Sabe aquela coisa que nem todo mundo gosta, que claramente divide opiniões? Aquela também que ou faz as pessoas passarem vergonha, ou é questionável em um determinável grupo? Tudo isso define um “guilty pleasure“, ou um prazer culpado. Apesar de ser um gosto individual, quando externado pode gerar uma baita discussão social. E é basicamente isso que o diretor James Cameron provocou recentemente ao elogiar publicamente a primeira adaptação live-action de Resident Evil nos cinemas.

Para Cameron, ganhador de seis oscars e aclamado por suas produções, Resident Evil: O Hóspede Maldito é um de seus filmes guilty pleasures que é realmente muito bem feito – mais exatamente, de uma “maneira muito bela”. “É prazeroso ver Michelle Rodriguez no filme se movendo como uma criatura selvagem”, diz em entrevista ao site Empire. A atriz já trabalhou com o diretor em Avatar.

Apesar de todas as críticas, o primeiro Resident Evil é um dos que mais atraem o carinho entre os fãs. Paul W. S. Anderson optou por não trazer os jogos para o cinema e sim apostar em algo novo que partilhasse do mesmo universo, o que não agradou a todos, mas trouxe um ótimo filme de suspense/terror e ficção científica. A partir do segundo filme, Resident Evil 2: Apocalipse, mais elementos dos jogos foram adicionados por pressão dos fãs, e foi aí que tudo começou a desandar – ao menos esse é o entendimento da equipe REVIL.

Digamos, então, que nos juntamos a James Cameron nesse guilty pleasure. E vocês?

%d blogueiros gostam disto: