter sido lançado e o silencio da Capcom em relação as DLCs restantes tbm não ajudam.
    Mas poderia ser pior, igual foi com as vendas do RE6 no inicio.

  • bem a campanha do 7 não e grande o que ja te faz parar de jogar rapidamente em menos de 5h voce zera ele,e linear o que não ajuda muito no fator replay mesmo tendo 2 finais não muda muita coisa,assim tornando o jogo “esquecivel” por sua curta vida,hoje quase não se lança jogos tão curto como ele,o jack mesmo foi super curta a participação dele,eu achava que ele seria como um nemesis te perseguiria o jogo todo… mas não e o primeiro boss e apos voce o derrotar o jogo torna mais monotono,mesmo amando o re7 ele e muito curto e ainda ta caro demais pra um jogo de 5h

  • nicolas navarro

    Amo RE7 pelo que ele trouxe aos fãs de novo e velho com um semblante atualizado. Entretanto, esse é o único resident evil sem modos extras para divertir o jogador e melhorar a sua rejogabilidade. É um resident evil curto, pois os 40% finais do jogo (começo do segmento do navio em diante) são um tédio. E é um jogo com uma história e personagens que até então não acrescentaram em nada à franquia. Pior ainda é ser um resident evil magro em conteúdo extra, mas cheio de dlc supervalorizada que ainda assim não tem rejogabilidade interessante.
    Não me levem a mal, eu adorei o jogo e daria um 8.5/10.0 de tanto que gostei. Mas a falta de conteúdo dói o coração.
    Acredito que esse seja o principal motivo para a perda de fôlego, assim como 2017 estar sendo um ano com fortes títulos sendo lançados. Também como acredito que as vendas não como esperadas pela Capcom são advindas do mal gosto que RE6 deixou na boca das pessoas quanto a série e as mudanças que RE7 traz afastaram muitos “potenciais compradores”

    • Edair Ribeiro

      Sei que isso é sua opinião, como todos nós temos, mas 8.5 é mais do que um exagero, na minha opinião é o pior Resident Evil de todos, entre os numerados e spin off. Um game onde nem a produtora tem coragem de por a fala do nome do jogo quando se entra pra jogar, tipo um New game, lamentável decepção.

  • Blizza

    Sério que RE6 é o segundo RE mais vendido da história? Já se ve que quem clama pro survival horror é minoria

    • Yumi Yamazaki

      ele e o segundo mais vendido pelo numero de remartes e pela quantidade de console que saio o re6 tem ate pro nokia 3310 e pelo hype gerado na epoca tambem não conheço ninguem que era fa que não havia comprado o 6

    • Marcos

      Mas isso foi culpa da Capcom que cagou no rumo que a franquia tomou depois do 4, eles viram que shooter dá mais grana e fizeram o que fizeram pós o 5.
      Mas vendas não quer dizer QUALIDADE (Simulador de QTE/Cegueira 6) está ai pra provar, o 5 foi na onda do 4, geral comprou pensando que seria um Resident Evil 4 2.0 melhorado (e se entregando a ação completamente), porem o 5 ainda consegue ser um bom jogo de TIRO, mas terrível survival horror (há quem o diga que ele nem ”Resident Evil” é). Agora o 6 … Mesma coisa (geral foi na onda do 5 + Capcom fazendo promessas que não cumpriu) e deu no que deu. Muitos assim como eu, foi nos papos dela achando que seria uma obra prima e comprou o jogo sem pensar.

      O gênero survival horror é muito aclamado (não é atoa que TEW2 está vindo ai pra alegria da galera) só que a Capcom não sabe mais trabalhar direito nesse gênero. Assim como a maioria aqui nessa notícia escreveu, faltou conteúdo, uma campanha maior, um fator replay melhor … E por ai segue.
      O pessoal da Capcom é meio ”retarda”, eles acham que os mesmos que compraram o 5 e 6 iriam ir para o 7. TOTALMENTE ENGANADOS. Esse pessoal do shooter só quer mirar e atirar em tudo que se move, não curtem o terror / survival, logo … As vendas não serão tão esmagadoras quanto foi do 5 por exemplo.

      E por fim (desculpa o mini texto, é só uma observação ^^ ) esta faltando alguém de NOME pra ”pegar” a franquia, fica na mão de qualquer um (cada game um produtor/diretor diferente) e com ideias diferentes saindo um numerado mais diferente que os outros. Isso é muito chato, é no que dar não ter concluído a saga no 5 (e fechar pontas soltas, virou uma franquia infinita, nem adianta reclamar mais).

      • Blizza

        Pois é, mas no final do dia o que interessa pra Capcom é vender independente de qualidade e um jogo patético como é o RE6 ser o segundo mais vendido da história já deve deixar o pessoal lá confiante que isso é o que dá “certo”, mesma coisa com os filmes que apesar de horríveis sempre lucraram e assim fica com o pensamento de que se faz dinheiro não tem nada errado.

        É claro que o survival horror é muito aclamado, mas eu me referi justamente na franquia Resident Evil que pelo jeito a maioria prefere mais um próximo RE4 em questão de toda mecanica (terceira pessoa com camera fixa, mais ação) do que um próximo RE2 ou RE3 mais focado no survival horror mesmo

      • Arnold Choppa

        Ue? Mas o RE5 é definitivamente um RE4 melhorado e se o chama um jogo de tiro, também chame o 4. A diferença é que o RE5 consegue ser melhor que o 4, 6 e 7 porque tem um excelente enredo que atou todas as pontas soltas do principal arco e possivelmente o enredo mais bem elaborado da franquia (em termos de qualidade do jogo em si, diria que ambos 4 e 5 foram caprichados).
        Fora que só o capítulo LIN apela mais para o Survival Horror do que todo o RE4 junto (não sei onde dizem que tem terror no 4).Não sei porque existe sempre essa discrepância quando se fala do RE4 e 5. Para mim, o 5 é superior por inúmeros motivos e definitivamente merece estar no topo de vendas pelo brilhante enredo de RE e qualidade do jogo no geral, foi um jogo caprichado e com um tremendo conteúdo adicional, diria que foi o último jogo da franquia em que a Capcom levou o seu tempo no desenvolvimento e criou um produto com qualidade de topo… Todos os que vieram depois dele tiveram seus altos e baixos. Quanto ao RE7, eu gostei da primeira pessoa mas o jogo pecou muito em personagens, enredo, conteúdo adicional e ainda qualidade do produto como o cenário carregando em plena gameplay e expressões dessincronizadas com a fala (sobretudo na Marguerite). Não estou aqui para zoar o RE7 ou algo assim mas para colocar a minha crítica em dia, o jogo teve momentos de terror e suspense sim mas faltou aquela pitada de Resident Evil (o jogo estava mais adequado para spin off)… Por exemplo, Revelations 2 teve os seus momentos de suspense, tensão e um bom clima mais dentro dos padrões de RE, algo que o 7 deveria ter levado mais em conta.
        O fato de terem mudado radicalmente o gameplay e nem sequer ter um protagonista conhecido e ainda uma história completamente desconectada com o mundo de RE deve ter sido demasiado para os fãs.
        É um jogo que poderá ser muito bem recebido pelos fãs de terror no geral mas para quem realmente gosta de RE como um todo? Deixou muitíssimo a desejar.
        Isto para não falar da horrível e drástica mudança do Chris que mais parece um personagem totalmente novo. Talvez optaram por adiar a DLC por motivos de narrativa e também qualidade (tal como afirmaram no vídeo de desculpas), acho que não contavam com a pesada rejeição dos fãs quanto ao novo Chris que possivelmente decidiram transformá-lo em um novo personagem.
        Se fosse apenas para fazer umas melhorias na qualidade da DLC não iriam demorar este tempo todo, daí que alterações na narrativa devem estar em progresso.
        Em suma, sinto que a Capcom quis criar apenas um jogo de terror com
        superficiais referências ao lore da franquia, culminando em um jogo
        estranho para a maioria dos fãs.Só porque é terror não significa que seja RE.

        • Eva4Ever#ThankYouEva

          Mas a historia do RE7 se conecta com o resto, mais infelizmente eles deixaram o plot twist pra DLC, o que na minha opinião foi muito errado.

          • Arnold Choppa

            Concordo em relação à última parte, guardar tudo para a DLC foi um erro grave e o pior foi a mudança naquele que possivelmente é o personagem cabeça de série de RE.
            Agora, a história de RE7 é a sua própria coisa, não se conecta em nada com passados jogos, a referência à HCF no desenvolvimento da Eveline foi o máximo que se obteve… De resto, nada.
            Temos pontas soltas mais importantes como A Família e Natalia. A propriedade dos Bakers poderia ter sido nada mais nada menos que um teste por parte da Família, ficando com uma narrativa melhor e ainda conectada com o passado de RE.
            Infelizmente, temos esse plot horrível de Umbrella Azul e só deus sabe o que a Capcom aprontou. O RE7 foi um bom jogo de terror com algumas quedas de qualidade aqui e ali… Mas pior foi o enredo, péssimo mesmo, não encontro palavra pior para descrever o quão tosco tudo aquilo soou.

          • Pedro Araujo

            Concordo que estava esperando coisas mais relevantes relacionadas a um enredo geral da série para o 7, como a Natália e a Ada. Acredito que se o 7 fosse um spinoff não teria 10% das críticas da galera, pois não teria um compromisso tão grande com a história, gameplay, personagem; e ter apenas referências à serie principal seria o suficiente.

      • Dannilo

        Shinji mikami fez um excelente trabalho com the evil within, mesmo com os problemas do jogo, ele conseguiu fazer um game divertido e ao estilo resident evil [uma copia absurda, mas ele se copiou….]. Esse lance de terror em primeira pessoa não me convence, não me atrai e acredito que não atrai tanta gente também! Em todo caso, apesar de criticaram RE 5, ele tem um dos melhores arcos e com certeza o vilão mais carismático, ele é um bom shooter e o mercenaries diverte absurdamente, ele vendeu pelo nome e durou pela diversão, é bem simples entender isso! RE 7 virou jogo de nicho e por isso não vendeu muito!

  • Protagonista Do Gta

    Sacanagem, Not a Hero provavelmente não chega esse ano, fod# pensar que em 1 semana após o lançamento a capcom já estava jogando conteúdo pago goela a baixo, um monte de mini games que foram obviamente cortados da versão base pra ganhar uns trocados a mais nas custas dos fãs.

    Resident Evil 7 é um game extremamente curto e com pouco conteúdo, gostei do rumo que a franquia está seguindo agora, mas que a Capcom tem muita coisa pra melhorar ela tem.

  • Pedro Araujo

    Além do fator replay, como muitos estão pontuando, acho que a falta do coop também ajudou nessa queda das vendas do 7. Zerei todos os RE, e essa semana rejogando o 1, da steam, e o que mais senti falta foi jogar com meu tio, com quem jogo bastante o 5, 6, e os Revelations, daí um fica jogando e o outro assistindo, e o jogo acaba vendido só pra uma conta. O mesmo com um colega que preferiu vir jogar os antigos quando lançou o remaster, em minha casa, que comprar, já que é um jogo de 1. (O mesmo jogou re7 na casa de outro amigo, gostou, mas não comprou o game também).

    Claro que as opiniões divergem, muita gente acredita que o horror some no jogo de 2, mas sempre encarei resident mais como entretenimento baseado em temas trash do que medo (tubarão zumbi? kkk). Acho todos bons, tanto os antigos quanto os over-the-shoulder. Se a ideia do 7 era ter esse clima mais opressor e lembrando os jogos antigos, creio que o Revelations (1 e 2) e o Lost in Nightmares do re5 seriam boas referencias. Tem um clima bem nostálgico e mais calmo, aliado com o gameplay moderno, personagens carismáticos e a opção do coop. (Sem falar que o Lost in Nightmares permite escolher entre a camera moderna e a clássica, resolvendo uma briga eterna entre as fã bases).

    Essa semana um colega de trabalho comprou o re6 e estou rejogando o game com ele depois do expediente. Muitas pessoas que conheço não compraram o 7 porque (entre outros motivos, que não convém trazer a tona agora) iriam ter que jogar sozinhas, e o game não possui nem um Mercenaries ou Raid pra jogar com um amigo.
    *Sem falar em rezerar pra liberar as roupas alternativas!
    Desculpem pelo enorme texto, diga-se de passagem.

    • a unica coisa que realmente me assustou no resident evil foi esse mano aqui
      eu so coria dele kkkk https://uploads.disquscdn.com/images/74f5a2811c7574a1536888580a107395b3d39cb2e753addcbff79507fa277bc4.jpg

      • Pedro Araujo

        Que por sinal foi no 4, já com a câmera nova.
        É, o iron e o regenerator merecem um reconhecimento nesse quesito mesmo!

        • sim sim eu sei que ele e do 4 mas desde o 4 jogo eles tentam recriar ele inclusive os mofados tem um aparencia semelhante ao regenerator, no 6 tem o rasklapanje que tambem e parecido com o mesmo e no revelations 2 tambem

          • Pedro Araujo

            Sim. Inclusive o Rasklapanje apesar de menos assustadores considero mais problemáticos ainda porque eles REALMENTE não morrem! E aparecem no Mercenaries, onde os Regenerators não iam pelo menos! kkk

  • Nando Fiurst

    platinei o jogo em uma semana, depois j´era nada mais pra fazer, as dlcs deveriam ser extras desbloqueaveis, mas o dinheiro fala mais alto

  • Filipe Martins

    Eu sei que o que eu vou dizer não tem nada a ver com o que está sendo discutido mas já passou da hora de entenderem que não é A DLC, e sim O DLC já que DLC é abreviação de Downloadable Content (Conteúdo Baixável)

  • Bruna Mattos

    Eu posso estar enganada e espero estar, mas tô com medo de Not a Hero nem sair mais. O negócio já atrasou demais, perdeu completamente o timing – o jogo é ótimo, mas sinceramente, ninguém mais fala sobre Resident Evil 7, mesmo com o mistério e o final em aberto. As pessoas já encostaram o game, principalmente porque as primeiras DLCs não aumentaram o fator replay do jogo por que os mini-games são totalmente dispensáveis ou não viciam tipo um The Mercenaries ou Raid Mode da vida. O conteúdo atrasou e não tinha terminado de ser produzido até pouco tempo, não falaram NADA sobre isso na E3… o jogo não vende o esperado, o buzz sobre o game morre e esse silêncio? A Capcom poderia ao menos estar criando expectativa, liberando imagens, gameplay… Não vejo isso bem =/

    Pra fechar, ainda tem uma terceira DLC que tá inclusa no season pass que nem foi anunciada ainda…

    • Eva4Ever#ThankYouEva

      kkkkkkkkkkkk aí do nada eles vem com trailer e imagens e gameplay de uma vez só e vai ficar igual aquele ano do RE6 em que eles lançaram um tanto de noticia em um único dia e ngm sabia o que pensar direito.

    • tirando o que eles fizeram com o remake do 2 jogo so falarão o vamos fazer, sem imagem sem gameplay nada… pelo menos o final fantasy 7 foi anuncado com um trailer não so promesas

      • Sokholov

        Ei pessoa, quer participar no grupo de hangout que o pessoal aqui da seção de comentários criou? Já tem umas 10 pessoas lá. Você só precisa informar um Gmail/email do Google ai então eu te envio um convite que você deverá aceitar e então pronto! Ficarei no aguardo.

    • Pedro Araujo

      Principalmente pelo fato de NaH ser gratuita (Se não estou enganado).
      Quando olha vai ser igual ao final do Jake no deserto, comendo maçã, que imagino ser uma ponta pra uma possível DLC, mas nunca deu em nada.

    • Bruno Pereira

      Têm vários fatores que podem ter levado a baixa unidade de vendas de Resident Evil 7 nesses ultimas meses, e todas elas (Na minha opinião) tudo culpa da própria Capcom.

      1° O jogo em si não tem nenhum fator replay bom, e não contém nenhum conteúdo extra após ter zerado o jogo, que é o pior erro que eles poderiam ter feito sendo que Resident Evil 5 e Resident Evil 6 e os Revelations estão “VIVOS” até hoje por causa dos conteúdos extras

      2° Dlc’s extremamente fracas que não agrega nada a vida útil do jogo, tirando “Filhas” e “Quarto” que apesar de ser às únicas que acrescentam algo na historia, são extremamente muito curtas. Enfim nada que poderia ter prendido os jogadores a ficar no jogo.

      3° Sobre a questão do Not a Hero, meu amigo acha também que corre o risco da DLC não ser lançada, sendo que já se passaram messes e a Capcom não pronunciou nada a respeito, deste o anuncio do adiamento da dlc nenhuma game play, imagem, trailer e teaser NADA!!! é preocupante. Outro ponto também que vale destacar foi que a Capcom já começou fazendo merda em terceirizar uma dlc tão importante que é Not a Hero.

      4° Dlc’s fracas e Not a Hero perdendo seu timing, fez com que Resident Evil 7 caísse no esquecimento rápido, pois não tem nada de “ofuscante” para que algo pudesse ser debatido.

      5° e ultimo motivo é que pelo que eu ando vendo no Youtube, parece que a Capcom está focando em mostrar o making off de Resident Evil 7 do que trazer alguma noticia sobre o jogo. Se continuar assim RE7 vai cair ainda mais no esquecimento do que já esta.

      Observação: Ainda acho que Re7 poderia ter algum multiplayer tipo um Mercenários ou Modo Raide, isso não afetaria nada do jogo pelo contrario ajudaria a manter os jogares “presos” por muito mais tempo, e não venha falar que isso não faria nenhum sentido para um jogo de survivor horror porque isso não tem nada haver, sendo que tem vários jogos focado no sigle player que contem multiplayer muito bom, exemplo disso The Last Of Us. Outra coisa, ainda acho que Umbrella Corps era um conceito de um mini jogo para Re7 só acho.

      • vitor

        eu só não compro resident evil 7 porque não gosto de jogos em primeira pessoa
        e eu adoro o modo mercenaries(jogo o 5 e o 6 e o revelation 2 até hoje)
        acho que muitos fãs vão esperar lançar um revelations 3

        • Dannilo

          “primeira pessoa” esse é um dos pontos que o bruno esqueceu de por nos comentários pra justificar as baixas vendas! Tem outros aspectos tb como não ter personagens conhecidos……….

      • Jean Noleto Grespan

        Com esse estilo de jogabilidade, na minha opinião, fica díficil e bem chato um the mercenaries assim.

        • Bruno Pereira

          Não precisaria ser exatamente em 1 pessoa (Mercenários em 1 pessoa não daria certo de forma alguma), e sim em 3 pessoa um modo totalmente fora da campanha principal apenas para prender o jogador a ficar no jogo, assim como os RE 5, 6 e os Revelations fizeram.

  • Kyle Reese

    Na minha opinião aquelas DLC lançadas deveriam estar presentes no jogo, e não separadas. Sei lá, você teria que terminar no modo hospício para desbloquear o conteúdo extra.

  • Sokholov

    Pelo jeito que as coisas vão indo, parece-me que a Capcom ainda não tem convicção de qual rumo vai seguir, ou para ser mais específico, ainda não decidiu qual será o desfecho ̶ ̶d̶o̶ ̶c̶l̶á̶s̶s̶i̶c̶o̶ ̶P̶a̶l̶m̶e̶i̶r̶a̶s̶ ̶x̶ ̶C̶o̶r̶i̶n̶t̶h̶i̶a̶n̶s̶ qual gênero vai passar a definir a franquia.
    A Capcom fez uma tentativa ousada no RE7, porém num jogo de orçamento reduzido e curto vale lembrar. Pouco após surge o anúncio de um reboot na franquia live action que é de maneira quase certa um reflexo desse redirecionamento da franquia…Ou quase, já que o novo diretor James Wan é autor não só de filmes com temática sobrenatural como também de filmes de ação como o velozes e furiosos 7.
    E por fim temos aquela >>f*cking master piece<< (referências) chamada Vendetta, com um dos plots mais clichê e surreais possíveis (nem vou me alongar nos detalhes técnicos…).
    A Capcom ainda no lançamento do Vendetta afirmou que "não seria compatível lançar Chris e Leon num enredo semelhante ao jogo RE7" justificando então por que ao invés de um CGs aos moldes clássico, tivemos basicamente um "RE6 em filme CG".
    O que isso significa? O atraso de uma DLC com o que provavelmente pode ser o Chris Redfield teria de ter MUITA ação e pancadaria certo? Ainda que aquele que vimos no final não seja ele, o nome foi mencionado nos créditos, o que significa que se não ele, o verdadeiro vai aparecer posteriormente o que de qualquer forma sugere que vamos ter aquele cross fire de praxe que os fans da nova geração tanto gostam.
    Acredito também que o James Wan poderia se quisesse, e se tivesse aval para isso, visto que ele já produziu o "the conjuring" (invocação do mal), ele poderia fazer um filme consistente moldado na essência dos clássicos, mas não apostaria tanto nisso, não do jeito que a coisa anda.
    Ver esse relatório financeiro referente ao primeiro trimestre do atual ano fiscal esfriou ainda mais o meu ânimo, dado que dos 5 jogos mais vendidos, o 1° e o 2° são jogos de PURA ação e bala comendo solta.
    Ter um clássico como RE2 na terceira posição trás um certo alívio, de saber que esse nicho continua expressivo, o que aliás também me faz pensar por que a dona Capcom a quase dois anos NUNCA MAIS soltou uma notícia do tal Remake. (Rumores vagos apontam que ele poderia ser lançado em 21 de janeiro, em comemoração aos 20 anos do clássico, seria fantástico se fosse verdade, mas não sou tão otimista).
    Meu palpite é que o Remake do RE2 deverá definir de vez qual rumo a franquia vai seguir, não só nos jogos mas inclusive nos filmes em CG. Ou então a Capcom pode fazer uma Raccoon City de mundo aberto, com os 4 protagonistas de RE2 e RE3 jogáveis, alternando entre um e outro com um botão. Vamos virar a cidade de ponta cabeça pilotando carros, motos, ̶t̶a̶n̶q̶u̶e̶s̶,̶ ̶h̶e̶l̶i̶c̶ó̶p̶t̶e̶r̶o̶s̶ , despejando tiros de mini gun e rocket launcher em ordas de zumbis e chamá-lo de o Grande Resident Malvado. Qualquer semelhança com o 'Grande Ladrão de Carros' não é mera coincidência.

  • Fabricio Barbosa

    Visto que a galera partilha da mesma opinião envolvendo “Not a Hero”, gostaria de dividir uma observação aqui.

    RE7 foi mostrado oficialmente pela primeira vez na E3 2016, em junho do mesmo ano. O jogo por fim foi lançado em janeiro 2017, tendo se passado então 7 meses entre um período e outro.

    6 meses já se passaram desde o lançamento do jogo (final de janeiro a final de julho, onde nos encontramos atualmente) e 4 meses desde que o dlc fora prometido a princípio (início de abril até o momento atual).

    Definitivamente, a CAPCOM deveria muito levar isso em consideração quando percebeu as vendas de seu jogo minguando. Estamos falando apenas de um dlc, uma experiência reduzida em relação à campanha principal, cuja mecânica inclusive já se encontra até pronta, mas que ao que tudo indica, irá demorar mais que o jogo principal para sair a contar da data de seu anúncio.

  • andre sandim

    A Capcom nao fez a parte dela em entregar um jogo completo!

    Porque faríamos a nossa de comprar um jogo que não esta completo?

    Resident Evil 7 nao foi criado no kickstarter…

    O responsável por essa queda são eles.

    Ainda assim vendeu quase tanto quando RE2 e mais que RE3. Isso não me parece ruim.
    Acho que ja deu de RE7, se quiser mostrar algo que seja Remake de Re2 ou RE8

  • Daniel

    A Capcom é a única culpada pelas vendas baixas de RE7, ela só faz cagada, não libera logo essa DLC que por mim cancelem logo, meu hype por Not A Chris já passou, e acho que de todos também. Desde que eu platinei o RE7, não joguei mais, e não tenho interesse em pegar as minúsculas DLC’s.
    RE7 teve boas vendas, mas o hype dele já acabou, 6 meses se passaram, novos jogos no mercado, e com a Capcom só ajudando ele a cair no esquecimento, ela é a única culpada.

  • Rodrigo Freitas

    gente,parece dia 5 agosto agora vai ter a playstation experience south east asia,desculpa pelo recado que não tem nada ver com o tema,mas vamos torcer para ter alguma notícia da dlc por lá

    • Rodrigo Freitas

      e também alguma notícia do Re2remake

      • Sokholov

        Ei, o pessoal aqui dos comments criou um grupo no hangouts quer participar? So informar um Gmail/email do Google. Trocamos msg de rexto, o que significa que ñ precisa se expor se ñ quiser.

        • Rodrigo Freitas

          oi sokholov tá aqui meu email:[email protected]

          • Andrei Sokholov

            Adicionado. Da uma olhada no email ou baixe o app de celular!

  • Elric Costa

    Sou grande fã da serie e nunca me importei muito com a jogabilidade mas sim com o enredo e rumo que os personagens estavam seguindo. Me frustrei quando disseram que não íamos ver rostos familiares porem dei uma chance.
    Depois de todo aquele alvoroço com a demo, eu estava no Hype do lançamento e com aquele bak do final woww, zerei o game em todas as dificuldades mais de uma vez (13 no total)! Criei minhas teorias e estava ansioso pela DLC e pelo novo filme que prometia preencher varias lacunas que o game deixou.
    Mas a DLC não veio… e o filme? Quem já viu sabe do que estou falando, não preencheu nada.
    Não foi o Game que esfriou e sim nós os fãs que somos o maior sistema de marketing!

  • TYRANT_LTS

    Até agora não achei uma promoção que valha a pena. RE5 e RE6 eu me matei pra jogar kkkkkk. RE7, por causa da câmera, eu to esperando tranquilamente uma promoção. E acho que ja ta na hora de um gameplay de RE2 REMAKE.

  • Dannilo

    Sou amigo do escritor da matéria, só passei aqui pra perguntar onde estão os 4 milhões que a capcom disse que ia vender! Ou melhor, onde está aquele otimismo de me dizer que “vai pegar 4 milhões rapidamente, é a tendência” kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Tou esperando!

  • Casal Japonês Emocionado

    Convenhamos, Resident Evil 7 é no máximo um jogo medíocre, fico triste pelas vendas, espero que mesmo assim a Capcom se esforce muito mais com RE8, apenas voltar ao survival não é o bastante, um jogo precisa de substância.

  • Kyle Reese

    Me coloquem nesse grupo. Meu perfil no Google é este mesmo que uso para postar aqui, ou seja, Kyle Reese.

  • Jorge Lopes

    Na boa, esse povo ai que tá falando ai que faltou co-op e multi nesse ultimo jogo por acaso gostaram de de resident evil umbrella corps e resident evil operation raccoon city que tem isso para dar e vender?

  • smaug

    Todo mundo já conhece as artimanhas da Capcom atualmente. Ninguém é louco de comprar um game que terá várias futuras atualizações e DLCs, ganhando ainda uma “especial edition” com tudo incluso.

    Eu só vou comprar e jogar RE7 no próximo ano. Parem de premiar empresas que lançam jogos incompletos.

%d blogueiros gostam disto: